55 em Comportamento/ Experiência/ Reflexões/ Variadas (f)utilidades no dia 21.06.2012

SAC: E quando o juiz dá razão para o lado que cometeu o erro?

As cias aéreas fazem parte de uma categoria de empresas muito delicadas, assim como empresas de telefonia celular. Elas não precisam fazer esforço para lesar o consumidor, basta um mínimo deslize. Desde janeiro que eu queria fazer dois momentos “SAC” aqui no (f)uti, mas deixei tudo para a hora certa. O momento do primeiro desabafo chegou e, infelizmente, o juiz deu razão para o lado errado.

Quem lê o blog há algum tempo sabe que eu passei minhas férias em uma viagem Las VegasDisney. Eu passei por DOIS PROBLEMAS completamente diferentes com duas cias aéreas do mesmo grupo. Portanto eu fui lesada de duas maneiras diferentes e resolvi, pela primeira vez na vida, fazer jus aos meus direitos de consumidora.

Quis fazer tudo certinho: Procurei uma advogada séria, entrei com dois processos, fui à julgamento e recebi a sentença de um deles. Agora sim me sinto apta a falar do assunto aqui no blog. Pelo menos desse primeiro, que envolve mais ainda nosso universo de mulheres modernas.

Contextualizando: Eu fui passar 5 dias em Las Vegas e 3 dias na Disney com um dia em trânsito de voôs. Essa foi minha viagem de férias super planejada (com mais de 6 meses de antecedência). Quem me conhece sabe que eu sempre planejo meus looks antes de botá-los na mala e só quem faz isso também sabe o quebra cabeças que é esse planejamento. Viajei com 5 “looks noite” e 5 “looks dia” para Vegas, 3 looks para a Disney e 2 looks extras. Minha mala foi muito pensada do início ao fim.

Por descuido, esqueci de colocar minhas peças mais “caras e amadas” no saco de vácuo que minha mãe tem, ele ajuda a economizar espaço e protege mais as roupas (confesso que eu nunca havia pensado nisso até o ocorrido).

Eu embarquei no Galeão em um dia de chuva e, por ironia, não “plastifiquei” a minha mala, coisa que venho fazendo há alguns anos. Entreguei minha mala SEQUINHA para a equipe da United no check in e fomos esperar. No portão de embarque, o Galeão e suas goteiras molharam diversos passageiros (é, esse é o aeroporto da Copa…). Na hora eu não fiz nenhuma foto, só achei um absurdo mesmo. Eu só não sabia quantos problemas aquele absurdo iria me trazer.

O voo foi Rio-SP (+/- 1 hora), SP-Washington (mais de 9 horas) e Washington-Las Vegas (aproximadamente 6 horas) com pelo menos uma hora de espera entre cada voo. Pois bem, mais de 18 horas depois de entregar minha mala SECA no Rio eu busquei minha mala geladinha em Las Vegas. Até aí, como era inverno, não suspeitei de NADA, ou seja, não fiz “report” de nada pois não tinha nada para reclamar até então.

Qundo chegamos ao hotel, percebemos que a mala do meu namorado estava úmida. Eu (romântica) continuei sem suspeitar de nada. Porém, quando fui organizar minhas coisas e abri a minha mala (apenas úmida por fora) me deparei com TODAS, T-O-D-A-S as peças encharcadas, nada mais estava passado. TUDO estava 100% MOLHADO.

Eu – super nervosa – peguei todas as peças e as espalhei pelo quarto, joguei a calefação lá no alto e o quarto lindo de hotel 5 estrelas virou uma FAVELINHA, digna de uma Veneza afundada (eu estava no Venetian).

Na hora eu não tinha nem um casaco seco, só uma muda de camiseta e roupa íntima que sempre levo na mala de mão. Tomei banho, usei esse kit SOS e fui para o shopping do hotel comprar um casaco.

Separei 4 peças que não tinham jeito de tão molhadas (e manchadas!) para lavar na lavanderia do hotel. Eram essas minhas duas camisas de seda da Ateen, uma camiseta NUNCA USADA da Le Lis Blanc e uma blusinha velha e amada da Zara. As quatro estavam manchadas e disformes.

Ainda no primeiro dia eu dormi com todas as roupas secando espalhadas pelo quarto. Só no segundo dia eu tive como guardar minhas roupas mais secas e amassadinhas no armário.

Durante o dia, o hotel deixou 3 mensagens na minha secretária e eu, por estar passeando, não vi. Quando cheguei encontrei a nota de mais de 40 dólares de lavagem com o recado triste dizendo que 3 das peças não haviam como ser recuperadas, eles lavaram mas as manchas ficaram. Só restou minha camisa azul da Ateen, no mais, tudo se foi. Posso recapitular? Eu perdi uma camisa de seda da Ateen, uma camiseta nova da Le Lis e uma blusinha velha da Zara.

Eu fiz foto disso, guardei tudo do jeito que estava e trouxe para o Brasil. Relatei tudo isso para a advogada e ela preparou uma ação super explicadinha, com fotos das peças e os valores médios das roupas, com a nota da lavanderia do hotel e outros detalhes. Na ação não mencionamos o casaco que comprei pois foi um item de luxo, que mesmo na liquidação não seria um item de primeira necessidade.

