Browsing Tag

pele

1 em Beleza/ Patrocinador/ pele no dia 09.08.2018

Papo na piscina 2018: sombra, água fresca e protetor solar!

O fim de semana do papo já acabou, mas as experiências vividas com as leitoras ficaram na memória e ainda vão render posts e aprendizados! Mudamos o formato do evento, mas não poderíamos tirar nossa experiência na piscina; então adaptamos nossa pool party para uma manhã de sol para as leitoras que compraram o pacote do papo sobre autoestima. Uma versão diferente do #paponapiscina, atualizada, onde nós e as leitoras embarcamos na ideia de relaxar curtindo o sol num domingo gostoso, livre de julgamentos ou preocupações superficiais. Todas as mulheres com os mais variados estilos, corpos e jeitos estavam lá, na água, conversando e trocando, rindo e tirando fotos. Sem medo de ser feliz.

piscina

piscina-2

piscina

Nós duas não poderíamos estar mais felizes de poder proporcionar uma experiência com dois dos produtos que mais usamos para curtir o verão em 2017: o protetor solar facial Anthelios Airlicium fps 30 e Anthelios XL Protect para o corpo fps 50. Eles foram já tiveram resenha no blog, apareceram dezenas de vezes nos nossos stories e por isso escolhemos esses produtos para estar conosco nessa experiência com as leitoras. Todas elas encontraram em seus quartos um kit com ambos para aproveitarem o sol com o cuidado necessário. Por isso, vamos explicar pra vocês o motivo de gostarmos destas versões do Anthelios.

Para o rosto? Anthelios Airlicium!

airlicium-3
airlicium-2

airlicium-1

Como contei no insta, sou uma pessoa muito criteriosa com protetor solar para o rosto. Quem acompanha minha luta com a acne e oleosidade exagerada da pele, sabe que eu amo protetor solar que consegue controlá-la, impedindo que minha pele fique brilhosa na testa ou com aparência de suja. Não é simples achar produtos que funcionem bem em peles acneicas e o Anthelios Airlicium fps 30 de La Roche-Posay é um dos meus preferidos, o que eu mais uso. Variando apenas no fator de proteção.

Já tem uns dois anos que eu me joguei nos filtros de proteção solar da família Anthelios Airlicium. Alterno entre o FPS 30 sem cor ou o 70 com cor no tom Pele Clara. Como estamos no inverno vim mostrar o fator de proteção solar 30, que foi o primeiro da linha a deixar minha pele sequinha e sem brilho, ele é uma das opções de uso diário que eu tenho. Controla a oleosidade e a umidade da pele, é super leve, tem uma textura gel creme bem fácil de aplicar e ainda seca rápido, mantendo a sensação de pele limpa por até 9 horas.

Eu acho ótimo para quem não dispensa um protetor antes de passar a maquiagem no dia-a-dia e precisa lutar contra uma testa brilhando. Na piscina ou não, eu estou sempre de protetor, muito consciente dos riscos que uma exposição leviana ao sol pode trazer pra mim.

Para o corpo? Anthelios XL Protect!

carla

Um dos lançamentos queridinhos do ano passado foi o produto que escolhemos para proteger os corpos na nossa festa na piscina, afinal, como sempre falamos por aqui não tem corpo certo para curtir o sol, o verão, a praia ou a piscina em qualquer estação, todos os corpos são bem vindos quando o assunto é sol e para isso precisamos falar de fotoproteção! É necessário que falemos mais do que sobre biquinis ou maiôs, quando o assunto é curtir a piscina de forma livre. Se vamos colocar biquini ou maiô e curtir a praia sem medo, é preciso ter um bom protetor como Anthelios XL Protect FPS 50  à mão.

O que falar desse produto? A textura é super leve e com uma sensação de refrescância. Ele não é grudento, hidrata a pele por até 8 horas e é resistente a água, o que no caso do nosso domingo fez todo sentido do mundo. Eu diria que ele é um filtro muito completo, possuindo uma fórmula que une um sistema de filtros de amplo espectro (que previnem os danos dos raios UVB, UVA curto e UVA longo), a um poderoso complexo antioxidante com vitamina E, além da exclusiva Água Termal de La Roche-Posay, ativo consagrado no combate aos radicais livres, e que, devido a sua ação antioxidante, auxilia na prevenção dos sinais do fotoenvelhecimento. Ou seja, não é só um ato de prevenção de câncer de pele, é todo um jeitinho de ter um ato de autocuidado com seu corpo.

