20 em Comportamento/ Deu o Que Falar no dia 23.06.2014

Deu o que falar…

1 – Unanimidade da semana

Faz tempo que a gente não vê um texto tão onipresente pela internet do que esse da Ruth Manus, que fala sobre “a incrível geração de mulheres que foi criada para ser tudo o que um homem NÃO quer”.

Sabe quando alguém bota em palavras aquilo que muita gente já vem pensando há muito tempo e só nos resta assinar embaixo? Muitas mulheres se identificaram, até quem arrumou um companheiro que foge do estereótipo citado no texto! Claro que muitos homens pensam fora da caixa e nem todo mundo é igual, mas o texto fala de uma forma geral dessa geração de tem particularidades únicas.

Um trechinho para quem ainda não leu:

trecho

Como procuramos dar nossa opinião sempre, só achamos que vale a pena mencionar que não é nenhum demérito escolher ser dona de casa ou se dedicar à família. O importante mesmo, no fim das contas, é arrumar um companheiro que te respeite, apoie suas decisões e incentive seus planos! 

2 – Beleza em primeiro lugar?

Depois do mendigo gato e do segurança gato, surgiu um outro gato na história, dessa vez, lá dos Estados Unidos: o bandido gato.

enhanced-32721-1403210922-7

O departamento de polícia da cidade de Stockton, na California, sempre posta as mugshots dos presos recentes em sua página no Facebook. Desde que postaram a foto de Jeremy Meeks, um dos participantes de um quadrilha que foi responsável por uma série de roubos, ela já foi curtida por quase 95.000 pessoas, compartilhada mais de 12.000 vezes e tem mais de 25.000 comentários.

As piadinhas são quase irresistíveis, e boa parte dos comentários são no estilo: “me rouba que eu gosto”, “deixa que eu prendo ele” e “se eu tivesse na prisão eu derrubaria o sabonete toda hora” (mas gente!!!).

Enquanto várias mulheres resolveram esquecer que o cara é um bandido e preferem ficar hipnotizadas pelos olhos azuis de Jeremy, precisamos confessar que estamos encantadas mesmo é com o fotógrafo!

bandido-gato

Nossas fotos de RG, passaporte e carteira de motoristas serão todas feitas por esse fotógrafo a partir de agora! hahaha

3 – As pulseiras desaparecidas

Esse fim de semana recebemos várias mensagens no instagram para falarmos da história das pulseiras não devolvidas da Helena Bordon.

Quem não sabe do que se trata, aqui está todo o babado:

Para começo de conversa, não botamos nossa mão no fogo por ninguém. E é claro que nessa história de emprestar coisas, nem sempre tudo sai as mil maravilhas. Lembram que já falamos sobre isso por aqui? Nesse caso, a história foi um pouco mais grave por se tratar de um acordo profissional, e ao que tudo indica, com contrato e tudo.

Sim, a equipe da Helena errou feio em alguns pontos. Como mostra a mensagem da dona da marca, os e-mails não foram respondidos, as peças não foram devolvidas e a equipe estava desinformada. Mas será que a dona da marca não passou dos limites ao expor o problema dessa forma? No nosso ponto de vista sim. Ainda mais levando em conta que é difícil acreditar que tudo tenha acontecido exatamente como um lado da história conta, a resposta da Helena mostra que tudo pode ter dois ou três lados.

Estávamos achando que o pedido público poderia ser um ato de desespero por não conseguir outra forma de contato (o que daria para entender). Só que aí, reparamos a primeira foto, que parece um print da tela que a própria marca mandou para o perfil de fofoca no insta, e nesse momento, a gente sentiu um pouco de maldade nisso tudo.Nesse mundo de redes sociais a gente vê cada caso de oportunismo, que não nos assustaríamos se esse fosse mais um.

A resposta da Helena  foi educada e boa (na medida do possível já que as peças ainda estavam no seu escritório). No entanto se fossemos ela, ficaríamos de olho nessa equipe, as vezes uma pequena falta de cuidado com emails pode causar uma confusão como essa.