Eu fiz TUDO CORRETO, fui honesta nos mínimos detalhes e pedi uma indenização pelas peças e pelos danos morais. Afinal, essa brincadeira além de me deixar SUPER CHATEADA, me fez perder o primeiro dia em função de pequenas compras. Vale lembrar  que todos os looks estavam contados e os itens de banheiro estavam na mala. Honestamente foi uma maneira horrível de começar as férias, eu demorei um dia inteiro para relaxar novamente.

Sexta-feira passada saiu a sentença. O resultado? Perdemos! Eles alegaram que eu poderia ter molhado minhas coisas sozinha, manchado minhas roupas de outra maneira e como não fiz um report no aeroporto não poderia provar. Minha palavras, fotos, comprovantes não valeram de nada.

Na minha cabeça não fecha um juiz acreditar que eu queria enriquecer em cima da cia (mesmo imaginando que muita gente deve fazer isso!). Eu fui lesada, reclamei e perdi.

Ok, faz parte perder, mas eu me sinto mal pois sei que passei por tudo isso sem precisar, por descuido com a minha mala.

Ainda sim não me arrependo de ter feito tudo isso e entrado na justiça. Eu, como consumidora, estava me sentido tão lesada que ficar calada seria simplesmente impossível.

Mesmo não tendo ganho esta ação eu acredito que se nós entrarmos na justiça e reclamarmos estaremos nos defendendo mais. Aos poucos as empresas terão de “vacilar” menos, afinal os clientes terão mais voz.

Eu não sei se quem molhou minha mala (esqueceu ela na chuva, provavelmente) foi um funcionário da United ou do Galeão, mas a partir do momento que me dão o ticket no check in, quem é responsável pela minha mala é a empresa. Caberia a ela questionar a estrutura do aeroporto, que naquele dia tinha muitas goteiras.

Ainda sim, é bem improvável que uma goteira tenha feito o que fez. Parece mesmo que ou ela foi esquecida na chuva ou passou um dilúvio dentro dela. Afinal, não tinha UMA peça seca.

Honestamente espero contar com um resultado diferente na minha outra ação, que está com a sentença “atrasada”.

Desculpem pelo texto longo, mas acho que as coisas só irão mudar com muitas e muitas reclamações. Que seja no telefone, nas redes sociais ou onde for.

É isso gente, obrigada pela atenção nesse monólogo.

Antes que vocês comentem, a advogada me avisou que eu tinha muitas chances de perder por não ter feito um report no aeroporto. Mesmo assim, ainda tinha esperança de que pudéssemos ganhar. Outro detalhe relevante é que eles ofereceram cobrir o dano material na audiência, eram quase R$500, pois arredondamos os preços. Eu não aceitei pois o pior de tudo não foi perder 3 peças, foi passar por todo o stress que eu passei.

Espero ver o brasileiro reclamar seus direitos mais e mais!

Beijos

Obs: A United além de quebrar guitarras molha malas.
Obs2: O caso das guitarras virou um case de marketing nos Estados Unidos.
Obs3: Não quero ganhar NADA com esse post, esperei tudo ter acabado justamente por isso. Só quero dividir o que eu passei, o que eu fiz e o que aconteceu. É só um desabafo.
 

 

[Update: Eu entendi que o erro foi meu de não ter feito o report. Eu sei que o juiz julgou o que ele poderia julgar, sem a prova oficial. Ouvi diferentes opiniões de advogados e entendo a linha que o juiz seguiu. Eu não disse que ele ERROU eu disse que ele acabou julgando a favor do lado errado, dado que toda a história que contei aqui é verdade. Se eu não podia provar (com o report) ele não me deu razão. A lição que fica é guardarmos provas SEMPRE, de quebra também sugiro a proteção da mala.]

Gostou? Você pode gostar também desses!

55 Comentários

  • RESPONDER
    Nathalia T. :: Coisas que Amamos
    21.06.2012 às 17:22

    Jô,
    Sei bem como é isso. Quando fui pra Europa ano passado minha mala sumiu e só apareceu 3 dias depois. A do meu namo, só apareceu 5 dias depois. Um absurdo. A viagem que programamos para comemorar nosso aniversário de namoro, começou no supermercado comprando desodorante e meia calça. Ninguém merece. Realmente é uma chatiação e um desgaste que as empresas poderiam evitar. Eu também processei, e vou processar sempre que achar que a empresa está errada. Felizmente eu ganhei, mas sei que em muitos casos isso não acontece. Seu post foi ótimo para me deixar alerta. Na próxima viagem, vou colocar um plástico na parte de dentro da mala pra evitar que isso aconteça.

    Beijos

    • RESPONDER
      Joana
      21.06.2012 às 17:34

      Nath,
      Você vez um report? Ou eles entregam algum papel afirmando que estão com a sua bagagem?
      Se um dia acontecer comigo quero reunir provas.
      Beijos

  • RESPONDER
    Thamires Vasconcelos
    21.06.2012 às 17:27

    Nossa Jô, que pesadelo isso que aconteceu com você. Acho um ABSURDO as empresas aéreas, ou qualquer empresa de serviços, não assumir suas responsabilidades, abusam de seu poder, e o consumidor que se lasque, com o perdão da expressão. Já passei por uma situação super chata com um banco, que foi parar na justiça e até agora não deu em nada, pois o banco tenta recorrer de todas as formas possíveis, e encobrir a sua culpa. Concordo com você, mesmo que nós não ganhemos em todas as causas, devemos ir para a justiça sim, temos que mostrar que os consumidores tem voz, e exigir respeito, afinal de contas somos nós que geramos lucro para tais empresas.

