Browsing Tag

Moda

6 em Looks/ Moda no dia 24.04.2017

Musas de estilo: Maraisa Fidelis

Eu sei, faz tempo que eu não faço um post sobre minhas musas de estilo, mas há uma explicação, meio triste na verdade: eu fui parando de procurar inspiração. Essa época do inverno realmente me pegou de jeito e, quando eu vi, eu estava sem vontade de procurar referências e ideias. O motivo? A maioria estava postando roupas que eu tinha certeza que só conseguiria usar meses depois e daí fui perdendo a vontade de me inspirar.

Até que de uns dias pra cá, depois que a temperatura começou a oscilar entre dias super agradáveis e outros nem tanto, eu me peguei salvando looks de uma pessoa bem próxima a mim. E quem é ela? Maraisa Fidelis!

A dona do blog Beleza Interior? tem usado seu instagram (@blzinterior) para postar produções maravilhosos, e alguns em especial realmente têm me inspirado demais. O mais engraçado é que na teoria, nossos corpos são completamente diferentes, ela é muito mais ousada e colorida do que eu, e boa parte do que ela usa tem um elemento bem difícil de ser usado no meu dia a dia atual: salto alto.

Se na teoria somos tão opostas nesse quesito, eu diria que na prática tudo faz sentido para nomeá-la como uma musa de estilo. O motivo? Porque ela me inspira de diversas formas que vão muito além de apenas tirar print de um look e copiá-lo. Vou mostrar alguns exemplos para explicar melhor:

Esse foi um dos últimos looks que ela postou e me inspirou, a começar pelo tricô, que me deu vontade de entrar no site da Farm e comprar um igual AGORA. Depois me apeguei na calça florida, na bolsa de franjas e desejei entrar nessa vibe “70’s sem parecer fantasia” junto com ela. Isso porque faz tempo (pra não dizer que eu não lembro mesmo) que eu não incorporo essa década em algum look meu.

Sabe quando você vê um look e fala “UOU, QUERO USAR IGUAL?”. Foi essa a minha reação quando eu me deparei com esse. Tenho certeza que se eu tivesse todas essas peças, dificilmente pensaria em usá-las juntas. Provavelmente eu combinaria a camiseta com um jeans e a calça verde com uma blusa branca porque eu sou dessas, vocês sabem. E é ótimo ter essas referências mais ousadas com ideias de combinações de cores que fogem da nossa zona de conforto, justamente para sairmos da caixinha sem nos sentirmos completamente perdidas. Ah, e mais uma coisa. Nem tenho usado salto, mas já quero um scarpin desse tom de azul!

Quem acompanha meus looks sabe que vestido para o dia a dia é algo raro. Eu acabo optando por shorts ou calças, mas não nego um vestido larguinho e confortável. A chemise é o tipo de peça que eu acabaria usando solta, até porque eu costumo me sentir muito incomodada com cintos largos que marcam bem a cintura, me sinto presa, esmagada, sei lá. Mas aí vem Maraísa, me postando uma foto dessas e me fazendo morrer de vontade de ter uma chemise preta com um cinto preto largo para fazer a diferença, mesmo eu sabendo que me sinto incomodada com esse acessório. Se isso não é ser musa inspiradora de estilo, nem sei mais o que é.

Acho o máximo quem consegue criar um look esportivo e ainda por cima ficar chic. Eu já tentei algumas vezes, até na época que eu usava salto com mais frequência, mas nunca me achava arrumada o suficiente, sabem? Fiquei com vontade de copiar só para tirar a prova dos 9 e ver se eu consigo ficar elegante assim. Se eu conseguisse passar 1/3 dessa elegância acho que já ficaria feliz.

