2 em Comportamento/ séries no dia 07.12.2014

Netflix: Mr. Selfridge

Semana passada contei para vocês quais são meus seriados do horário de almoço! Já fechei dois deles desde que entrei no Netflix ( Gossip Girl e The Nanny) e os outros não são do estilo “preciso ver todos os episódios”. Claro que Friends eu já assisti tudo, mas há mais de 10 anos atrás, hoje eu assisto salpicado mesmo.

Desde que fiz o post, mergulhei na dica da leitora e trouxe o How I Met Your Mother para a hora do almoço, já vi alguns episódios e achei mesmo uma delícia.

Hoje vou falar de uma série que vi com o namorado nos últimos fins de semana. Mr. Selfridge conta uma história verdadeira que aconteceu em Londres mais ou menos em 1910. Eu e o Guto, mais conhecido como “o namorado”, adoramos filmes, séries e livros de história do mundo. Nesse caso, a série foi especial para mim por cruzar com a história do mercado de consumo de moda e beleza e, pra ele, por trazer um pouco mais da história da cultura britânica que ele tanto estudou no colégio.

Esse seriado inglês é bastante especial e assim como Downtown Abbey, traz costumes, roupas e momentos da história que são muito legais de se ver. Os dois são super complementares para quem gosta de viajar no tempo. Um traz o que acontecia no campo e outro o que rolava na cidade.

E por que eu adorei o seriado? Primeiro de tudo (sim, vou me repetir) porque amo a história da moda, tanto quanto amo a história da arte, e ele fala da criação de uma das mais clássicas lojas de departamento de Londres. Segundo porque a trama é ótima e Harry Gordon Selfridge era um visionário. Terceiro porque parece que ele mudou a forma de se consumir em lojas de departamento em uma das cidades mais importantes do mundo da moda, se não a mais.

seriado-no-futi-2Londres é e sempre foi a capital do estilo pessoal. Foi onde a música inspirou a moda, onde ela a transformou e onde, hoje em dia, as marcas vão para pesquisar tendências. Londres sempre teve suas tribos e é muito especial ver isso num tempo tão diferente.

Mr.-SelfridgeAlém de amar os looks, eu amei ver alguns traços referentes à libertação das mulheres e como a Selfridges apoiou a causa, por motivos nobres ou não. Tudo isso seria interessante, mas não me prenderia tanto se a trama dos personagens não fosse tão boa. Tanto que até o Gu ficou bem interessado.

seriado-no-futi-1Eu me apaixonei pela Rose Selfridge e ao mesmo tempo me indignei com ela em alguns momentos. É bem interessante ver uma americana tentando não perder suas raízes em Londres, onde eles são tão mais formais. Principalmente num tempo onde as coisas eram ainda mais complicadas para as mulheres, a submissão era uma questão importante e Rose foi uma mulher forte, pelo menos na telinha.

Na primeira temporada tem muito amor, infidelidade, trabalho, estratégia de negócios, relação profissional, feminismo e diferença de classes. A mistura de tudo isso deixa a coisa bastante interessante e eu recomendo, sem falar na qualidade da coisa, de cinema.

Queria eleger 10 motivos para assistir Mr. Selfridge mas acabei achando melhor tentar não o fazer, pois aposto que muita gente não viu a série e posso acabar falando demais!

Quem gosta de história da moda ou de história de uma forma geral, eu aposto que vai curtir.

Alguém mais já viu? Estou morrendo para ver a segunda temporada, mas até segunda ordem não chegou no Netflix! :( Espero que eles providenciem logo, se não já vou ver se tem para comprar no Apple TV!

Beijos

Gostou? Você pode gostar também desses!

2 Comentários

  • RESPONDER
    Gih
    08.12.2014 às 11:26

    O estilo dessa serie me lembrou The Paradise.
    Mas The Paradise é contata pela visão de uma mulher que sonha em ter seu próprio negocio (proibido na época).
    Mas é bem igual.. o surgimento das grandes magazines, os eventos e ideias para impulsionar o consumo, como atrair as mulheres ricas para lojas de departamento!!
    Pena que foi cancelada na 2 temporada.
    Mesmo assim vale a pena a ver!
    Kisses

  • RESPONDER
    Nome lourdeso
    08.09.2016 às 17:56

    Estou assistindo a terceira temporada ,estou adorando faz me lembrar do Mappin em Sampa/sp.

  • Deixe uma resposta