    Espero que na sua segunda ação as coisas sejam positivas!
    Beijos

  • RESPONDER
    Nathalia T. :: Coisas que Amamos
    21.06.2012 às 17:43

    Na hora que a mala não chega você tem que dar queixa.
    Fiz isso no aeroporto mesmo e eles se comprometeram a entregar a minha mala no meu hotel no dia seguinte, o que não aconteceu. Eles entregaram 3 e 5 dias depois no hotel e pagaram nossas despesas com roupas, itens de banheiros e itens pessoais.

    • RESPONDER
      Joana
      21.06.2012 às 17:54

      Perfeito Nath!
      Mas deveriam rolar danos morais, pois você passa sim por problemas com isso.
      Beijos

  • RESPONDER
    Tati Canto
    21.06.2012 às 17:50

    Jô, adorei o post! Vc está certíssima em correr atrás dos seus direitos!!! Achei um absurdo vc não ganhar essa ação, posso imaginar seu estresse, que loucura!!! Mas é isso, não podemos desistir de reclamar nossos direitos nunca!!! Que seu caso sirva de exemplo para muitas outras pessoas que passam por isso e acabam não fazendo nada a respeito! Sorte com a sua ação que ainda está rolando!!! Dedinhos cruzados por vc! ;-)
    Bjs, Tati

    • RESPONDER
      Joana
      21.06.2012 às 17:53

      Obrigada Tati!
      Conto pra você assim que minha sentença sair.
      Beijos

  • RESPONDER
    B.
    21.06.2012 às 18:03

    Jô, entendo completamente a sua situação e sua raiva no momento; perder roupas e tempo da viagem pra tentar reverter minimamente uma situação que não é sua culpa é realmente um saco.

    Agora acho só que você não pode afirmar que um juíz decidiu certo ou errado, afinal ele decide de acordo com os fatos que foram apresentados pra ele pelas partes. E não é por que você é uma pessoa que age de boa-fé que ninguém mais vá propor este tipo de ação agindo de forma mal intencionada, tem gente até que cria acidentes intencionalmente pra poder se beneficiar p.e. de seguros etc… Cada maluco com sua maluquice. Claro que você – e ninguém – devem ser penalizados pela maluquice alheia, mas o que pode ter acontecido é que você não conseguiu apresentar fatos suficientes pra demonstrar o que realmente aconteceu.

    Não me lembro, mas se você fez algum post aqui na época relatando o ocorrido, ou se você mandou um email pra alguém na época – tipo: acabou de chegar em Vegas e mandou um email pra sei lá quem pra dizer o que aconteceu com sua mala, ou que tenha apenas mencionado o ocorrido – acho que é algo que vale anexar se você for recorrer da decisão.

    Acho totalmente válido o apelo pra que ninguém deixe de reclamar quando se sentir lesada como consumidora! Temos direitos e devemos correr pra garanti-los.

    Bom, e de agora em diante: só viajo com minhas roupas ensacadas!

    • RESPONDER
      Joana
      21.06.2012 às 18:15

      Bruna,
      Eu não fiz esse post para ser dona da verdade, mas sigo falando para as pessoas a minha volta que conhecem a minha ética que o juiz decidiu errado. EU PASSEI POR TUDO ISSO, exatamente desta forma, só perdi por não ter um report. Para ter este eu teria que destruir ainda mais o incio da minha viagem. Eu nem sabia que eu podia relatar isso em algum lugar. Eu perdi por essa prova estar faltando, eu sou uma pessoa de bem e faço minhas coisas corretamente. Meu erro foi ter tentado prezar o que dava do dia da viagem e não voltar para o aeroporto.

      Eu falei no mesmo dia no facebook, todo mundo me mandou entrar na justiça e tudo mais. Na mesma hora.
      O problema é que sem o REPORT qualquer juiz poderia decidir o que ele fez.

      Já passou, mas achei um absurdo enorme.

      Eu indico aqueles sacos de vácuo tb. Para colocar as coisas na mala sem ar. Eles protegem MUITO.

      Obrigada pela dica.

      Beijos

  • RESPONDER
    Gabriela Ganem
    21.06.2012 às 19:24

    Um absurdo!
    Dá pra processar o juíz?? Hahaha…
    Eu já passei muito perrengue (cof, Vivo, cof, Santander) e nunca fiz nada, além de reclamar com as próprias empresas por telefone e twitter! Mas se arruinarem as minhas férias, me segura…
    Beijosss e to torcendo pela justiça no segundo processo! :)
    Gabi

    • RESPONDER
      Joana
      21.06.2012 às 19:55

      Eu até então tb só tinha batido boca Gabi! ;)
      Brincou com as minhas férias ai ferrou né?
      A gente sabe o quanto trabalha. :)

      Obrigada pela torcida.