Agora imaginem se a moda pega? Será preciso muito jogo de cintura para responder bem e rápido esse tipo de contato nas redes sociais.

Gostou? Você pode gostar também desses!

20 Comentários

  • RESPONDER
    Nome (obrigatório) : paula
    23.06.2014 às 11:23

    Se vc comigo e o meu escritório tivesse errado, eu msm faria a devolução até pessoalmente, pois não gostaria q alguém duvidasse da minha honestidade e de meu caráter, mas pelo visto, ela não está nem um pouco preocupada!

    • RESPONDER
      Joana
      23.06.2014 às 11:32

      Paula,

      Juro que não achei que a resposta dela foi despreocupada, se assim fosse acho que ela não falaria nada.
      Eu entendo seu ponto, faz todo sentido, mas acho que nem tudo é tão simples, tem o lado da marca, o lado da helena e a verdade de fato, uma amiga sempre diz isso e acho que é por ai.

      Se fosse comigo eu trocaria minha equipe (ou colocaria todos em alerta) e resolveria essa devolução pra ontem, mas acho que não dá saber se ela não mandou um email para a menina, se resolveu o caso.

      Eu vejo um interesse bem obscuro da marca em aparecer nesse caso.
      Sei lá, como já vi marca querendo se dar bem em cima do blog no insta eu já acho esse tipo de coisa suspeita.

  • RESPONDER
    mari (andpizzazz)
    23.06.2014 às 11:58

    O melhor foram as montagens do assaltante como modelo de grandes marcas haha.. Muito engraçado! Sem duvida um bom fotografo é tudo! Mas ainda assim talvez ele leve jeito para modelo… quem sabe ele aproveita e muda de profissao?

    E desse “babado” eu achei sim uma falta de educacao da marca. E ainda escrever tudo errado! Que falta de profissionalismo. Eu nao acho profissional uma marca ir reclamar e expor a pessoa no instagram, sou segura que tinham outros meios de entrar em contato com ela. No fim pode ter sido oportunismo sim.

    bjs!

  • RESPONDER
    Pat camargo
    23.06.2014 às 13:58

    A dona dessa marca devia se preocupar em aprender português e esquecer essas pulseiras. A mulher é analfabeta

  • RESPONDER
    luana
    23.06.2014 às 14:29

    Eu só fiquei intrigada com uma coisa: pra que ela pegou coisas emprestadas? Sei que isso é meio comum no meio artístico, mas em blog?

  • RESPONDER
    Nina
    23.06.2014 às 21:07

    Que isso, Luana, em q mundo vc vive? É mta coisa emprestada, ou vc acha q elas compram td q usam? Essas blogueiras high society é só assim…ou é merchan ou é emprestado!

    • RESPONDER
      luana
      23.06.2014 às 21:54

      Nina, posso estar sendo ingênua, mas achava que os produtos eram delas sim. Claro que sabia que nem tudo era comprado, mas achava que elas ganhavam o que estavam exibindo.

      • RESPONDER
        Joana
        23.06.2014 às 22:17

        Luana,
        Cada caso é um caso, mesmo.
        Independente de “classe média”, “classe média alta” ou “alta sociedade” diferentes casos podem acontecer.
        Existem situações em que as blogueiras compram seus produtos, acessórios de desejo ou o que for, algo que elas desejam, que sabem que vão usar muito e por aí vai, mas também existem duas outras situações. Uma quando a marca manda presentes que ela gostaria que a blogueira divulgasse e outra em que ela empresta algo que seria interessante a blogueira divulgar, exatamente como a produção do meio artístico.

        Tanto no presente quanto no empréstimo existem casos (não são todos) em que a marca está pagando para essa divulgação e cada blog escolhe a sua forma se sinalizar isso. Em outras situações a marca não paga nada, apenas oferece algo que a mesma deseja para uma determinada ocasião, uma parceria mesmo.

        Isso de que blogueira não compra nada é uma máxima que não é verdade, tudo depende de quem é o interesse. Se o interesse da mesma é como cliente por uma bolsa X ela vai comprar, se o interesse é da marca divulgar seus vestidos e ela oferece que a blogueira use ela vai presentear ou emprestar para a mesma.

