14 em Europa/ tt/ Viagem no dia 26.10.2012

Trip tips: Munique & Berlim

Mais um trip tips chegou e desta vez com mais destinos dos meus sonhos! Minha prima Rita viajou com o namorado para duas cidades que sonho em conhecer, Munique e Berlim. Vamos ver as dicas dela?  Beijos Jô

Dicas de Munique

Museus: – Deutsches Museum (maior museu técnico da Europa, talvez do mundo); – Pinakoteken (3 Museus de artes.: Arte antiga, clássica e moderna. Todas são fantásticas); – BMW Museum (museu da BMW. Show!); – Dachau campo de concentração (Muito interessante!); – Residência (Museu da realeza. Lindo!). Tem outros museus, mas esses são os principais.

Por lá é recomendável fazer o “Sightseeing(aquele ônibus de dois andares de turismo) para dar uma conhecida geral na cidade. Muitas das atrações abaixo listadas estão em pontos de paradas do sightseeing! E é bom que você pode sair, ficar um tempão e depois pegar outro ônibus, já que eles têm paradas constantes. Acho que o sightseeing tem 3 rotas!

Atrações variadas:

Olympia Park;

Schloß Nymphemburg (castelo);

Marienplatz: É a praça principal, onde tem o prédio da prefeitura. Às 17 horas, todos os dias, os bonecos do prédio se mexem. Achei lindooooo o prédio!!!!

Alter Peter: Igreja na praça principal para subir na torre, onde tem uma vista fantástica. Em dias bonitos, é possível ver os Alpes;

Ópera: Muito bonita. Tem tour de visitação;

Alter Hof: Prédio mais antigo de Munique;

Odeonsplatz: Onde Hitler fazia os discursos. É uma praça bem bonita.

Maximilianeum: Prédio muito bonito onde fica o parlamento.

LMU Universität: Onde teve o “Movimento da Rosa Branca”. Há um museu pequeno dentro da Universidade, sobre a história dos irmãos gêmeos que fizeram manifestação pacifica (panfletaram) contra o nazismo, e foram condenados à morte.

Englischer Garten (Parque dos Ingleses): É o parque central de Munique (maior parque urbano do mundo). Dentro do parque, seguintes pontos a serem vistos: a onda fixa onde pessoas surfam o ano inteiro, chinesischer Turm (Biergarten) e Monopteros. Essa onda é incrível! Eu passando mal de frio e váriossss loucos surfando numa onda que foi formada no rio do parque por uma pedra ou sei lá o que. Loucura! Deu frio só de ver…

Königsplatz: Linda praça com monumentos e museus gregos em volta.

Viktualienmark: Mercado no centro, com especiarias da Europa.

Biergarten (jardins da cerveja): Vários em Munique: dentro do jardim dos ingleses (chinesischer Turm), Max Weber Platz, Hirschgarten (onde o rei caçava)…

Cervejarias: Hofbräuhaus (HB – mais tradicional) e Löwbräuhaus.

Theresienwiese: Onde ocorre a Oktoberfest. Lá fica a estátua “Bavaria”

Ludwigstraße: Rua principal que dá no centro. Onde fica a Universidade, a biblioteca da Bavária, prédio onde nasceu a princesa Sissi. Ela termina na Odeonsplatz.

Leopoldstraße: Ela é comprida, então só considerar a parte perto do centro, entre Münchner Freiheit (estação de metro) e Arco do Triunfo. É uma rua onde tem muitos bares e restaurantes.

Siegestor (arco do triunfo): Fica entre a Ludwigstraße e a Leopoldstraße.

Arcos medievais: São 3 que ficam no centro, formando um círculo.

Restaurantes (pratos principais variam entre 7 a 15 euros por pessoa):

Augustiner Bräuhaus: Comida tradicional da Bavária. É o restaurante da cerveja Augustiner. Considerada uma das melhores pelos bávaros. Eu comi joelho de porco, confesso!!! É super tradicional, tinha que experimentar. Vinha acompanhado de um “purê de batata”, que eu não gostei não. O joelho, ok! Mas preferi mil vezes a salsicha branca com a mostarda especial de lá! Vale a pena pedir! Déeeeeli!!!

Alter Simpl: Restaurante bávaro/alemão.