  • RESPONDER
    Lele
    21.06.2012 às 19:33

    Jô querida!!!

    por uma questão de natureza da minha profissão fiquei curiosa pelo seu post e vim logo conferir….hehehe
    Como advogada e acima disso, como consumidora e conhecedora dos meus direitos, compartilho da sua indignação e mesmo não obtendo êxito em um de seus processos, fico feliz por ver que vc lutou pelos seus direitos e não se arrepende disso! Não devemos abarrotar o poder judiciário e vulgarizar nossos direitos, mas todos devem procurar conhecer melhor seus direitos e lutar por eles, pois como vc msm disse com mta propriedade, somente reclamando e persistindo teremos empresas prestadoras de serviço mais eficientes, que respeitam seus clientes e os valorizam!A união faz a força!!!Não podemos abaixar a cabeça!!!
    Boa sorte no outro processo!

    bjo grande!

    • RESPONDER
      Joana
      21.06.2012 às 19:56

      É fogo lele!
      Torce mesmo pra dar tudo certo! :)
      Adorei seu comentário, pode abrir mais o verbo por aqui.
      Beijão

  • RESPONDER
    Marggah
    21.06.2012 às 20:07

    Jô, você está certíssima de tê-los processado. É um absurdo inacreditável o que ocorreu com você. Reclamar dá trabalho e muitas vezes, devido ao histórico de impunidade vigente neste país, acabamos desistindo e “deixando para lá”. Porém o correto é não se conformar, é lutar pelo que está correto. Detesto brigar e mesmo assim escrevo para reclamar quando sou mal atendida ou algum serviço é mal feito. Temos que fazer isso mesmo. Lamento muitíssimo o que lhe ocorreu e espero que a próxima viagem seja perfeita! Beijos

  • RESPONDER
    Letícia CM
    21.06.2012 às 20:54

    Comenta aí!

  • RESPONDER
    Paula Quintal
    21.06.2012 às 21:02

    Nossa Jo, to passada com essa situação… Lido com isso, é mto revoltante quando temos todo o direito do mundo e ele não é “reconhecido”… De toda forma, acho que está certissima e o brasileiro em geral tem mesmo que correr mais atras de seus direitos, acho que aceitamos todo com muita conformidade, como se nada fosse mudar… Mas muda!
    Espero que isso nunca mais aconteça pq viajamos não para ter problemas e sim desfrutar momentos de prazer e descontração.
    Adoro seu blog!
    Bjos

    • RESPONDER
      Joana
      21.06.2012 às 21:29

      Paula,
      Você disse tudo, aqui a gente aceita tudo com muita comodidade.
      Fico indignada e não quero mais ser uma cidadã comodista.
      Beijos

  • RESPONDER
    Fernanda Bruno
    22.06.2012 às 1:07

    Nossa Jo, que situação chatérrima. Trabalhei em Juizado Especial e fui estagiária na Defensoria Pública e coisas do tipo eram diárias. Já vi médico com kit de bisturis furtados da mala, empresa aérea oferecendo 20 reais por quilo de bagagem e várias coisas o tipo. De fato da hora que vc entrega a mala até receber de volta, a responsabilidade é do aeroporto e da empresa aérea solidariamente… Vem cá, o processo já acabou ou essa foi a sentença ( primeira instância)?Não cabe recurso? Pq to achando tão esquisito o que o juiz disse, pq o ônus da prova é da empresa, não seu. Ela que tinha que provar que não molhou sua mala. Claro que tem que existir o minimo do que nós chamamos de “fumaça do bom direito”, que é algum indício de o que o que vc está falando é verdade, mas isso tem pelo fato de vc ter viajado pela empresa, essas coisas…Vc entrou no Juizado Especial ou na Vara Cível mesmo? Pq pelo que eu vejo os juízes costumam condenar, mas dão indenizações muito simplórias. Eles andam com muito medo da chamada indústria do dano moral, o que não é de todo criticável, pq tem gente demais querendo processar até quem pisou no pé, mas com isso acabam prejudicando aqueles que de fato têm razão. Se vc entrar no site do TJ vai ver o ranking das empresas mais acionadas no mês e pode ver que elas se repetem a cada mês só alterando o lugar no podium. É cômodo, pq a cada 10 consumidores lesados, um reclama, pq justiça leva tempo, é dia de trabalho perdido, tempo de juntar documento e tudo mais…Nem todo mundo pode chegar e pedir pro chefe pra faltar pra ficar indo no Jec, essas coisas.Eles sabem disso e montam em cima!Sem contar que já está no cálculo do valor do produto uma parcela que as empresas destinam mensalmente pro jurídico, ou seja: vale mais a pena te lesar e se defender contra o 1 que entrar, do que ser honesto. Quando estava na faculdade achava o Código de Defesa do Consumidor irreal, tão vantajoso pro consumidor que era uma sacanagem com o comerciante brasileiro…Depois que comecei a trabalhar, que eu vi as surrealidades que as empresas fazem, percebei o quão necessário é. Mas ó Jô, tem mais Deus pra dar que o diabo pra tomar! Sei que e chato, mas conta como uma perda entre mil ganhos da vida. Não dá pra ganhar todas, nem quando temos razão. Bjão

    • RESPONDER
      Joana
      22.06.2012 às 9:34

      Fernanda,
      Essa foi a sentença, eu entrei no juizado especial.
      Eu também estou pensando nisso, não dá para ganhar todas, só acho conceitualmente errado.
      Não escrevi o texto pq não ganhei dinheiro eu o faria de qq maneira para incentivar a galera a correr atrás, o lance que me incomoda é ter perdido estando certa, minha moral fica incomodada com isso. Sem falar que desanima, a gente passa a olhar o lado meio vazio do copo com o judiciário, parece mesmo que a coisa ta feia por aqui.

