33 em Comportamento/ Deu o Que Falar no dia 05.08.2013

Deu o que falar…

1- Se você tem educação na vida offline, use-a online.

Ontem a Blogger Nati Vozza, do Glam4you, postou um desabafo bem relevante na fanpage do facebook do seu blog. Em meio a seu discurso ela mencionou uma crise de agressões virtuais que de fato está acontecendo.

Captura de tela 2013-08-05 às 10.18.28

A gente entende que muita blogueira de moda já escorregou e tem culpa no cartório, mas o velho argumento continua: não dá para por todo mundo no mesmo saco e muito menos atirar pedras sem motivos. Não é porque a pessoa tem relevância na internet que ela virou alvo em um jogo de dardos.

Apesar de recebermos pouquíssimas críticas, já tínhamos reparado nessa falta de limite das pessoas. Muita gente está tomando uma liberdade que não têm nem com seus amigos mais íntimos, é uma loucura!

O post da Nati nos fez pensar em uma discussão mais profunda. Outro dia, lemos em um grupo do face, que as blogueiras querem vender a vida pessoal e, por isso, compartilham muitas coisas com suas seguidoras. Em contrapartida, já ouvimos muitos relatos que foram as leitoras que pediram por esse lado big brother no instagram e no blog pois elas gostam dessa “vida real”. Aliás, blogueira ou não, a maioria das pessoas presentes nas redes sociais estão ali pra mostrar um pouco da sua vida, né?

Sabemos que tem blogueira deslumbrada, nariz em pé, que adora esse tal pedestal e só falta querer uma cerimônia de coroação, mas se o sucesso subiu à cabeça ou se ela não responde ninguém, por que continuar seguindo só pra falar mal? Se ela te engana, te enrola ou desperta o pior de você, é hora de pular fora, não acham? Unfollow é a melhor arma que temos hoje em dia.

Agora se a blogueira é fofa, tenta responder, compartilhar as mais diferentes dicas e busca uma ligação legal com as leitoras, tenha paciência com ela. Você pode apostar que ela passa a maior parte do dia trabalhando para você ver algo legal. Se essa menina está dividindo um pouco do universo dela conosco, devemos entender que ela está aberta à opiniões, mas com responsabilidade. Da mesma forma que acontece na vida fora do computador.

Infelizmente muita gente entende que basta mostrar um pouco da vida pessoal na rede social que abre um espaço para as tais agressões e críticas impensadas, como a Nati disse. Óbvio que ela “botou a cara para bater”, mas com o devido respeito, de forma mais construtiva, leve, aberta à críticas, mas não à cyberbullying. Odiamos usar o velho clichê da inveja, mas muitas vezes não conseguimos achar outra explicação para esse tipo de atitude! E não precisa ser blogueira ou estar no instagram pra isso, só que na web é mais fácil colocar as manguinhas para fora, afinal, com a máscara do computador na frente do rosto, fica mole atacar na covardia.

Quem gosta desse universo da blogosfera, curte entender o comportamento do usuário e/ou segue alguma blogueira nas redes sociais, deveria ler os comentários da tal postagem no face do Glam. Foi legal (e estimulante!) ver como tem muita gente que pensa de uma forma mais fofa, compreensiva. Nos deu esperança de que nesse mundo online ainda tem muita gente boa pra se conectar! :)

2- Falando em blogueiras…

tumblr_mqrr2k3Cyf1r9e9fio1_500

Tem como não dar uma mini mencionada na história da Giovanna, atualmente conhecida como “a blogueira da Capricho”?

Até quem não acompanha blogs ficou sabendo da história da menina que fez esse texto (que, infelizmente, já foi apagado!):

a-blogueira-da-revista-capricho-giovanna-ferrarezi-desabafou-no-facebook-no-ultimo-sabado-27-reclamando-do-tratamento-que-recebeu-da-funcionaria-de-uma-casa-noturna-em-sao-paulo-na-ocasiao-1375285572273_615x470Praticamente ninguém concordou com o que ela escreveu e, em menos de um dia, esse post já tinha mais de 2000 comentários. Claro, como falamos acima, tiveram os tais comentários desagradáveis, soltando os cachorros e xingando aé a 15a. geração da Familia Ferrarezi, mas gostamos mesmo de quem resolveu brincar e transformá-la em meme. Surgiram coisas assim:

a-blogueira-da-revista-capricho-giovanna-ferrarezi-desabafou-no-facebook-reclamando-do-tratamento-que-recebeu-da-funcionaria-de-uma-casa-noturna-em-sao-paulo-quando-teria-se-identificado-como-1375299692415_500x500adnews-115628304213752187424a95bc6f3a4198f1651cdff68a164970e49bb921capri10Ai, a criatividade…

3- Um paulista 365 dias no Rio de Janeiro

cartazes-10-620x438

Semana passada um dos links mais compartilhados nas nossas timelines – predominantemente cariocas – foi o do texto do paulistano Rica Perrone. Ele completou um ano morando na Cidade Maravilhosa e escreveu sobre esses 365 dias no Rio de Janeiro.

