12 em Comportamento/ Deu o Que Falar no dia 26.08.2013

Deu o que falar…

1 – Antes e Depois (de 15 minutos)

7a827e86f9c011e2b4e822000a9f130c_7-1

Vimos algumas pessoas compartilhando essa história na nossa timeline e achamos que “deu o que falar” o suficiente pra vir parar aqui!

A Mel é uma personal trainer que resolveu postar em sua conta no instagram uma foto do antes e depois de sua transformação. A diferença é que a mudança toda demorou mais ou menos 15 minutos. Milagre? Não. Truques! Zoom in na foto “antes, zoom out na foto “depois, a parte debaixo do biquini diferente, creme bronzeador, apliques no cabelo, jeito na postura, uma pose favorável e um filtro legal no telefone, ela conseguiu fazer uma transformação digna de anúncio de produto milagroso.

O motivo dela ter feito isso? Segundo a própria Mel, “para que as pessoas não se iludam com tudo aquilo que veêm no instagram ou nas revistas. Nós não vemos as dezenas de outras fotos que não saíram tão legais.”

Por mais que a gente concorde com as fotos lindas e super produzidas das revistas, achamos o máximo essa desmistificação da beleza que ela criou. Em épocas de meninas como a Dai, que morreu semana passada vítima de anorexia mas tinha dezenas de comentários em seu instagram elogiando sua magreza, é bom ver algo mais pé no chão, não acham?

2 – Pra francês ver (ou americano também)

1005356_10201770933303947_516040556_nfoto do insta da Carla Lemos @modices

Semana passada presenciamos e participamos de várias discussões envolvendo a história de Pedro Lourenço e a captação de 2,8 milhões de reais para desfilar em Paris através da Lei Rouanet. Pra quem não ficou sabendo da história, vale ler tudo aqui. Alexandre Herchcovitch e Ronaldo Fraga também conseguiram, o primeiro para desfilar em NY e o último para mostrar suas criações no SPFW.

Várias questões surgiram. Moda é arte? Pedro Lourenço merece mesmo ter esse dinheirão aprovado? A moda brasileira vai ser beneficiada?

Sim, nós achamos que moda é arte, e esse reconhecimento é ótimo. Mas será que não estamos com problemas demais na indústria? É prioridade levar a moda brasileira para Paris ou NY enquanto várias marcas não estão conseguindo se sustentar? Será que não é melhor resolver as questões de qualidade, mão de obra pouco especializada (quando não é praticamente escrava, né…) e impostos altíssimos primeiro para depois pensarmos em mostrar nossa moda para o exterior?

3 – Acordamos em 2013 e fomos dormir em 2000

Ontem teve o VMA e desde o começo da semana estávamos ansiosas para o grande dia, afinal, diziam os rumores que o N’Sync iria se reunir. Primeiro pensamos “uauu, que máximo”, depois veio a apreensão. Pra quê Justin iria se reunir com eles se está tão bem sozinho? Inclusive já tínhamos esquecido da “fase Belo meets Eminem” que ele teve!

enhanced-buzz-32098-1377009532-18Também já tínhamos esquecido que eles faziam fotos vestidos assim:

enhanced-buzz-12453-1377009282-0ps: como a gente não via naquela época que Lance jogava no mesmo time que o nosso?

Mas aí foi chegando perto da data e a ansiedade voltou com tudo! Depois de uma apresentação chocantemente vulgar de Miley Cyrus (esse link também é ótimo) e 1000 trocas de roupa e peruca de Lady Gaga, Justin entra no palco depois de 6 anos longe do VMA e não toca uma ou duas músicas, são 15 minutos com os maiores sucessos de sua carreira!

E aí, quando a gente já estava desistindo de ver N’Sync, eis que eles surgem do chão, como nos bons tempos, cantando Girlfriend e Bye Bye. Obrigada pelo video com resolução boa, Tha!

Enquanto durou a apresentação – isso é, menos de 2 minutos – nós estávamos assim, relembrando os velhos tempos:

tumblr_ms4e2fPwGF1s6qlg2o5_250Os outros gifs que vimos aqui também resumem bem nossa reação.

Quando acabou, tivemos a certeza absoluta que Justin fez muito bem em seguir carreira solo. E mesmo tendo ganhado vários prêmios, achamos a coisa mais fofa e humilde ele ter agradecido aos outros integrantes do N’Sync pelo prêmio mais importante que ele ganhou na noite, o de Vanguarda (e olha que ele ganhou Clipe do Ano, hein..).

enhanced-buzz-20001-1377526681-2Resumindo, foi lindo! E achamos que valia contar aqui pra quem não pode ver ontem! :)

Gostou? Você pode gostar também desses!