      Obrigada pelo comentário.

      Beijos

  • RESPONDER
    Elisa
    22.06.2012 às 1:52

    Jo,

    Vcê nao mencionou se a sua advogada irá recorrer da sentença. Voce deveria recorrer, mesmo sem o report isso é caso clássico de indenizaçao. Falo por experiencia, sou advogada e trabalhei alguns anos com uma tia que é juíza, da Turma Recursal dos Juizados Especiais e há chances de sua sentença ser revertida.

    • RESPONDER
      Joana
      22.06.2012 às 9:30

      A gente não pretende recorrer não, vou falar com ela de qualquer maneira.
      Quem sabe é um caminho, não queria muito dinheiro, queria desculpas, reconhecimento do erro e danos morais (mesmo que simbólico) para eles tomarem cuidado com o que é do consumidor.

      Obrigada Elisa!

  • RESPONDER
    Narjara
    22.06.2012 às 8:32

    Achei tão interessante o juiz presumir que o consumidor está de má-fé!!! É melhor rir para não chorar.
    Sou assessora de promotor e sempre digo para todos que conheço: Faça tudo para não precisar entrar na Justiça, porque você tem 50% de chance de perder ou ganhar. Cada juiz tem sua opinião e tenha certeza que a maioria deles… deixa pra lá.
    Boa sorte!

    • RESPONDER
      Joana
      22.06.2012 às 9:27

      Também achei.
      Definitivamente eu achava que por juízes ganharem bem eles faziam tudo da forma mais honesta possível, pelo visto isso não é de todo verdadeiro. :(
      Obrigada :)

  • RESPONDER
    Ju
    22.06.2012 às 9:02

    Joana,

    sou advogada e há essa mística de que o juiz decide de acordo com os fatos que são apresentados a ele no processo Na teoria, muito bonito, mas, na prática, a história é outra.

    Isso é apenas uma desculpa para “despachar” casos “menos importantes” que abarrotam as cortes nacionais, pelo simples fato de que as empresas, assim como os políticos, corruptos e as demais pessoas que “comandam” o país, contam com a impunidade para continuarem a fazer aquilo que fazem de melhor: enganar os trouxas, aka, consumidores, contribuintes, cidadãos de bem.Lembre-se de que a única lei que realmente funciona nesse país é a “de Gerson” a “do jeitinho”.

    Em minha trajetória profissional, não vi uma única pessoa que tivesse “razão” ganhar um processo, principalmente nos juizados especiais onde questões do dia a dia são discutidas. O fato é que pessoas honestas não sabem como agir desonestamente e esperam que os outros ajam tão honestamente quanto elas. Contudo, no Brasil, os desonestos levam a melhor.

    Correr atrás dos seus direitos??? Muito válido, necessário e importante, mas, sinceramente, de pouco resultado prático. Parta sempre do pressuposto q se algo der errado, vc será apontada como a pessoa q não fez o q deveria ter sido feito. Afinal, nesse mundo “dos espertos” e onde ninguém respeita ninguém, cada um que cuide “do seu”.

    Logo, proteja suas malas, suas contas, seus eletrodomésticos, enfim, seus pertences, pegue nota de tudo, tire cópia de tudo, aja sempre com desconfiança, porque, infelizmente, esse é o país no qual vivemos, e o Judiciário, infelizmente, não cumpre o seu papel como deveria. A “lei” e a “justiça”, no Brasil, é para os pouquíssimos que podem pagar “por fora”. Não conte com a boa vontade, honestidade ou na ilusão de serviços de SAC funcionam e q eles “prezam” pelo relacionamento com o consumidor. Essa gente gosta, e muito, é de dinheiro.Os juízes também gostam muito de dinheiro.

    Há juízes honestos, éticos, competentes, comprometidos com a “Justiça”? Há. Mas, eles são uma minoria. Não conte com o Judiciário para fazer com que você tenha seus direitos preservados. Proteja-se de todas as formas contra possíveis aborrecimentos.

    Boa sorte na sua próxima viagem!

    • RESPONDER
      Joana
      22.06.2012 às 9:29

      Ju, seu comentário é duro, mas infelizmente faz todo o sentido.
      Eu vou ficar mto atenta em me proteger daqui para frente.
      Obrigada

    • RESPONDER
      Fernanda Bruno
      22.06.2012 às 19:24

      Falou tudo Ju!Também sou advogada e concordo com todas as vírgulas que vc disse. Já desanimei várias vezes e pensei: “que diabos estou fazend aqui”! É dolorido ter que viver com desconfiança, me tornei uma pesoa mais dura depois que comecei a atuar… Triste. bjão

      “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.”
      Rui Barbosa

    • RESPONDER
      Fernanda Bruno
      22.06.2012 às 19:26

      obs:os erros de portuga é que escrevi correndo em pé, hehehe

  • RESPONDER
    Loli
    22.06.2012 às 10:46

    A primeira coisa que devemos fazer quando acontece uma situação desse tipo é conseguir provas para uma eventual ação judicial. Isto porque acontece muito sim gente que quer lucrar em cima de empresas, inventando danos que não aconteceram, ou que até aconteceram mas de uma intensidade muito menor. Em um dos casos mais recentes, um cidadão teve a camisa rasgada porque ela enganchou dentro do ônibus. Entrou com ação pedindo R$ 1.000 de danos materiais, segundo ele este seria o preço da camisa. Me economiza, né?