Como sabemos que temos leitoras do Brasil inteiro, quisemos compartilhar esse link que deu o que falar por aqui. O ponto de vista de Rica foi alvo de críticas de alguns de nossos amigos, que disseram que se tratava de uma lista de clichês, mas a maioria da turma de amigos AMOU a forma como ele definiu o carioca e como mostrou o estado de espírito de quem vive na cidade foi retratado.

Cariocas que somos, não poderíamos deixar de mencionar esse texto que brinca com muitas das características que nos permitem amar tanto esse lugar. Quem quiser ver o outro lado, da carioca morando em SP, pode ler esse post que a Ca fez para o StyleDrop!

E quem quiser ver clichê de verdade sobre paulistas x cariocas, precisa ler esse texto.

Gostou? Você pode gostar também desses!

33 Comentários

  • RESPONDER
    Letícia
    05.08.2013 às 18:41

    Adorei o texto do Rica!! Ele pegou mesmo o “espírito” do carioca. Claro que é uma generalização, mas há exceções. Eu mesma sou uma carioca “paulistana”, como a Carla se definiu. De qualquer jeito, o que eu achei distante da realidade é o texto da Glamurama, socialites cariocas e paulistanas são muito mais parecidas do que consta na reportagem. O que há no rio é uma elite artística que tem um perfil mais relaxado mesmo, mas elas não são reconhecidos como “socialites”.

    Quanto ao tópico da Nati Vozza, fiquei triste com o que li. Acho ela tão querida com as leitoras, se esforça bastante para responder cada leitora… Nem sei exatamente que críticas ela recebeu porque há algum tempo deixei de ler comentários de muitos blogs por conta da ferocidade de muita gente… Mas acho que todo mundo devida seguir a sugestão dela: Se você não falaria aquilo na cara da pessoa, não escreva. Cada um tem o direito de pensar o que quer, mas ninguém tem o direito de ofender ou agredir ninguém. Diante dessas situações, penso que ainda precisamos aprender “como lidar” com a internet, e as melhores formas de usar esse instrumento tão poderoso. Será que essa dificuldade vem do fato de não termos recebido educação para agir no mundo cibernético? Todo mundo ouviu (ou deveria ter ouvido) da mãe/pai/avó/tia/professora que temos que pedir licença, agradecer, etc. Essas pessoas não se tocam que regras de etiqueta servem inclusive para o mundo “virtual” (que não é tão virtual assim pois somos todos seres humanos interagindo). Enfim, que possamos crescer e aprender com esses fatos e que pessoas que fazem bom uso da internet, como vocês e a Nati não desistam!!

    Quanto à blogueira da Capricho… ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
    Mais uma que acha que tem o rei da barriga… E a que realmente teve o rei na barriga não tem um terço dessa arrogância…

    • RESPONDER
      Joana
      05.08.2013 às 22:40

      Adorei tudo e curti sua reflexão sobre as socialites e as celebridades, formadores de opinião e afins. O ponto é esse mesmo! Gostei. :)
      Beijos

  • RESPONDER
    Renata Costa
    05.08.2013 às 19:49

    Sinceramente, sobre esse post da Nati Vozza ela está fazendo muito drama. Concordo que tem gente mal-educada e que fala coisa sem noção na internet, xinga, tipo aquele pessoal que fica falando mal da Thassia, mas um dos motivos dela ter ficado chateada foi porque falaram que as roupas da byNV eram caras e ela explicou de uma forma super grossa. Eu fui uma das que comentou que achava as roupas caras. Nossa, ela soltou os cachorros e só faltou me engolir. Acho que já apagou os comentários.

    É muito chato quando vc acessa um blog e a blogueira só aceita elogios, só está lá para ganhar confete e ouvir que é linda. Não acesso mais o blog dela. Até achava ela profissional e super dedicada ao blog, inclusive elogiei a roupa que ela estava no post, mas disse que era muito cara e que para manter o marketing de dar presente para as blogueiras os preços eram bem altos.

    Claro que é feio quem chega dizendo desaforos, mas não foi o caso. Se o post é aberto para comentários, no mínimo a pessoa deve responder e se responde deve ter educação. Eu sei que compra quem quer, mas eu não acho falta de educação falar que as roupas da marca dela são caras. Achei a postura dela péssima e infantil.

    Ela exagerou sim, devia estar num dia ruim e com raiva de outras coisas.

    Outra coisa chata é quando vc não concorda com a blogueira e não a chama de linda – mesmo sem a chamar de feia – já dizem que é inveja. Gente, eu amo minha vida, meu trabalho, ganho super bem, moro numa cidade linda e tenho um marido maravilhoso. É muita pretensão achar que todas a invejam. Eu desejo muito sucesso a ela, mas espero que seja mais real e menos dramática, ou seja, que seja mais madura.

