9 em Moda/ Reflexões no dia 11.12.2014

A tendência da vez? Usar o que você quiser!

Outro dia estava pensando nos posts que fazíamos e na blogosfera de 5 anos atrás, quando o futi ainda era um recém nascido, e me lembrei que naquela época, praticamente toda semana tinha alguma tendência “tem que ter/usar”. Algumas que vieram à cabeça: calça vermelha (pra ser usada com blusa de oncinha), depois calça burgundy (mais conhecida como vinho), color block, mix de estampa de listra com estampa de poás, batom snob, esmalte verde da Chanel (e depois da Big Universo), enfim….E esse tipo de comportamento continuava igual até pouquíssimo tempo atrás – quem não lembra da febre da calça de listras verticais que invadiu blogs, instagrams e semanas de moda há quase 2 anos?

Hoje em dia eu até acho que ainda tem, mas em quantidades infinitamente menores. Esse ano, por exemplo, acho que só a saia midi e os óculos So Real da Dior me chamaram a atenção pela quantidade de gente usando…Ou vai ver sou eu que to prestando menos atenção nisso, né? Não sei.

De certa forma, como blogueira, preciso confessar que naquela época era muito mais fácil criar pautas de moda. Era só entrar em meia dúzia de blogs, reunir vários looks praticamente idênticos e mostrar a tendência da vez, pronto e acabado. Há 5 anos, de fato, eu achava isso o máximo, hoje em dia nem tanto. E, pelo o que eu estou vendo, acho que nem vocês, leitoras, estão aguentando essa vibe “tem que ter, tem que usar”.

largeEssa minha ideia de falar sobre isso veio depois que eu vi um link da revista Glamour que diz quais as 10 tendências de beleza que você deve abandonar já (entre elas, cabelos ombré e contorno facial à la Kardashian – ou kontorno. Claro que eu não concordei! rs). De início eu não me incomodei com esse tipo de matéria porque ela sempre existiu em revistas – e eu sempre usava coisas que elas diziam que já não davam mais para ser usadas hahaha – mas reparei nos comentários do Facebook e algo me impressionou. Todos, sim, TODOS, os comentários tinham em sua essência a mensagem: não dite regras, eu uso o que eu quiser.

Eu achei isso o máximo! Ainda curto analisar tendências, ver quais se encaixam no meu estilo, posso até fazer vários posts contando sobre tudo que está sendo usado por aí, mas ver que estamos em uma fase onde a tendência da vez é ser você mesmo e fazer o que quiser, mesmo que blogs e revistas digam que o que você está usando é passado, over ou cafona, é libertador! Uma liberdade quase poética, eu diria!

Vejo muito por mim – e não sei se vocês estão sentindo a mesma coisa – mas há 5 anos eu achava que por ser blogueira, eu tinha que me vestir como a revista x estava mandando, ou como a blogueira y lançadora de tendências estava postando no seu blog. Sentia que eu tinha que provar para os outros que eu estava na moda. Só que aí, volta e meia eu me via numa crise de identidade porque eu não conseguia me reconhecer em determinados looks, até o dia que eu percebi que se eu não me sentisse bem comigo mesma, independente de estar usando a tendência da vez ou a tendência de 4 anos atrás, não ia dar certo.

Realmente não lembro se eu já fiz algum post no estilo “você precisa usar isso agora, senão você está por fora”. Não é muito o meu estilo, já que eu não sei ditar regras nem para o meu cachorro, mas eu sinto que se eu adoto uma postura de dona da verdade, eu acabo deixando a melhor parte do blog de fora, a troca! Mas isso já é outro assunto, não vou desvirtuar.

29b524aaa35f0cc48236b573093b1f38Tive que botar a Anna Dello Russo aqui, afinal, acho que ela define muito bem essa liberdade toda que estou falando por aqui!

Só sei que a partir do momento que você sente que não precisa usar o que está todo mundo usando ou dizendo que você tem que usar – a não ser, é claro, que você se identifique – a relação com a moda muda, e a relação com a sua auto confiança também. Ter a noção quase rebelde de que não, você não é obrigada, traz uma liberdade que até então eu não conhecia. E digo para vocês, ela é deliciosa. No meu caso, diria que até a hora da compra ficou muito mais consciente ao adotar essa postura, passei a ser muito mais questionadora quanto às dietas da moda, os exercícios da vez, o tratamento estético do momento, etc. Pra mim, pelo menos, valeu a pena. E fiquei feliz de ver não estava sozinha!

E vocês? Já tiveram (ou ainda têm) uma fase mais influenciada pelos blogs e revistas a ponto de parar de usar algo que disseram que era cafona? Como é a relação de vocês com esse assunto hoje em dia?

Beijos!

Carla

 

Gostou? Você pode gostar também desses!

