3 em Colaboradores no dia 15.08.2010

Especial: Domingo com Colaborador

Mais um domingo com um textinho de colaborador! Esperamos que vocês gostem!

Passando a felicidade no débito

Oi galera, primeiro de tudo na coluna de hoje, gostaria de informar que estou mergulhado na sabedoria da santidade, o Dalai Lama… então estejam preparadas para um post bem profundo! (risos.)

Primeiro de tudo, estou de volta à minha amada e linda Fortaleza. O Rio de Janeiro foi uma cidade que ficou enraizada em mim e me inspirou muito, então essa semana comecei a ler o livro a “Arte da Felicidade” para realmente me ajudar a avaliar todo o período que eu estive fora de Fortal, e refletir sobre tudo que eu conquistei e fiz durante meu estágio de Jornalismo no Rio de Janeiro. Nisso, vi que estou vivendo minha vida no débito e estou muito feliz… hahahaha … Falei que ia ser profundo, mas deixa eu explicar.

Em determinadas passagens do livro, o Dalai Lama descreve a felicidade genuína e duradoura, como algo que embora não seja fácil de alcançar, é algo que se pode REALIZAR. E mais importante de tudo, o estado de espírito de felicidade seria algo que poderíamos realizar a partir do condicionamento da nossa mente… Lembrando que essa é a visão budista da coisa, agora vem a visão @lucas_pin da coisa…

Se todos os filósofos do mundo sempre se perguntaram qual o sentido da vida – e morreram loucos tentando saber – pra mim o sentido da vida sempre foi tentar ser feliz, e buscar a felicidade. E nessa busca, o modo como você treina seu espírito, ou coordena sua mente, é o que mais importa.

Durante umas pesquisas que fiz, vi sobre um teste feito na Universidade de Frankfurt para medir as reações das pessoas que se condicionam a ser felizes… by the way, achei uma viagem!! Ok, o que eles fizeram foi: colocaram dois grupos de estudos em salas diferentes, em um deles um humorista fez uma incrível apresentação de stand-up comedy (o que achei #tenso, um alemão humorista… #sentalaclaudia), e para o outro grupo, foi exibido reportagens pesadas de guerra e violência. Na saída dos dois grupos apareceu um pedinte – mendigo mesmo – e uma mulher que teria acabado de deixar cair a bolsa e seus livros. Resultado final: o grupo 1 (do humorista), teve 89% de ajudantes para as pessoas que precisavam, e no grupo 2 (os bombardeados pelas notícias negativas) 3%.

O que concluí disso? Pessoas felizes tendem a fazer coisas boas, viverem bem, serem mais bem sucedidas e incrivelmente mais solidárias, ou seja, ser feliz faz bem (que novidade…)!!! E lembrando que elas praticamente foram INDUZIDAS a isso. Ou seja, a felicidade é apenas fruto do modo como se encara as situações do dia-a-dia.

Querem outro exemplo? Um bem próximo da realidade do Rio de Janeiro, para vocês leitoras cariocas… Quando vocês estão presos num engarrafamento siniiiiiiistro, e a sua faixa começa a andar, se uma outra pessoa pedir passagem na sua frente você vai dar preferência ou vai pensar “ahh, se eu esperei, esse aí que fique na fila…”??? Creio que a segunda opção acaba sendo irresistível, vamos ser sinceros. Meu conselho pra vocês seria:  ligue o som, cante e dance no seu carro, leia, faça alguma coisa para esquecer que você está preso ali, jogue vídeo game, Sudoku… Faça algo, seu dia será bem melhor se você sair dessas situações feliz! Treine sua mente a ser feliz, depois de um tempo será um mecanismo automático, como eu sei que é para mim.

Voltando ao viver no débito… Eu percebi nesse tempo no #Rio que você pode levar sua vida no crédito ou no débito. No crédito, você só vai pagar em leves e suaves prestações no fim da sua vida… Parece um bom negócio né, mas é mesmo?!

Eu prefiro trabalhar muito e ter como pagar no débito… Pois depois eu posso aproveitar bastante a vida, e me condicionar a uma felicidade duradoura e verdadeira. Pagando agora, com o fruto do meu trabalho, como foram esses maravilhosos 35 dias no Canal Futura trabalhando que nem um louco e condenado. Eu sei que terei a experiência, maturidade e credibilidade para, no futuro, quando eu realmente puder dar o devido valor às minhas conquistas, eu ter como aproveitar a minha vida… Lembrando que esse é meu ponto de vista que só queria compartilhar com vocês…

hahaha desculpa aí se esse post foi meio “freudiano” demais, mas de vez em quando tenho essas epifanias.
Enfim, beijo para todos e boa semana.
#fikadika!

Gostou? Você pode gostar também desses!

3 Comentários

  • RESPONDER
    Bel
    15.08.2010 às 20:24

    A coluna que mais curti sua, sério! Concordo com vc pessoas felizes e de bom coração vivem melhor independente de quanto elas têm no bolso.

  • RESPONDER
    Saundra
    16.08.2010 às 8:40

    Thank you for this interesting blog, even though it did take quite a long time to finish reading. (English is not my first tongue) May I ask where you got your sources from? Thanks! Saundra

  • Deixe uma resposta