Browsing Tag

papo sobre autoestima

4 em Autoestima/ Patrocinador no dia 25.07.2017

#picnicdopapo com Bio Extratus: Belo Horizonte & uma imersão profunda que jamais vou esquecer!

Semana passada eu vivi um dos dias mais emocionantes da minha trajetória, da minha carreira, da minha vida e do nosso PAPO SOBRE AUTOESTIMA. Dia 15 de julho aconteceu o #picnicdopapo em Belo Horizonte. Tivemos em São Paulo, Rio de Janeiro, Nova Iorque e Belo Horizonte. No caso de Londres e Curitiba a gente conta, mas não foi piquenique por questões de temperatura/ data mesmo.

A post shared by futilidades (@futilidades) on

A post shared by futilidades (@futilidades) on

Minas Gerais foi o estado QUE MAIS PEDIU um encontro do #paposobreautoestima e assim sendo, superou todas as expectativas e me apresentou o encontro com mais pessoas presentes (por mais tempo) e também o mais longo bate papo feito até aqui. Sentamos as 14:00 e quando vi, o relógio marcava 21:00.

Jamais vou poder agradecer a Bio Extratus que fez a coisa acontecer, comprou minha passagem e montou kits super completos para cada uma das mulheres presentes. Sensacional ver que a marca separou para as meninas EXATAMENTE os produtos que eu uso, falo e gosto. É muita confiança na nossa resenha e no nosso trabalho, é muita confiança na entrega da qualidade do produto. Sem falar que a equipe do marketing digital ficou lá, compartilhou suas histórias e participou ativamente de mais essa experiência ao nosso lado.

Eu confesso que se teve um piquenique que me faria fazer das tripas coração pra acontecer era esse, ô mulherada que engaja com o futi. Sabe aquelas pessoas QUE SEMPRE comentam coisas bacanas sobre seu trabalho? Então, eram ESSAS MULHERES ali, na minha frente. Algumas achavam que a emoção era de batermos todo esse papo profundo juntas, comigo contando minhas histórias que tinham a ver com as delas, mas não foi só isso.

A emoção foi minha. Vocês têm ideia do que é ver todo mundo junto ali? Mulheres que são influenciadoras e divulgam nosso trabalho com todo amor, mulheres que são leitoras do futi há MUITOS anos, gente que eu já tenho no meu face há algum tempo e só falava por inbox. Todas ali, juntas. Em algum momento eu estava olhando para carinhas que vejo sempre perto do futi, gente que fez barulho pra irmos, se fizeram presente ao máximo no dia, e me emocionei.

Eu me entreguei ao máximo, saí energeticamente exausta de tanta troca, mas com o SENTIDO DA MINHA VIDA preenchido.

Nem sempre o piquenique é leve, ele tem momentos de risadas e piadas, ele tem momentos de doenças, tristezas e barras pesadas, mas ele tem tanta empatia, troca e aprendizado profundo, que na hora você nem assimila direito. Não posso dizer que é simples, é uma imersão de autoconhecimento, projeção e troca que mostra o poder desse projeto e do grupo do facebook. Eu sou MUITO grata por dar sentido a minha vida ao lado das minhas amigas, ao lado de gente que tem tanto a me ensinar e propondo um novo olhar pra si mesma.

Um olhar de acolhimento e amorosidade, um olhar de mais consciência sobre tudo e uma proposta forte de autoconhecimento. Só o autoconhecimento permite uma boa autoestima genuína porque ele nos dá a segurança de sermos quem verdadeiramente somos.

