17 em Comportamento/ Deu o Que Falar no dia 21.10.2013

Deu o que falar…

1 – PS4K ou P$4

DQF

Nós sabemos que nosso blog nada tem a ver com tecnologia mas não conseguimos deixar essa história de fora do nosso querido DQF! Sem contar que é quase como um fio de esperança para as mulheres que perderam seus maridos/namorados para o GTA! Brincadeiras à parte, essa notícia é de certa forma bem revoltante (e olha que essa semana teve foi assulto para se revoltar, hein).

A Sony anunciou essa semana que o Playstation 4 será vendido no Brasil por nada mais, nada menos que R$3.999. Até aí, (quase) tudo bem. Vai que ele é feito de ouro, com controles de platina e diamantes, né. Mas não. Ele será vendido nos EUA o equivalente a 860 reais. Uma das justificativas que deram foi o alto valor dos impostos, mas ela não colou. Vários blogs fizeram as contas e descobriram que mesmo com todas as taxas possíveis e imagináveis, o videogame não sairia por mais de R$2500.

Para piorar a situação da Sony, na mesma semana, a Microsoft divulgou o lançamento do Xbox One, console concorrente ao PS4. Ele custará nos EUA US$500, mas chegará no Brasil custando R$2.200. Epa, tem alguma coisa errada aí, né?

Como já lemos por aí, “olha a SONY achando que somos ATARI”. E é isso mesmo! Já estamos tão (mal) acostumados a pagar impostos absurdos em cima de praticamente tudo que não duvidamos que tenham achado que engoliríamos esse preço (sem contar que vai ter gente comprando, certamente!)

Diz a Sony que em breve irá explicar o motivo dos altos preços. Vamos aguardar os próximos capítulos!

2 – Instabarraco

DQF@

Quem estava acordada ontem à noite e gosta de seguir perfis de fofoca no instagram, com certeza não perdeu o mini barraco no insta da Yasmin Brunet. Quem tinha coisa mais importante pra fazer (tipo, dormir) mas gosta de acompanhar babados da internet, a gente conta:

Depois de receber várias críticas de Yasmin Brunet por usar peles, Lalá resolveu revidar quando viu uma foto da mãe de Yasmin, em uma revista, com um casaco de peles que custa mais de 100.000 dilmas. A discussão toda está aqui, para quem quiser ver.

Só estamos falando dessa  “briga” por aqui porque ela realmente deu o que falar, mas sinceramente, que coisa de jardim de infância!

Barracos à parte, só uma pergunta ficou martelando na nossa cabeça: será que a Luiza Brunet não pensou em momento nenhum que poderiam relacionar essa foto à campanha que a sua filha apoia?

3 – De Royal não tem nada, né?

1381511_10151918491002279_1556430874_nFoto “roubada” da fanpage do Starving!

Há um tempo atrás a Lush, marca de cosméticos que já falamos aqui no blog, resolveu fazer uma campanha bem inusitada para chamar atenção sobre testes de cosméticos em animais e, por um dia, expôs em sua vitrine uma mulher sendo submetida aos mesmos testes que os animais são obrigados.

Muita gente parou pra ver, ficou agoniada, achou um absurdo, mas a frase que ficou na nossa cabeça foi a do diretor de marketing da marca: “O irônico é que se fosse um cachorro na vitrine e nós estivéssemos fazendo todas essas coisas com ele, em poucos minutos teríamos a polícia e a Organização Protetora dos Animais aqui”.

Essa frase não saiu da nossa cabeça desde o momento que começamos a acompanhar todo o movimento em cima do Instituto Royal, que além de ratos e coelhos, também usa cães da raça Beagle como cobaias. Assim como todo mundo, também ficamos com corações apertados com a história, ficamos felizes quando eles foram capturados e revoltadas quando a polícia devolveu vários dos cãezinhos para o Instituto.