        Não dá para generalizar, até por que algumas bloggers tem acesso a marcas diferentes, então umas vestem Pucci por produção, outras compram. Tudo depende da situação e do quanto aquele objeto é um desejo.

        Nesse mundo é mesmo complexo de sacar o que está acontecendo, se você não tem fontes seguras não tem como ter certeza de qual caso cada situação se enquadra.

        Espero ter conseguido ajudar. :)
        Bjos

  • RESPONDER
    Bianca
    24.06.2014 às 3:04

    Morri de rir dos memes que surgiram do bandido gato! Esse foi o melhor: http://i.dailymail.co.uk/i/pix/2014/06/22/article-2664850-1EF6F3B800000578-243_634x772.jpg
    hahahaha

    No caso dessa montagem, poderia ser tanto “sometimes you just take a good picture” quanto “sometimes you just take a BAD picture”, não?! ;)

    Tenho uma opinião dividida em relação ao caso da Helena Bordon. Por um lado acho que a dona da loja passou dos limites ao expor o caso, por outro, tbm vejo como um possível ato desesperado, já que ela havia tentado mandar emails, telefonar e até mesmo ir até o escritório e nada. O nível do português da moça me passa a imagem de alguém pouco profissional, então creio que possa ter sido ingenuidade mesmo. Como vcs sabem que o print foi enviado pela dona da loja (desculpa, não entendo muito de insta)?
    Pela resposta da Helena (realmente bem educada), me pareceu que a loja cumpriu com sua parte do contrato e que o erro foi por conta de sua própria equipe. O fato da Helena ter bloqueado a moça também me deixa com pulga atrás da orelha.
    Enfim, se foi por maldade ou não, pelo menos a loja finalmente conseguiu os braceletes de volta e MUITA publicidade (ainda que não 100% positiva) e com certeza a Helena ficará mais alerta com sua equipe.

    • RESPONDER
      Carla
      24.06.2014 às 11:25

      Acho que sim, Bianca! hahaha

      A história do print enviado foi uma suposição nossa, levando em conta de onde o print foi feito (daquela aba “seguindo”, que, sinceramente, eu não conheço ninguém que fique olhando! haha), da forma que ela foi comentar no perfil de fofoca, etc, mas como falamos no texto, não temos como ter certeza de nada…até porque tem gente que, desde que esses perfis de fofoca nasceram, vive no instagram alheio caçando baphão. rs

      Sobre a história do block, eu sou amiga de uma amiga dela e a gente acabou tocando no assunto quando ele surgiu. Diz ela que não bloqueou, mas como ela está super errada nessa história, a dona da loja acaba ficando com o benefício da dúvida aos olhos de todo mundo que acompanhou o babado.

      Como a gente falou no texto, não botamos a mão no fogo por ninguém, mas que a história ficou estranha, ficou!

      Beijooos

  • RESPONDER
    Gabriela
    24.06.2014 às 8:34

    É, situação delicada né?!?!

  • RESPONDER
    Marcele
    24.06.2014 às 9:17

    Adoro o deu o que falar!! E adoro a maneira sem julgamentos que vcs tratam os assuntos mesmo se posicionando. Congrats

  • RESPONDER
    Ozzy
    24.06.2014 às 15:23

    Sabe o que eu mais gostei nessa história das pulseiras?
    É que muita gente que acredita que essa blogueiras compram todas as coisas caríssimas que usam (e que 99% da população não tem acesso) ficou sabendo que não é bem assim. Infelizmente, os blogs tem muito poder de incentivar o consumo “desnecessário” e acriam a ilusão que as blogueiras ficam 24/7 montadas em grifes e que pagam por tudo que usam.
    Acho que o oportunismo da dona da marca foi muito grande e que falta de profissionalismo da equipe da Helena também. No começo, também fui na linha de que era a última opção de contato da dona, uma atitude de desespero, mas a cada vez que leio sobre isso, acho muito difícil de acreditar. E sinceramente, acho que foi um tiro no pé, pois a Helena é muito conhecida e influente, com mãe na Vogue e tudo.