    • RESPONDER
      Giovanna
      05.08.2013 às 20:31

      Esse negócio de deletar comentários com críticas é tão comum quanto irritante. Uma vez deixei um comentário educado, bem simples, no blog da Thereza Chammas. Foi uma situação chata, na qual os últimos 5 posts dela eram de publieditorial. As seguidoras percebem, principalmente quando o blog de moda faz propaganda de computador. E você acha que o comentário ficou lá? Resumindo: ela continua com a panfletagem, e eu não visito o site dela há mais de um ano.

      As pessoas têm que ter humildade.

    • RESPONDER
      Carla
      05.08.2013 às 21:49

      Renata, a gente não estava sabendo do outro lado da história. Na verdade, nem sabíamos que esse post estava relacionado à essa história. Se foi por isso, entenderei o lado oposto, mas é que já vimos tantas histórias relacionadas à grosserias na internet – e muitas delas de pessoas que não são ” web famosas”, apenas ganham um concurso no insta ou resolveram seguir um #projetosaúde – que levamos o texto da Nati para esse lado. Mas obrigada por mostrar o seu também! :)

    • RESPONDER
      Joana
      05.08.2013 às 22:36

      To de acordo com a Carla Giovanna, na verdade pensamos naquelas pessoas locas que mandam a blogueira X operar o nariz e a Y deveria fazer um procedimento Z para não ter celulites. Uma pessoa fala da mãe ou do pai da blogueira ou leva tudo para a grosseria. Nesse caso tudo tem limite, mas entendemos esse lance que você mencionou, era relacionado a publicação no blog então é diferente.

      Quanto a deletar comentários é algo que a gente é contra no nosso blog, só o fazemos em caso de alguém atacar um convidado, colunista ou um terceiro fotografado aqui. Nesses casos achamos que temos que proteger nossos convidados, que nem sempre colocaram a cara pra bater como nós. Já no instagram eu me imaginaria deletando um insulto a minha pessoa (física) sabe? Por esse lance de tudo ter limite.

      Beijos

    • RESPONDER
      Renata Costa
      05.08.2013 às 22:38

      C e J, eu adoro o blog de vcs! Já conhecia há algum tempo mas fazia tempo que não acessava, sem razão específica, e que bom que voltei a acessá-lo. Vcs demonstram ter conteúdo, são educadas e acessíveis. Adoro esses posts do deu o que falar e o dos livros, mas também gosto dos looks do dia. O legal é que não sinto aqui aquela pegada de exibicionismo de alguns blogs, ou então de jabá puro. Sucesso no futilidades. Beijo!

    • RESPONDER
      Joana
      05.08.2013 às 22:42

      Que legal que você pensa assim Renata!
      Podemos ter clientes, ganhar presentes e afins, mas isso não muda como lidamos com o conteúdo, com a transparência e por aí vai.
      Ficamos muito satisfeitas de saber que você gosta dessas tags, são elas as mais exclusivas do futi mesmo! :)

      Volte sempre e pode soltar o verbo quando quiser. Estamos aqui pra isso e pretendemos nao mudar nunca.

    • RESPONDER
      Loh
      06.08.2013 às 2:57

      Concordo plenamente com vc Renata, já tinha visto ela responder de forma estúpida a comentários que nem se quer eram críticas, e a gota d’água foi
      à uns meses atrás em que ela respondeu uma seguidora de forma extremamente desnecessária. Eu adorava o trabalho dela mas não lia os comentários, passei a ler e me deparei com essas situações. Simplesmente antipatizo ela hoje!

  • RESPONDER
    Silvia
    05.08.2013 às 20:16

    Meninas, o fato de o blog ter pouquíssimas criticas ,acho que principalmente o publico é bastante diferente e menor que os ´´blog de looks“. Eu particularmente me incomodei de como vcs trataram la atrás a ´´tal“ Bolsa Soho… ´´…minha mãe falou que era modal“, dai conversando com blogueiras …´´a bolsa vale o investimento“… e depois a bolsa virou presente para uma das mães. Tudo bem, sou a favor de mudança de posicionamento, mas sempre acho que tem uma preocupação e até um preconceito quando as ´´outras bloggers`´ usam e abusam. E particularmente, acho que isso transparece em alguns outros textos tbem.
    Mas como na Net, tudo vira polemica, as vezes é melhor não se chatear, ne?