Separei alguns depoimentos pra vocês verem a força de tudo isso:

O encontro foi uma das coisas mais incríveis que vivi nos últimos tempos… Foi maravilhoso viver tantas emoções ao mesmo tempo… Me senti acolhida e amada do início ao fim, ali não existiam máscaras apenas mulheres reais dividindo suas dores, suas cicatrizes, suas pequena e grandes vitórias…. Cada palavra, cada abraço me fizeram entender mais uma vez que somos um grupo de amor e empoderamento…. Gratidão é a palavra que define meu 15/07/2017″ por Giovana

“Pra mim, esse projeto fala muito de amor!! Amor ao próximo, amor à vida, mas, principalmente, amor próprio!! É sobre se aceitar… mas não é se aceitar pra ficar estacionado na vida… é se aceitar cultivando gratidão pelo que somos para ganhar impulso e crescer ainda mais… Evoluir de forma verdadeira e plena e não apenas ficar calcado em falsos alicerces criados por nossa sociedade!! O projeto tem me tocado em diversos aspectos e tenho certeza que também tem ajudado muitas outras mulheres!! Esse grupo é uma rede de amor!! por Renata

“Voltei do papo com lágrimas nos olhos. Mas de felicidade.
Fazia tempo que não me sentia assim após um dia longo…estava bem mesmo, tirando todo e qualquer cansaço. Foi uma tarde maravilhosa! É muito bom saber que não estamos sozinhas na nossa cidade, país ou pelo mundo afora.
Obrigada Joana e Carla por nos proporcionar esses encontros e esse espaço para sermos nós mesmas.
Sinto muito amor por todas que estavam lá dividindo esse momento comigo e por todas do grupo, que confiam nesse laço que criamos.
Que ele se fortaleça cada vez mais!”  por Samira 

“Por causa do papo estou aprendendo a viver menos no passado e a não depositar tanta expectativa em outras pessoas. Também estou aprendendo a aproveitar mais o momento, vivendo o hoje sem me preocupar tanto com o futuro em alguns aspectos da vida, me permitindo mais, sem tanta cobrança. É incrível ver como o grupo está mudando não só a minha vida, mas a de várias outras mulheres!” por Melina

“Mais do que tudo, o melhor de ter participado do encontro foi perceber que ali estavam mulheres que na maioria nunca se viram, e se dispuseram a ir e se abrir, se ajudar, sem buscar nada em troca. Numa sociedade em que as mulheres são colocadas na posição de rivais desde crianças, estar lá e presenciar esse momento de empatia e sororidade me deu um quentinho tão bom no coração. Me fez perceber que não estamos sozinhas, que unidas somos mais fortes e assim podemos e vamos superar todas as inseguranças.” por Tatianne

“Presenciar mulheres tão diferentes expondo suas fragilidades, se reconhecendo nas histórias e inseguranças das outras, aplicando na prática o sentimento de empatia, mostrando-se abertas para acolher. Tudo isso e tanto, mas tanto mais, pode resumir o que foi o pic nic de sábado. Foram 40 almas formando uma unidade. O poder feminino é muito mais forte do que qualquer uma de nós pode imaginar, mas juntas tomamos cada vez mais ciência disso. E sim, é apenas o início! ” por Tati Barros

“O picnic do papo foi uma experiência de puro amor. Mulheres lindas, fortes, até em suas fraquezas, empoderadas e corajosas.
Saindo do encontro, fiquei pensando como se despir da nossa aparente perfeição para desconhecidas e mesmo assim se sentir acolhida, cuidada e aceita?  Entendi que isso só poderia vir de pessoas do bem, conectadas com o que há de melhor no universo, de corações abertos, disponíveis e solidárias. Foi lindo de ver a emoção de todas diante de histórias de transformação e superação, de histórias tristes e que ainda não tiveram finais felizes, vi olhos brilhando de alegria e cheios de lágrimas de emoção! Meninas, onde vcs estavam que eu ainda não as tinha conhecido?
Sò faço um pedido pro universo: quero ser amiga dessas meninas pra sempre!!!!” por Margareth

Essas e todas as outras mulheres presentes no nosso maior piquenique até agora foram mesmo incríveis.

Também estamos recebendo vários pedidos vindos de Porto Alegre, Salvador e Recife. Vamos falando com as amigas desses lugares, apresentando o projeto e vendo se já temos turmas e parceiros pra fazer isso acontecer. 

Vamos trocar pra chegarmos ao amor próprio de uma forma nova, possibilitando que sejamos cada dia mais felizes! Porque o extraordinário está mesmo fora da zona de conforto.

