1 em Estados Unidos/ Viagem no dia 24.10.2014

Trip Tips: São Francisco

Semana passada eu contei para vocês minhas impressões sobre a louca São Francisco, a cidade é super diferente de todos os outros lugares que conheci nos Estados Unidos e com a maior concentração de gente louca/divertida/curiosa que eu já vi.

Se no post da semana passada eu foquei nas impressões, essa semana vou falar sobre as coisas que fiz. Passei quase 4 dias lá, menos do que eu gostaria e também menos do que a cidade oferece, com certeza!

Primeiro tenho que apresentar meu anfitrião, o Lucas! Ele é irmão de uma das minhas melhores amigas e obviamente é um amigo super querido pra mim. Ele me buscou no aeroporto, me recebeu no seu apartamento do lado da Union Square, o que me permitiu ir à pé para todas as lojas mais legais da cidade. Por ali você encontra tudo, de Macy’s a Louis Vuitton, de Uniqlo a Target. A região é a melhor para qualquer compra, os arredores da praça têm T-U-D-O.

lucas-e-joana-em-sf

Deixando as compras de lado, vamos à parte prática. Eu cheguei a tempo de almoçar e por isso, já sai aproveitando…

Dia 1

No primeiro dia deixamos tudo em casa e fomos passear. Andamos um pouco para eu sacar o clima da cidade e fomos até a baía para almoçar. Comemos num bar bem legal, com direito a Miller Light e Fish & Chips, afinal, estávamos praticamente sentados na beira d’água. Passeamos mais um pouco e passamos pelo Ferry Building, onde tem um ótimo Market Place, e depois fomos para o Píer 39, um dos lugares mais agradáveis para um fim de tarde. Fechamos o passeio/caminhada no Fisherman’s Wharf.

sao-francisco-dia-1

Como comemos várias gordices típicas pelo caminho, não consegui comer o famoso crab cake por lá. Além dele, vi muito daquela sopa que eles comem demais e se chama clam chowder, a sopa vem dentro do famoso pão da padaria Boudin que fica bem por alí

Na próxima vez quero voltar a essa região, achei super diferente de tudo o que já vi, o que nesse caso é fácil, dado que só havia estado na Califórnia para uma conexão.

Dia 2

No segundo dia nós fizemos o passeio que eu mais gostei. Começamos na Ghirardelli, a famosa fábrica de chocolate, e caminhamos pelo San Francisco Maritime National Historical Park. Depois andamos em direção ao Yatch e passamos por lindas casinhas. Fomos até os arredores de Crissy Field Dog Run, onde vários americanos passeiam com seus cachorros na beira da enseada. Várias famílias com criança também brincam por ali. Achei lindo!

baker-beach

Subimos uma trilha e finalmente chegamos na Golden Gate! Acho que nunca tirei tanta foto de ângulos diferentes de um só ponto turístico (acho que nem da Torre Eiffel!), não sei se foi a cor ou se foi a forma, mas algo me chamou muita atenção naquela ponte. Na entrada da Golden Gate ficamos horas vendo as informações sobre ela, mas ao invés de atravessarmos, pegamos um ônibus facilitar nossa ida à Baker Beach. Mesmo com essa “roubadinha”, caminhamos por umas ruas quase fantasmas, entramos numa floresta para cortar caminho e por fim, graças ao Google Maps, chegamos na praia! Eu fiquei vestida, assim como muitos, mas lá a roupa era opcional. O dia estava lindo e ali foi, oficialmente, meu lugar preferido da cidade.

O passeio durou mais de quatro horas e eu fiquei super cansada, ainda assim, a praia tinha uma atmosfera única, foi um dos pontos altos da viagem, com certeza!

Mesmo exausta, fechamos com um jantar no Cheesecake Factory do último andar da Macy’s.

Dia 3

Confesso que no terceiro dia eu já estava morta! Aproveitei que o Lucas tinha aula de manhã para descansar um pouco mais. Começamos o dia vendo as lindas casas que se chamam “Painted Ladies”, e meu pedido principal era ver a casa de Full House, na Alamo Square. De lá nós fomos para o mais famoso dos parques, o Golden Gate Park. O almoço foi cachorro quente no espaço para shows e entre alguns museus, como a Academia de Ciência. Um visual lindo!

sao-francisco-2

Ainda no parque, fomos Jardim Japonês e obriguei o Lucas a ir comigo em um passeio de bote no Stow Lake. Dois programas super agradáveis, se tiver tempo (e ele estiver bom!) não deixem de ir!