Ao mesmo tempo, sabemos que essa história é complexa demais para um DQF e não achamos que é o tipo de assunto que de um dia para o outro consiga ser resolvido. Nós estamos cada vez mais à procura de boas alternativas que sejam cruelty free e procuramos nos informar cada vez mais sobre o assunto e, para nós, isso está sendo um bom início. Falar muito sem conhecimento de causa ou sem entender como funciona esse mercado pode ser leviano, por isso, acreditamos que o aprendizado é o primeiro passo, o mais importante, na verdade.

Esse tema sempre será polêmico, mas se você se interessa por ele, não pode deixar de ler esse texto. A Lu do Chata de Galocha o compartilhou e nós paramos para ler juntas, a leitura foi fundamental por permear muitos pontos que conhecíamos por alto, mas não saberíamos fundamentar para vocês. O autor consegue explicar como a coisa toda funciona, sem concordar ou discordar. Ele deixa muito claro como qualquer pessoa, seja ela contra ou a favor dos testes, se beneficia de um teste anterior mesmo que indiretamente.

É tudo muito triste, não concordamos com testes em bichinhos (tanto em cães, quanto em ratos, coelhos ou qualquer outro que seja), entendemos que a tecnologia tem que evoluir para deixarmos mais e mais essa prática para trás. No texto mencionado fica claro o motivo de ser quase impossível ser um vegan completo, ainda assim, a gente admira muito as pessoas que são.

Nós olhamos para tudo isso de uma forma mais macro, acreditamos que as coisas vão mudar, mas a longo prazo e mais do que nunca precisamos de incentivo dos governos para ajudar a desenvolver pesquisas e afins.

Nada justifica as atrocidades feitas pelo Instituo Royal, mas no meio de tanta comoção, é válido parar pra estudar como todo esse mercado dos testes funciona. Acreditamos que é primordial entender como funciona a cadeia de produção de cada remédio ou produto de beleza, assim fica mais fácil entender pelo que temos que lutar.

Gostou? Você pode gostar também desses!

17 Comentários

  • RESPONDER
    Nanda Nunes
    22.10.2013 às 0:42

    O lance do valor do Playstation 4 é pura jogada de marketing… Fizeram buzz com esse valor de 4 mil, mas já lançaram uma nota avisando q o valor será alterado. Imagina se abaixa para 2 mil?! Conseguiram fazer um valor virar viral e ainda será 200 reais mais barato que o concorrente…

    • RESPONDER
      Carla
      22.10.2013 às 13:01

      Nanda, eu estava acreditando tanto na teoria da conspiração de que a Sony botou esse valor para boicotar o governo brasileiro que eu nem pensei nessa possibilidade que faz muito mais sentido! hahahaha
      Se for isso mesmo, gênio (mas não deixo de ficar com raiva dessas coisas, porque mesmo assim o valor ainda é alto!)

  • RESPONDER
    Gih
    22.10.2013 às 7:48

    E pensar que o super nintendo que eu tinha quando criança custou 200 reais!
    Acho sacanagem colocarem um valor tão alto assim, mesmo que depois eles coloquem metade do valor só pra gerar um mkt viral) porque o cliente besta acredita que ficou muito barato quando eles abaixam esse valor, claro.. Perto do primeiro é barato pagar 2mil, mas esquecem que custa 800!