Türkenhof: Restaurante bávaro/alemão.

Vizzenz Murr: Bávaro. Mais tipo lanchonete (é também açougue).

Brenner: Italiano.

Vapiano: Italiano.

Mario: Italiano.

Blue Nile: Comida da Etiópia. Experiência muito interessante!

Lemar: Comida do Afeganistão.

Nam Nam: Tailandês.

Kun-Tuk: Tailandês.

Shere Punjab: Indiano.

Cavos: Grego.

Sausalitos: Mexicano.

Dá pra perceber que com tantas opções (óbvio que não deu tempo pra ir a todos), eu engordei horroreeeees!!! Mas pra quem é bom de garfo, é maravilhoso, né? Pode comer cada dia um tipo de comida, e por um preço muuuuuito justo (especialmente quem vai do Rio pra lá heheheh)… Eu fiquei mais entre os alemães e os tailandeses.

Bairros interessantes:

– Münchner Freiheit e Schwabing: São bairros vizinhos onde tem muitos bares e restaurantes. Tipo Leblon no Rio. Recomendo ficar nesses bairros. São super centrais.

– Bogenhausen: É um bairro que fica no leste de Munique, onde tem as mansões.

Como não fiquei em hotel, e sim na casa de uma amiga, não tenho indicação de hotel específico, mas pesquisaria nesses bairros. Fiquei em um deles e amei!

Bares: – Sausalitos (mexicano); – Tijuana (mexicano); – News Café; – Basta andar pela Leopoldstraße, que tem vários!

Night: – Pacha; – 089; – P1 (mais chique); – Mamsita; – Filmcasino; – 8 Seasons.

Cafés: – Vorstadt Cafe; – News Café; – Vários pelo centro e pela Leopoldstraße.

Bom, pra quem vai viajar com um namorado louco por futebol (\o/) e quer dar uma agradada, também pode fazer o tour guiado no estádio do Bayern Munich (Allianz Arena). Eu até que gostei!!! Já fui a vários estádios (namorado louco-master-super-ultra-viciado), então já me acostumei a esse programa – e acabo gostando – mas realmente acho que é legal, porque você vê a diferença da modernidade, as instalações, etc. O Allianz Arena fica um pouquinho distante, na estação de metrô Fröttmaning U-Bahn station. É só procurar no mapa, saltar nessa estação e ir andando. É pertinho!

No mais, em relação a transporte de aeroporto-cidade, recomendo ir de trem mesmo (é distante da cidade)! Na ida, minha amiga me buscou com um carro alugado da BMW (é um esquema iraaaaaaaado, que você localiza um carro disponível perto da sua casa, estacionado na rua, e, estando cadastrado no site, você vai até o carro e abre a porta encostando a habilitação de motorista no vidro, através de um “sensor” ou coisa que o valha, e a chave já está na ignição, simples assim! Na volta você estaciona em qualquer lugar! Incríiiiiiivel, mas você precisa ter algum amigo lá para alugar), é baratinho (deu 24 euros e utilizamos por 1h30 +-), e pode dar uma acelerada na “Autoban”, pra quem curte! Se você não tem esse amigo legal (ehheheh), o trem é uma ótima solução. Custa 10 euros, mas se você vai usar o resto do dia, compre o ticket de 11 euros que pode ser usado durante o dia inteiro, além do trajeto aeroporto-centro.

E, por fim, OKTOBERFEST: Incríiiiiiiiiivel!!!!! Especialmente para quem AMA cerveja! Não há nada igual, e pelo o que eu vi na TV sobre o Oktober que rola no sul aqui no Brasil, é bem diferente! Vale a pena conhecer “o original” se você for à Munique na época em que tá rolando (final de setembro, começo de outubro: são 2 semanas seguidas, com 3 finais de semana… Ah! Durante os dias da semana rola também)! O Oktober rola num parque enorme, que geralmente não tem muita coisa, e uns 3 ou 4 meses antes do evento eles começam a construir (as “tendas” são construídas “de verdade”, de madeira, lindinhas! Não são tendas de verdade! São casas enormes, que, segundo informações que me passaram, cabem entre 5 a 10 mil pessoas).