12 Comentários

  • RESPONDER
    Silvia
    26.08.2013 às 21:06

    Um dos meus “objetivos de vida” é provar que Moda é ARTE sim! Mas enquanto a academia não respeitar a moda como uma ciência, nós, “acadêmicos” de moda, não seremos levados à sério. E não é só aqui no Brasil não pq eu estou procurando e pesquisando mestrados no mundo, e são poucos os que realmente compreendem a importância da Moda e do Vestuário.

    Mas bem, o papo aqui é o uso da Lei e do financiamento do governo e eu sou contra. Sou contrs pq sei que existe MUITO desvio de verba pública no meio disso – larguei uma proposta de emprego numa produtora pq queriam q eu participasse de um esquema de sobrefaturar e notas fantasmas para receber dinheiro do governo. Não estou dizendo q o Pedro ou o Reinaldo vão criar notas falsas para levar dinheiro por fora, mas muita gente faz isso. Lembram do tal filme Chatô que nunca saiu? E além de tudo nesse caso específico, os desfiles não irão ocorrer no Brasil, não serão acessíveis a população, então não sei se encaixaria bem no que o governo propõe que é dar mais cultura ao povo brasileiro. Acho que antes de investir em Arte é preciso investir na educação, pois é necessário – se não fundamental – conhecer história para entender e compreender a Arte. E bem, “cultura” – ou o q o governo chama de cultura – não é para mim a mesma coisa q Arte, aliás acho que nem no sentido “comum” da palavra cultura. E daí para frente o assunto fica muito complexo e dependente de interpretações para um comentário ( td bem q os meus comentários nunca são pequenos! ;P)

    Muito triste o caso da menina. Uma coisa é a pessoa querer ser saudável, como a Jô, outra é o povo que vive apenas dessa obsessão com o corpo. Me desculpem mas acho que algumas dessas musas de programas de dieta ou emagrecimento já cansaram, sem falar que não é todo mundo que pode viver numa rotina de 5h diárias de exercício físico. Saúde, querer se sentir bem, se aceitar, isso tudo é fundamental mas daí a única razão da existência de uma pessoa ser uma barriga negativa? Você só ser feliz se tiver 10% de gordura corporal? Sei lá, é um pouco preocupante para mim. Não gostaria de criar uma filha com essa mentalidade. Agora AMEI a foto da personal, acho que ela deveria abrir um estúdio para tirar fotos de mulheres. Tenho certeza que ia melhorar a auto estima de muita mulher. Melhor que comercial do Dove!

    Beijos meninas!

    • RESPONDER
      Carla
      26.08.2013 às 21:29

      Silvia, esse assunto é suuuper complexo, tanto que resolvemos não nos aprofundar muito senão o assunto renderia um post próprio (quem sabe ainda vai render, só precisamos ter mais opinião formada sobre isso). O Rony, da Reserva, estava reclamando no face sobre essa história vc viu? “E a bolsa família para a moda que a Martha inventou, hein?! R$3m para desfile em Paris… Antes que as pessoas confundam as coisas é importante dizer que existem duas “modas” no país, a moda que me representa não consegue R$1m de financiamento (empréstimo, e não doação/incentivo fiscal) para abrir 1 loja e gerar 15 empregos diretos, mas a moda que não me representa consegue R$3m para fazer desfile de alta costura em Paris. Para que dar a vara se a rede já ta cheia de peixe graúdo não é mesmo? Como diria o Jayminho, personagem do Chaves: “É para evitar a vadiga”. Eeee país populista.”

    • RESPONDER
      Silvia
      27.08.2013 às 2:00

      E para piorar tudo, agora que li a reportagem completa NÃO existe, ou pelo menos não consideramos que exista, Alta Costura no Brasil. Então ela estaria incentivando algo que seria qq coisa menos Moda Brasileira…

      Está TUDO muito errado, a começar que ela passou por cima do Comite para aprovar – uma atitude totalmente autocrata – e para dar muito dinheiro para algo que não é necessariamente Moda Brasileira. E a gente nem precisa entrar no argumento se Moda é ou não Arte, para entender que essa história está toda errada.

      Beijinhos!

      • RESPONDER
        Carla
        27.08.2013 às 16:52

        Foi isso que eu tava falando em um grupo. De quê adianta isso ser bom para abrir precedentes para outros estilistas se eles já começaram errado, com uma pessoa de mais poder passando por cima de geral? Horrivel!

  • RESPONDER
    Gabriela Ganem
    26.08.2013 às 23:28

    Ai gente…
    Acabei de ver no CQC uma matéria sobre pessoas que ainda vivem sem energia elétrica no Brasil. Moda é arte? Claro que é! Merece ter desfile bancado por dinheiro público? Hell to the no!!!!!! Aliás, sou radicalmente contra essa lei. Acho que poderia haver financiamento, mas não pagamento. Isso é um absurdo! Talvez na Dinamarca…
    Cultura é fundamental, mas não tão fundamental quanto saneamento básico, saúde, educação e infraestrutura. Enquanto essas questões não forem resolvidas, eu sou contra. Ainda mais para desfile…
    Beijosss e amei o Justin!
    Gabi

    • RESPONDER
      Silvia
      27.08.2013 às 0:27

      Gabi,

      Eu ACABEI de ter a segunda etapa do curso de Museologia da Moda com uma professora Dinamarquesa! =) Então, o que você falou sobre a falta de infraestrutura no nosso país é inquestionável, concordo 100% com você! Mas agora eu estava “discutindo” com o meu marido sobre o assunto e ele levantou um ponto de que a verba do Ministério da Cultura não pode ser usada por outro Ministério. Partindo dessa informação e de ter lido seu email segundos depois, foi impossível não lembrar da minha aula de Museologia da Moda.

