23 em Comportamento/ Deu o Que Falar no dia 24.02.2014

Deu o que falar…

1 – Quem fala o que quer…pode receber críticas!

Essa semana vimos várias pessoas, artistas e opinadores de plantão, criticando uma parte da entrevista que Caio Castro deu para a Marilia Gabriela no ano passado, onde ele dizia que não gostava de teatro nem de literatura. Ingrid Guimarães usou seu Facebook para fazer a seguinte crítica:

ingridPra começar, achamos corajosa a atitude de Caio. Admitir esse tipo de coisa, ainda mais com a profissão que ele tem, é dar a cara pra bater em praça pública. Porém, vamos lembrar o histórico dele? Caio Castro conseguiu seu primeiro papel na tv através de um concurso no Caldeirão do Huck e nunca tinha pensado em ser ator. Esse conjunto de informações tira o mérito dele? Não, né? 7 anos depois, ele continua atuando. Ele até pode estar admitindo gostar de ser ignorante, mas burro ele já provou que não é.

Entendemos o questionamento da Ingrid – uma atriz que nós adoramos, inclusive. É difícil mesmo você lutar a vida toda para ser reconhecida como atriz, ter passado por todas as esferas da profissão e ver seu local de trabalho ser engolido por ex-BBB’s, ex-modelos e afins, que não passaram por metade do que você passou. Dá um certo desgosto mesmo, o problema é que do jeito que ela argumentou, soou meio arrogante, não soou? Como se ela se achasse melhor do que alguém que não quis seguir os passos que ela tomou. Só achamos que ela esqueceu de pensar que nem todos os atores querem ser aspirantes à Fernanda Montenegro.

PS: Quem deveria de reclamar dessa “nova geração de atores sem formação” era a gente, que vê novela, né? Somos as maiores prejudicadas.

2 – Oops I Did it Again – by Mark Zuckerberg

Não é possível, e ele fez de novo! Mark Zuckerberg anunciou na semana passada que o Facebook comprou o What’s App por 16 bilhões de dólares (sim, BIlhões). Óbvio que vários tipos de meme surgiram, como esse:

a04ca9589a2311e39a9912e7a1c8e8c3_8Um dia depois do anúncio, eis que o What’s App para de funcionar. No meio de um sábado! Mark, seu piadista.

f027dda69c0a11e3ba1212c564fc8c48_8Não sabemos se são todas as pessoas que têm essa impressão do Facebook, mas quem administra qualquer página que seja dentro do Face, sabe como Mark pode ser um tanto quanto ganancioso. Depois de começarem a cobrar centavos para que você mande mensagem para pessoas que não são suas amigas (nem todo mundo dá essa “sorte, mas isso existe), cada vez mais o alcance orgânico das páginas vêm diminuindo (para dar um exemplo, teve época que nosso alcance chegava a 13.000 views em um post. Hoje não chega a 600, e o número de fãs aumentou. Matemática louca? Magina…) e a única alternativa que te sobra é pagar para que te vejam.

É óbvio que trememos na base com a notícia, mas resolvemos ver pelo lado bom. O instagram foi comprado e continua a mesma coisa, talvez não aconteça nada no fim, né? Estamos torcendo!

3 – O vegetariano que voltou a comer carne

friboi-roberto-carlos-e-tony-ramos

Como se não bastasse ter virado bordão no país inteiro, a Friboi quis provar que não dorme no ponto e resolveu investir uma campanha tão gênia quanto polêmica e trouxe, para se juntar com Tony Ramos, ninguém menos que o cantor Roberto Carlos.

Até aí, tanto faz. Se não fosse um detalhe: Roberto Carlos era vegetariano há mais de 30 anos. No entanto que o comercial brinca com esse fato e apresenta o argumento de que a carne é tão boa que fez um vegetariano virar carnívoro.

Esse argumento não é nenhuma novidade na publicidade – quem lembra quando Bell Marques raspou a inseparável barba para a Gilette? –  mas dessa vez, resolveram mexer com um grupo de pessoas que dificilmente iriam achar graça na brincadeira. Em tempos de internet, então, as críticas estão chovendo até agora na página de Roberto Carlos, que se saiu nessa história como um tremendo vendido.

O que vocês acham dessa polêmica? Nós entendemos a super ação de marketing, mas se a gente fosse o Roberto, não teria se vendido dessa forma por dinheiro nenhum!

Gostou? Você pode gostar também desses!