Nesse parque (parte aberta), rolam várias barraquinhas com comida, bebida e tal, e um parque de diversões (tipo uma “feira de exposição” – quem nunca foi? Heheheh). E em volta, formando um “corredor”, há diversas “tendas” das cervejarias (cada tenda, uma cervejaria). Eu não sabia, mas é super ultra mega difícil entrar nas tendas! Eu presenciei várias pessoas com “bilhetes” falsificados, e os seguranças não são NADA amigos heeheh Eu tinha (ainda beeeeem) uma reserva do primo do namo dessa minha amiga. Ele é alemão e reserva há anos 2 mesas, e nos deu 2 ingressos! =) Nesse esquema, você entra, come-come-come (muuuuuuuuita comida: tem uma entrada deliciosa e enorme, um prato principal e uma torre com várias sobremesas. 2 para cada mesa!!! O menu é escolhido com antecedência. O nosso foi pato, e pagamos 35 euros pela entrada, pato e sobremesa… fala sério, né??????? Ia virar obesa se morasse lá!).

Enquanto vamos comendo, já começamos “os trabalhos”: só cerveja deliciosa num canecão de 1L! Depois de comer, começa a agitação, só bebida e música (claro que cantaram “ai se eu te pego”, e “tchetchereretchetche” hehehe)… Vai preparado pra ver muita gente trebada e ter paciência (mas nada comparado a quem tem um passado micareteiro, né? Hahahaha).

De qualquer forma, vale a pena ir até lá e tentar entrar numa tenda (minha amiga, no primeiro ano em Munique, ainda não tinha “esquema” e conseguiu entrar, porém… detalhe: ela foi às 7h da manhã!). E mesmo que não consiga entrar tem várias coisas legais na parte aberta! Ou seja: vá prá lá de qualquer maneira!!!!!!

Ah, uma última coisinha… A vestimenta! A cidade inteira fica vestida a caráter (inclusive vai trabalhar assim)… É muito fofo! Eu não ia gastar uma grana nisso pra usar uma única vez, mas como minha amiga tem vários modelitos eu fui a caráter, e é zero “miquento”, é muito legal… Mas, fato: é punk beber litros de cerveja e ficar com aquele vestido super emagrecedor! Alívio geral quando chega em casa heheh Mas se você tem a roupa ou está disposta a gastar nisso, acho muito legal.

BERLIM:

Serão menos dicas, já que não tenho ninguém “local” pra dar tantas dicas como em Munique, mas acho que vai ajudar! =)

Hotel: Fiquei no Motel One bem próximo à estação do zoológico. Tem mais de um Motel One, e acho que esse é o mais bem localizado. Adorei o hotel!!! Super “clean”, muito bem localizado, e com preço super justo (84 euros/dia). Optamos por não tomar café da manhã lá, porque tinha a dica da lanchonete do supermercado que é colado no hotel, e é delicinha!!! Acabou que eu comi pretzel salgado com manteiga com suco de laranja todos os dias! Hahahaha É típico de lá, e eu levei esse fato a sério! Hahaha

Transporte aeroporto-cidade: Trem, fato! Gastei menos de 3 euros e me deixou na estação ao lado do hotel! Não cogitaria taxi, nunca! Totalmente desnecessário considerando aquela rede de metrô-trem. Tudo interligado, uma maravilha!

Turismo: Fiz o sightseeing, que achei bem aproveitável. Comprei um ticket que dava direito às duas linhas, durante dois dias… Dá pra fazer em um único dia, mas acho muito corrido! Do que vou citar abaixo, acho que tudo passa pelo sightseeing: é só saltar do ônibus, passear, e depois pegar outro. Fizemos muita coisa também de metrô…

– Checkpoint Charlie: É um local onde reproduziram um posto militar entre a Alemanha Ocidental e a Oriental durante a guerra fria, de controle de transição de estrangeiros e membros da Força Aliada de um lado para o outro. Achei legalzinho e ponto. Nada demais. Você vê em um minuto, literalmente. Porém, tem que ir… Do lado da rua tem um museu do Checkpoint (eu não fui, então não posso opinar), mas eu fiquei mais entretida numa exposição ao lado, aberta ao público, com um pedaço do muro de Berlim, e vários relatos contando a história, que eu amei, amei, amei (li tanto a respeito lá, e recomendo pra quem curte história)!

