Browsing Tag

Moda

2 em Autoestima/ Moda no dia 03.01.2018

Gorda pode usar? Sim! Gorda pode tudo!

Meu primeiro texto como colunista oficial do Futi e não tenho nem palavras para agradecer a oportunidade e o convite da Jô e da Cá para participar desse blog que tenho tanto carinho. Sigo as meninas há anos, sempre me inspirando nas dicas postadas aqui, que com certeza me ajudaram a levantar minha autoestima, se tornando um grande portal de autoconhecimento pra mim. Pretendo sempre trazer pautas de moda plus size, relacionando como ela impacta diretamente em minha autoestima no dia a dia. Eu adoro me vestir bem, brincar com as tendências e valorizar cada cantinho do meu corpo. Quero muito trazer um pouco do que aprendi com minhas curvas para inspirar quem também quer se autoconhecer e se sentir bem consigo mesma na hora de se vestir.

Trago hoje uma pauta que recebo sempre no blog e redes sociais em forma de pergunta: o que gorda pode usar?

Sempre fomos ensinadas que temos que valorizar nosso corpo escondendo o que não gostamos tanto e deixando em evidência as partes que mais curtimos. Porém, quando se trata da moda plus size, todas as dicas desse universo para “valorização do corpo” se pautam em torno de esconder, diminuir visualmente, fechar, tampar. Esses e outros verbos estão presentes em revistas de moda, portais femininos na internet, TV e afins. Somos o tempo todo bombardeadas por tendências que não podemos usar. Comprimento midi? Achata. Cropped? Só pra magra. Listras horizontais? Nem pensar. Roupa justa? Nunca.

Todas essas regras chatas de moda acabam nos limitando, fazendo com que nós, gordas, sempre nos jogássemos no pretinho básico. Com o tempo fui percebendo que valorizar meu corpo vai muito além de aderir ao que a moda me impõe. Tem muito mais a ver com respeitar meu gosto pessoal, meu estilo e minha vontade para determinada ocasião. Foi ai que comecei a reinventar meu guarda-roupa, trazer mais informação de moda em tamanhos plus size para ele e agregar o que eu mais queria desde sempre: estilo próprio.

Não vou dizer que foi uma tarefa fácil. Ainda hoje sinto muita dificuldade em encontrar peças que vistam meu corpo e que não me façam parecer uma senhora de 70 anos. São pouquíssimas lojas físicas ou online que investem em uma moda plus jovem, autêntica e cheia de informação de moda atual. Por isso, procuro valorizar o trabalho feito por essas marcas que buscam inclusão no mercado da moda, assim como eu busco me sentir incluída.

Hoje tenho muito orgulho de sair na rua com braços de fora, com comprimento midi, com cropped, com peças justas ou largas. E se você não gosta de alguma dessas tendências, tudo bem também! Aquela moda limitante e chata pode cair por terra, quando a transformamos em um grande grito de liberdade para quem quer se vestir da forma como quiser, respeitando o estilo pessoal de cada um. Trouxe essa reflexão pra cá pra começar 2018 vendo a relação da moda com nosso corpo de uma forma diferente. Assim conseguiremos construir um ano diferente, com menos limitações e mais liberdade fashion.

0 em Autoestima/ Moda/ Patrocinador no dia 29.11.2017

Lingerie vinho: mais cor, mais festa e mais liberdade!

Desde que lançamos o #paposobreautoestima muita coisa mudou e fizemos uma série de coisas pela primeira vez. Primeiras fotos de roupa de banho, primeira vez de lingerie, primeiras fotos na praia e piscinas publicadas e aos poucos nosso olhar mais amoroso e acolhedor com o nosso corpo como ele é hoje foi se transformando numa forma de nos enxergarmos mais poderosas, completas, interessantes e até mesmo bonitas. Esse não é o único processo de autoaceitação, tampouco é o caminho certo – até porque não existe isso – mas foi a melhor forma que encontramos para encontrarmos nossa liberdade.

