1 em Book do dia/ Comportamento no dia 17.12.2014

Book do dia: Os garotos corvos, de Maggie Stiefvater

Já aconteceu de você ler um livro e se sentir velha? Comigo nunca tinha acontecido, mas esse dia chegou e eu me senti péssima! Desde Harry Potter, eu curto livros infanto juvenil e nunca tive vergonha de assumir isso – ok, que no primeiro livro de HP eu realmente era uma infanto juvenil, né? hahaha Se a história é boa e se eu já li ou ouvi críticas positivas, não importa para que público ela é destinada.

garotos-corvosFoi assim que eu descobri Os garotos corvos que, na verdade, é o primeiro livro de uma trilogia. Até li a sinopse antes de ler, e também fiquei interessada por ela: Todo ano, na véspera do Dia de São Marcos,­ Blue Sargent vai com sua mãe clarividente até uma igreja abandonada para ver os espíritos daqueles que vão morrer em breve. Blue nunca consegue vê-los — até este ano, quando um garoto emerge da escuridão e fala diretamente com ela. Seu nome é Gansey, e ela logo descobre que ele é um estudante rico da Academia Aglionby, a escola particular da cidade. Mas Blue se impôs uma regra: ficar longe dos garotos da Aglionby. Conhecidos como garotos corvos, eles só podem significar encrenca. Gansey tem tudo — dinheiro, boa aparência, amigos leais —, mas deseja muito mais. Ele está em uma missão com outros três garotos corvos: Adam, o aluno pobre que se ressente de toda a riqueza ao seu redor; Ronan, a alma perturbada que varia da raiva ao desespero; e Noah, o observador taciturno, que percebe muitas coisas, mas fala pouco. Desde que se entende por gente, as médiuns da família dizem a Blue que, se ela beijar seu verdadeiro amor, ele morrerá. Mas ela não acredita no amor, por isso nunca pensou que isso seria um problema. Agora, conforme sua vida se torna cada vez mais ligada ao estranho mundo dos garotos corvos, ela não tem mais tanta certeza. De Maggie Stiefvater, autora do aclamado A Corrida de Escorpião, esta é uma nova série fascinante,­ em que a inevitabilidade da morte e a natureza do amor nos levam a lugares nunca antes imaginados.

Eu senti potencial nessa sinopse, vocês não? Somei isso a todos os elogios que eu já tinha visto pela internet e obviamente minhas expectativas foram lá para o alto (nunca aprendo). Claro que não imaginei que fosse ser o livro do ano, mas achei que seria uma boa leitura de entretenimento.

O enredo em si é bem interessante, eu super curto essas histórias com toque sobrenatural e no primeiro capítulo eu já estava certa que iria falar bem sobre Os Garotos Corvos por aqui. Foi só engrenar mais um pouco na leitura para eu me decepcionar.

Achei a narrativa confusa, com alguns elementos previsíveis, muitas explicações desnecessárias e, o que deveria ser minimamente explicado, me deixou a ver navios – provavelmente porque ela vai explicar no próximo livro (que eu não vou ler), mas eu realmente nunca vi um tipo de trama que um elemento é acrescentado e você não tem ideia de onde ele surgiu nem para onde vai.

Imaginem o nó na minha cabeça quando eu lembrava de todas as críticas positivas, falando que a narrativa era maravilhosa, super diferente e instigante? Não só me senti velha, como me senti burra por não ter visto nada disso na minha leitura. Será que li outro livro com o mesmo título e não to sabendo? rs

Outra coisa que me incomodou muito foi o final, completamente repentino e até mesmo inesperado, mas não de uma boa forma. Adoro quando um autor consegue terminar o livro fechando um pensamento mas te deixando curiosa para o próximo, e odeio finais aleatórios, ainda mais em trilogias (obviamente fica parecendo que o autor quer te privar de informações para te levar logo para o próximo título).

Sou uma leitora nada exigente e bem fácil de agradar, por isso, sempre fico encucada quando eu não curto um livro que tanta gente está falando bem. Se tiver alguém aqui que tenha lido, curtido e queira me mostrar outros argumentos, estou aberta a discussões e adoraria mudar minha opinião!

Beijos

Carla

Gostou? Você pode gostar também desses!

1 Comentário

  • RESPONDER
    Marilia Kelvia
    18.12.2014 às 15:19

    Carla,
    eu li e gostei do livro, mas eu tenho um teoria de q existe tempo para tudo ate para se ler e gostar ou não de um livro. Sempre q não gosto de uma leitura paro para analisar o pq de não gostar, as vezes é pq não estou dentro da faixa etária indicada para o livro, as vezes não estou no clima para determinado tema e por último que realmente o autor não foi feliz em escrever tal livro.
    Li todos os livros da Maggie já publicados no Brasil, e essa série por ter um número maior de personagens me deixou um pouco confusa no inicio, mas acabei me apegando a leitura e gostando. A escrita dela tem um pouco de poesia que mescla com esse estilo fantasia, o que deixa tudo meio lúdico, ela cria um mundo para aqueles personagens.
    Não sei bem que estilo de livro vc mais gosta pq pelo q vi vc lê de tudo um pouco, mas se vc gosta de filmes, comédias românticas, tem um muito bom chamado Um Amor de Cinema da Victoria Van Tiem, é um livro de leitura leve, bom para distrair mesmo, é um romance fofo. Li esse ano e gostei muito de Pela Luz Dos Olhos Seus da Janine Boissard e indico sempre Tudo Aquilo que Nunca Foi Dito do Marc Levy, adoro a escrita dele. Estou lendo Simplesmente Acontece da Cecelia Ahern, apesar de não ter gostado do outro livros dela que li, esse está me surpreendendo.
    Espero que vc goste das suas próximas leituras.
    bjs
    bjs

  • Deixe uma resposta