    • RESPONDER
      Joana
      22.06.2012 às 12:00

      Que coisa…
      O povo não gosta de trabalhar não né?
      Beijos

  • RESPONDER
    Lyanna
    22.06.2012 às 11:29

    Jô seu processo tramitou tão rápido e acredite isso é até bom, apesar do julgamento improcedente.
    Não dá pra falar muita coisa a respeito do caso concreto, sem ler o processo e sem analisar as provas produzidas.
    Lendo o seu relato acredito que, infelizmente, o seu grande erro foi não ter feito a prova imediata logo que pegou a mala.
    Mas imagino que a empresa aérea contestou sua inicial e deve ter alegado preliminares, na sua réplica deveria ter pedido inversão do ônus da prova, direito básico do consumidor.
    Enfim, de longe e sem saber tudo o que foi dito e produzido no processo, minha opinião é mera especulação.
    Lembro tb do caso do atraso e espero que vc tenha sucesso nesse processo.
    Tive um professor (juiz federal) que na opinião dele dormir em aeroporto não é dano moral, por aí vc pode concluir tudo o que pode acontecer num julgamento de processo.
    Não é fácil.

    • RESPONDER
      Joana
      22.06.2012 às 11:59

      Ly,
      Quando eu peguei a mala, mais de 17 horas depois do Rio não estava molhada, ela estava gelada, o que podia ser do ar condicionado da aeronave. Por fora ela secou, só descobri o caos no hotel, o certo seria eu voltar com tudo pro aeroporto e ver como fazer um relato, mas isso seria perder mais ainda um dos meus dias de férias. Complicada essa escolha.

      Nossa, eu acho que perder um dia de viagem paga é um super dano moral, ainda mais que as companhias claramente fazem sempre o melhor pra ela. Ô raça que não tá nem ai para o consumidor. :(

      Não é fácil, mas ser lesado e ficar quieto me parece pior que tentar neh?

      Depois posso te mandar as coisas se quiser ver.
      Beijos

  • RESPONDER
    Ana Carolina - Vila Trendy
    22.06.2012 às 14:10

    Jô, que pesadelo! Porém, parabéns por correr atrás dos seus direitos e pelo post desabafo! Bjs e boa sorte no outro processo!

  • RESPONDER
    Vivi Fernandez
    22.06.2012 às 15:20

    Jô, sei como vc se sente. Dá uma raiva, né? A sentença nao foi favorável, mas acho que vc deve recorrer. Foi JEC, né? Infelizmente, os juizes sao cada vez mais loucos e, o pior, 90% das sentenças são feitas pelos juizes leigos e os juizes togados nem leem, so assinam! Enfim, boa sorte! Meu namorado acabou de ganhar quase 5 mil da Delta! No JEC da Barra. Vê se pode!!!! Boa sorte! Beijoss

    • RESPONDER
      Joana
      23.06.2012 às 19:41

      Dizem que o JEC do Catete é bem complicado.
      Ainda sim vamos esperar a outra ação…
      Que envolveu um acontecimento bem estranho, que conto depois.
      Beijos

  • RESPONDER
    Heloisa
    22.06.2012 às 15:49

    Otimo post , espero tambem que todos busquem seus direitos eu sempre acabo deixando passar, mas nAo vou mais fazer isso! Espero que tenha mais sorte no outro problema!

  • RESPONDER
    Leila Figueiredo
    22.06.2012 às 16:10

    Jo, boa sorte com sua proxima acao, ja fiquei 24h sem minha mala em uma conexao de Paris para Istambul, e mais um monte de outras situacoes, acabei nao reclamando de nada para evitar mais perda de tempo e chateacao, e muito dificil conseguir reclamar, perde-se tempo e tanta apurrinhacao, parece que as coisas sao assim so para desistirmos mesmo.
    bju, Leila

    • RESPONDER
      Joana
      23.06.2012 às 19:40

      Eu não voltei para fazer o report para não me estressar ainda mais, para evitar chateação!
      Eu errei, na próxima vou reclamar mesmo!
      Temos que ser consumidoras mais safas! :)

  • RESPONDER
    Nívea
    22.06.2012 às 19:41

    Nunca passei uma situação dessas.Mas já tive que entrar com uma ação contra o meu banco,por um golpe eletrônico que sofri.Esperei um bom tempo,mas ganhei a causa,mas o mais importante pra mim não foi a grana e sim provar que a falha na segurança foi culpa deles e não minha!Então,se você está com a razão,corra atrás,sempre!