Porque até na piscina a bicha sabe dar close certo. E não tem nada que eu ache mais chic do que um conjunto de biquini hot pants e camisa branca longa e aberta. Lembro que quando eu vi ela assim no dia da pool party, achei uma deusa, e essa foto reflete bem a plenitude que eu senti! rs

Olha aí um look sem salto que tem tudo a ver comigo! Quando vi esse look eu só conseguia pensar na regata gola alta. Eu acho o máximo para o verão, fica ótima com calças e shorts de cintura alta, sem contar que esse decote fechado no pescoço sempre me cativa. O único problema é que ela é justa demais para os meus padrões de roupas sempre largas, mas até isso eu to pensando em rever, sabia? Queria ter uma regata desse tipo só para ver se eu consigo perder o medo de usar peças mais coladas ao corpo, e a responsável por eu querer vencer uma barreira dessas (que pra mim é gigante) é ela. Musa de estilo, né mores. :)

Toda vez que olho esse look eu vejo uma mulher poderosa. Essa pantacourt levinha e cintura alta e essa regata larguinha na medida com a renda aparecendo parece que nasceram para viverem juntas, e eu fiquei morrendo de vontade de dar mais uma chance às pantacourts. Confesso que essa é uma peça que ainda acho ousada demais para mim, mas aí, quando vejo uma foto dessas, me dá a ideia de que é tão simples que inspira. E eu amo quando isso acontece.

Além de ser musa de estilo, diria que ela também é uma verdadeira musa capilar, por mais que meu cabelo não seja crespo e não tenha uma cor diferente a cada 15 dias. Acho incrível como ela não tem medo de mudar e como ela descobriu nas cores e uma forma de se empoderar, e isso é inspirador pra caramba. E eu, particularmente, adoro notar como mudar a cor não influencia no seu estilo e nas escolhas das roupas.

E é assim que eu diria que Maraísa é uma das minhas musa de estilo, que mesmo sendo tão diferente de mim na altura, na numeração e até mesmo na ousadia, sempre me faz pensar fora do quadrado. :)

5 em casamento/ Comportamento no dia 19.04.2017

Um mini mini wedding diferente, fora do padrão, mas cheio de amor!

Olá, tudo bem meninas? Pra quem não me conhece, sou a Julia do perfil @economoda e sou uma apaixonada – e participante – do amado grupo Papo sobre Autoestima.

Fui convidada hoje por Jô e Carla pra falar do meu casamento pra vocês. Mas porque Econo ( todos me chamam assim rs) falar de casamento no Futi se tem mil blogs por aí que falam disso?

Porque meu casório foi bem fora da média. Já conheceu noiva que casou de Renner? Ou ainda uma Lua de Mel antes do casamento? Casamento com 13 pessoas? Pois bem, essa sou eu e o Sr.Economoda haha.

Mas devo um esclarecimento a vocês. Eu, Econo, nunca sonhei em me casar de branco, vestido bufante, andar até o altar, cornetas e não comer a comida da festa. O que eu curto mesmo do casório são as musicas bregas, bebidas e as comidas de madrugada haha. Isso já me ajudou bastante a diminuir a minha expectativa do que queria pra um casamento – ela poderia se resumir a uma festa de aniversário que amo fazer todo ano haha. E o dinheiro? Esse tava curto! Já comprou um apartamento e reformou? Pois bem, é isso.

Só que não queria deixar passar em branco. Poxa, longos anos de namoro mereciam uma mínima comemoração. Mas aí já começam os percalços. “Ah, vamos fazer um churrasco? Ih, nem como carne. Ah, mas essa lista tá muito grande – e só inclui tios e primos – nem os amigos! Quero buffet de crepe! Não quero restaurante!” Enfim, algumas discussões e bicos depois chegamos ao um consenso: casaríamos no civil e faríamos um almoço pra pais e irmãs (ficou muita gente amada de fora, isso me dói um pouco mas será consertado com almoços, cafés, jantares e por aí vai no nosso novo lar)

Nisso lembramos (fomos lembrados cof cof) que nosso grande amigo e pastor de nossa igreja, Rev. Renato Dumas (@rev.renatodumas) poderia fazer o casamento religioso com efeito civil. E assim, o nosso mini mini micro wedding começou

O lugar escolhido? O salão de festas do prédio. A mesa da cerimônia? “Roubada” daqui de casa. Mas e o almoço? Caramba! Difícil achar buffet pra 13 pessoas! Por uma indicação incrível conhecemos o Dani Malzoni , dono de pratos deliciosos que cuidou da decoração da mesa e tem uma equipe demais de prestativa – e com um preço que conseguimos pagar Comidinhas, fechado!