    Sobre a Lala eu pouco tenho como defender a pobre menina! Pra começar: ela não é mais uma “blogueira” ela pouca posta no blog e depois de abrir uma marca deveria crescer um pouco e não responder qualquer comentario como uma criança do primario. E se mesmo assim quiserem levar em conta o “ataque” da Yasmin anteriormente ( o que foi um ataque geral a todas as blogueiras que usavam pele #blogueirasangreta e não algo voltando apenas pra a Lala) ela deveria saber que não se julga as pessoas pelos atos cometidos pela mãe… Ou a sua bff seria uma ladra, sonegadora, acusada pela justiça… Entre tantas outras coisas né!
    Sobre os testes em animais eu li e entendo, acho que se beneficiar de testes feitos anteriormentes (que foram realizados por outras empresas ou a mesma antes de abolir os testes) não é um problema, afinal o bichinho sofreu e se chegou a um resultado mas hoje a empresa não faz mais isso. É como você aprender a fazer algo de um jeito melhor mas não poder aproveitar essa descoberta porque antes fez errado. O importante é querer mudar! Claro que tercerizar os testes é uma mentira omitida do consumidor e muito errada! Mas continuo contra os testes em animais e vou continuar a comprar marcas que não testem.
    Kisses

    • RESPONDER
      Carla
      22.10.2013 às 13:03

      Gih, penso exatamente isso do PS4! É morder pra depois assoprar, né? Acho que é fazer o consumidor de trouxa! Bem, mas se o que eles queriam era atenção, conseguiram, porque saiu em tudo quanto é canto.

  • RESPONDER
    Silvia
    22.10.2013 às 8:01

    A Sony deve ter sacado que o PS4 ia acabar sendo vendido de forma ilegal e aí resolveu baixar o preço. Agora não é só de consoles que é feita a indústria de vídeo games, vamos ver qual será a política deles com os jogos!

    Acho que a Yasmin não tinha que ter “tacado” pedra na Lalá em primeiro lugar – se foi o que ela realmente fez – mas a Lalá deveria saber melhor e ter sido mais delicada se queria tanto retrucar. Sabe aquela história de “tapa de luva de pelica”? Então, tantas outras maneiras que ela poderia ter mostrado a ironia da situação sem precisar ir no IG da Yasmin e “descer” do salto, fazendo a “mesma coisa” que a outra. Qto a Luiza talvez o fato da filha dela ser contra tenha sido o motivo pelo qual ela foi convidada para fazer o anuncio. Pq ela aceitou? Tenho certeza que por uma certa vaidade, afinal por melhor que ela esteja, não é mais nenhum “brotinho”. E, de todo modo, a Yasmin saiu como A heroína e a Lalá como barraqueira. Então no fim desafiar a filha, acabou fazendo com que mais gente ficasse do lado dela. Agora a Luiza pode até fazer um pedido de desculpas e se retratar, aumentando assim a sua aparição na mídia. Mas esse é o meu lado cínico do mundo dos “egos artísticos”.

    Eu NÃO sou a favor de teste em animais mas acho, que infelizmente em ALGUNS CASOS eles são necessários, pelo menos até agora – ainda vejo muitos sendo úteis para a evolução da medicina, tanto a de seres humanos, qto a veterinária. Entendo que é um assunto SUPER polêmico e que nem todo mundo vai pensar igual, mas me pareceu que muita gente na internet só se importou com o caso pq eram cachorrinhos bonitinho. Se fossem ratos ou outro bicho “nojento” eu acho que não teria visto tanta notícia no Facebook. Qto as empresas, acho que eu prefiro ficar com as empresas que “jogam limpo” do que com aquelas que terceirizam o “trabalho sujo” de testar em animais. Sei lá, não curto a história de tentar se vender como “livre de crueldade” enquanto uma empresa fantasma faz o trabalho sem o meu conhecimento. E acho que é importante lembrar que TODO remédio é testado em humanos voluntários, assim como são feitos em seres humanos tratamentos experimentais para doenças como câncer, Parkinson e outras doenças que não tem cura. Agora acho que É FUNDAMENTAL que a gente EXIGA que as empresas sejam fiscalizadas e que SE FOR NECESSÁRIO um teste com qq tipo de ser vivo, que ele seja feito da maneira mais ética e “humana” possível. Sabe eu sou a favor de avançarem a ciência para que possamos realizar estudos em células tronco, placentas e tecidos embrionários para que assim nenhum ser vivo precise servir de cobaia, pelo menos é o que eu acho que seria uma solução. Não devemos esquecer que a ciência tb contribuiu para a melhoria da qualidade de vida dos nossos animais (não só os domésticos) e tb para que o mundo possa ser mais “verde” (um ponto que eu tb acho relevante). Acho que o que eu quero dizer é que é FUNDAMENTAL lutarmos pelo direito dos animais sim, mas não curto radicalismos e não estou falando de quem opta por uma vida Vegan (não é a minha mas super respeito quem tem esses valores) mas pq já vi gente dizendo que deveriam usar presos de cobaia (um pouco extremista e fascista, não?). Devemos TRABALHAR JUNTO com a ciência para que essa avance cada vez mais e possa salvar mais seres vivos sem a necessidade de prejudicar outro ser vivo seja ele cachorro, rato, macaco, barata ou homem.

