8 em Ásia/ Trip tips/ tt/ Viagem no dia 18.10.2013

Trip Tips: Tailândia

 O Trip Tips dessa semana conta com as dicas da Aline, Blogger do Frescura Sem Censura! Ela fez uma super viagem de Lua de Mel e aos poucos está contando tudo em seu blog, agora ela veio contar um pouco por aqui:

Quando as meninas me pediram pra falar um pouquinho sobre minha experiência na Tailândia eu tremi na base. Tremi porque falar “pouquinho” sobre um lugar tão rico culturalmente é algo quase impossível. Mas aceitei o desafio! A Tailândia foi um dos lugares que visitei na minha lua de mel, e posso afirmar que foi uma excelente pedida para a celebração em questão. É, sem dúvidas. a definição de “país paradisíaco”.

O primeiro lugar da Tailândia que conhecemos foi Bangkok e admito que foi a parte menos romântica da viagem. A cidade não é bonita, na realidade é feia e suja! Mas em meio àquela selvageria toda, a tanta pobreza, existe algo de rico e magnífico. Minha primeira dica para quem vai à Bangkok é óbvia: conheça os templos budistas. Independente da sua religião (não sou budista), você vai se surpreender, e isso não é uma hipótese!

dicas-bangkok-hotel-banyan-tree

A cidade tem mais de 400 templos espalhados, e ainda que você se encante com muitos deles, não deixe de ir ao Grand Palace, ao Buda Reclinado e a Ayutthaya (fica fora da cidade, é a antiga capital da Tailândia, hoje, grande parte em ruínas). Opinião pessoal: curti mais Ayutthaya. Muito! Por me fazer sentir dentro de um livro de história, imaginando como devia ser o lugar antes da destruição, e o quanto aquele deve ter sido um momento doloroso para o povo. Eles são muito caprichosinhos com os deuses deles, respeitosos, sabe? Deve ser triste ver aqueles Budas sem cabeça.

grand-palace-wat-phoayutthaya-ruinas-antigas

*DICA: É muito comum algumas pessoas, ao te verem com mapas e falando línguas estranhas, te sondarem nos arredores dos templos e te “oferecerem ajuda”. Eu já tinha sido instruída e me espantei como em um curto espaço, três pessoas diferentes chegaram até nós com o mesmo discurso. Eles dizem que nesse horário o templo está fechado para turistas e te “dão uma idéia bacana” de algo para fazer até o horário do templo ser reaberto. FURADA! Não caiam nessa! Tenho amigos que caíram, eles te levam a vários lugares sem graça em troca de comissão dos donos dos estabelecimentos por levarem turistas. Os templos nunca fecham “para turistas”.

*DICA2:  Alguns templos tem dress code, portanto, mesmo que faça um sol de 40 graus (que provavelmente fará), leve na bolsa uma saia longa e uma blusa que tampe os braços. Se não você terá que usar o que eles tiverem lá disponível, e cá entre nós, não são ”peças muito cheirosas.

*DICA3: Contrate um guia em inglês. Os credenciados ficam dentro dos templos, na bilheteria, oferecendo seus serviços. Vale a pena! Todos os que contratamos, além de queridos, eram excelentes  fotógrafos!

Outro lugar imperdível é o Mercado Flutuante. Fica há 100km ao sul da cidade, e precisa chegar cedinho! Logo de manhãzinha, todos os locais saem de suas palafitas e vão comprar e vender no mercado mais diferente que já vi na vida. É um mercado para tailandeses, em uma área bem residencial onde a população vive em palafitas à beira do canal. Não atrai muitos turistas por ser afastado do centro. Mas é lá que você sente o verdadeiro espírito do país, conhece a essência de tudo aquilo. Senhorinhas, crianças, não há idade para vender – e nem censura para seus produtos. Você encontra de tudo! Frutas, lembrancinhas, armas, Budas, animais, roupas…até cobras para fotografar (e eu nunca que deixaria passar essa experiência).

dicas-bangkok-mercado-flutuante

Há duas horas do mercado, fica o meu lugar favorito de Bangkok (chamo de Bangkok apesar de também não ficar dentro da cidade): o Templo dos Tigres. Sei que muitas pessoas já tiveram experiência de tocar em tigres e leões (em Buenos Aires mesmo isso é possível), mas lá é diferente. Não digo pela interação com os tigrões (afinal, quem faz mais do que tirar uma foto com sorriso torto perto de um bichano daqueles?), mas sim com os tigrinhos. Pagamos um pacote que nos daria meia hora com filhotes, mas como nosso grupo era o último e só tinha nós dois, nos deixaram ficar mais de uma hora com os bichinhos. Nós e oito little baby tigers. O I T O. Ainda bem que tive que comprar uma camisa na entrada (eles não me deixaram entrar de alcinha), porque saí de lá imunda de tanto rolar no chão com eles. A calça foi pro lixo, eles furaram ela toda com os dentes. Agarrei os piquititos como agarro minha cachorrinha maltês cujos dentinhos nem se podem perceber. Agarrei tanto, tanto que fiquei com cheiro de tigre! Foi sem dúvidas um dos grandes momentos das nossas vidas.