      Falando assim pode ser estranho, mas no caso a tradução melhor seria Museologia do Vestuário talvez, pq como a Profa. me explicou “o q está aqui é ‘costume’ (que é traduzido para vestuário ou traje), ‘Fashion’/Moda é o que está nas revistas e nas lojas. Um dia a Moda vai virar um traje histórico”. Bem, levando em conta esse pensamento dela, se querem investir em “Moda” (pq aqui no Brasil a gente não faz muito bem a distinção entre o que é Moda e o que é Vestuário) não seria mais interessante usar essa verba para melhorar os nossos Museus por exemplo? E investir na reconstrução dos trajes históricos dos nossos Reis?

      Na Dinamarca eles tem um traje intacto por volta de 1640, que é para eles um símbolo pq foi usado por um Rei que, mesmo ferido em Batalha, conseguiu ganhar a mesma. Esse traje é preservado desde aquela época, com o sangue do Rei inclusive! Poxa, para mim isso é muito mais cultura e importante do que um desfile em Paris, pq estaríamos preservando a nossa história, e por consequencia a nossa cultura. E olha, eu não sou uma pessoa apaixonada pela história do Brasil em si, mas acho que seria um movimento muito mais honesto investir em Museus (a coisa do vestuário foi só um exemplo) do que em algo efêmero e que não veremos o resultado real desse investimento.

      Obrigada por me ajudar a achar mais uma visão sobre o assunto!

      Beijos!

    • RESPONDER
      Carla
      27.08.2013 às 16:53

      Tb penso assim,Gabi!

  • RESPONDER
    Aline Sallas
    27.08.2013 às 8:34

    Hahahahaha pensei a mesmíssima coisa quando vi a cara do Lance na segunda foto!

    • RESPONDER
      Carla
      27.08.2013 às 16:54

      Não é?? Pior que eu estava olhando as outras fotos e em todas ele dá pinta! TOOOOOODAS! Sério, eu era muito inocente! hahaha

  • RESPONDER
    Letícia
    27.08.2013 às 11:35

    Adorei a iniciativa da personal!! É ótimo para abrir os olhos de algumas pessoas que se iludem facilmente… Além disso, antes de ir em busca de um objetivo estético (que acho válido), é preciso colocar a saúde em primeiro plano, mas algumas pessoas vêm esquecendo isso.

    Quanto à Lei Rouanet, acho que o ponto principal da discussão, nesse caso, não é se moda é arte ou não, mas qual é o objetivo dessa lei. Como vocês, devem saber, por essa lei, os artistas podem buscar destinação de dinheiro público para seus projetos. Cada empresa tem um percentual dos impostos que recolhe que pode destinar livremente para projetos artísticos aprovados. Ou seja, é dinheiro público cuja destinação é definida pelo contribuinte, mas passando pelo crivo prévio do governo. Então, tem que necessariamente observar o interesse público (o óbvio tem que ser dito tantas vezes…). Não consigo ver onde está o interesse público em levar um desfile de um estilista já bem conceituado e estável para Paris. Melhor seria financiar exposições ou um projeto de novos criadores que estejam começando ou um desfile com rendeiras do Nordeste, enfim tantas opções dentro do mesmo segmento. Para mim, o grande problema é o descaso com a verba e o interesse público…

    • RESPONDER
      Carla
      27.08.2013 às 16:57

      Pois é, Letícia, concordo com cada linha! Aliás, seu resumo da história está perfeito e bem explicado! :)

    • RESPONDER
      Silvia
      27.08.2013 às 17:24

      Letícia, é justamente o que eu estava discutindo com o meu marido ontem. Até comentei ali em cima q a discussão não é sobre Arte ou Moda, e sim sobre o mau uso da lei nesse caso. Nem vou entrar no mérito de qts vezes o Pedro desfilou em Paris já e que ele é “queridinho” da Anna Wintour, e que acho que o Fraga seria um melhor representante da nossa Moda, mas mesmo assim acho q o uso para financiar desfile não seria incentivo de “cultura” ou até mesmo da Moda Brasileira. Tb acho q patrocinar coisas mais nacionais seria muito mais legal e até coerente com o que o nosso governo prega (não q nossos governantes sejam coeretes).

      Beijos!

    Deixe uma resposta