Pra mim já tava tudo certo, mas aí falei: putz e o vestido? Queria um branquinho… e fuçando na net, achei essa lindeza na internet. Com certeza um refugo de réveillon, pois estava na promo na Renner por R$ 59,90 rs. Comprei sem provar. Quis umas tiarinhas de pedra que encontrei na Forever 21 por R$ 25,90. (parece que tudo estava combinando sem eu nem perceber – ao ver a foto fico apaixonada como ficou rs). A sandália da Mundial por R$ 99,90 foi comprada um dia antes porque me apaixonei por ela ao tomar um café no shopping.

  

Nesse meio tempo nos enrolamos com a papelada no civil, e já tínhamos emitido a passagem e reservado hotel pra Punta Cana (com preços promocionais). O que fizemos? Fomos antes, oras bolas! Tivemos uma semana deliciosa, com muito sol, rum e comidas deliciosas! Foi tudo fora de ordem mesmo. Nenhuma das pessoas próximas conseguia entender a confusão de datas e acontecimentos – nem minha mãe haha!

Mas algo que ouvi de alguma amiga e tomei pra mim foi: a ordem dos fatores não altera o resultado. E realmente, mesmo casada e sem ter mudado pra casa nova – sim, a obra não está pronta haha –  não mudaria nadica!

Continuando. Com o vestido em mãos tudo parecia completo, até que em um jantar nossa amiga – “fotrografa (não do Raça Negra #EntendedoresEntenderão) – sugeriu contratarmos um pacote básico sem album mas ainda assim profissional de fotos, a querida @casalume. Meu namorado/noivo/marido – que é zero de fotos – se interessou e eu fiquei pensando. Poxa, tão pequena a cerimonia, será que precisa? Depois de refletir acabei topando. E hoje o que penso é: OBRIGADA por essa idéia – nenhum celular tira fotos como os profissas rs. Invista nisso, não economize. Eles captaram nossa emoção, nosso carinho, o momento mesmo sabe? (essas fotos são um aperitivo só – afinal, casei dois dias atrás rs)

Nos arrumamos juntos no hotel, e fizemos um ensaio de fotos antes da celebração. E eu entrei com ele na cerimônia. Foi tudo diferente, sem clichês.

Faltando uma semana, a mesma amiga pergunta: E música? Olhei pro meu namorado/noivo/marido, disse “ah sei lá, Ipod? Caixinha de Som?” Novamente a sugestão: porque não falam com a Tatá e o Lelé ( do Badulaque – tocam em nossa igreja também -sim, minha igreja é demais rs ). Olhei novamente pro Sr. Economoda e disse, “ah vamos!” Topamos também. Escolhemos algumas musicas e o resto contamos com o -ótimo – gosto da dupla! [ insta: @badulaqueoficial]

Faltando 3 dias uma amiga que trabalha poupando o tempo das pessoas @likeyourtimebr – job incrível né? – me perguntou se não faltava algo. Ai pensei, putz as florzinhas. Eu e minha mãe vamos ter de montar uma a uma, fazer meu buquê e ainda se arrumar no sábado… Marcela, dá um help? E ela arrumou alguém pra montar os vasinhos e fazer meu buquê por um precinho ótimo.

Pra finalizar, na semana, minha amiga Lili @lilibrownies me mandou alguns brownies de presente para distribuir na cerimônia em substituição ao bem casado e bolo – já que preferi não gastar com isso.

Ah, maquiagem e cabelo? Fiz tudo sozinha gente Amo minhas maquiagens e amo me maquiar, e amei como eu fiquei – tô modesta hein! O cabelo simplesmente sequei com secador e coloquei as faixinhas. Até eu me surpreendi como o conjunto ficou bom e como realmente fiquei com a cara da noiva que eu sempre sonhei! Simples, delicada e repleta de amor!

E essa foi minha cerimônia. Fora de ordem, quebrando protocolos e supreendentemente emocionando a todos que participaram e os que não estavam lá. Nunca tive tantos comentários em minhas fotos do Insta, nem tantos likes quanto tive nessas fotos. Recebi relatos lindos por DM dizendo sentir minha emoção, o amor envolvido e como tudo estava a minha cara. Realmente sinto isso, não fiz nem mais nem menos, fiz o ideal ( ressaltando que faltou gente amada ). Mas faria igual, só com mais gente se tivesse um pouco mais de grana. Casaria no mesmo lugar com o mesmo vestido, no mesmo formato. Cheio do que realmente importa – AMOR.