    • RESPONDER
      Carla
      05.08.2013 às 21:55

      Silvia, nesse caso nós não mudamos de posicionamento, é que somos duas pessoas, com duas mães diferentes e que pensam diferente! Tanto eu quanto a Jo amamos essa bolsa, quando minha mãe viajou eu pedi para ela comprar esse modelo e ela, na hora, se decidiu pela a outra (que já estampou diversos looks por aqui). A justificativa dela foi essa, e eu sempre confiei muito no gosto da minha mãe.
      Já o caso do post sobre a bolsa em si foi uma vontade que tivemos de abordar esse assunto. Mesmo não tendo comprado esse modelo – porque sim, é uma bolsa cara demais pra correr o risco de enjoar porque está vendo tanta gente com ela por aí – nós ainda queríamos saber mais sobre elas, e resolvemos pedir ajuda de quem tem! No fim das contas, a mãe da Jô amou o post e se interessou pela bolsa, tanto que o pai dela resolveu dar de presente de aniversário.

      Se você entendeu como mudança de posicionamento, por favor, nos diga onde podemos mudar para que esse tipo de “mal entendido” não aconteça novamente. Seu comentário é uma crítica positiva e nós gostamos de crescer com esse tipo de crítica!
      Beijos!

    • RESPONDER
      Joana
      05.08.2013 às 22:25

      Silvia,

      Concordo que nosso público é diferente (em sua maioria) e por isso temos um nicho menor ainda. Acho que isso faz com que as pessoas ataquem menos, mas em outros momentos, por outros motivos fomos atacadas por pessoas sem critérios e sem um ponto sabe? Por isso falamos no tema, porque rola um cyber bullying muito doido.

      Quanto ao lance da bolsa não entendi exatamente o que te incomodou. Na verdade eu reli o post e não senti um clima de mudança de posicionamento, até porque tudo que falam dela me agrada para uma bolsa no momento. O fato de todo mundo ter é um ponto negativo pra nós (que nos levou a escolher outras bolsas da marca), não posso negar, mas como tudo na vida rola uma balança de prós e contras. Essa bolsa parece ter mais prós do que contras, como o tal post mostrou.

      Minha mãe a quer desde que bateu o olho nela a primeira vez, o post só a deixou mais animada. Ela ama bolsas de cruzar leves e pequenas. Quando fizemos o post, já sabia que meu pai iria querer dar a bolsa pra ela de aniversário. Só não poderia estragar a surpresa soltando um spoiller.

      O post não era uma crítica as blogueiras que as têm, era uma investigação do motivo de tamanho sucesso. A gente sacou que ela tinha um borogodó.

      Se você vir esse post antigo aqui vai ver que eu disse que pensava em compra-la: http://www.f-utilidades.com/2013/06/06/look-da-jo-jantar-em-mykonos/ Só optei por outra por querer algo que ninguém que conheço tivesse, com uma pegada mais atemporal e exclusiva. O modelo que escolhi é uma edição limitada, com um preço bem parecido por exemplo.

      Desculpa o desabafo, mas não entendi onde mudei meu posicionamento perante ao produto. E o fato de não querermos ter as coisas iguais as das outras blogueiras em geral vem do seguinte: ter algo que “muita gente” do seu meio tem implica em perder a exclusividade, que no mercado do luxo é uma palavra chave. Além de que ir num evento e estar todo mundo com uma mesma peça denota falta de criatividade, que no nosso ramo é super importante. Outra coisa que sempre conversamos no skype é que se ficarmos vendo o produto em milhares de looks nas nossas pesquisas vamos enjoar dele (acontece SEMPRE). E uma bolsa cara não deve ser algo que estamos sujeitas a enjoar. Acho que sempre falamos em ter algo mais exclusivo, que não esteja nas mãos de todas as blogueiras pois elas influenciam muitas pessoas, que por sua vez compram os mesmos produtos e assim todo mundo fica igual. Não é preconceito, mas se falarmos dos mesmos itens, com os mesmos argumentos, acabaremos sendo apenas mais do mesmo. Se é para falar de algo que todo mundo tem, é melhor ser com argumentos que pouca gente usou.

      Quanto a soho, a gente continua achando linda, só temos como ponto negativo a falta de exclusividade.

      Beijos

    • RESPONDER
      Joana
      05.08.2013 às 22:30

      Acabei de ver que a Ca respondeu tb!
      Tinha esquecido do lance da bolsa dela, mas no fim falamos a mesma coisa de formas diferentes.
      Bjos