No nosso ponto de vista fica mais claro a cada momento que cuidar de si mesma é muito importante e se proteger do sol faz parte disso.  Independente se você tem a pele oleosa ou não. Se você usa biquini ou maiô. Se você prefere praia ou piscina. Na verdade tem tudo a ver com cuidar da sua qualidade de vida!

Com isso termino aqui agradecendo o apoio que a La Roche-Posay deu novamente à nossa celebração na piscina, lembrando também da importância de consultar a dermatologista, afinal cuidar da pele com responsabilidade é uma forma de procurar bem estar considerando o maior órgão do nosso corpo.

Ainda vamos falar dos looks do #paponapiscina, aguardem os próximos posts! :)

1 em Beleza/ pele no dia 07.08.2018

Melasma e algumas das dúvidas mais frequentes!

pele-3

Dentre os assuntos de pele que mais foram pedidos por vocês que lêem o Futi, além da rosácea, o melasma foi super abordado. A Joana tem melasma e controla com ajuda da Dra. Vanessa Metz, que também explicou um pouco sobre o assunto para quem já tem ou quer prevenir a pele das manchas, com por aqui a Jô ainda está ensaiando como vai escrever sobre sua experiência com o melasma, resolvemos tirar algumas dúvidas antes.

pele-2

O melasma é um assunto abrangente, mas de forma resumida, é uma doença crônica geneticamente estipulada, mas não é exatamente hereditária. Não é porque sua mãe tem que você obrigatoriamente vai ter também, mas é sim genética no sentido de que as pessoas que desenvolvem as manchas possuem células que estavam programadas para em algum momento da vida apresentar o melasma”, explicou.

pele-1

A Dra. Vanessa explicou que não apenas os fatores hormonais e o sol, são as únicas formas de apresentar melasma. “Antes, as pessoas acreditavam que o melasma era desencadeado apenas por fatores hormonais como uso de anticoncepcional e a gravidez ou pela exposição ao sol, porém, já se sabe que outros fatores também desencadeiam o melasma, como o stress e mesmo a luz dos eletrônicos e a claridade dos ambientes”, conta.

pele-4

Não, mas tem tratamento e pode regredir. Para cuidar do melasma existem diversas formas e o seu dermatologista vai indicar o que considerar mais eficiente para cada tipo de mancha, no entanto, Vanessa ressaltou que o segredo mesmo, continua sendo a boa e velha prevenção. “Prevenir é fundamental, porque mesmo que você já tenha o melasma, serve para evitar que ele fique mais pigmentado”, explica, afinal ele pode sempre piorar.

O protetor solar segue sendo nosso melhor amigo nessas horas, porém a Dra. Vanessa explicou uma técnica eficaz para proteger a pele duplamente: uma combinação de protetor químicos e físicos com cor!

“O protetor químico é a maioria dos que estão no mercado que são absorvidos pela pele e quando a radiação penetra ocorre justamente uma reação química da UV + creme que faz não deixar que a radiação prejudique a pele. Já o físico não é absorvido ficando sobre a pele evitando a penetração do raio UV. Melhor ainda usar o que tem cor. A cor é importante não apenas para fins estéticos de poder usar como base, mas porque o pigmento faz uma barreira física, que rebate a radiação solar e não permite que penetre na pele. Porém, como uma parte dessa radiação ainda atinge o nosso rosto, o protetor químico deve estar por baixo do físico para o pouco que ainda entrar de radiação, ele combater os efeitos do sol”, diz.

Ainda assim, a Dra. Vanessa explica que não precisamos deixar de frequentar a praia, piscina ou fazer atividades ao ar livre. “Tendo cuidado, o melasma fica sob controle e mesmo que ele pigmente, voltar com a rotina de cuidados da pele e os tratamentos de consultório ajudam a despigmentar com o tempo”.

Acho que esse assunto de melasma vai aparecer mais por aqui, a Joana cuida de forma muito cautelosa do que ela tem, que já regrediu bastante. Ela faz de tudo para previnir uma pigmentação maior, por isso esses cuidados vão ser mais assunto por aqui. Vocês sempre podem mandar suas dúvidas de pele para nós.

1 em Beleza/ pele no dia 26.07.2018

Vamos falar de alguns mitos e verdades sobre Rosácea?