  • RESPONDER
    Mariana
    22.06.2012 às 20:48

    Em 2008, fui passar férias com meu irmão no Canadá e minha mala extraviou no trecho Montreal-Toronto. O problema é que eu tinha chegado no aeroporto com 3 horas de antecedência e como meu vôo estava com overbooking, o pessoal da Air Canada nos pediram para adiantar o nosso vôo para desafogar o outro. Aceitamos, mas, a minha mala ficou!

    Só fui receber a bendita 3 dias depois, mas foi bem estressante pq era inverno, a temperatura estava 16 graus negativos e eu precisava das minhas roupas quentes que estavam na mala. Aí precisei gastar e comprar algumas para poder passar os dias e não destruir as férias completamente.

    A “sorte” é que sou advogada e tratei de documentar TUDO. Fiz um report no aeroporto no balcão da Air Canada e no atendimento do aeroporto, guardei todas as notinhas fiscais, anotei protocolo de chamadas telefônicas, tirei fotos da mala quando ela retornou e quando voltei ao Brasil, entrei com o processo no JEC do Catete. Consegui de volta o dinheiro da passagem e o dinheiro gasto com roupas, artigos de higiene, etc com juros e correção monetária, além de danos morais pq o frio era alucinante e eu estava sem minhas roupas.

    Depois desse episódio passei a ser bem mais “neurótica”. Eu já levava uma muda de roupa e roupa intima na mala de mão, além das coisas caras (bolsas, eletrônicos, etc), mas agora costumo viajar com duas malas despachadas e divido os looks entre elas. Assim, se uma sumir, pelo menos tenho a outra.

    • RESPONDER
      Joana
      23.06.2012 às 19:38

      Mariana também entrei com os JECs no Catete.
      Vamos ver no que vai dar a segunda ação.
      O que aconteceu com você foi um absurdo e você fez muito bem de reclamar.
      :)

  • RESPONDER
    Juliana
    23.06.2012 às 11:16

    Pq o juiz deveria acreditar em vc? Ele te conhece?

    Sua advogada pode ser séria como for, mas existe uma regra: quem alega tem que provar.

    Vc deveria fazer disso não um chororô, mas um alerta para suas leitoras ficarem atentas em como se deve agir, por exemplo, conferir NA HORA a mala, vc mesma reconhece que várias vezes deixou passar indícios do q estava acontecendo.

    Os europeus e norte-americanos tem muito a nos ensinar sobre como se comportar como consumidor: sendo absolutamente exigente e conferindo tudo.

    Ao invés de se lastimar e culpar o juiz (que está adstrito aos autos e a lei e não age como bem entende) vc deveria exortar suas leitoras a ficarem atentas e juntarem provas efetivas de qqr prejuízo.

    O problema é vc ficar relatando suas comprar rycas e perder o foco doproblema. Blasé.

    • RESPONDER
      Joana
      23.06.2012 às 19:37

      Juliana,
      O post não é um chororo, ele é um relato do quanto me senti lesada. Só isso.
      Ninguém é obrigada a ler, concordar ou qualquer coisa do tipo.

      Eu estou de acordo que não provei portanto o juiz não errou na sua sentença, eu aleguei que ele julgou a favor do lado errado. O que são coisas diferentes. Tudo que contei é verdade então por fim, por falta de provas ele seguiu a favor do lado errado. Só isso.

      Quanto ao relato das minhas compras eu não entendi, não relatei nada. Apenas comentei que meu casaco não entraria nas perdas materiais, só isso. Achei essa parte do seu comentário bem equivocada.

      O foco do problema no caso era o meu desabafo, só isso.
      De qualquer maneira obrigada pela sua participação.

    • RESPONDER
      Carol
      28.06.2012 às 14:02

      Cruzes… Que feio!
      Sem necessidade tanta falta de educação.
      Mas enfim: se vc está “blasé”, je suis très fatiguée de gente como você.
      Jô: vc é uma fofa!

  • RESPONDER
    Carol
    23.06.2012 às 21:32

    Infelizmente esse juiz esqueceu de duas coisinhas básicas:
    1) Inversão do ônus da prova
    2) risco do negócio
    Desculpe perguntar, mas foi aqui no Rio, em um Juizado Especial Cível?
    Como profissinal, só tenho a lamentar coisas assim…
    Mas vc agiu certo!
    Bjs,

    Carol

    • RESPONDER
      Joana
      24.06.2012 às 3:26

      Carol,
      Foi JEC sim, no Catete.
      Eu super acho que as duas coisas não foram levadas em conta, mas na proxima documento tudo.
      Tomara que não haja proxima.
      :)

  • RESPONDER
    Paula
    24.06.2012 às 15:02

    Olá Joana

    comigo aconteceu algo semelhante, porém mais comum que é demora de entrega da mala. No meu caso foi num voo RioxParis e a Air France ficou com as minhas malas por 10 dias e quando foram e entregues estavam danificadas. Na hora nem percebi, pois era dia 31 de dezembro e já estavamos de saida para uma festa. Bom, segundo a Air France eu poderia comprar até 2.000 euros em vestuário e itens de higiene pessoal e assim o fiz. Ah tambem como nao tinha voos de Paris para Stuttgart devido a nevasca acabei indo de trem. No final mandei todos os comprovantes de compras e tickets do trem e t-u-d-o foi ressarcido direitinho sem a necessidade de ir ao tribunal. Achei digna a posicao da Air France. Fui boba em nao ter ido comprar na Hermès hehehe.
    Mas a vida é assim, um dia a gente ganha no outro a gente perde. Fica chateada nao. Algumas empresas prezam mais o capital do que a imagem que passam ao consumidor.