– East side Gallery: Adoreeeei! Pra quem gosta de tirar fotos então, acho um lugar bem legal. É um pedaço do muro de Berlim em que ficam várias pinturas, grafites, etc. Aproveitei pra sentar num barzinho/lanchonete que tem ali para comer um prato de salsicha (óbvio) e tomar uma cerveja. Estava um dia lindo, então ficamos passeando, vendo as “pinturas” e simplesmente aproveitando hehehe

– Jüdisches Museum: É o museu sobre a história judaica. Curti! Não achei “incrível, uhul”, mas gostei sim!

– Deutscher Bundestag (reichstag): Imperdível, na minha opinião! É o parlamento, e é possível fazer uma visitação na cúpula. É grátis, mas tem que entrar numa fila grandinha com antecedência para conseguir uma reserva. Eu tive paciência, fiquei na fila e valeu a pena. É simplesmente INCRÍVEL a modernidade do interior com a construção clássica por fora. Quando você vê de fora, não imagina o quão moderno é internamente. Essa cúpula tem um “buraco” em cima, onde escoa água para geração de energia, e também vários espelhos apontando para baixo, em formato de “funil”, que ilumina a sala Plenária… No passeio na cúpula, a gente vai subindo “a ladeirinha” e conforme umas marcações no chão, o guia do fone de ouvido (tem em português!) vai mudando o que ele está falando de acordo com o ponto que estamos… O guia vai falando da cidade inteira, de todos os pontos turísticos (já que a cúpula é de vidro e redonda, dando vista para a cidade toda). É um resumo… Eu sei que não deu pra entender muito bem, mas garanto que vale a pena ir conhecer. Fora o guia falar da cidade inteira, fala também sobre o próprio Parlamento e o processo legislativo deles, o que me interessou particularmente.

 – “Bunkers”: Na verdade são “shelters”, pois se caísse uma bomba atômica, todos morreriam asfixiados e soterrados, ou seja, não protegiam nada como se prometia,  apenas servia como um “escudo”. Resumindo, eram construções subterrâneas (p.ex. numa estação de trem, num estacionamento subterrâneo de um prédio, etc…), feitas para a 2ª Guerra Mundial (utilizados) e para a Guerra Mundial (não utilizados, já que a guerra foi “fria”). Fiz o tour da 2ª Guerra Mundial e o da Guerra Fria. Foi o passeio que eu mais gostei… eu AMEI! Fiz os dois passeios com a “Berlin Underworlds Association”. Antes de ir até lá, é importante conferir no site dessa associação qual o horário do tour em inglês naquele dia (ou do tour em alemão, se for o seu caso). E recomendo chegar, pelo menos, 1 hora antes do tour para comprar o ticket (eles não vendem com 1 dia de antecedência). Cada tour dura cerca de 90 minutos e eu fiquei simplesmente apaixonada!

– Museumsinstel: É a “praça dos museus”! É lindo, lindo, lindo! Fui lá num dia com sol e feriado na Alemanha (dia comemorativo da unificação), então estava beeem cheio. Acho legal, não só para entrar nos museus que a circundam, como também para passear mesmo, quem sabe fazer um picnic, sei lá! Essa “praça” é mais um gramadão e fica na avenida principal… Andamos bastante por ela: passamos por uma feirinha de artesanato, tem várias lojas pra quem quer comprar (nem reparei quais, mas tem! Hehehe).

– Memorial dos judeus: É um memorial bem bonito numa praça (são vários blocos de concreto, parecendo um campo ondulado de pedras, de diversos tamanhos)… Embaixo dele parece que tem alguma exposição (no subsolo da praça), mas não pude ir porque estava meio pânico heheh tava chovendo e eu estava atrasada para a visita do Parlamento, fora que eu já tinha ido ao Museu dos judeus, né..

– Museu “The Story of Berlin”: É um museu moderno (com interações tecnológicas) sobre a história de Berlim (auto-explicativo, não? Hahaha). Tem a parte da história “mega antiga”, que não me atraiu tanto (é muito legal, mas não era muito de meu interesse), e tem a parte das Guerras, da divisão de Berlim, etc., que me interessou bastante. No geral, acho que vale a pena, especialmente porque em determinados horários tem uma visitação guiada em um “shelter”/”bunker” da Guerra Fria, que está construído no subsolo do prédio que abriga o museu. No total, então, eu fui a 3 “bunkers”: Esse do museu, e mais dois daquela associação que eu falei antes (que achei mais legais).