    Beijos!

    • RESPONDER
      Silvia
      22.10.2013 às 8:34

      Ah! Acho importante dizer que eu tenho diversas alergias de contato, sem falar nas alimentares, e por isso que eu prefiro usar um produto de uma empresa na qual eu confie. Já precisei raspar o meu cabelo com máquina 2 pq uma tintura de cabelo não dizia todos os componentes presentes nela.

      No meu caso foi só cabelo e cabelo cresce – mesmo que o meu seja lento toda vida – mas existem alergias que podem matar e doenças como doença celíaca que não pode ingerir glúten (que felizmente tb não é meu caso) que precisam ter garantia de quais os ingredientes que compõe um produto, remédio ou alimento. Por isso eu prefiro uma empresa que diga o que faz e o que usa em seus produtos.

      Beijos!

    • RESPONDER
      Babi
      22.10.2013 às 13:03

      Eu ia comentar, mas a Silvia disse tudo o que eu penso já, kkkk

    • RESPONDER
      Carla
      22.10.2013 às 13:11

      Silvia, quanto ao PS4, estou com a Gih e a Nanda! Os jogos serão vendidos por R$170, nada muito diferente do que já é praticado hoje em dia no mercado.

      Isso da Yasmin e a Lalá a gente ficou na dúvida se falava ou não, porque é um assunto tão idiota. hahaha Mas tínhamos que honrar o nome dessa categoria, sem contar que várias pessoas vieram perguntar se íamos falar sobre esse assunto, por isso, resolvemos falar.

      Beijoos

    • RESPONDER
      Silvia
      22.10.2013 às 15:37

      Meninas, só para tornar a vida de vocês mais difícil, estava conversando com o Erick e ele disse que ontem, na mídia especializada americana, a Sony já tinha “desdesmentido” de novo e explicado como ela estava perdendo dinheiro vendendo o console por R$4mil. Hoje já saiu no Globo ( http://oglobo.globo.com/tecnologia/sony-diz-que-perde-dinheiro-com-playstation-4-r-4-mil-10482360 ). Alguns jogos, e imagino que as famosas franquias God of War e Final Fantasy, não sairão por esse preço por serem exclusivas da plataforma (e para quem é viciado em jogos isso faz A diferença!) E temos que lembrar que os jogos que estão sendo lançados como o GTA, já estão saindo para consoles desatualizados então eu imagino que o preço não seria o mesmo se os consoles novos já estivessem no mercado. Ah! E na geração passada, tanto a Sony qto a Microsoft, já “perderam” dinheiro nos consoles para conquistar o público e lucrar na venda de jogos. A Sony então, que é “editora” de vários jogos, é uma das que mais lucra com esse mercado. Mas eu sou uma garota Nintendo desde sempre! :)