Obrigada, vocês mineiras foram SURREAIS e eu poucas vezes nesses 30 anos me senti tão preenchida de VIDA.

Beijos

Obrigada de coração Bio Extratus por me levar pra lá, por me ajudar com tudo e me deixar usar o espaço de vocês para falar sobre isso aqui. É mesmo muito especial ter um patrocinador que acredita no nosso trabalho de uma forma tão livre e singular. Não basta a qualidade do produto, o uso sustentável e ecologicamente responsável da matéria prima, não basta o femismo geral da empresa ou do marketing digital, vocês estão sempre abraçando nossas ideias e nós jamais vamos ter palavras suficientes por todo esse crédito.

Obrigada @mel091286 por ter feito fotos tão gostosas pra nós! <3 Melina foi no Picnic de SP e BH <3
1 em Autoestima/ Beleza/ corpo/ Destaque no dia 11.07.2017

Tatuagem, autoestima e o meu bloqueio…

Semana passada eu fiz um post no grupo do PAPO SOBRE AUTOESTIMA no facebook e foi tão elucidativo que me vi com vontade de escrever sobre isso aqui no blog. Vamos falar de tatuagem e autoestima?

Nesses 7 anos e meio de Futi eu acho que nunca contei pra vocês sobre minha enorme vontade de fazer uma tatuagem. Como assim, Jô? Explico, esse tópico é muito sensível pra mim porque como uma boa libriana tenho dificuldade de escolher em meio à tantas vontades, principalmente se for algo irreversível. No meu caso, isso é um pouco mais complexo pois envolve corpo e autoimagem, que são tão delicados pra quem já teve algum transtorno alimentar, pra quem já distorceu o reflexo por anos no espelho. Em linhas gerais, pessoas com transtornos alimentares supervalorizam a importância do corpo e da imagem, o que pode levar a uma espécie de obsessão na qual a sociedade atual ajuda muito! Provavelmente a mídia, a moda e o padrão “imposto” é que criam essa realidade que gera o problema, mas esse é outro assunto.

E o que isso tem a ver com tatuagem? No meu caso quase tudo. Vou explicar minha mais nova teoria: Acho que nunca tive a coragem de me tatuar por uma espécie de preciosismo, uma mania de coisas perfeitas. No entanto a grande pergunta é: Existe tal coisa chamada perfeição? O perfeito hoje pode não ficar tão perfeito em 20 anos e isso faz parte desse movimento de ter uma “marca” eterna no corpo.

uma das tatuadoras que estou de olho: @luanaxaviertattoo

No ato de refletir sobre o que me deixava inerte, me surpreendi novamente ao ler as respostas das meninas do grupo: a maioria disse que mesmo não achando suas primeiras tatuagens tão bonitas atualmente, os desenhos fazem parte de quem elas são, das suas histórias e da sua autoestima.

Se eu já era exigente comigo no reflexo, imagina desenhar “nesse papel” que passou seus primeiros 28 anos de idade acreditando que precisava ser perfeito aos olhos da sociedade e aos próprios olhos?

Agora aos 30 – quase 31 – começo a achar que muito do que me paralisou até aqui foi o medo de não atender ao meu próprio IDEAL DE PERFEIÇÃO imaginário. Não tenho medo do julgamento externo, mas parece que é preciso acertar 100% internamente e não dá para ter esse controle dado que envolve escolher “a tatuagem”, o tatuador e o lugar do corpo.

Na terapia corporal descobri que a tipologia do meu corpo é bastante conectada ao que acontece nele e bem obcecada com a aparência. Por isso, tenho trabalhado muitas questões diretamente no corpo com o intuito de me livrar desse ideal de perfeição e tenho tido o resultado mais efetivo da minha vida, com calma, com eficácia. Tudo isso fez bastante sentido se levarmos em conta tudo que eu acreditei ser verdade sobre eu mesma por tantos anos.

outra tatuadora que tem feito meu coração bater mais forte: @mabiarealtattoo

Agora eu começo a trazer tal acolhimento e amorosidade pra mim mesma, abraço a coragem de ser imperfeita e por isso, a vontade de fazer essa tatuagem tão simbólica só cresce. Porque mesmo que não seja ideal, vai ter o significado que eu quero, por isso preciso ter um olhar menos rígido e me jogar no feeling de escolher o que eu quero fazer, onde quero fazer e com quem farei (sou 100% alucinada por tatuagens delicadas de traços finos, há anos).

