13 em Book do dia/ Comportamento/ Cultura no dia 08.05.2013

Book do dia: 3096 Dias

Há um tempo atrás, a Mariana, do blog Garimpo Retrô sugeriu que a gente fizesse a categoria Book Do Dia aqui no (f)uti. Claro que o nome não é pra ser levado ao pé da letra, afinal, nem se meu dia tivesse 72h eu conseguiria realizar a proeza de ler um livro por dia (por mais bobo que seja!) e, ainda por cima, ter uma vida!

Depois de ficar um tempo sem pegar em um livro – digital ou impresso – eu resolvi comprar 4 de uma vez: Morte Súbita, Garota Exemplar, A Livraria 24h do Mr. Penumbra e 3096 Dias. Isso foi mês passado e eu já terminei todos, então acho que tenho material suficiente para brincar de Book do Dia por algum tempo, né?

De todos esses, o que eu acho que vale mais a indicação é o 3096 Dias, de Natascha Kampusch. É a história da menina que foi sequestrada e mantida em cativeiro por mais de 8 anos, contada pela própria. O livro é de 2010, mas eu só fui ficar sabendo agora, pois uma amiga estava lendo e gostando!

3096 dias Natascha Kampusch

É um livro angustiante, daqueles que não dá vontade de parar de ler. Ela narra esses 8 anos de uma forma muito detalhada e tão racional que às vezes parece ser uma história inventada. Mas é só procurar seu nome no Google para ver as cenas relatadas e perceber que tudo aquilo realmente aconteceu.

Teve quem achasse o livro pesado demais, mas eu não me senti assim. É uma história de horror, claro, mas já ter uma ideia do final ameniza um pouco essa sensação.

O filme foi lançado esse ano na Alemanha, Áustria e Suiça e não sei chegará por aqui. Como dizem que o livro é sempre melhor que o filme, eu sugiro não esperar para ver se chega!

Alguém já leu? Gostou? Indica outros?

Beijos!

Carla

Gostou? Você pode gostar também desses!

13 Comentários

  • RESPONDER
    Mariana Borges
    08.05.2013 às 15:32

    Tô me achando por ter dado ideia para o (f)utilidades! =) Yeah, obrigada!
    Estava esperando um opinião de alguém para ler o da Natascha Kampusch. Na época, houve gente que a acusou de querer ganhar um troco explorando sua própria tragédia pessoal, afff… Povo sem noção. =/

    • RESPONDER
      Carla
      08.05.2013 às 15:39

      Mariana, eu AMEI a ideia! Só não fiz isso antes pq realmente tava atrasada nas leituras! rs Acho esse tipo de acusação tão idiota, né? A menina ficou 8 anos presa, sofreu o pão que o diabo amassou, qual o problema de ganhar em cima da história, por mais sofrida que seja? Eu sou muito mais fã de histórias baseadas em fatos reais do que ficção, me prende muito mais!

  • RESPONDER
    Nina Ribeiro
    09.05.2013 às 19:23

    Adorei a categoria! Faz mais! Faz mais!
    Fiquei com vontade de ler o livro, mas tenho medo de ficar muito abalada. (Me envolvo)
    Agora, o que mais me chocou desse post: você TERMINOU Morte Súbita? Porque eu achei um saaaaaco e larguei no meio. Faz post ensinando o truque? Hahaha :)

    • RESPONDER
      Carla
      09.05.2013 às 21:11

      Nina, não acho que é um livro que vai te deixar abalada exatamente pelo fato dela ser muito racional. Ela vai contando e vai explicando ao longo do livro o motivo de todas as reações dela. Vc se envolve, mas pelo menos eu não me envolvi o suficiente para ficar tão abalada.
      Já o Morte Súbita….também achei UM PORRE! Meu segredo? É que eu sou teimosa! Não consigo largar no meio! rs Mas achei UÓ! C.

  • RESPONDER
    priscilla
    09.05.2013 às 20:48

    O livro é excelente, muito bom mesmo! Viciante, você lê em pouquíssimo tempo, porém, depois da leitura fui dar uma pesquisada na historia dela e percebi um certo misto de arrogância e sentimento eterno de vitíma, sabe? Parece que ela gosta de se fazer de a eterna coitada…. Sim, muita dó do caso dela e com certeza mega difícil de superar, mas a vida tem que seguir… Ela não se relaciona mais com o pai, que tentou ganhar dinheiro com esse sofrimento todo e não mora com a mãe, pq não sabe se relacionar com outras pessoas….

    • RESPONDER
      Carla
      09.05.2013 às 21:19

      Nossa, Priscilla, sério? Eu apenas procurei no Google imagens, vi o tal do quarto, vi todo o resto, mas não vi entrevistas dela! Imagino que ela preciso do dobro de anos de terapia para poder viver normalmente, deve ser um nó na cabeça conviver 8 anos presa, com uma pessoalmente mentalmente doente. Será que é arrogância? Ou será dificuldade de se reintegrar?? Pq foi isso que eu senti lendo o livro, ela escreveu friamente, o que pode soar meio arrogante…sei lá!

    • RESPONDER
      priscilla
      13.05.2013 às 7:50

      E, pode ser isso mesmo… vai sair o filme, vamos ver… tomara que ela se recupere, pois ela e jovem, tem muito o que viver ainda… mas o livro e bom demais!!!!

  • RESPONDER
    Amanda
    11.05.2013 às 22:06

    Fiquei curiosa com a história e baixei o livro, foi impressionante como fiquei presa a ele. Minha curiosidade foi tanta que de ontem para hoje li ele inteiro!
    Adorei essa categoria, indicações de livros são sempre muito bem vindas.

  • RESPONDER
    Natália
    13.05.2013 às 21:16

    Carla, eu adoro ler livro digital, qual livraria você achou esse? Procurei e não achei.

    • RESPONDER
      Carla
      13.05.2013 às 21:40

      Natália, compro todos os meus livros pelo Iba!

  • RESPONDER
    Juliana
    23.08.2013 às 17:51

    Fugindo totalmente do assunto, AMEI a caneca!
    De onde é?

    Beijos

    • RESPONDER
      Carla
      23.08.2013 às 17:53

      Oi, Ju! Eu comprei ela em uma campanha do site Westwing no começo do ano passado! Não sei qual é a loja que vende! :( Bjss

  • RESPONDER
    Ana Luiza
    24.05.2016 às 11:58

    Esse livro me deixou com um nó no estômago até vários dias depois de ter terminado. Concordo com você sobre a “racionalidade” na forma com que ela conta sua história. Isso me deixa com a impressão de quantas outras coisas não correm por trás do que ela passou, afinal, eu jamais conseguiria ser tão objetiva contando algo desse calibre que tivesse acontecido comigo. ¯\_(ツ)_/¯

    Mais uma vez parabéns pela TAG.
    :)

  • Deixe uma resposta