  • RESPONDER
    luana
    05.08.2013 às 22:42

    Acompanho o blog da nati vozza esporadicamente, mais pra ver as “figuras” (rs) mesmo e nunca comentei lá. Mas, o comentário da Renata me chamou a atenção e vi que ela tem razão! A raiva da nati vozza decorreu das críticas ao preço das roupas dela. Basta ver aqui:http://www.glam4you.com/2013/08/meu-look-estampa-com-estampa/#comments. E ela foi de uma imaturidade e um despreparo sem tamanho! Deu argumentos de criancinha birrenta e não de alguém que pretende ser empresária! Chegou a dizer que quem não quisesse que não comprasse e que ela não entrava na Bobo reclamando dos preços (portanto nao deviam reclamar dos dela). Acho que o ptoblema é justsmente esse: as roupas dela não estão no nivel da Bobo, a marca dela não é propriamente conhecida. E o que passa é que ela está querendo fazer as pessoas de bobas, usando a “fama” para vender roupas que não valem o preço que ela pede. E ela percebeu isso, tanto que se revoltou. E qdo falou de preço não estou falando só do valor de custo, mas também valores agregados à marca e isso ela não tem. Quem compra Bobo e cia está comprando também status. Quem compra byNV não pq a msrca é desconhecida do grande público. Enfim, comecei leitura do post de vcs meio que concordando vom o desabafo da NV e, avaliando os fatos, vi que os motivos fo desabafo não eram legítimos. Aliás, várias dessas blogueiras tem se aproveitado do publico fiel para faturar desmedidamente em cima. Tem uma que tem site de venda de acessórios que vende bolsa a 400, 00 que se encontra facilmente no ebay por $25, 00! É preciso aproveitar o que os blogs de moda tem de bom (informação!) e ter senso crítico! A propósito, gosto muito do blog de vcs, acho que há senso e pé no chão.
    o os fatos

    • RESPONDER
      Joana
      05.08.2013 às 22:50

      Luana,
      Obrigada pelo elogio ao nosso blog e como uma pessoa que trabalha com marketing de moda super entendo o que você diz quanto as marcas, as diferenças e tal, mas o ponto do post era mesmo falar do cyber bullying. Quem segue meninas como a Thássia sabem que tem muita gente LOUCA falando absurdos, para os quais a pessoa não deu espaço. Foi meio nesse caminho que quisemos escrever.

      Reclamar de um preço de uma peça de um look é normal, a resposta deve ser de acordo, concordo, mas como disse, cada pessoa é um ser humano, com direito a dias bons e ruins, erros e acertos. Não cabe a nós sermos juízes de ninguém, mas é normal que dias assim façam com alguns percam o tesão no blog.

      Vale lembrar que paga um preço caro quem quer comprar uma peça né? A pessoa pode estar tendo um lucro enorme, mas se a cliente ler o material, ver o preço e fizer as contas, tem que chegar a um ponto de custo benefício, se ela achou isso e pagou, pior que a blogueira que vende é a pessoa que compra! Sei lá, filosofei, mas acho que o consumidor no Brasil tem que apurar mais as coisas antes de comprar, aqui se vende gato por lebre todo dia e não estou falando das blogueiras pois não entro no ecommerce de nenhuma delas. Falo de coisa que rola nas ruas, em todos os segmentos.

      Bjos

  • RESPONDER
    Pat Camargo
    05.08.2013 às 22:55

    Eu entendi o post da Nati. As pessoas perderam a noção mesmo. Vejo agressões absurdas no Instagram das blogueiras, coisas que não se diz nem ao seu pior inimigo
    Não sei em que momento as pessoas se acharam no direito de dizer o que vem a cabeça. Falar por tras de um teclado é facil, queria ver agir assim na vida real.
    Isso pra mim não é recalque nem inveja, é falta de educaçao, pura e simples.

    • RESPONDER
      Joana
      05.08.2013 às 22:57

      Concordo e foi nesse caminho que escrevemos isso, mas você acha que a falta de educação por si só iria despertar tanto ódio?
      Pq tem uns que são agressividade pura né?

  • RESPONDER
    luana
    05.08.2013 às 23:00

    Só por curiosidade fui olhar o preço da roupa da discórdia: short de POLIESTER 420, 00 e camiseta do mesmo tecido 230, 00! Realmente é pra rir!

    • RESPONDER
      Carla
      05.08.2013 às 23:05

      Aprofundando a questão, agora que eu vi o link, acho que o erro da Nati é misturar o blog com a loja. Eu entendo querer se defender quando uma crítica é feita para o blog, é normal, inclusive acabamos de fazer isso aqui nos comentários, mas acho que ela não deveria de responder nada relativo à loja.

      Mesmo assim, continuo achando que tem muita gente agressiva que pensa que pode falar as maiores atrocidades que não falariam nem pro pior inimigo! Enfim, a discussão ainda é valida! rs

      • RESPONDER
        Joana
        05.08.2013 às 23:12

        Acho que a Ca tem um ponto, não digo que a Nati não deveria responder, mas o tom deveria mudar.
        De blogueira para profissional que responde aquela marca, parece simples, mas não é fácil não.
        Nós duas fazemos isso, mas com nosso blog é uma coisa e com nossos clientes outra, fica mais claro de separar e mudar o tom das respostas.