    • RESPONDER
      Carla
      24.06.2014 às 16:46

      Ozzy, eu vi muita gente com esse argumento, vindo com um tom no estilo “tá vendo, elas fazem todo mundo de trouxa”, mas sinceramente, eu acho que o buraco é tãoooo mais embaixo que isso! Tem muita marca (principalmente as internacionais) cuja política é emprestar para produção (seja para blogueira, revista, editora de moda), passar o evento estipulado e a pessoa devolver. E tem outras marcas que ainda estão começando, têm coisas legais mas ainda não tem muitas peças em estoque, de forma que a solução encontrada é emprestar para produção e, dessa forma, botar no seu currículo de “pessoas que usam” várias blogueiras/atrizes/cantoras/etc. Eu senti muito que foi esse o caso (até porque, se não me engano, a marca foi indicação de alguém conhecido dela).

      Eu sei que não dá para comparar blogueiras com celebridades, mas vendo a quantidade de eventos que vão, não acho algo absurdo pegar peças de produção, assim como atrizes e cantoras fazem isso desde sempre. É interessante para as marcas e para as blogueiras, afinal, acho que nem a Thassia teria um closet tão abrangente! rs

      Terminando, também achei que foi um super tiro no pé! Eu li quase todos os comentários que estavam disponíveis e fiquei chocada como as opiniões ficaram divididas, mesmo estando claro que a equipe da Helena pisou muito na bola em vários pontos!

      Beijos!

    • RESPONDER
      Ozzy
      24.06.2014 às 17:16

      Carla, acho que eu me expreesei mal, pois eu não sou nem um pouco contra aos empréstimos (acho que, aqui no Brasil, algumas blogueiras já estão no mesmo nível de celebridades), mas o que vi no IG, quando esse episódio foi parar no @babadeira e @nanarude, foram comentários que demonstravam que muitas pessoas não sabiam que isso acontecia. Por mim, podem ganhar, serem pagas para falar, postar em IG, desde que sinalizem.

      • RESPONDER
        Carla
        24.06.2014 às 17:20

        Me expressei mal, Ozzy, mil desculpas! Eu entendi que você não estava com o tom que eu falei que vi. Mas como vc mencionou esse assunto, e já teve outra pessoa que comentou sobre ele, achei que deveria falar o que eu achava sobre isso! :)

  • RESPONDER
    Fernanda
    26.06.2014 às 10:00

    Meninas, vocês viram o texto de uma escritora da Folha que foi publicado em “resposta” a este da Ruth?!?!?!

    olha o link
    http://www1.folha.uol.com.br/colunas/marilizpereirajorge/2014/06/1476515-a-incrivel-geracao-das-mulheres-chatas.shtml

    o que acharam?!

    bjos

    • RESPONDER
      Carla
      26.06.2014 às 13:01

      Vamos ler!! Obrigada pela dica! :)

    • RESPONDER
      Renata Garcia
      26.06.2014 às 14:08

      Olá, meninas!
      Com relação ao texto mencionado, não sei bem o que pensar. Li a resposta mencionada pela leitora Fernanda, e acho que me identifiquei mais… Acho que tem muita mulher “independente” por aí que também espera que o cara ganhe mais que ela, que pague as contas etc. Estou fora do “mercado” faz tempo rsrs, mas acho que existe toda uma nova geração de pessoas, tanto homens quanto mulheres, pq tb vejo amigas que gostariam de não trabalhar, por exemplo, para se dedicar aos filhos, mas acham que se admitirem isso, serão vistas como “Amélias”. Minha cartilha sempre foi a dos direitos iguais, acho que somos todos gente, com aspirações, desejos etc. Bj pra vcs!

  • RESPONDER
    Marcia Aguiar
    28.06.2014 às 21:53

    A Helena precisa ficar de olho no português também, pois “a meses” e “a um tempão” me causaram dor nos olhos. Quando as pessoas vão aprender a usar o verbo haver no sentido de tempo decorrido??? OMG!

  • Deixe uma resposta