      Qto ao barraco de Jardim de Escola, acho que é super válido vocês falarem! Se pareceu que eu estava diminuindo o assunto, me desculpem! A ideia do meu comentário, era dizer o qto acho o barraco desnecessário desde o inicio – me perdoem mas eu tb não acho que a Yasmin precisava se promover “atacando” algumas blogueiras (pelo que eu entendi da história) para promover a sua causa mesmo que esta seja certa. Acho que a Yasmin desceu ao nível da Shame em primeiro lugar, ela é famosa poderia fazer campanha contra o uso de peles de tantas outras maneiras e tb, se queria apenas chamar atenção da influência que a Lalá teria sobre outras meninas, ela não precisava se expor e ir no IG da Lalá. Qto a Lalá, eu acho que entrei UMA vez no blog dela mas vejo a menina (acho que ela é novinha, não?) sendo atacada por diversas frentes ao mesmo tempo. Não estou defendendo ela, não a conheço, mas acho que ela, por mais que exponha a vida num blog (argumento do pessoal que a xinga) não precisa ser chamada de corna o tempo todo! Se o marido dela é pai da criança ou não, até onde eu sei ela nunca discutiu isso no blog mas mesmo assim todo mundo se acha no direito de xingar a menina por isso. De novo, eu não estou defendendo ela mas eu tb não ficaria nada feliz se um jornalista de coluna de fofocas espalhasse a notícia que sou corna e começasse a ser xingada por isso, além de ouvir que mereço isso e mais um pouco. Mas ela, que é de família de berço, deveria ser mais elegante e sair dessas situações sem armar barraco. Acho que ela precisa assistir Downtow Abbey um pouquinho e aprender como uma lady se porta! ;)

      Beijocas!

      • RESPONDER
        Carla
        22.10.2013 às 16:32

        Fica tranquila, não achei que vc diminuiu o assunto (até porque ele já é tão baixo que não dá pra ir além hahaha), só to te explicandoo já que vc sabe como as coisas funcionam por aqui! Ficamos horas olhando pra noticia sem nem saber o que falar, mas concordo contigo. Desde que me mudei pra SP e fiquei sabendo que existia uma Lala R. também fiquei sabendo da fama de barraqueira, mas ao mesmo tempo fico imaginando ter que aturar tudo o que ela atura. Acho que nem quem tem sangue de barata aguenta por muito tempo! Mesmo assim não justifica comprar briga à toa, né? Acho que ela precisa assistir mais Revenge! hahaha

    • RESPONDER
      Silvia
      22.10.2013 às 15:39

      Babi, desculpa por “roubar” seu comentário! Mas fiquei muito lisonjeada , viu? :)

      Beijos!

  • RESPONDER
    Anna
    22.10.2013 às 10:11

    Essa Lala é uma riquinha mimada. Nasceu em berço de ouro mas não tem um pingo de educação. Já não a sigo no instagram por isso. Totalmente superficial, vazia, tem jeito de pessoa falsa. Precisa crescer muito ainda e aprender a ser mais humilde. Ou ela acha que porque tem dinheiro é melhor que os outros. E muito fácil ser famosa e construir lojinha de lingerie com o dinheiro do papai. Vai trabalhar garota e para de xingar os outros e arrumar confusão sua barraqueira.

  • RESPONDER
    Juliana
    22.10.2013 às 10:29

    Oi Meninas!
    Sou pesquisadora em uma universidade pública e posso dizer que a ciência com animais não é crueldade, como falam por aí. De uma maneira as marcas “cruelty free” (cujo o termo acho muito incorreto!!!) também se beneficia do teste em animais. Ou vocês acham realmente que alguma substância que utilizam já não tenha tido seu uso assegurado em humanos antes?
    A questão é complexa e muito bem fiscalizada pelo CONCEA. Falo por experiência própria da quantidade de formulários que um cientista deve preencher para submeter seu projeto ao Conselho de ética, despesas com o biotério (ambiente onde o animal é criado que funciona com diversas condições requisitadas pelo CONCEA), uso do método correto para evitar/minimizar sofrimento do animal…dentre outros. Sou cientista há 8 anos e até hoje não sou indiferente a cada animal, a cada procedimento…e nunca serei.
    Por favor, certifiquem-se do que escreveram, pois se referiram ao instituto como um local que cometia “atrocidades”. Nunca fui ao local, nunca trabalhei com cães, mas sei que o órgão funcionava de acordo com o CONCEA, e que o teste em cães (um animal de grande porte) é uma fase importante do teste de medicamentos antes de chegar no teste em humanos (este último ocorre em várias fases, pesquisem aqueles que tiverem curiosidade sobre o assunto e querem saber como um medicamento chega as prateleiras).
    A ciência quer sim um dia não precisar utilizar modelos animais como ferramenta e a redução do uso sempre que possível já é feita. Mas infelizmente estamos longe ainda…
    De qualquer forma, foi legal trazer o tema aqui. O debate é muito importante! Sugiram que todos busquem informações corretas em fontes seguras para que formem sua opinião.