  • RESPONDER
    Lari
    24.06.2012 às 22:55

    Jô, que absurdo o que aconteceu com você! Estou em choque. Mas, vim aqui te parabenizar pela sua atitude. Temos que lutar pelos nossos direitos mesmo! O juíz deu a sentença a favor da empresa? ok, pelo menos você tentou. Estou na torcida do outro julgamento, viu? Boa sorte! Beijos

  • RESPONDER
    Juliana
    26.06.2012 às 14:44

    Jô, o meu caso foi um pouco diferente… mas tb envolvendo companhia aérea. Fui pra Ny com minha irmã, em 2006, e na volta fiquei mais 2 dias lá por causa de overbooking. A companhia era a Delta. Foi uma situação horrorosa, uma falta de respeito sem tamanho. E ainda, pra conseguir voltar aceitei fazer um pinga pinga (meu vôo era Ny-SP, e virou NY – Dallas – Dallas – Santiago – SAntiago – SP). E o voucher que eles me deram só consegui trocar depois de uma semana no Brasil, e com intervenção da minha agente de turismo. Enfim, falei que nunca mais voltava pros EUA, mas hj já considero, ainda mais pq tenho filhotes q vão querer conhecer a Disney…kkkk. Entrei com ação por Danos Morais (sou formada em Direito, e meu marido tb advoga), mais para incomodar, mas acabei ganhando uma indenização bem boa. Lavei a alma. Espero que com essas indenizações eles pensem duas vezes antes de sacanear outras pessoas.

    • RESPONDER
      Paula Bacher
      27.06.2012 às 12:28

      Nossa estas conexoes infinitas me lembrou minha ultima viagem para NY. Nao tinha conexao do Texas para NY entao pegamos um voo até Philadelphia e depois um onibus, isso mesmo, busao até NY. Sofrimento total. Mas meu voo era de bodypass (preco para funcionario da empresa, no caso um amigo meu e so embarca depois que todo mundo entra, se nao tiver lugar, espera o proximo voo) Mas tbm pode dar a sorte, por exemplo, viajei de primeira classe RJ-NY pq nao tinha mais lugar na economica hahaha

  • RESPONDER
    Monica
    29.06.2012 às 12:03

    Jo, sei como é, fui FURTADA pela TAM num voo Londres-SP-Rio em outubro de 2010. A TAM não me deu atenção no desembarque! Dei queixa de furto na delegacia do GIG, dei queixa na ANAC e entrei com processo, ganhei, mas eles recorreram e ainda está rolando… parece q tive falta de sorte na vara de execução que cai. E infelizmente isso continua acontecendo. Várias pessoas continuam sendo furtadas.
    Uma vez no voo Rio-Goiania a trabalho a GOL quebrou as alças da mala da minha amiga e da minha. Reclamamos na hora no aeroporto e eles foram no hotel buscar, consertaram e levaram de volta. Isso porque criamos um auê, falamos que iríamos à polícia dar queixa etc. Também já tive mala encharcada – a vantagem que foi no retorno Floripa-Rio (chovia muito) e assim q cheguei em casa tirei todo conteúdo sem estrago.

    É horrível mesmo ser lesada e temos todo o direito de reclamar. Atitute corretíssima! E, como você é uma pessoa que tem um espaço para divulgar, tem mesmo que alertar as pessoas porque todos nós estamos sujeitos a isso! A dica do saco a vácuo é ótima! Vou procurar para próxima viagem.

    Divirta-se e aproveite muuuuiiito Paris. Bjo

  • RESPONDER
    Mi
    12.08.2012 às 5:57

    Eu concordo com tudo que vc falou sobre a companhia, um absurdo realmente.
    Mas perder um dia de férias em Las Vegas por conta disso é demais!
    Vc da muito valor a coisas matériais…

    • RESPONDER
      Carla
      13.08.2012 às 8:31

      Não sou a Jo mas fiquei com vontade de opinar. Vc jura que reclamar seus direitos por ter perdido um dia de férias é dar valor à coisas materiais? Não foi só um dia de férias que se perdeu, foi um dia de hotel, um dia de ingressos já comprados, enfim, vai muito além. Eu, pelo menos, sempre esquematizo minha viagem toda antes de chegar no destino, tenho tudo praticamente cronometrado. Graças a Deus nunca aconteceu de perder um dia de férias, mas caso isso acontecesse, não ia ser só um dia perdido, isso é fato.

  • RESPONDER
    antonio jose de Souza nascimento
    15.10.2015 às 23:34

    FIS um consorcio carta de credito ofertei lance de 21234.00,carta era de quarenta mil secenta reais.pedi pr abater nas72,parcelas que ficou inicial 474,contaria constatou erro de cauculo era pr ficar 367.53.hoje pago 532,00.banco admitil erro..mesmo assim juiz julgou improcedente. Tudo isso no acre fui lesado cento poucos reais um absurdo!

  • Deixe uma resposta