– Torre de TV: A torre de TV super-mega-alta é um famoso ponto turístico de lá, e pode ser vista em diversos pontos da cidade (várias fotos minhas, lá estava ela hehehe). Ela fica no centro, na Alexanderplatz (aliás, esta é uma praça turística, passeamos por lá!). Tem uma plataforma para visitantes e um restaurante que gira de tempos em tempos lá em cima…

– Berlin Wall: Tem uma parte do muro que tem uma exposição bem legal ao lado (não sei se é permanente, mas deve ser), sobre toda a história deles. Muito legal também. Na realidade, tem várias partes do muro pela cidade, e em vária delas há exposições, repletas de história!

Restaurantes: É o mesmo esquema de Munique: Em cada praça, cada rua bacaninha, tem um milhão de opções de restaurante, com especialidades diferentes! Numa praça perto do meu hotel (Savignyplatz), p.ex., tinha italiano, vietnamita, mexicano, espanhol, alemão, etc.etc. De diferente, eu lembro de ter ido ao Van-Long (era mais distante), um restaurante Vietnamita e Tailandês (eu comi thai e o meu namo comeu vietnamita! Peguei uma provinha dele e até curti, mas é super diferente); e fui ao KIMCHI PRINCESS (comida coreana): Esse eu ameeeeeeeeeeei! Era distante, mas valeu a pena! Ele é mais carinho do que o normal, mas curti bastante. Comemos um “barbecue” típico deles. A chapa fica na mesa e o garçom vai fazendo, e tem vários molhos que acompanham… Bom… eu curti MUITO (e meu namorado também), mas talvez não seja unanimidade hehehe Fora isso, deu pra perceber que é um restaurante badaladinho, se quiser ir para beber um vinho ou um drink e petiscar, acho que vale também!!! Foi indicação de uma sueca que eu conheci em Munique!

No mais, fui a mais de um dia ao Vapiano. Fica pertinho do meu hotel (tem outros Vapianos pela cidade). É um restaurante grandão, que tem salada, massa, pizza, etc.etc… É gostozinho sim, mas é um esquema meio “self service com pager” (se pedir pizza, p.ex., você vai ao balcão, escolhe o sabor e fica com o pager estilo Outback), não é a la carte… mas é uma opção bem legal, juro! Não para um jantar romântico, é claro hehehe

Espero que gostem!
Beijos
Rita

————————————————————————————–

Minha prima arrasou não foi? Eu amei mesmo a quantidade de detalhes dessa viagem! Fiquei ainda mais animada para conhecer a Alemanha e desvendar os arquivos da Bauhaus. :) Beijos e bom fim de semana Jô 

Gostou? Você pode gostar também desses!

14 Comentários

  • RESPONDER
    Rita
    26.10.2012 às 12:21

    Eeeeeee! que bom que vc amou e esperou que outras pessoas se animem a conhecer a Alemanha que é incrívelllllllll!!!! Tem os arredores na Bavárias com mil passeios, como os Alpes e o “castelo da cinderela” (ou de outra “princesa”, não me lembro ao certo hahaha), mas não tive tempo =( Beijaoooo prima!

  • RESPONDER
    Anna Beatriz Friedl
    26.10.2012 às 12:57

    Jô,
    O post ficou ótimo! espero que as pessoas se animem a conhecer a Alemanha! Se eu soubesse qu eia falar sobre lá, mandaria umas dicas tb, pq morei em Berlin por 6 meses.
    Ah! Dá uma olhadinha no post, pq tem alguns errinhos, ok?
    E a HB é muito turistão! rs! Nenhum alemão mesmo vai lá ;) fica a dica!
    bjs!

    • RESPONDER
      Carla
      26.10.2012 às 14:09

      Anna, vc tá mais que convidada a fazer um post com dicas da Alemanha!! Vamos??