Nesse mesmo dia, meu anfitrião me levou para conhecer a esquina mais famosa da cidade, aThe Haight,  onde cruza a Haight e a Ashbury. Essas ruas podem soar desconhecidas para a gente, mas foram nelas que nasceu o movimento hippie nos EUA, na década de 60. Em torno tem vários brechós com peças da época que valem a visita! A rua em si não tinha nada de muito diferente, mas eu adorei conhecer o berço de um movimento que eu tanto ouvi falar, sem contar que as lojas são legais e tem algo no ar que te faz entrar no clima!

haight

Para encerrar nosso dia o Lucas me levou para conhecer um sub-bairro, mais precisamente uma rua imperdível: a Castro, onde nasceu o movimento gay (LGBTS). Na rua principal existem bares, lojas, cartazes e muito mais, tudo remetendo ao universo gay. O cinema com o “cante com a gente” de Frozen foi o que mais chamou minha atenção. Nos arredores, fomos a uma sex shop muito legal, clean e zero caricata chamada “Does Your Mother Know. Fato é que minha mãe não conhece metade do que existe ali, muitas coisas engraçadas e úteis para homens e mulheres.

Castro

Parece que os bares da rua são muito turísticos. Eu entrei em um onde eu era a única mulher e o clima era intenso. Dali o Lucas me levou a dois bares que eu adorei.

O primeiro chamado The MIX, um bar de bairro todo colorido, divertido e com um quintal muito animado nos fundos (que foi onde ficamos). Esse bar também era LGBT, foi perfeito para nosso início de noite, com o clima ótimo.

O segundo bar se chama Hi Tops e é super esportivo, cheio de telões, boa comida, bingo e muita gente. Também adorei esse! Ele tem uma pegada bem diferente do outro, mas vale conhecer. Quem gosta de esportes vai adorar esse.

Quando saímos do segundo eu já estava mais para lá do que para cá, então fomos jantar e dormir. Se eu de ferro fosse (ou apenas fosse mais nova) , tinha enfrentado uma noitada, infelizmente não consegui.

Dia 4

O quarto dia foi uma viagem a Sausalito. Minha vontade mesmo era de ir a uma vinícola em Napa, mas o tempo não ajudou e resolvemos nos ater ao mais clássico e simples. Contei do meu look e do passeio nesse post aqui. Não fiz a famosa ida de bicicleta, mas confesso que não me arrependi.

Na volta, finalmente fomos comer sobremesa na fábrica de chocolate Ghirardelli, na Ghirardelli Square, e valeu super a pena. O milkshake de Caramel Sea Salt foi meu preferido, sem falar no quadradinho de chocolate recheado de caramelo que eu trouxe pra a família e teve até disputa! rs

Por fim, nós fomos ver a Lombard Street, aquela famosa rua com curvas e flores que também é um ponto turístico imperdível (principalmente na primavera/verão, que ela fica especialmente linda e colorida). Encerramos o turismo voltando para casa de Cable Car e com mais 5 kg de músculos nas pernas, afinal, foram muitas subidas e descidas.

Não teve nada que eu tenha considerado perda de tempo, gostei de cada lugar que conheci e indico todas essas coisas para quem for passar mais de 3 dias na cidade. Mesmo tendo feito tantas coisas, deixei de fazer alguns clássicos, como a visita à Alcatraz (é bom comprar os ingressos com alguma antecedência), mas isso é só um motivo para voltar de novo, né?

Na próxima vez vou passar uns 2 ou 3 dias em Napa/ Sonoma, já que lá tem muitas vinicolas e alguns lugares interessantes para os mais interessados em espiritualidade.

É isso, ufa! Desculpem pelo texto enorme, foi muita coisa em pouco tempo.

Beijos

Jô 

 *** sábado vou conseguir colocar mais fotos no post! Fiquem ligadas! :)

 

Gostou? Você pode gostar também desses!

1 Comentário

  • RESPONDER
    Marcia Aguiar
    24.10.2014 às 21:49

    Tem que voltar mesmo. Na última vez passei seis dias em São Francisco e ainda deixei de fazer coisas que eu queria. Não vejo a hora de voltar e dirigir até San Diego.
    Quando fui a Alcatraz comprei o ingresso na hora. Tinha fila, mas toda hora saí uma barca para lá.
    I left my heart in San Francisco! ♥

  • Deixe uma resposta