23 Comentários

  • RESPONDER
    luana
    24.02.2014 às 23:27

    Meninas, não acho que a Ingrid foi arrogante. Assisti a entrevista e tive o mesmo estranhamento que ela. Como assim você é ator e não gosta de teatro, nem de ler!!! Ultimamente as pessoas estão valorizando demais o que chamam de “sinceridade” (na verdade ” sincericídeo”, né?). Mas eu ainda sou da turma que acha nem tudo o que se pensa se fala. Ele só está pagando o preço pelo despreparo e “ingenuidade”. E acho que tem que arcar com o custo sim! Claro que nem todo ator tem que ser uma Fernanda Montenegro, mas não precisa passar atestado de “sou só uma carinha bonita mesmo”. A pessoa pode se aprimorar, se desvincular disso. E não ajudar a reforçar ainda mais o esteriótipo. Atuar é profissão e não pega bem a gente dizer que detesta o que é da essência do nosso ofício.

    • RESPONDER
      Carla
      25.02.2014 às 9:32

      Luana, não dissemos que ela foi arrogante, e sim que soou arrogante. Concordo com a história do sincerídio, mas ao mesmo tempo, o que ele mostra em entrevistas e redes sociais é tão compatível com esse tipo de declaração que não assustou, sabe?? Hoje em dia, não acho mesmo que ele está pagando preço nenhum pelo despreparo, o cara pegou uma chance em um concurso e já está há 7 anos na profissão, logo depois dessa polêmica saiu a lista de quem vai concorrer aos Melhores do Ano no Faustão (ok, não é nada demais, mas é alguma coisa) e ele está no meio. Mas não duvido que ele pague o tal preço em algum futuro próximo. Nomes importantes dessa área comentaram e concordaram com a Ingrid, pode ser que isso seja prejudicial para ele no futuro.

      Outro dia uma menina veio aqui nos comentários dizer que não entendia o motivo de termos uma tag de livros, que ela não gostava e nem lia e não via sentido em um blog de moda falar sobre isso. Confesso que de inicio fiquei assustada com a sinceridade, mas depois parei pra refletir e cheguei a duas conclusões que se complementam: 1 – a maior prejudicada com isso será ela 2 – mas e se, apesar de não gostar de ler livros, ela consegue absorver informações da tv, dos jornais e revistas? Vou achar que ela está saindo prejudicada ou que eu sou mais culta que ela porque eu leio livros e ela não?

      Provavelmente se eu não tivesse passado por essa reflexão, nós estaríamos aqui defendendo a Ingrid e metendo o pau no Caio Castro, mas acho complicado julgar as escolhas dos outros desse jeito.

    • RESPONDER
      Luciana
      25.02.2014 às 10:46

      Luana, achei excelente o teu comentário. Acho também que “falar o que pensa” esta sobrevalorizado. E acho que as pessoas tem que ser responsáveis pelo que sai da suas bocas. Ser “honesto” nao serve de desculpa para tudo. No caso deste “ator”, bem, ele só é um reflexo do que a sociedade atual consome.

    • RESPONDER
      Juliana
      25.02.2014 às 13:12

      Super concordo!!!! Isso mesmo!!!

  • RESPONDER
    Poliana
    25.02.2014 às 7:55

    Olá, as vezes dou uma passada aqui e quase nunca comento. Mas agora me pareceu relevante fazê-lo: concordo com o comentário da Luana: não achei arrogante o comentário da I. Guimarães. E vou mais além: esse sincericídio é sim falta de preparo (queima filme) e a pessoa não se dá conta da capacidade que tem de influenciar os outros. Fazendo uma assertiva dessas também dá um mau exemplo e presta um desserviço social. E… para quê mesmo? Para dizer que com uma boa aparência se vai longe? Lamento, mas não posso concordar com essa falta de responsabilidade sobre o que se fala.
    Agora, tratando de arrogância: achei que vocês sim o foram (um pouco) quando disseram que quem tem que se queixar da nova geração de atores são vocês que assistem novela, desqualificando a opinião da atriz – mesmo ignorando o fato de ela assistir ou não tais programas. Penso que o ps poderia ter ficado só na esfera dos pensamentos…
    Abraços,

  • RESPONDER
    Elouisa
    25.02.2014 às 9:27

    Concordo com as meninas que já comentaram aqui no post. Acho que o Caio deveria prestar atenção na essência da profissão que está seguindo. Desta maneira ele nunca irá interpretar um personagem mais profundo em que pesquisa, estudo e muito preparo é necessário. Além do que saber o que está acontecendo no mundo nos torna cidadãos mais interessantes e menos superficiais. Enfim, a vida já não tá fácil para quem se dedica, lê, estuda, pensa….imagina daqui uns aninhos para o Caio. Beleza acaba! Foca na essência! A Ingrid está mais que certa! #shame