Hoje vamos falar de um dos maiores desafios que vivemos nessa fase do Futilidades e da nossa vida profissional, uma primeira vez bem impensada: fotografamos uma campanha de lingerie para a Marcyn, nossa maravilhosa patrocinadora, que acredita no nosso projeto, grupo e propósito de uma forma tão verdadeira e coesa que nos mata de orgulho.

Nesse verão eles vão lançar a campanha MARCYN MAIS (M+) e nós faremos parte disso em vários momentos com esse posicionamento cujo objetivo é mostrar mais cor, mais leveza, mais naturalidade, mais autenticidade (vocês verão muito disso no próximo post), mais conforto, mais alegria e muito mais amor – próprio e compartilhado – nesse verão. Sentimentos maravilhosos para essa época de celebração!

Com a nova campanha da qual fazemos parte, a Marcyn se posiciona para inspirar as mais variadas mulheres de verdade! Agora a comunicação resolveu destacar um trabalho que eles já fazem há muito tempo: criar lingeries para as diversas silhuetas brasileiras.

As nossas fotos irão aparecer aos poucos por aqui e no nosso instagram. Os posts virão de acordo com os lançamentos do site, da loja de São Paulo e dos revendedores por todo Brasil. Portanto, tudo que fotografamos vai virar post. E é claro que vamos dividir tudo isso, afinal foi uma vitória em tantos aspectos que só podemos agradecer a cada uma de vocês que nos apoia.

Hoje falarei das peças na cor vinho, um lançamento que pode não parecer, mas tem tudo a ver com quem vai usar branco no final do ano.

Joana: sutiã + calcinha | Mayara Cardoso: Body

O primeiro lançamento desse final de ano é quase inusitado se vocês pensarem que todas as lojas de lingerie estarão investindo na tríade queridinha das brasileiras: branco, vermelho e amarelo (nos tempos de crise não tem jeito). A primeira entrada dessa leva de Marcyn Mais é da coleção cápsula da cor vinho!

“A proposta? Sumir sob a roupa branca. Aparecendo menos que os tons cor de pele.”

Como assim, Joana? Você está doida?! Não, não estou. Se você é do time que acha que a única cor de lingerie que não marca na roupa branca é a cor da pele, seja ela qual for, está muito enganada. Não vou demonizar aqui nenhum tom de bege (minha cor de lingerie), porque eu adoro, mas se você é do grupo que não gosta ou guarda traumas dos tipos populares na associação com a cor da calcinha de vovó, pode chegar que vou te contar um segredo: lilás e vinho são ótimas escolhas que não costumam marcar em roupa branca. Marcam menos que as tão temidas “cor de pele”.

Foi num bate papo desses que a turma da MARCYN contou pra nós que o intuito de VINHO nesse fim de ano é sair do óbvio e ir com mais cor para os looks brancos da temporada de festas, seja no ano novo ou em qualquer ocasião onde a cor branca vai ser a escolha de roupa.

Sutiã fashion | Sutiã clássico

Achei bacana a cor de vinho porque me pareceu ficar bem em todos os corpos e tons de pele, tem um apelo sexy e chique ao mesmo tempo, além de combinar com vários tons de roupa. Foi um lançamento que no início me deixou com dúvidas, mas ao ver ao vivo me ganhou de vez, principalmente com os modelos que fazem parte dessa linha.

Separei todos os modelos do lançamento para vocês verem.

Body | Sutiã e calcinha hot pant | Top e calcinha renda

Quem for de São Paulo ou frequenta lojas pelo Brasil que revendam Marcyn, pode pedir pra experimentar ao vivo e a cores. Já a galera que prefere ou precisa escolher pelo site, como eu, recomendo olhar a tabela de medidas e todas as experiências que ajudam na verificação de tamanho. De toda forma, pra quem tem medo de comprar online, a política de troca com relação às lojas virtuais é bem bacana, vale lembrar que se você devolver o produto em menos de 7 dias você pode ter seu dinheiro de volta, inclusive. O que funciona para experimentarmos com toda higiene do mundo e trocarmos ou devolvermos quando a compra é online ou por catálogo. Depois que eu acertei meu tamanho, comprar online tem sido mais fácil, cada vez mais fácil. :)

