Browsing Tag

viagem

2 em Autoconhecimento/ Comportamento/ Convidadas/ Reflexões no dia 21.08.2017

Sobre viver histórias

A cena aconteceu em Nova York, onde passei uns dias entre trabalho e férias. No Upper East Side, que foi minha casa por uma semana, na estação do metrô da 72st, um metrô bem novo e moderno com uns murais feitos de mosaico.

Uma certa manhã, enquanto descia a escada rolante, vi uma senhora tirando fotos dos mosaicos com sua câmera compacta. Eu, que já gosto de registrar tudo que vejo, fiz um foto com meu celular, mas vendo a cena não consegui ir embora e continuei observando.

A senhora sorriu pra mim e começamos a conversar (coisa que pra mim não é difícil rsrs). Me contou que se chamava Peggy Thompson, tinha 86 anos, que era de outra cidade mas estava fazendo turismo em NY, sua cidade favorita. Me apaixonei na hora pela Sra. Peggy e continuamos conversando. Foi aí que ela me contou mais um pouco sobre si. Me disse: “tenho câncer de mama e estou de férias da quimioterapia esta semana. Amo viajar e aproveitei pra vir aqui porque não sei se essa é a última viagem da minha vida.” Nessa hora a garganta entalou e os olhos marejaram.

Contei que era fotógrafa e pedi licença para fotografá-la. Ela também fez o meu “book” e ficamos ali, fotografando uma a outra. Depois que a sessão mútua terminou, falamos mais um pouco da vida e nos despedimos.

Fui embora emocionada. Por ela, por este encontro e porque realmente esse é o sentido da minha vida de viajante. Viver, conhecer gente, contar historias.

A senhora Peggy não é somente alguém que eu conversei por 15 minutos, ela virou uma pessoa que eu vou lembrar para sempre, nesses dias em que eu perambulava pelas ruas de Manhattan sentindo que o mundo me pertencia. Ela também é desses seres mágicos que te fazem ver a vida com poesia até o último segundo e que você agradece a oportunidade de cruzar com esse tipo de pessoa. Tomara que possamos viver uma vida plena curtindo tudo que ela nos oferece porque um dia acaba.

1 em Autoconhecimento no dia 08.08.2017

Qual situação você viveria se pudesse voltar no tempo?

Qual situação, momento ou circunstância da sua vida você reviveria se pudesse voltar no tempo?

Essa não é uma pergunta visando te lembrar daquela situação em que você gostaria de ter feito algo de diferente, estou falando daquela cena que você gostaria de reviver com os mínimos detalhes. Aquela que na hora você curtiu, mas se soubesse o quanto era única teria prestado mais atenção para memorizar a decoração, o retrato da parede ou o cenário da janela, tudo pra não te deixar escapar da sensação ainda guardada no peito. Uma situação que pode ter sido banal pra outra pessoa, mas pra você foi única e você jamais imaginou a singularidade do momento.

A vantagem que vejo em saber que algo está acontecendo pela última vez é ter a chance de guardar consigo o máximo de detalhes daquela situação memorável, literalmente. Em viagens isso acontece mais facilmente, afinal você consegue ter a consciência de que naquele momento, naquela idade, naquele ano e com aquelas companhias, aquele episódio não vai se repetir. Acho que os lugares onde mais realizei a sensação de última vez foram o Japão e São Francisco. Me lembro de sentir que vários momentos não iriam acontecer de novo. Me lembro de dizer pra Aline olhando a baía de Odaiba que eu sabia que provavelmente não pisaria em Tóquio novamente. Foi assim com o Lucas na Califórnia também. Eu sabia que jamais viveria aquele lugar daquela forma de novo. Decorei o cheiro, o abraço, a saudade e o sorriso. Talvez por ter tido plena consciência da finitude daqueles momentos eu não me preocuparia em revive-los. Eu não gastaria meu “ticket” de uma viagem tipo “de volta pro futuro” para essas situações, eu as vivi da forma mais plena.