Há algum tempo, a Jô convidou as leitoras do Futi para fazerem perguntas que seriam respondidas pela dermatologista Vanessa Metz, que além de cuidar dos tratamentos da pele dela, também é uma das colaboradoras do Futi com seus textos e vídeos sempre relevantes.

Uma das perguntas que mais surgiram foi sobre rosácea, e a Vanessa ajudou esclarecendo bastante alguns dos mitos e verdades pra gente.

Algumas das dúvidas estão nesse post do insta!

Algumas das dúvidas estão nesse post do insta!

Por que falamos de cuidados com a pele aqui no Futi? Porque além de ser algo que faz parte da vida da Joana e de muitas leitoras aqui, acreditamos que o autocuidado está totalmente ligado à nossa autoestima não apenas como imagem corporal, mas sim porque nos valorizamos como pessoa, e nos cuidamos para promover o nosso bem estar. Manter o corpo saudável é o começo de um olhar amoroso sobre nós. E, se tratando de pele, ainda esbarramos, sim, em questões estéticas também.

duvida

Muito do que vemos de rosácea por aí, mas pouco sabemos que de fato estamos vendo rosácea. Por isso o diagnóstico médico é tão importante. Essa é a conclusão que se tira durante uma breve conversa com ela. Pra começar, Vanessa explica o que é rosácea.

rosácea é uma doença de reatividade vascular como ponto principal. Quando ocorre uma vasodilatação, o sangue fica mais exposto e o rosto fica avermelhado. No entanto não é só vasodilatação que acontece. Já existem estudos que comprovam que a rosácea é uma doença inflamatória, explica.

A necessidade do diagnóstico médico, e não só do que lemos e pesquisamos, é fundamental. Porque a rosácea pode se apresentar de muitas formas e algumas podem se assemelhar à acne (como foi o caso do goleiro Alisson durante a Copa do Mundo).

“Muitas pessoas acreditam que ter rosácea é apenas ficar com a pele mais vermelha e quente quando se bebe vinho, por exemplo. No entanto não é só isso, pois existem vários graus dessa doença, sendo um deles apresentado por bolinhas com ou sem pus bem similares a acne. É um diagnóstico que confunde mesmo, e complica ainda mais com os sinais na pele se tratar com ácido salicílico, enxofre e produtos muito secativos nessa pele como se estivesse tratando acne pois acaba piorando pela reatividade que essa pele rosácea tem. Um bom diagnóstico para esses casos faz com que o médico escolha os melhores princípios para essa pele reativa ou use algum artifício, um creme hidratante, algum produto com efeito antiinflamatório para conseguir aproveitar o produto secativo.”

Um mito a respeito da rosácea, de acordo com a Vanessa,  é que não se pode usar nada para tratamento. Já existem dermocosméticos e produtos específicos para os cuidados com os diversos tipos de rosácea. Além do uso de maquiagem ser permitido. No entanto o fato de que a alimentação pode influenciar o aumento da rosácea, é uma grande verdade.

“Pimenta, bebida alcoólica, corantes, tudo que possa levar a uma vasodilatação pode então intensificar A rosácea. Pra isso é importante consultar uma nutricionista que vai fazer uma lista dos alimentos que não são recomendados. Mas não existe nenhuma dieta da moda ou alimento milagroso pra isso. Essa recomendação não vale apenas para a rosácea, mas também para dermatite atópica, psoríase, tudo que inflama é importante ter esse suporte de cuidado com a alimentação.”

A alteração de temperatura também é outra verdade, que a dermatologista deu algumas dicas para ajudar.

Mudanças climáticas e de temperatura também estão muito associadas. Prevenir é mais difícil, mas água termal pode ajudar em casos de mudanças para o calor, já que refresca a pele. Na neve, é muito comum que as pessoas acreditem que o frio “queimou” a pele, ao se verem avermelhadas  mas pode ser pura e simplesmente manifestação da rosácea, para quem já tem esse diagnóstico. Então o ideal é que se evite a mudança brusca de temperatura, seja para o muito quente ou muito frio, ao menos no rosto. Evitar água muito quente, no caso do frio, pode ajudar.”

Já deu pra ver a importância de um diagnóstico correto não é mesmo? Busque uma dermagtologista de confiança e procure o tratamento ideal para sua pele. Para quem se interessar a Dra. Vanessa Metz atende em Ipanema no Rio de Janeiro, você também pode acompanhar as notícias dela no instagram, para seguir: @dravanessametz.