Depois de tudo que ocorreu na minha cabeça, li cada um dos comentários do grupo novamente, descobri coisas novas e importantes pra mim que ajudaram na preparação para a tomada de decisão do desenho, palavra ou frase.

Se antes eu só pensaria em fazer em lugares magros do corpo, hoje não é mais assim. Antes onde tenho dobras e gorduras nunca seria uma opção. Hoje não faz a menor diferença, quero fazer onde me der vontade. É libertador pensar que pode ser em QUALQUER lugar. O que dificulta, porque abriu novamente todo o leque de possibilidades de lugares.

Todas falaram pra pensar no lugar primeiro, imaginar a “coisa” ali e partir para as outras tomadas de decisão. Assim sendo, resolvi que vou seguir o conselho, apesar de ter plena consciência que minha decisão vai acabar sendo meio impulsiva, se não sempre arrumarei motivos para não fazer.

No grupo entendi que pra algumas mulheres tatuagem é apenas sobre um adorno, algo bonito para estar no corpo. Achei incrível, porque jamais me ocorreria isso, pra mim tudo que passa na cabeça provem de significados profundos e importantes pra mim, tem a intenção de marcar uma era, uma virada, uma sensação ou uma situação. Sempre foi isso ou a ideia de me lembrar no corpo de algo que nunca posso esquecer.

Eu, que sempre quis palavra ou frase, ando desejando desenho. Eu que sempre jurei que seria micra e delicada, ando querendo algo maiorzinho. Eu que nunca achei que algo delicado me travava, vi que essa minha minha já antiga mania por um corpo ideal, perfeito em todos os detalhes, me prendeu mais do que eu imaginava. Me limitou mais do que eu acreditava. 

por último, mas não menos lindo, o trabalho da @mariainktattoo

Depois de ler tantas coisas fiquei com a certeza de que o que eu decidir não precisa ser perfeito, precisa ser MEU. Precisa me simbolizar algo bom, me inspirar e me lembrar do que não quero esquecer. Não haverá unanimidade, nem mesmo precisarei olhar com rigidez, só com amorosidade e acolhimento mesmo. Como em tudo que falamos no #paposobreautoestima.

Acredito que pra mim, como muitas, a primeira tatuagem terá uma ligação direta com a minha autoestima. Aliás, acho que todas terão, então espero que essa relação seja positiva de alguma forma, que simbolize essa nova fase de consciência comportamental e corporal, dessa minha nova consciência como unidade. 

Beijos

Jô

Ps: Quem me apresentou essas 3 tatuadoras foi minha amiga @ninaribeiro do Modices.
2 em Autoestima/ Comportamento/ Destaque no dia 30.06.2017

Em julho vamos praticar o #elogiodehoje?

Esse post não é sobre elogios ou sobre a importância de elogiar. Sobre isso eu e Carlinha temos que escrever depois, juntas e com muita calma. Nós acreditamos que esse verbo – “elogiar” – tem um enorme impacto na mudança de vibração das pessoas. Seja pela a procura por aquilo que admiramos em todos os lugares (inclusive na gente) ou por trazer o exercício de um novo olhar mais amoroso, para conosco, para com o outro. No caso, também cremos que a coisa só funciona quando o elogio em questão é sincero e vem de dentro.

Do mesmo jeito que propomos um novo olhar mais acolhedor para o reflexo no espelho ou para nossas questões de comportamento ou trabalho, achamos importante lembrar que “estamos juntas” e isso será muito mais forte e transformador se a gente conseguir aplicar em vários momentos, com várias pessoas. Seja por um elogio automático, um reforço positivo ou um incentivo para aquela pessoa que ao nosso ver precisa e merece aquilo.