    • RESPONDER
      Carla
      25.02.2014 às 9:48

      Elouisa, concordo! Mas continuo batendo na tecla que o maior prejudicado no fim das contas será ele, né? Concordo com a Ingrid até o ponto em que ela fala dessa nova geração que não tem preparação, só acho que ela se perdeu quando resolveu falar das casas noturnas e restaurantes. O que a pessoa faz fora do ambiente de trabalho dela não é da conta de ninguém e não necessariamente define quem ela é.

  • RESPONDER
    Fernanda
    25.02.2014 às 9:47

    Eu concordo com a Ingrid, com o que já foi dito e ainda acrescento mais um pouco: Sinceridade tem lugar e hora para “aparecer”. Caio Castro, querendo ou não, influencia algumas pessoas. Na hora ele pode não ter pensado nisso, mas algumas pessoas poderão pensar “Pô, se ele não gosta, eu também não gosto!”. E nós sabemos que isso acontece.

    • RESPONDER
      Joana
      25.02.2014 às 13:19

      Acho que ele podia ter ficado sem essa, só acho hipócrita acharmos que ele é o único ator que pensa assim, ou dizer que ele não é ator por isso.
      Acho que é bem por ai mesmo.

  • RESPONDER
    Juliana
    25.02.2014 às 13:11

    Oie…

    Eu concordo com a Ingrid e não achei ela nem um pouco arrogante!!! Hoje realmente tudo anda perdendo valores demais….. Creio que estamos vivendo um momento complicado…. Até respeito o Caio de não gostar… Ok… mas, não acho legal o exemplo dele dizer que não ser culto é legal….. Pessoas públicas deveriam influenciar a população de uma forma positiva e incentivando a educação… Era melhor ele ter ficado calado.

    • RESPONDER
      Joana
      25.02.2014 às 13:12

      Concordo com você!

    • RESPONDER
      Mariana Borges
      25.02.2014 às 13:53

      Então, vou aproveitar esse ponto para abordar algo eu estava ruminando desde o desabafo “não quero saber de livros” da minha xará.

      A gente tem que ter respeito por quem pensa diferente de nós. Mas acredito que que essa tolerância a quem acha que teatro e livros não são importantes para a vida não pode ser levada à frente enquanto PROJETO DE SOCIEDADE.

      Não é questão de se achar mais culta, Carla. Todas as indicações de leitura aqui são de livros muito bons mas que são “normais” – no sentido de que não são grande obras primas herméticas para iniciados. Em seus países, foram escritos para a GRANDE maioria da população, que lê e respeita a leitura. Gente NORMAL, COMUM, a MAIORIA DA POPULAÇÃO.

      Uma vez, ouvi de uma estudante de medicina brasileira que ela”pagou mico” durante um intercâmbio na Inglaterra. Enquanto os colegas CHILENOS e ARGENTINOS discutiam sobre as diferentes linhas artísticas enquanto olhavam quadros em um museu, ela só podia falar “gostei” e “não gostei”.

      Por que ela não tinha sensibilidade? Não, porque ela não teve acesso a museus depois dos 10 anos de idade. Afinal, não caía no vestibular e educação artística só é ministrada para criancinhas.

      Não nos damos conta de que essas ausências na formação influenciam em nossos índices de compreensão de texto e até de matemática. Nossa produtividade é ruim em relação aos trabalhadores de outros países – porque nos falta formação básica. Nossos índices de analfabetismo funcional são assustadores.

      Enfim, isso aqui já virou uma bíblia. E não, estou crucificando ninguém – só acho que, com todo respeito a quem acredite que leitura, teatro e outras manifestações artísticas não sejam importantes para a vida PESSOAL, como SOCIEDADE elas têm que ser defendidas por todo mundo.

      • RESPONDER
        Joana
        25.02.2014 às 14:47

        Muito bom seu comentário Mariana! Concordo super. Mesmo com minha super dificuldade para ler eu admiro muito essa arte! Fui criada em volta dos livros (mesmo fisicamente) e sempre indo a exposições, acho que isso fez muita diferença na minha vida! Concordo contigo!