  • RESPONDER
    luana
    05.08.2013 às 23:15

    Oi Joana! Realmente deixei minha indignação pelos preços (que me surpreenderam) me desviar do assunto! Rsrsrs… de fato, há muita agressividade gratuita decorrente do anonimato propiciado pela internet. Mas já há também o outro lado, que é a pessoa se sentir agredida qdo foi apenas contrariada! E foi nesse sentido que pensei no caso específico dela! A agressividade não vai acabar só com pedidos e desabafos, infelizmente, porque é inerente ao ser humano. Então cabe a cada um avaliar se aguenta os malefícios da exposição ou não. É certo que, provavelmente, a pessoa não diria isso pessoalmente, mas falaria com outras pessoas! A internet só deu uma maior proporção ao hábito nada louvável, mas super humano, de falas mal dos outros! Grande beijo

    • RESPONDER
      Renata Costa
      05.08.2013 às 23:32

      Concordo, Luana!

  • RESPONDER
    Camyla Mendes
    06.08.2013 às 9:20

    Acho a Nati fofa e sempre entro no Glam4you, entendo o posicionamento dela, o cyber bullying que vemos com algumas blogueiras é realmente louco, mas gente, infelizmente esse é um ônus da profissão. Como disseram acima “a agressividade não vai acabar só com pedidos e desabafos, infelizmente, porque é inerente ao ser humano”, concordo!
    Quanto a tal blogueira da Capricho, que preguiçaaaaa! Queria dar um beijo na Hostess da balada 1 que deu a ótima resposta a ela, hehehe. Enfim, acho que a Giovanna é novinha e se deslumbrou um tanto com o momento que está vivendo, espero que essa situação toda sirva para ela colocar os pés no chão. ;)

  • RESPONDER
    Silvia
    06.08.2013 às 11:40

    Meninas obrigado pelas respostas, sempre atenciosas e bem redigidas.
    Só para finalizar , o ponto não é a mudança de posicionamento, isso é saudável e muito válido. A questão que me incomoda é o uso de termos como : ´´É modal“ ,e muitas vezes é mesmo, afinal a moda tem que caminhar , “não é exclusiva´´ sim, mas Gucci já nem é mais exclusiva (uma das mais baratas do segmento luxo) e ainda ´´uniforme de blogueira“ para as sapatilhas Chanel, mas no caso de vocês, o uso é pelo conforto. (também as tenho ,acho confortáveis mas não insubstituíveis ,e nesse caso, o CC acrescenta ,sim!
    Eu acho que dá para pensar.Obviamente não precisamos ter os mesmos desejos, comprar a mesma Jimmy Choo nude ,a Balenciaga, a Celine …
    Beijo Meninas ,Valeu!

    • RESPONDER
      Carla
      06.08.2013 às 12:44

      Verdade, Silvia, dá pra pensar sim! Aqui nós tentamos ser democráticas. Ao mesmo tempo que gostamos de acessórios que não vemos muito por aí (e no caso da Gucci, por menos exclusiva que ela seja, ainda dá pra achar acessórios “fora da caixinha”), nós também queremos falar daquilo que já reparamos que as pessoas estão querendo ver, sendo de marca de luxo ou da zara, ou da c&a, tanto faz!
      Quanto à sapatilha da Chanel, até concordo que o CC tem seu peso, mas ainda não achei modelo tão confortável como esse (inclusive eu tenho a de elástico e não compraria outra de jeito nenhum!). Assim como o Louboutin, por exemplo, tem sua importância a sola vermelha, mas depois que eu descobri o estrago que faz, não quero ver sola vermelha tão cedo! hahaha

      Mas gostei do seu ponto de vista, obrigada! :)

    • RESPONDER
      Joana
      06.08.2013 às 13:34

      Concordo e obrigada pela sua resposta!
      Agora please me conta com quais vc substitui as sapatilhas? Pq toda vez que coloco outra para grandes distâncias ou para bater perna dá ruim.
      Sem falar que pra minha mãe até agora elas são, pq calça 40.
      Me falaram que na capodarte tem, quero tentar pra ela. :)
      Bjosss

    • RESPONDER
      Silvia
      07.08.2013 às 4:30

      Me metendo no post da xará :)

      Bem, eu não tenho Chanel – ainda não cheguei lá ;) ( e com bolsa de estudos vai demorar mas eu não me incomodo pq é a minha escolha) – e tenho um pé (do qual já reclamei N vezes aqui) digno de ser chamado de pé da princesa de ervilha (conhecem o conto?). Já tive que doar vários sapatos depois de usá-los UMA vez pq eles acabaram com o meu pé. Minha alternativa acabou sendo a Usaflex, q sim é uma marca ortopédica mas faz uns sapatos simpáticos. Tenho uma sapatilha deles – aliás duas a dourada e a prateada – de matelasse que são MUITO confortáveis. De repente Jô sua mãe se acerta com elas. Tem uma loja na galeria de Ipanema – a que tem a Alfaias ( 500 e alguma coisa) – q tem uma loja chamada Vivian Lee e lá vende a marca. Se você procurar tem modelos bem bonitos lá, mas tem q sobreviver aos milhões de sapatos de “velha”. Eu prefiro a loja q tem em Copa q tem mais variedade, mas na de Ipanema deve ter as sapatilhas básicas e acho q é mais perto para vc. E olha eu já fiz bolha na sola do pé usando tênis! Então eu tenho a pele muito sensível e um pé q tem um dedo quebrado (portanto qq sapato q não seja confortável e vista bem doí absurdamente o meu dedo). Só tem q tomar cuidado q apita no detector de metal dos aeroportos! :)

      Beijos meninas!