Se for verdadeiro, está valendo! :)

Dia 1º de janeiro subimos o site novo do futilidades e oficializamos o #paposobreautoestima. Mudamos quase tudo internamente, desde a linha editorial ao projeto gráfico. Acreditamos que o primeiro dia desse novo ano tinha uma abertura para novos projetos, acreditamos nesse novo ciclo, fizemos tudo para começar com o pé direito.

Lembro que choramos de tanta gratidão no dia 31 de dezembro. Não choramos de tristeza, foi por amor a tudo que vinha acontecendo, amor aos emails/ DMs / mensagens de muitas de vocês e de emoção por nos sentirmos andando em direção a nossa causa, nosso propósito. Muita coisa aconteceu, da festa na piscina aos piqueniques. De eventos em outros estados a outros países. De patrocinador novo abraçando a causa até gente que julga sem saber direito do que se trata. Teve de tudo, mas tudo nos trouxe até EXATAMENTE para esse ponto e por isso somos MUITO gratas. A gratidão abriu muitas portas e janelas. Podemos não ter tantas empresas que compram nossa ideia como marca, mas temos muita gente conosco revolucionando muita coisa com o #paposobreautoestima, isso que vale muito mais. Quem está conosco, está mesmo, sejam marcas ou pessoas. Toda essa turma junta nos deu uma visibilidade muito especial e a cada matéria que escrevem sobre o projeto a gente fica mais feliz.

Estou falando tudo isso pra dizer que hoje se encerra o ciclo de um semestre, o primeiro deles. 6 meses do projeto OFICIALMENTE no ar e TANTA coisa que nunca aconteceu antes nesses 7 anos e meio de blog rolou durante essa metade de 2017. Jamais vamos poder agradecer o suficiente aos envolvidos, jamais mesmo.

 

Por isso vim lançar um desafio pra mim e pra Carla, que no caso vamos gostar se vocês vierem conosco nele!!!! Que tal uma corrente de elogios generalizados durante o mês de julho? Vamos celebrar os 6 meses da mudança no blog com essa brincadeira? Vamos tentar elogiar uma pessoa por dia? Pode ser beleza, competência, comportamento ou o que a gente quiser, só precisa ser genuíno. 

A gente vai fazer isso no instagram do @futilidades diariamente em julho para não deixar você esquecer dessa ideia, dessa corrente de bem. Você não precisa fazer no insta ou usar nossa # hashtag, a proposta é ter esse olhar mais generoso consigo e com os outros diariamente durante o mês de julho. Buscando o que você vê de bom ao seu redor e em você também.

Nós vamos pensar em pessoas, marcas e situações que fazem muita diferença positiva na nossa vida! Acreditamos muito na importância de jogar uma energia boa pro mundo. Para nós deixar claro o que valorizamos e estimamos no outro é tão importante quanto na gente! Vamos fazer disso um mini projetinho de Instagram, dentro do #paposobreautoestima, será bem gostoso!

Vamos conosco nessa? 

Pratique seu #elogiodehoje, elogie sinceramente o que você viu de bom, bonito, eficiente e bacana em alguém! Joga pro universo essa energia positiva de soma, elogie algo que está bonito, um trabalho bem feito ou uma atitude louvável. Sejamos a mudança que queremos ver no mundo, parece besteira, mas quando a gente elogia de coração muita coisa muda!

Acredito piamente que quando a gente desenvolve uma inteligência emocional mais consciente nos concentramos mais no nosso jardim, deixando assim de nos preocupar tanto com a grama do vizinho.  Nessa hora a gente se compara menos e gasta nossa energia plantando no nosso terreno, assim fica mais fácil semear, regar e colher o que desejamos, sem comparações ou melindramentos. Não precisamos competir, não precisamos ter medo de falar de trabalhos bem feitos, nem ficar apreensiva com a beleza de outra pessoa. O sucesso de um não é o fracasso de outro. A beleza de alguém não é a ausência de beleza da outra pessoa.

Vamos criar o hábito de falar para as pessoas o que gostamos nelas? O amor também é contagioso! 

Em julho venha conosco no #ELOGIODEHOJE