      • RESPONDER
        Carla
        25.02.2014 às 18:05

        Mariana, eu só citei a história da menina porque o primeiro pensamento quando você ouve uma pessoa admitir esse tipo de coisa é: “nossa, mas como assim a pessoa gosta de ser ignorante”? Mas aí, pensando melhor e refletindo, você vê que não é bem por aí. Inclusive, vc completou meu comentário, eu ia falar sobre os livros que leio e conto aqui no blog. A maioria é bobo, de leitura super fácil e um passatempo. Sempre dá pra aprender uma coisa ou outra, mas não são eles que me fazem uma pessoa culta ou não. Por isso que resolvi parar de julgar e nem entrei nesse argumento quando respondi à sua xará.

        Mesmo assim, achei seu comentário incrível, me fez pensar em outro ponto q eu não tinha pensado. De fato, essa parte do interesse pela cultura é muito mal elaborada nas escolas. A leitura torna-se uma obrigação, quando deveria de ser um prazer e poucas escolas estimulam outros tipos de arte. Lembro de ter tido uma aula na faculdade onde o professor analisou Cidade dos Sonhos, de David Lynch, e eu achei aquilo tão incrível que queria ter uma matéria só disso!

        Eu tive a felicidade de estar numa familia que sempre incentivou meu lado criativo, sempre me encheu de livros, idas à museus, teatro e afins, mas se fosse depender da escola para me interessar por isso, eu tava ferrada!! Acho o máximo ir em museus de outros países e ver aqueles grupos escolares, com crianças de 7/8 anos aprendendo sobre os maiores artistas da história!

        Obrigada mesmo pelo seu ponto de vista!

  • RESPONDER
    Janice
    25.02.2014 às 15:30

    Acho que o Caio Castro foi infeliz no comentário dele, mas ele também foi sincero quanto ao fato dele não gostar de teatro e de leitura em geral. Só que o desabafo da Ingrid Guimarães foi em prol de uma arte que nasceu nos palcos, desde a Grécia Antiga. O comentário do Miguel Falabella foi muito apropriado pro caso do Caio Castro, que “Não é ator. É desinibido.” Acho que por mais que ser ator não tenha sido o sonho da vida dele, ele poderia pelo menos se inteirar mais sobre o universo das artes cênicas, senão ele acaba sendo só mais um carinha bonito com papéis medíocres. E parabéns pelo comentário final, afinal, quem tem que reclamar dessa geração somos nós mesmos.

  • RESPONDER
    Andressa
    25.02.2014 às 17:52

    Lamentável a atitude de quem escreve esse blog, assim como o Caio, é melhor ficar quieta e não comentar um assunto se vocês só irão colaborar para um “desserviço” para a nossa sociedade que já está tão mal de bons exemplos…

    • RESPONDER
      Mariana Borges
      25.02.2014 às 18:37

      Andressa, este é um espaço de debate. Elas só colocaram o assunto na roda para conversarmos a respeito. E estamos conversando, de maneira respeitosa (pelo menos até agora).

    • RESPONDER
      Carla
      25.02.2014 às 18:43

      Andressa, dê uma olhada nos comentários que você verá como eles enriqueceram o post. Não tem nenhum desserviço por aqui. Em momento nenhum incentivamos a falta de leitura (até pq isso seria um absurdo, ainda mais levando em conta a tag que temos que é só sobre livros) ou a falta de cultura. Não é porque achamos que ele foi corajoso em dizer isso que concordamos. E não é porque achamos que a Ingrid exagerou no argumento que não concordamos com uma parte do que ela escreveu. Só achamos que além da falta de cultura, nossa sociedade também está dando um exemplo horrível ao resolver apontar os dedos pra qualquer coisa.

    • RESPONDER
      Fany
      25.02.2014 às 18:54

      Muito bem colocado, Andressa.Bjs

    • RESPONDER
      Fany
      26.02.2014 às 1:21

      OPS! Desculpa, troquei os nomes! Concordo com a Mariana Borges e não com a Andressa(é claro)! Devemos sim continuar conversando de maneira respeitosa, como sempre. Bjs

  • RESPONDER
    Letícia
    26.02.2014 às 21:37

    O problema do Facebook ter comprado o Whatsapp não é o dinheiro, é a falta de privacidade. Todo mundo sabe que o Facebook é a pior coisa pra quem quer ter alguma privacidade, completamente na contramão de todos os movimentos sensatos por uma internet melhor. E não ter privacidade com Whatsapp é brabo né?

  • RESPONDER
    Ariana
    01.03.2014 às 11:07

    Roberto Carlos comia carnes brancas, logo, nao era vegetariano.

  • Deixe uma resposta