      PS: Carla eu tô com a sua mãe! Se fosse investir numa BOLSA eu juntaria para ter uma Birken vermelha/vinho q eu acho o clássico dos clássicos e acho que seria uma cor que iria com todo o meu guarda roupa! Não q a Gucci não seja linda e muito mais acessível, mas falando de sonho de consumo e investimento para mim não tem outra é a Birken! E q se dane se “todo mundo tem”!

  • RESPONDER
    Marina
    06.08.2013 às 12:48

    Amiga, adorei o texto do Rica!
    Parabens pelo trabalho lindo!!

    Bjs bjs

  • RESPONDER
    Mariana (@andpizzazz)
    06.08.2013 às 12:53

    Como eu sou meio por fora da maioria dos blogs eu só sei esses bafos por aqui rsrsrs… acho que até no meu bloguinho falei algo sobre haters e comentários maldosos uns tempos atrás, no final das contas para internet vale a regra da vida real: não diga nada que você não falaria na cara! Escrever um comentário no blog é a mesma coisa de falar na cara. Se quiser fazer um comentário maldoso com uma amiga, faça entre 4 paredes, porque né, quem noooonca haha… Mas sério, comentário sem noção em blog é o fim! Falta de educação define.

    E da blogueira da Capricho eu ri muito da história! Ela comeu uma bola gigante neste desabafo e eu ri MUITO com os memes, acho que até ela depois riu, pelo que vi em uma entrevista que deu (!). De qualquer jeito a menina tem 20 anos e fez uma bobagem e aposto que tirou alguma lição disso no final das contas. Até relacionando com o que falei em cima, quem tirou sarro, fez meme, até vai lá, mas teve gente ofendendo ela de forma pesada nos comentários, já passando do ponto totalmente.

    E por fim achei legal o texto do Rio mas toda generalização é burra! Mas fato que umas amigas minhas cariocas que vieram morar em SP sem dúvida comentam que aqui se anda mais arrumado. Ah, aliás, outro dia ri com um vídeo do Adnet continuando este tema, coloquem adnet paulista no youtube.

    Bjs!

    • RESPONDER
      Silvia
      07.08.2013 às 14:19

      Mariana tem umas cariocas q vão para Sampa e acabam fazendo tudo o que está naquela lista e ajudam e com a “fama” das paulistas! Conheço algumas!

      Vou procurar o vídeo!

      Beijos!

  • RESPONDER
    Silvia
    06.08.2013 às 20:06

    Teve uma xará comentando antes de mim! :)

    Bem, eu já falei antes e continuo com a mesma opinião de que as vezes é melhor não falar nada do que ofender alguém. Se eu acho que meu comentário pode acrescentar algo é uma coisa, mas sei lá, sou muito “na minha” para “reclamar” de post sobre jabás ou o preço das coisas, mas a minha personalidade é do tipo que faz de tudo para evitar uma briga ou uma discussão desnecessária. Outro dia vi em um blog uma blogueira falar uma bobagem sem tamanho sobre a indústria da moda, preço e luxo. Eu pensei alguns minutos se valia a pena explicar para ela que, pelo menos “academicamente”, aqueles conceitos estavam errados (aliás vi uma bobagem sem tamanho sobre fast fashion nos comentários da Shame mas tb deixei para lá) mas eu já vi a blogueira em questão ser grossa com quem “discorda” dela e pensei q não valia despender a minha energia ali pq ela já tinha uma opinião formada e não importa o que eu falasse q se eu não fosse a Chanel ou a Pascolato, ela não iria me ouvir. Acredito, pelo q li, q no caso da Vozza, ela provavelmente achou q estava “abalando” com sua linha de roupas mas quem fez os preços não soube avaliar bem o público dela que não está disposto a pagar o preço que for por uma peça assinada por ela. A “culpa” no caso dos preços não é da blogueira mas quem está por trás dela, ela foi infeliz pq ao invés de respirar fundo, contar até dez e deixar a cabeça esfriar para responder as críticas, lidou com a situação da pior forma possível. E não teve ninguém da “equipe dela” q a ajudou a resolver a crise. Eu nunca li o blog dela mas sempre vejo sacanearem mto ela no Shame (guilty pleasure!). Isso não dá o direito dela ser grossa, mas as vezes a questão das roupas foi a gota d’água. Então como vocês disseram Unfollow ta aí para isso e tb ninguém é obrigado a comentar ou ler todos os posts de um blog. No Petiscos q é “enorme” eu leio só o q me interessa e pronto, igual a uma revista ou passar rápido comerciais. A blogueira da Capricho foi outra que se queimou muito! Concordo q R$80 e R$120 é um preço caro e que ninguém merece pagar isso para ir numa night caída. A forma como ela fez, falou e se achou injustiçada mostrou q ela tava se achando mais do q é (ou era), mas nós vivemos no país das “carteiradas” e “do sabe com quem tá falando?” – o q não justifica o comportamento dela – mas eu “entendo” de onde veio essa atitude dela.