    • RESPONDER
      Carla
      22.10.2013 às 13:18

      Juliana, muito obrigada pelo seu comentário. De fato, você chamou a atenção para um erro nosso e eu agradeço. A história das “atrocidades” foi pelo o que vimos através dos veículos que noticiaram isso. Os mais sensacionalistas resolveram apelar para as imagens dos cães sem olhos, com língua mutilada, enfim…Mas até no Fantástico, que claramente tentou levantar a bola do Instituto, as imagens iam contra as palavras da representante que estava dando a entrevista.

      Mesmo assim, muito obrigada por trazer sua experiência e seu conhecimento sobre o assunto e compartilhar com a gente. Aliás, vc leu o texto que linkamos? O que vc acha dele?
      Beijos!

    • RESPONDER
      Silvia
      22.10.2013 às 18:03

      Oi Juliana, td bem? Poxa, adorei seu comentário especialmente qdo você explica que não é indiferente aos bichinhos. Imagino que existam empresas de “fundo de quintal” que não fazem os procedimentos das maneiras éticas e corretas, mas nem todo mundo é assim. Lembrei de um episódio de House onde um dos médicos descobre a que a namorada está recebendo placebo ao invés do remédio e troca para que ela receba o remédio de verdade, o que acaba inviabilizado o estudo nela. Aliás acho que levantaram esse mesmo tema em Greys Anatomy, só que nesse caso o estudo todo é fechado e todo o avanço médico perdido. Falei sobre isso pq pensei o qto tb é complicado como cientista você dar placebos para pessoas que esperam receber uma cura. Deve ser complicado para qq cientista sério e lúcido, trabalhar no campo de testes seja em humanos ou em animais. Existem os loucos por aí – basta vermos as várias atrocidades que cometeram durante a 2a.GM tanto com humanos qto em animais – mas acho complicado generalizar que todo mundo que trabalha na área é sádico. Só que a visão que nós temos dessa história toda ainda é a visão das décadas de 50/60/70 com coelhinhos pintados de batom e rímel para que a “dondoca” possa usar o batom preferido dela! Eram outros tempos, e os movimentos feministas e o Hippie, com certeza contribuíram para a imagem atroz, de bichos mal tratados somente pela nossa vaidade, que temos dessa área até hoje. É tão complicado pq isso está gravado no inconsciente da nossa sociedade, mas acho que todo mundo fica feliz em saber que a verdade não é a que os filmes mostram, e que o uso de testes está sendo reduzido em uma grande progressão.

      Sobre a Royal, eu entendo o lado das meninas, ontem mesmo tive essa mesma “discussão” aqui em casa. Falei para o meu marido que tinha lido que o instituto estava dentro da regulação mas ele leu em outra fonte que não estava. O assunto é tão polemico, passional e existem tantas fontes dizendo coisas diferentes que o erro é super normal. Aí eu culpo a imprensa e os “radicais de facebook” (pessoas que replicam notícias que nem sempre são verdadeiras mas que geram mta comoção) pq honestamente eu já nem sei o que é verdade, tô quase que nem São Tomé, precisando ver para crer (em qq um dos lados). No Brasil ainda não temos bons gerenciadores de crise e como, eu pelo menos, não vi nenhum pronunciamento da Royal e apenas notícias de que a polícia estava prendendo as pessoas que queriam adotar os animais, ficou complicado ficar do “lado” da empresa entende? Por isso que eu evitei e evito de dar a minha opinião sobre a Royal.