Em Odaiba (Toquio) com Aline em 2004

Toquio 2004

São Francisco 2014

São Franciso <3

Para reviver “tudo por completo novamente” escolheria aquelas situações que foram DESPRETENSIOSAS e incríveis ao mesmo tempo, em que vivi naturalmente a felicidade plena, sem saber que aquele momento significaria tanto depois, que ele não voltaria. Por isso é muito mais fácil fazer isso com viagens do que com romances, por exemplo.

Quem nunca viveu o melhor encontro da sua vida sem saber que ele seria único? As vezes a pessoa te decepciona e você até volta a sair com ela, mas nunca mais é com a inocência e a fluidez da primeira vez.

Hoje eu tento olhar tudo com um aprendizado que levo comigo: só existe o hoje. Não levo ao pé da letra com desculpa para ser leviana, mas entendo que só o hoje é garantido e por isso busco viver ao máximo cada fase da minha vida valorizando todo momento feliz. Hoje um encontro inesquecível, o melhor sexo da minha vida com aquele cara que virou meu mundo ou um passeio com minha mãe no jardim de Giverny não seria vivido sem essa sensação de DAR TODO O VALOR ao momento, ao presente, a cada fase que não volta mais.

Agora eu quero ter discernimento para viver tudo plenamente, com consciência da finitude de tudo, de cada fase de cada relação. Seja aproveitar cada momento da nova paixão arrebatadora sabendo que independente do desfecho essa etapa não voltará mais ou curtir a fase solteira da melhor amiga que está tão presente ao meu lado em todos os momentos. Hoje eu fico alerta para poder registrar muitos detalhes na minha memória, pra que assim eu ainda tenha muita história pra jamais esquecer, muita experiência pra agradecer.

Mykonos e o fim dos meus melhores dias

Se eu soubesse que certos dias não voltariam mais eu teria me dedicado com afinco para guardar cada coisinha trivial que eu amei viver. Eu sei exatamente para quais momentos eu voltaria e prestaria atenção em cada detalhe, dos dias mais sensacionais aos mais simples. Queria ter guardado mais o olhar do meu cachorro, ter feito um diário de viagem dos dias na Grécia, feito anotações de aprendizados antes dos diários de terapia. Queria não esquecer nenhum detalhe dos dias em que amei muito, daqueles em que fui muito amada, me senti muito amada. Queria ter guardado mais dos cheiros e das músicas (gatilhos que minha memória adora).

Hoje eu me concentro para ter a consciência de todo momento incrível que vivo, agradeço por ele e por alguns segundos busco aqueles detalhes que me verão não querer jamais esquecer. A plena consciência e a gratidão te permitem saber quais momentos vão para o hall de melhores, assim no futuro espero não querer tal ticket para matar a saudade de uma história que um dia vivi, espero ter os detalhes anotados num papel ou guardados na mente, pra construir assim a minha história.

3 em Brasil/ convite/ Destaque/ Viagem no dia 07.08.2017

Yoo2 rio: o hotel mais carioca que eu já vi!

Quase sempre que falo de experiências em hotéis no Rio foco em presentes de aniversário de namoro, casamento ou oportunidades de se dar experiências que valem mais do que qualquer presente. Talvez por isso eu costumo sempre focar em opções mais luxuosas e não necessariamente tão práticas, mas hoje vim fazer algo bem diferente disso. Vim falar de um lugar que pode sim protagonizar uma experiência de presente pra casais, amigas ou pessoas que querem comemorar algo, mas mais do que isso, é uma oportunidade que julgo ter bom custo benefício para qualquer viajante, turista ou entusiasta do Rio de Janeiro. 

