6 em Comportamento/ Deu o Que Falar no dia 11.02.2013

Deu o que falar…

Nós sabemos que é Carnaval, mas ainda sim separamos os tópicos da semana para aqueles que optaram por navegar na web no feriado…

1- Blog novo, bom ponto de vista.

Esse não é o primeiro projeto da @ninaribeiro que vira assunto por aqui. A  Nina, nossa amiga, fez um blog despretensioso muito do bom e sem a menor intenção ela chegou  levantando um ponto para as blogueiras pensarem…

Ela fez um post chamado “SOBRE DAR DICAS” e de cara o assunto era uma pauta que para nós é muito polêmica. A Nina apontou o que é e não é dar dica no ponto de vista dela e nós gostamos muito do que lemos.

Vamos começar com um ótimo trecho do post? “Blogueira que viaja, fica em hotel escolhido pela empresa e pago pelo patrocinador. Aí, faz post dando “Dica de Hotel na Cidade Bliblibibi”. Não pagou pela hospedagem, não pesquisou custo x benefício, não tinha outra opção, não escolheu o quarto: não é dica.

O mesmo vale para um simples batom, uma tendência de moda, um restaurante. Dar dica é ter responsabilidade, sabia? Parece absurdo, mas não é. Quando minhas amigas me falam: “amiga, me dá umas dicas para passar delineador direito?” eu respondo: “vou te mostrar como eu passo e alguns truques que funcionam para mim”. Assim como nunca vou indicar, seilá, um hidratante que eu adoro como melhor hidratante do mundo.”

O texto do post inteiro nos fez parar para pensar e ver como categorizamos as coisas por aqui…

Para nós existe muita diferença entre um post informacional e de dica. Quando temos um publieditorial sobre algo que experimentamos, gostamos e aprovamos nós vamos falar o quanto curtimos o produto. Porém, nunca vamos deixar a leitora pensar que esse post era apenas uma dica de amiga.

No nosso ponto de vista a informação pode ser misturada com a experiência, mas o receptor da mensagem tem que saber disso para que desta forma, a credibilidade do blog se mantenha inalterada e a leitora não se sinta enganada nunca.

No caso do (f)uti, dar DICAS normalmente envolve experiências que tivemos no cotidiano, ou com algo que compramos ou mesmo que ganhamos, mas postamos porque quisemos e contamos que foi presente (ex. tag jabá que nós amamos). O post tem que ser espontâneo.

Para uma compra ou um “jabá que nós amamos” virarem post nós temos que ter 100% de certeza sobre a eficiência do produto, temos que ter nossa experiência com ele. Se não tivermos vontade de comprar algo que ganhamos novamente, ele não se enquadra em uma dica e nem virará post.

Com esse tópico não pretendemos dizer que fazemos certos e outras bloggers errado, apesar de acharmos bem importante relembrarmos sempre como procedemos, mesmo tendo o FAQ ali em cima. Mas gostaríamos que todos que “compartilham dicas” na blogosfera parassem para pensar na responsabilidade que têm em mãos. Assim a classe dos blogs poderá ser levada mais a sério e não mais ser confundida como uma mídia que vende “dicas falsas”.

Nós vemos tudo isso de uma forma própria, mas achamos muito válido refletir sobre tudo que a Nina escreveu. É importante que cada um ache a sua verdade e estabeleça o caminho que quer para o seu blog, mas respeitar e não enganar a leitora deveria ser uma prioridade universal.

O post da Nina fala por ele mesmo, quem curtiu o tema deve ir no blog She Calls me Mary dar uma olhadinha.

2- Padrão de beleza do medo

montagem Blog Starving

Na semana passada, nossas amigas do Starving fizeram um post falando sobre a campanha da Nina Ricci, discutindo sobre a abordagem da campanha. Além da modelo excessivamente magra (o que sempre vira polêmica), a marca criou toda uma atmosfera que acaba acentuando essa magreza de uma forma tão exagerada que mal conseguiu valorizar as roupas que, supõe-se, eram pra ser o foco da campanha.

Nós concordamos com as meninas que o visual “carinha de doente” da campanha parece claramente proposital. Afinal o tratamento de imagem, a beleza e as poses denotam que tudo está conversando na mesma linguagem.

Não vamos entrar no mérito de discutir anorexia porque é só procurar no Google Marte Van Haaster para ver que ela realmente é muito magra, muito alta e com proporções diferentes, mas sem a cara de doente que a campanha transmite. Sem contar que existem meninas geneticamente magérrimas, que lutam para engordar e sofrem quase tanto quanto gordinhas.

Mais do que o corpo da modelo, temos que ficar preocupadas é com a mensagem que a marca quer passar. Por incrível que pareça, muita gente ainda se baseia nos padrões impossíveis de beleza e cometem loucuras. Nesse caso, estamos 100% com a Mandy e a Gabi. Achamos que a campanha passou dos limites desses já altos padrões. Bola fora da Nina Ricci.

3 – DEServiço de um servidor

Hoje a blogosfera está dominando o DQF, né? O terceiro caso envolve uma querida vizinha de blog, a Ana do Hoje vou assim off. Lemos em seu Facebook um absurdo à respeito do servidor do blog dela e paramos para pensar por aqui, quem “vende um produto/serviço” muitas vezes não está nem aí para quem compra.