    Qto a Sampa X Rio, eu não sou a carioca típica (me vi em cada linha da Carla até sobre a “preguiça” de andar 2 quarteirões para ir a praia) mas eu devo confessar q tenho uma antipatia por Sampa e algumas paulistas q eu conheço não são exatamente como no texto mas se pudessem… Acho q é o estilo “novo rico” que deslumbra, sabe? E outra como eu tenho família e sempre fiquei na “dependência” da mesma, fiquei com antipatia da cidade, entendem? Talvez se eu morasse num bairro como o da Carla (fiquei curiosa) q dá para andar a pé (pq eu não dirigo), se fosse com o meu marido para fazer a minha vida, eu me adaptaria, mas viver em função dos outros o tempo todo é chato e além de tudo sempre q o Erick viaja a trabalho para Sampa ele tem algum problema de ida ou na volta, e isso q a empresa responsável é paulista! Mas bem, tb tem um outro ponto, a família da minha mãe é gaúcha, a família do meu marido é gaúcha, Erick é gaúcho e eu sempre fui apaixonada pelo Sul do país. Todas as vezes q vamos para o RS, vamos para o interior e por mais falta de estrutura as pessoas se viram e desdobram para te atender bem. Então acho q sairia do Rio para POA ou até para Curitiba muito mais feliz q para Sampa! E olha q lá me entendem menos ainda pq eu sou muito carioca qdo falo! :)

    Beijos enormes!

  • RESPONDER
    Gi
    07.08.2013 às 1:54

    Meninas eu fiquei meio chocada com o que o povo pensa das Paulistanas!! Acho sim a diferença grande, aqui o povo se arruma mais e curte uma grife. Mas dizer que Carioca adora ir pra todos os lados.. Até no meio da favela é mais porque a favela está no meio do Rio inteiro! É quase impossivel vc não passar por ela em alguns pontos, em SP elas ficam mais localizadas e isso faz com que vc “não tenha” que passar por uma, mas não é que a gente reza pra nunca ter que passar por uma. Moro na ZS e faço quase tudo por aqui, mas vou pra ZN ver amigos que moram na serra, vou pra guarulhos visitar prima e sempre passamos por lugares diferentes que não rola pre conceito nenhum.. Enfim.
    Já a Naty eu preciso começar dizendo que fiquei mais de um ano sem entrar no blog dela.. Achei que ela mudou muito de quando começou (conheço ela “socialmente”) e claro com o aumento de visitas o blog ficou maior e as “dicas de amiga” mais frequentes por conta da empresa parceira.. E só mês passado fiquei sabendo q ela não fazia mais parte do grupo e entrei no blog pra ver oq tinha mudado.. Achei que os publi tinham diminuido e nos textos ela parecia mais centrada nela e na vida dela, deixando um pouco o lado glamour da coisa e curti e voltei a entrar no blog. Até queee li os comentários (sim tem mts maldosos) mas mesmo os de criticas numa boa estavam sendo respondidos com grosseira e repensei se deveria continuar a visitar. O que vi sobre valores foi sobre uma blusinha de couro de 2 mil reais! A menina disse ser caro e ela já soltou logo um: mas claro! É couro! Se não gosta não compra… Tá é couro, mas quanto custa uma peça de couro no brás?! ( te respondo: vaqueta por volta de 40 reais no varejo), então ela não tem gasto com loja fisica nem ponto em shopping, não paga propaganda em revista nem contrata celebs pra fazer campanha.. Então como ela pode ter o preço da Le Lis? Da bo.bô?! É claro que o produto é dela e ela coloca o valor q bem entende, mas se eu tiver essa grana toda sobrando certamente compraria uma bo.bô do que uma marca X. O consumidor está dizendo que está insatisfeito e ela deveria ouvir para melhorar a imagem da marca perante quem consome.
    E sobre a blogueira com poderzinho na mão foi bem tenso! Já vi ela em alguns eventos e a menina parece ter 13 anos.. Mas isso é maneira dela de leva a vida e nunca julguei, e acho que até por isso que ela tem essas atitudes de querer ter mais, ser mais, poder mais. Um dia a cabeça dela vai crescer e ela vai entender que o melhor retorno na profissão não é entrar em uma balada na faixa e sim receber um aumento ou promoção do chefe por ter feito um ótimo trabalho.

  • Deixe uma resposta