Escrever tudo isso parece fácil e que foi tranquilo. No entanto, fazer algo que todo mundo não espera e que não faz parte dos padrões, gera muito atrito inclusive com gente muito amada.

Eu, que não tenho a autoestima muito boa, me questionei diversas vezes se estava fazendo tudo errado ou “desperdiçando”  um dia especial. Chorei, me entristeci algumas vezes, pensei que precisaria de um super vestido e uma mega festa pra casar de verdade. No fim, fui firme e segura daquilo que queríamos, sustentei a minha vontade e a dele. Alinhei, ainda que entre duras discussões, o que nós dois queríamos e o que abriríamos mão. Hoje me sinto realizada, feliz, completa e apaixonada. Por mim, por ele, por nós e pelo futuro que nós aguarda. 

-ps1: não adicionei preços de fornecedores porque depende muito do que você quer, quantas pessoas, aonde é, duração etc. Sugiro conversar com todos se você interessar e negociar bons descontos à vista !

-ps2: não quero pregar pra ninguém que casamento pequeno que é bom. Casamento é bom do jeito que VOCÊ e seu companheiro(a) querem. Não façam pelos outros, façam por vocês, pelo o que essa celebração importa para o casal. Se for um casamento pra 2 pessoas, façam. Se for pra 1000 façam também. Mas não se esqueçam nunca do significado desse rito.

2 em Looks/ Moda no dia 19.04.2017

Look da Cá: pernas de fora e um look simbólico

Usei esse look no domingo, quando saímos para celebrar que os termômetros chegaram a – até muito pouco tempo atrás inimagináveis – 27 graus. Ele não tem nada demais, nenhum segredo de styling inovador, nenhum mix de texturas ou estampas interessantes, inclusive na hora de fotografar esqueci a bolsa que estava pendurada no carrinho do Arthur, mas ele é tão simbólico que precisava aparecer por aqui.

Semana passada eu falei sobre como o inverno me pegou de jeito e como eu me senti outra pessoa quando substituí os casacos pesados e roupas térmicas por camisetas de manga curta e jaquetas levinhas. Daí, quando eu vi que a temperatura ia chegar a 28 graus em um dia com muito sol, as minhas expectativas foram lá em cima. Só que na hora de me arrumar pra sair, sabem o que aconteceu? EU TRAVEI.

Sim, surpreendentemente eu tive aquele momento de “não tenho nada pra vestir”, onde experimentei dezenas de looks que foram ficados empilhados em cima da cama à medida que eu não sabia o que mais poderia tirar do armário. Botei um vestido de manga comprida, achei que ia ficar com calor. Botei uma camiseta regata, achei que eu poderia sentir frio (afinal, agora estamos na estação que faz calor de dia e esfria pra caramba à noite). Aí decidi ir de camiseta branca, porque nunca tem erro.

Camiseta Madewell | Short Le Lis Blanc | Sapato Steve Madden | Óculos RayBan | Pulseiras J. Crew e Francesca Romana Diana

>>>>> nos afiliados <<<<<<

 

 

Poderia ter ficado mais interessante? Acho que sim. Esse short tem uma cor versátil pra caramba. Eu quase ia sair de casa com uma blusa do Guns n Roses, mas quando me olhei no espelho, não me senti eu.

Engraçado como recentemente eu estou tendo verdadeiros casos de amor com blusas, camisas  e camisetas brancas (aliás, desde o post da Thassia eu acho). E se eu estou me sentindo segura com elas – e apenas com elas – pra quê eu vou forçar estilos diferentes?

Para fechar, a pulseira escolhida também também foi simbólica. Um pedacinho do Rio de Janeiro para celebrar uma temperatura digna do verão carioca. Isso não foi por acaso mesmo. :)

E essa é a história de um look que pode até não ter nada demais, mas estava me fazendo sentir sensacional.