      Ah! Só mais uma coisa: muito obrigada por esclarecer uma dúvida minha. Uma das primeiras coisas que pensei qdo li sobre o resgate dos cachorros, era se os mesmos não estariam em uma situação de risco por causa disso. Eu fiquei preocupada pq algum bichinho poderia ter alguma doença e precisar de algum medicamento que estivesse tomando na Royal. Lógico que deixei isso com os meus botões pq achei que era loucura demais, mas confesso que fiquei preocupada. Achava que nessas horas é melhor chamar órgãos fiscalizadores, impressa, colocar a boca no trombone e pedir pela liberação das cobaias de forma segura para elas tb, do que retira-las sem saber a ficha delas. Acredito que as pessoas que fizeram isso não pensaram que poderiam causar danos para os bichinhos e deviam ter boas intenções de arrumar lar para eles. Mas agora a gente aprendeu tanto com essa história que já sabemos que na dúvida podemos chamar o órgão fiscalizador e evitar outra confusão dessas!

      Beijos!

  • RESPONDER
    Letícia
    22.10.2013 às 11:52

    Para mim, toda essa questão de PS4 é uma grande jogada de marketing… Então, vamos aguardar as cenas do próximo capítulo.

    Quanto ao caso da Yasmim e da Lalá… Vamos falar a verdade: quem aqui tem poder de decisão nos trabalhos da mãe?? O meu é 0,00000%, nadica de nada… Então, não tem como exigir que a mãe siga o posicionamento da filha. Agora, eu costumo tratar os outros sempre com educação e cortesia porque eu aprendi assim e não sei ser diferente. Então, se alguém agiu comigo de uma forma que me desagrade, nada melhor do que responder da maneira como eu gostaria de ter sido tratada desde o início…

    Por fim, o assunto que mais tem sido falado: Instituto Royal! Em primeiro lugar, pelo que apurei (pouco, reconheço), infelizmente, nosso estágio de evolução tecnológica não permite a eliminação de testes em animais, principalmente, em se tratando de medicamentos e técnicas médicas, como exposto pela Juliana e no texto compartilhado pela Lu. Ou seja, temos que realizar os testes com o máximo de cuidado com os animais e com seu bem-estar. Mas… há um dado muito importante que tem sido pouco falado: Os animais “resgatados” eram utilizados para diferentes testes, inclusive de alguns medicamentos, o que significa que alguns poderiam estar infectados com doenças ou serem portadores de algum vírus ou bactéria. Mais: se eles estavam no meio de um teste de um medicamento interromper o “tratamento” poderia gerar danos ainda maiores, porque, como seriam drogas experimentais, muitos veterinários podem sequer ter conhecimento do que estava sendo dado aos cachorros. Tudo isso para dizer que, no fim das contas, o “resgate” pode ter trazido mais riscos e danos às pessoas, à população local e, vejam só, aos próprios animais! Acho que temos que agir com responsabilidade, racionalizando nossos problemas e não com apenas emoção e impetuosamente.

  • RESPONDER
    Priscila
    12.11.2013 às 9:59

    É algo que eu estava desconfiando
    E não acho que é só a Sony que faz isso, se aproveitar que aqui as pessoas já estão acostumada a pagar mais caro, que eles tentam lucrar com isso
    Uma marca lança um celular q para ter acesso a internet, nem tem aqui esse sistema ~ e ainda
    tem pessoa q compra ~ mas, uma marca não deveria fazer isso. Porém, faz pq quer lucrar

  • Deixe uma resposta