    • RESPONDER
      Carla
      26.10.2012 às 14:26

      Ahhh, e Anna…Se não for pedir muito, dá uma olhada nos errinhos! Corrigi alguns, mas outros podem ter me escapado! Beijos! :)

  • RESPONDER
    Rita
    26.10.2012 às 15:38

    Meninas, tradicional no sentido de histórico.. e realmente o é (muito conhecida como sendo a frequentada por Hitler)…. Foram dicas de uma amiga que mora lá há 3 anos e que mora com um alemão, por isso achei que eram válidas… fora que eu adorei a HB! Sorry pelos erros, também gostaria de saber quais são… Carla, quais foram os erros? beijos meninas!

    • RESPONDER
      Carla
      26.10.2012 às 15:44

      Rita, o que eu vi foi besteirinha, erro de quem digitou rápido! :)

  • RESPONDER
    Rita
    26.10.2012 às 16:37

    Atah entendi… fiquei escrevendo até 3h da manhã, pq tinha prometido pra Jo… deve ter sido isso então… quanto a “erros de dicas”, acho que quem quiser pode dar uma complementada, mas eu AMEI a HB e fora os alemães que já moram lá e não precisam de dicas, se for turista indo conhecer a cidade acho IMPERDÍVEL! bjs

  • RESPONDER
    Camila
    26.10.2012 às 19:26

    Gente, é Museumsinsel (ilha dos Museus e nao praca) e é Autobahn! Beijos

  • RESPONDER
    Stephanie Klaes
    19.01.2014 às 14:55

    Oi Joana, lembra de mim?? Estudei com você acho que por quase todos os anos…rsrsrs
    Achei o seu site sem querer, e adorei, Parabéns!!
    Estou programando uma viagem para a Alemanha e penso em ir de carro de Munique até Berlim, você tem dicas de cidades que posso conhecer no caminho?

    beijos

    • RESPONDER
      Joana
      19.01.2014 às 23:55

      Claro que lembro!!!
      Que mundo pequeno, vou achar o link do post que tio João fez pro blog com a viagem da rota romântica pra te mandar! Muito legal mesmo.
      Vou achar amanha e te mando!!!!!
      Grande beijo!!!!!

  • RESPONDER
    Elie Boukai
    10.05.2014 às 6:20

    Estou programando uma viagem em julho 2014 para Munich e Berlim .
    Qual seria a melhor opçao para ir de Munich a Berlim, Trem ou aviao?
    De trem parece que leva 8 horas enquanto de aviao apenas 1 hora e 15 minutos.
    O que vale mais a pena?

    Elie Boukai

  • RESPONDER
    Marcio
    11.09.2014 às 1:52

    Nossa, antes de mais nada, MUITO OBRIGADO!!!!! em nome de todos os viajantes e desbravadores de sites e blogs, seu relato tá completao e detalhadissimo!!!!
    Só pra complementar, quantos dias voce ficou em cada uma das duas cidades (achou pouco? muito? ideal? recomendaria menos/mais dias ou apenas repetir seus points? rss

    Mais uma vez, obrigadissimo desde já!!!!!

    Marcio Urubaka,

  • RESPONDER
    Sílvia
    20.07.2015 às 11:09

    Olá! Conheci o seu blog por acaso procurando dicas sobre a Oktoberfest. Adorei o post! Obrigada pelas dicas. Gostaria de saber se é mais tranquilo ir no dia de semana, não tenho reserva e quero entrar numa tenda pois soube que só servem quem está sentado à mesa. Irei numa quinta-feira e estava planejando chegar por lá por volta de meio-dia. Você acha que é viável? Help! Não conheço ninguém que more/morou por lá e só terei 2 diazinhos em Munique, então não quero surpresas desagradáveis.
    Muito obrigada!
    Sílvia Almeida

  • RESPONDER
    Júlio
    23.11.2015 às 15:24

    Oi Joana
    Aguei os seu comentários muito úteis e interessantes.
    Estou programando uma viagem de Munique a Berlim e gostaria de saber quantos dias você ficou em cada uma das duas cidades e qual seria o tempo ideal.
    Lendo as conversas do seu Blog, alguém perguntou sobre esta mesma viagem e você ficou de enviar um link (do tio João). Seria possível me enviar também.
    Estou pretendendo fazer esta viagem de trem e gostaria de saber a sua opinião sobre dormir em uma cidade entre Munique e Berlim, se seria uma boa opção e caso positivo, qual seria essa cidade.
    Abs
    Júlio

  • Deixe uma resposta