Quando procuramos a Ana para sabermos se poderíamos falar sobre esse assunto por aqui, ela nos enviou alguns emails enviados pelo Pre-lude Host (a tal empresa). Se nós já achávamos o problema grave antes, precisamos dizer que ficamos chocadas com o que lemos, muito descaso, “foras” no cliente e falta de tato para explicar as coisas de uma forma mais simples e educada.

Como o esquema de hospedagem da Ana era em um sistema “semi dedicado” (ou seja, divindo o espaço com outros sites), o seu blog “pesado” estava atrapalhando os outros sites do mesmo sistema. Sites esses que são parceiros da empresa e trazem grande retorno $$ para o Prelude. Oi?  Na prática, o site da Ana estava atrapalhando os sites que dividem os lucros com a empresa, então era melhor mudar o layout dela para o modo de segurança, que deixa o blog todo errado, mas mais leve. 

Em outro email, o funcionário afirmou que se a Ana voltasse para o seu tema (seu layout normal) eles seriam obrigados a pedir que ela mudasse para outro servidor. Nós achamos que não precisa chegar a isso, porque não ligar e explicar com calma o que estava acontecendo? “Ameaçar” um cliente que só quer ter o serviço original contratado não é uma forma boa de interagir. Seria mais fácil desde o início ter conversado com a Ana e visto se seria possível deixar o blog dela mais leve, do contrário seria melhor avisa-la de que o servidor semi-dedicado deles não seria bom pra ela.

Acreditamos que a empresa tem o direito de não achar que vale a pena tê-la como cliente, mas tudo é a forma como as coisas são feitas. O funcionário deixar claro que os clientes parceiros (que “dividem os lucros” com eles) são mais importantes não é uma forma profissional de lidar com o serviço prestado.

É fundamental que uma empresa com esse tipo de serviço tenha um SAC adequado, capaz de explicar para os mais leigos como funciona o sistema e explicar o que seu site realmente precisa. Vale levar em conta que o blog da Ana (assim como muitos outros) é um trabalho e não deve ser tratado como hobby.

Nós ficamos horrorizadas com esse problema e agradecemos que nosso servidor tem sido “companheiro” nos últimos dois anos e meio. Já soubemos que a Ana migrou o blog e tudo está fluíndo bem mais rápido na “casa nova”.

Como sabemos que temos muitas leitoras que também são blogueiras e, provavelmente, passando por essa fase de procurar servidor, ter um domínio próprio, etc, resolvemos compartilhar o caso da Ana para que todas fiquem atentas!

Gostou? Você pode gostar também desses!

6 Comentários

  • RESPONDER
    Nina Ribeiro
    11.02.2013 às 12:05

    Oi meninas!
    Amei aparecer na minha coluna preferida do f-uti <3 <3
    Obrigada pelo prestígio e que bom que vocês gostaram do post.
    A minha intenção com ele nem foi polemizar a respeito dos publieditoriais (apesar de um dos exemplos), mas entendo como é quase impossível ir por esse lado, na situação blogueirística de hoje. ;) Adorei.
    Beijo beijo,
    Nina

  • RESPONDER
    Gabriela Ganem
    11.02.2013 às 14:26

    Que honra ver essa questão tão importante no meu post favorito aqui no f-uti! :)
    As muito magrinhas ainda estão revoltadas com a gente por conta da comparação com o ET, mas era inevitável! Basta olhar para as duas fotos e ver que é a mesma proporção, pose, expressão… rs
    Sacanagem o que fizeram com a Ana e, na minha cabeça, isso é digno de processo!
    Estão fazendo o blog dela de refém!! Um absurdo…
    Nina, bem-vinda!!! :)
    Beijosss

  • RESPONDER
    Luciana minari
    12.02.2013 às 16:06

    Meninas mto bom esse pois …. Amei. Gostaria de aproveitar e pedir a indicaçao de um bom provedor,

    • RESPONDER
      Carla
      15.02.2013 às 12:58

      Luciana, provedor ou servidor? Se for servidor, nós estamos com a Locaweb desde o começo e estamos bem satisfeitas! Beijos

  • RESPONDER
    João Victor Pereira
    16.02.2013 às 14:29

    Gente,
    Quanto absurdo! Fiquei chocado com tudo o que eu li!
    Fico muito feliz em saber que o f-utilidades tem esse caráter ético! Por isso sou leitor assíduo e indico para todos! Fico muito orgulhoso de vocês, Joana e Carla. Vocês me fazem acreditar que existem pessoas serias no mundo da moda e no universo dos blogs. Pouquissimos blogs tem a preocupação de ser verdadeiros acima de jabás ou de “presentes” que ganham de certas empresas! Continuem assim, com esse trabalho consistente e ético! Sempre fui fã e agora sou mais!
    Beijos no coração
    Joao Victor

  • RESPONDER
    Mariana (@andpizzazz)
    18.02.2013 às 12:13

    Que legal que a Nina Ribeirou fez um blog!

  • Deixe uma resposta