dicas-bangkok-tigers-temple

Para quem ama compras, as ruas de Bangkok são uma perdição. Pensa num Ebay a céu aberto! É isso! Todas aquelas roupas e tranqueiras que vemos nas lojinhas do Ebay estão lá, ao vivo e a cores. Os preços são bizarramente baratos, e você sempre pode baixar mais com conversa (não se envergonhe de barganhar! É da cultura deles, você deve fazer isso!)

PHUKET

dicas-phuket

Nossa próxima parada era a tão esperada ilha de Phuket. Aí sim a viagem começou a ter cara de lua de mel. Praia, praia, sol queimando, muita praia! Em Phuket o clima é outro, é badalação! Só existe uma regra: relaxar de dia tudo o que você vai cansar de noite.

De dia, as praias de Kata (onde era nosso hotel) e Patong foram as que gastamos mais tempo, mas conhecemos bem muitas outras, já que estávamos de scooter (#pânico). Patong foi uma das praias mais devastadas com o tsunami, mas impressionantemente já está lá, linda e fabulosa como se nada tivesse acontecido.

Inclusive, os arredores da praia de Patong de noite são O LUGAR! Digo…se você tiver estômago e muito no espírito da zoação. Porque,. filha, o que tem de gente estranha, mulherada (que você não sabe se é mulher ou não) praticamente nua nas ruas se vendendo por bagatelas! A prostituição lá é assustadora, nunca vi nada igual! E eles são malas, vão andando atrás de você querendo te arrastar pro “ping-pong show deles” (dêem um Google também, não me peçam pra explicar isso aqui…blog de família! hahaha). Mas por lá também existem shoppings incríveis com restaurantes sen-sa-ci-o-nais! Só sair da meiuca, daquela rua de luzes vermelhas, que você com certeza vai gostar muito mais!

Além das praias e de todo agito, dois programas que amamos lá foram o passeio de elefantes e o pôr do sol em Promthep Cape. Fica exatamente no extremo sul da ilha de Phuket e foi o nosso maior achado. Porque de tudo que eu li, ninguém me indicou o programa, nem comentou sobre ele. E é imperdível! Você chega em um ponto lotado de turistas espremidos para ver o por do sol, e então, você começa a descer pela montanha. A montanha de rochas desce em direção ao mar, e logo, logo a multidão ficará pequenininha aos seus olhos. É uma bela caminhada, mas vale os esforços, palavra de uma sedentária! Inesquecível, paz define. Um dos maiores espetáculos naturais que já vi na vida. Pena que minhas fotos não ficaram muito boas, mas se derem um Google em “Promthep Cape sunset” vocês vão entender sobre o que estou falando.

Ah, e massagens. Muita massagem! Fazia uma todos os dias, elas eram muito baratinhas! A melhor que fiz foi a única que não fiz no jardim do meu hotel, com pedras quentes e durou uma hora e meia. Só me lembro da metade, é claro! rs

De lá também pegamos um barco para Koh Pha Ngan, meu lugar “mais favorito” de todos na Tailândia. Preciso fazer um mega post sobre isso. Você é levado por um barcão a diversas ilhas desertas formadas por pedras gigantes que “brotam” do fundo do mar e compõem o cenário com estalactites de todos os tamanhos. Visual assim, muito provavelmente, você nunca mais verá na vida.

koh-phangan

O barcão vai parando nos pontos específicos, e nesses pontos existem mil canoinhas te esperando para fazer os passeios mais legais. As canoinhas (que têm seus guias locais) entram em cavernas profundamente escuras (e você sabe que sobre sua cabeça vivem milhares de morcegos, mas quem se importa?), e saem em lagos e cenários indescritíveis. Algumas vezes precisávamos baixar a cabeça e até deitar para sairmos das cavernas! Em tempos de maré alta, esses passeios internos não são possíveis. Macacos ficam sentados nas pedras, observando os turistas. Muitos, muitos macacos! O ponto alto do programa é  a James Bond Island, onde foi filmado um dos filmes 007 hehehe. Ah, sabe aquele babado que rolou esses dias da Rihanna com o animalzinho do Madagascar lá em Phuket (errr…não sei exatamente o nome do bicho)? Conheci o bichinho, tirei altas fotos com ele. Nunca pensei que ele um dia fosse se tornar um pop star mundialmente reconhecido!