9 Comentários

  • RESPONDER
    Silvia
    11.12.2014 às 15:08

    Vocês me conhecem, eu tento mas eu não consigo ser uma mulher que segue tendências. As vezes até me sinto mal dado que eu venho do mundo da Moda, aliás já ouvi tanto “você faz moda? É tão ‘normal’… O que é ser normal? Enfim…

    Comigo a questão é mais de “entrar” na tendência, tipo eu AMO pantalonas e saias midi, então agora a moda está ao meu favor! =) Mas já teve fase que eu fiquei completamente demodê! Talvez eu já tenha experimentado algo que eu não curtia tanto para ver qual era e acabei me apegando – tipo as bolsas de alça longa e menores – mas dificilmente alguém vai me ver de oncinha com zebra e floral só pq é tendência! Especialmente hoje onde eu conheço melhor o meu corpo e minhas limitações e travas fashionísticas! =)

    Beijos saudosos!

    • RESPONDER
      Silvia
      11.12.2014 às 15:16

      E se eu quiser usar filha única vou continuar usando e não vou deixar jamais de usar um bronzer na minha papada! Isso não é moda, contorno facial é um favor que a gente faz para a humanidade!!! =D

      Quanto ao undercut, nem sabia que tinha entrado na moda! Vai pedir no salão por um corte assim! Qdo fui cortar agora o cara me mostrou o cabelo da Sandy! Imagina você mostrar um corte desconexo, assimétrico e moderno, e o cabeleireiro te mostra a imagem de um Bob da Sandy…

      Bjs!

  • RESPONDER
    Katia Holanda
    11.12.2014 às 17:35

    Excelente texto ,parabéns !
    A moda é você que faz pois cada um tem seu estilo próprio, geralmente essa descoberta só chega após os 35 anos kkk somos mais livres e seguras do que gostamos de usar .xoxo

  • RESPONDER
    Mica Kodama
    11.12.2014 às 18:26

    Ótimo texto Ca! Acho que sempre me incomodou essa história do “vc tem que ter”, “tem que usar” e do “não pode” e “pode”, incluindo em relação a determinada roupa para determinado tipo de corpo. Sou totalmente a favor da liberdade nas roupas, em usar o que nos faz sentir bem, bonita e nos dá confiança! Se todos fossem por essas regrinhas bobas e fechadas, não iria ser tão democrático. Confesso aqui que sou bem fashion victim as vezes e sempre acompanho as tendências, mas uso dentro do que gosto. Beijos

  • RESPONDER
    Ilana
    12.12.2014 às 7:54

    Carla, amei o texto! Esse ano eu me libertei da obrigação do “must have”, e da tendência “saturada”. Agora se gosto vou usar até EU saturar, e só vou aderir à tendência de realmente gostar. Em 2014 consegui até me libertar dos meus próprios preconceitos! Eu sou baixinha (1,52m) e sempre evitei determinadas peças pois eram feitas para mulheres altas.. Oi??? Eu posso usar o que gosto, independente do que a revista diz, do que o blog incentiva e do que a amiga acha. Semana passada entrei na zara e achei uma culottes pants, provei e amei! Como não usar pq sou baixinha?! Não vou usar pq minas amigas acham horrível? Eu amei! Me senti segura e sim já usei! É muito bom ser dona das próprias vontades, ne?! Beijos!

  • RESPONDER
    Pá.
    12.12.2014 às 14:13

    Cah, Adorei o texto!
    Depois dos 30 vc se conhece muito mais e já sabe qual modelagem te favorece, caindo menos em alguma furadas que estão na moda.
    Mas acho que todas nós já, em algum momento, quisemos usar algo só pq estava na fase #temqueusar, né? #quemnunca
    Ainda bem que isso passa!!!
    Beijos, Pá.
    @papalombo

  • RESPONDER
    Rosana Rocco
    12.12.2014 às 19:27

    Cá, que vontade de bater palmas para o seu texto!!! Maravilhoso! É exatamente isso.
    Quando eu fiz 30 anos, me dei de presente uma consultoria com uma Personal Stylist. Com ela, descobri que imagem eu gostaria de passar, quais os looks que mais combinavam comigo e com o meu biotipo. Ela me ensinou mil coisas tipo: como fazer a análise das texturas, cores e modelos que me favorecem, dicas de maquiagem, quais os acessórios combinavam mais com uma pessoa da minha altura. rsrsrs. Enfim, depois de todo esse aprendizado, segui com as minhas próprias pernas e só compro os modelos q me favorecem. Não sigo moda, nem regras nem nada..sigo o que me faz bem e feliz! Que bom saber que vc pensa igual a mim. Q não existe regra pra moda, e sim a regra do bom senso e de ser feliz com o que vc está vestindo! Beijokas enormes

  • RESPONDER
    Cristina
    15.12.2014 às 12:30

    Apoiadissima!!!!

  • RESPONDER
    Renata Arruda
    15.12.2014 às 21:50

    Amei o post. Eu tenho para mim que acompanhar tendências é valido, é legal desde que a mesma tenha a ver com você. Combine com os seu estilo pessoal, te faça feliz! Nunca gostei de usar ou deixar de usar algo porque fulano ou ciclano disse que deveria ser assim. A moda de verdade é liberdade. Beijos!

    Renata Arruda
    http://www.feminilidades.com.br

  • Deixe uma resposta