curtindo a vista, a piscina e a folga no Yoo2 Rio

O Yoo2 Rio tem uma localização central muito privilegiada, ele fica na Zona Sul, na Praia de Botafogo e tem a vista mais surreal que você pode imaginar. Ele é um camarote vip de frente para o Pão de Açúcar e a enseada de Botafogo, com vista lateral para o Cristo Redentor. O terraço do hotel abrange toda essa vista, com direito a uma piscina maravilhosa e cantinhos muito fofos pra tomar sol ou um drink. Eu já tinha ido almoçar la numa reunião e tinha adorado, gostei mais ainda de conhecer o hotel e a vista. Desde então fiquei com a experiência na cabeça de que era exatamente isso que eu queria fazer: ter uma folga com aquela piscina + a vista dupla (com ambos os pontos turísticos mais desejados do Rio de Janeiro). Dito e feito, foi exatamente isso que eu fiz nesse fim de semana.

Como eu queria ver os dois pontos turísticos no quarto escolhi a categoria “Bossa N’Sugar“, realmente não dava pra ter mais poesia ou Bossa Nova do que naquele quarto, tão descolado e bem decorado. Moderno, um lado carioca fashionista, muito ligado em decoração sabe? Outra vantagem? A banheira. Alias, eu amei o banheiro, queria fazer um igual na “minha casa do futuro”. Tudo com produtos da Granado, biscoito Globo, água de côco e até açaí no room service.

Eu diria que quem quer pegar um sol na piscina degustando um vinho branco e relaxando vai aprovar a experiência. A sensação é que não dava para ter uma vista mais icônica da cidade fora do eixo clichê da praia de Ipanema.

Eu considero a localização do hotel bem central. Não importa se você vai para um sambinha na Pedra do Sal ou jantar no Sushi Leblon. Não faz diferença se você vai na Marina da Glória almoçar no 348 ou no Formidable do Leblon, nem mesmo se o TT Burguer vai ser sua pedida “pós night”. Sem falar que Botafogo hoje é chamada de BotaSoho, afinal é tanto bar e restaurante legal, que ninguém consegue ignorar.

Eu sem dúvida alguma recomendo orçar o hotel, acho que o custo benefício é um dos mais bacanas que tem pela zona sul, principalmente se você levar em conta a vista. Os preços todos foram bem legais, só achei os drinks da piscina (seja no pré baladinha que tem a noite ou na piscina) um pouco mais caros. Nada que não seja uma espécie de padrão no Rio, mas achei que valeu muito a pena. Uma opção fantástica de aproveitar tudo que a cidade tem e estar fazendo turismo enquanto curte uma piscina ou uma música no roooftop. 

biquini estampa Mexicana Marcyn (parte de cima + parte de baixo mix and match)

Coisas que eu fiz na minha folga e recomendo: 

  • ter tempo pra ficar na cama apreciando a vista, jogar conversa fora e filosofar, as janelas são inspiradoras.
  • ter fome no café da manhã (curti o pão de queijo, coisa que no Rio não curto sempre)!
  • tomar um vinho branco na piscina e ter tempo para aproveitá-la.
  • subir pra o terraço de manhã, de tarde e de noite, contemplação é uma necessidade no Yoo2.
  • o buffet de almoço é MUITO bom, com um custo benefício bacana mesmo

Preciso contar pro pessoal do hotel que a piscina me ganhou tanto, mas tanto, que logo logo eu volto lá. Vai ter surra de descanso e de foto nesse rooftop ainda.

na entrada do hotel:
Jaqueta Naf Naf | camisa Zara | short Ateen | bolsa Coach |sapatilha Chanel

Na piscina: biquini Marcyn + jeans Renner

Biquini mix and match da Marcyn: parte de cima + parte de baixo hot pant

Cariocas e viajantes, estudem a possibilidade de experimentar o Yoo2 Rio!

Quem segue o Futi pode ter a certeza de que o hotel ainda vai dar muita pinta pelas nossas redes sociais.

Pra mim a experiência valeu MUITO a pena, mas muito mesmo, é uma excelente maneira de mostrar parte do que tem mais bonito da cidade sem nem pisar fora do hotel e tudo numa localização privilegiada, perto de tudo. :)

Beijos