Por fim, nossos últimos dois dias foram na famosa Phi Phi Island, e digo que ela merece a fama que tem. Como tínhamos pouco tempo, não pegamos o famoso barquinho de madeira, queríamos algo com motor mais potente. Alugamos uma lancha só para nós dois (com motorista né? rs) para o dia todo, então pudemos conhecer cada cantinho que aquele lugar mágico possui. É realmente mágico. A praia onde foi filmada “A Praia” ainda tem o cheirinho do Leo DiCaprio. O cenário, o clima quente e os mares cristalinos são completamente impossíveis de serem descritos.

phi-phi-island

Os tailandeses (e também os balineses) são o povo mais simpático e gentil que já vi na vida. Chega a ser constrangedor. A comida lá é muito barata, mas tem temperos fortes e diferentes, então não agrada a qualquer um. Meu marido odiou tudo e só comia no Mc Donald’s, já eu experimentei tudo o que você pode imaginar, na cara e na coragem. Nunca passei mal. Milagre!

Nossos hotéis foram espetaculares, indico os três de olhos fechados!

Bangkok (mais executivo, mas muito luxuoso!)

Phuket (igual ao hotel que se destrói no filme Impossível, sobre o Tsunami. Mara!)

PhiPhi (nosso quarto tinha três andares e piscina infinita! Luxo para os newlyweds vale né?) 

Essa foi nossa aventura na Tailândia, contada da forma mais resumida possível. Foram dias muito especiais, e para não perder tempo de viagem ”blogando,” fui “instagrando” (propaganda pode? @frescurasc) tudo o que podia, porque queria que todo mundo vivesse aquilo comigo!

Agradeço às minhas queridas Cá e Jô por me deixarem compartilhar aqui no Futi um pedacinho da minha lua de mel dos sonhos. Espero que inspire a muitos e que todo mundo saia correndo para fazer cotações de viagens à Tailândia. Não existe nem o mais remoto risco de se arrependerem.

Beijinhos,

Aline

Gostou? Você pode gostar também desses!

8 Comentários

  • RESPONDER
    Racquel
    18.01.2014 às 12:31

    Aline, a sua viagem foi em 2013 mesmo? Quanto que saiu tudo mais ou menos? Você comprou o pacote fechado ou vocês compraram tudo a parte? Vou casar ano que vem e estou em dúvida de ir pra lua de mel na tailância ou na polinésia francesa. Queria algo bem diferente, mas romântico… Adoooorei seu post e fiquei muito mais tendenciosa a escolher a Tailândia depois que li, é bem o que eu queria pra minha lua de mel!

  • RESPONDER
    automacao email marketing
    22.05.2014 às 16:18

    Amei !

  • RESPONDER
    seguidores no twitter
    27.05.2014 às 3:19

    fantástico !

  • RESPONDER
    Elsa
    12.12.2014 às 14:57

    Oi Aline

    Amei o post! Você poderia postar os nomes dos hotéis em que se hospedou?
    Estou indo para la também em Lua de Mel!
    Obrigada

    • RESPONDER
      Carla
      17.12.2014 às 11:29

      Oi, Elsa! Em Bangkok eu me hospedei no Eastin Grand Hotel Sathorn e em Ko Phi Phi eu fiquei no Zeavola. Procura por eles aqui no blog que eu fiz posts sobre os dois! :) Beijos e boa lua de mel! Lugar incrível que vocês escolheu!

  • RESPONDER
    Elaine Sauer
    28.05.2015 às 11:00

    Olá! Show seu post!

    Uma dúvida, como fez para ir de um lugar a outro? Avião? Carro ou trem? hahaha estou perdida :)

    Obrigada

  • RESPONDER
    Marcelo
    19.07.2015 às 17:56

    Oi Aline, excelentes suas dicas. Muito bom mesmo.
    Por favor, pode me tirar umas dúvidas.
    Você só ficou em dois hotéis?
    Como fez os deslocamentos na Tailândia? especialmente de Bangcoc para Phuket?
    Quantos dias em casa lugar você acha ideal?
    Obrigado. :)

    • RESPONDER
      Carla
      20.07.2015 às 14:41

      Oi, Marcelo, a Aline foi uma convidada aqui do blog, mas eu também fui para a Tailândia e acho que posso ajudar na parte dos deslocamentos. De Bangcoc para Phuket eu fui de avião. Só tem que sair com pelo menos umas 3 horas de antecedência do hotel porque o aeroporto que saímos de Bangcoc fica um pouco longe e costuma ter muito transito. O voo é de 40 minutos e é bem tranquilo. Acho que uns 7 dias em Bangcoc e 5 em Phuket são mais do que suficientes para fazer tudo e ver tudo!

    Deixe uma resposta