Vou deixar pra falar de como eu acho essa campanha uma grande vitória pra nós no próximo post. Talvez ela seja a coisa menos provável de toda nossa vida de blogueira que nos aconteceu até agora. Nós, que já recebemos proposta fazer publi divulgando campanhas de outras blogueiras, estrelamos uma campanha de lingerie. Logo a gente, que por tantas vezes perdeu trabalhos por ter um corpo considerado inadequado para os cruéis padrões da moda. Quero em algum momento falar sobre isso, mas por enquanto vou começar a celebrar a diversidade de corpos na qual a Marcyn acredita.

3 em Looks/ Moda no dia 27.11.2017

Look da Jô: o meu look mais curtido da vida!

O meu último look postado aqui no blog tinha sido minha produção mais curtida da vida até outro dia, aquela saia é mesmo muito linda, uma riqueza, obra de arte feita a mão. Confesso que quando vi aquele look pronto sabia que ele ia agradar, não sabia que seria tanto, mas tinha noção da aceitação. O que eu não fazia ideia era que esse look que vou postar hoje seria o meu look mais curtido da vida no instagram do @futilidades. Por mais que eu siga completamente apaixonada pelo vestido, fiquei um pouco impressionada com o quanto todo mundo adorou a produção completa.

A post shared by futilidades (@futilidades) on

Comecei o dia acabada e por isso recorri aos talentos da Lu Rech, costumo fazer isso em eventos importantes do blog ou quando sou madrinha de casamento, mas dessa vez quis ir mesmo sendo convidada. Sabia que tinha dormido pouco e tinha feito química no cabelo então não poderia fazer muita coisa nele, então quis lutar contra a cara de cansada na minha maquiadora de sempre. Eu gostei, mas como cabelo estava preso e sem o volume que sempre fazemos não me senti tão eu. Até ali tinha gostado, mas fui amar mesmo quando coloquei o vestido e entendi o quanto tudo combinou.

vestido Adriana Meira | bolsa Louis Vuitton (roubada da minha mãe) | beleza Lu Rech

O vestido em questão foi uma encomenda que eu fiz de “autopresente” no meu aniversário de 31 anos. Já usei duas vezes, mas foi agora que consegui fazer uma boa foto pra postar e compartilhar com vocês. Foi sem sombra de dúvida o meu look que mais fez barulho em todos esses anos de blogueira “de moda”.

Não vou mentir que quando vesti o claro fiquei pensando em uma produção de verão para ocasiões menos chiques, me apaixonei e fiquei na dúvida. Pensando na minha rotina de trabalho e na dificuldade de ter vestidos bonitos de festas que caibam bem em mim, encomendei o preto. Batata, quando vesti notei que ele seria mais chique e incrível do que eu tinha pensado. No caso acho que eu estava certa, afinal foram tantos elogios online e ao vivo que eu fiquei me achando.

Ele foi feito com todo carinho e suas aplicações são uma espécie de arte, a Adriana Meira corta cada pedacinho de tecido com as próprias mãos, tudo é feito assim. Ela poderia fazer quadros, poderia fazer arte em poesia, mas faz isso em formato e roupa e eu me sinto privilegiada de ter conhecido esse trabalho.

Tudo já seria suficientemente feliz pois me senti super linda e amo compartilhar com vocês quando isso acontece, mas foi um pouco melhor do que isso: o vestido leva meu nome e eu não sabia. Sério por essa eu não esperava dona Adriana. ;)

Eu usei o vestido na festa de hallowen do Copacana Palace e no casamento da minha amiga nesse sábado. Ele é pesado e faz uma presença muito legal. Agora ferrou que a galera vai cansar de olhar pra ele afinal, como eu sempre digo, é só lavar que tá pronto para usar mais uma vez.

Espero que vocês gostem dele aqui no blog também!

Beijos