Browsing Tag

Looks

0 em Autoestima/ Looks/ Moda no dia 15.06.2017

Look da Cá: quando uma blusa poderosa faz toda a diferença

Apesar de eu ser fã número 1 das amadas camisetas podrinhas, recentemente eu entrei em um caso de amor sério com blusas poderosas. Pode ser ombro a ombro, ter uma manga diferentona, decote “ombrinho gelado” ou como no look de hoje, com decote e manga aparecida!

Eu já mostrei parte dessa blusa quando contei que estava encantada com estampa de vichy p&b, e desde então eu não paro de ver esse tipo de xadrez em tudo que é loja. E mesmo tentada a comprar outras peças da mesma estampa, eu tenho certeza que já encontrei a blusa que eu queria.

Adoro usar com calça preta skinny, em um look mais noite e mais elegantezinho, daí outro dia fui tentar com short jeans e não é que eu gostei? Aproveitei para registrar exatamente o mesmo look que eu tinha usado outro dia com a Adriana Carolina, na sessão que fizemos na Rough Trade, uma loja de discos com espaço para shows e até mesmo um café aqui em Williamsburg, super linda e vale a visita para quem estiver pensando em dar um pulinho por essas bandas! <3

>>>> nos afiliados <<<<<

Enquanto eu escolhia esse look para levar para a sessão, confesso que testei com um sapato de salto fino e ficou IN-CRÍ-VEL. Modéstia à parte, era o tipo de look que eu daria pin no Pinterest, eu fiquei me achando, me senti linda e tudo o mais. Só que aí eu parei para pensar se eu realmente queria fotografar um look que eu de fato não teria como usar por aqui. Acho legal ter fotos com produções diferentes, mais aspiracionais, mas eu realmente não estava no clima para isso.

Acho que ter levado o Arthur para a sessão ajudou nessa sensação de querer fazer algo mais a ver com o meu dia a dia. Aí literalmente botei meus pés no chão e preferi fotografar um look não tão incrível ou inspirador quanto o original, mas que tem tudo a ver com o meu estilo de vida atual.

E no fim ficou bem eu: confortável, prático e a blusa sendo o ponto poderoso entre o short jeans e a sandália. Melhor assim, né? :)

Beijos!

0 em Looks/ Moda no dia 07.06.2017

Look da Cá: Cintura alta e blusa ombro a ombro em um look todo azul

Recentemente notei uma cor que invadiu meu armário. Eu sempre curti coisas azuis, mas acho que nunca tive tantas peças com as mais diferentes variações do tom. Não sei se essa cor me acalma, que mais me chama atenção depois de um inverno recheado de looks pretos, se eu acho que é a cor que mais me valoriza, se é a tendência que está nas lojas ou se é uma combinação de todos esses fatores, a verdade é que outro dia fui reparar e vi que agora tenho short, vestido, algumas blusas e até mesmo sapato. Azul claro, jeans, marinho, acho que só não tenho turquesa porque eu quase não uso cores muito “iluminadas”. E o resultado disso é uma infinidade de looks azuis. Esse é mais um deles para a minha coleção. :)

A blusa é novidade no meu armário e eu estava doida para usar! Já contei aqui que outro vício recorrente é o ombro a ombro, né? Teoricamente não é a modelagem que mais me favorece, mas na prática eu me sinto tão bonita com esse tipo de decote que eu ignoro o fato de ter ombros largos. E quanto aos babados em cima dos peitos para quem tem seios grandes? Li uma matéria falando para evitar isso outro dia e quase cuspi minha água. Ignorei lindamente também – e acho que fiz bem, porque AMEI. É por essas e outras que eu tenho um certo pavor de regras de consultoria.

Acho que saber me valorizar é super importante, conhecer os pontos fortes do meu tipo físico também e acho que é o tipo de informação que é sempre bom ter e deixar guardada na manga. Mas a partir do momento que essas regras me limitam e me aprisionam, eu prefiro repensar se o que eu quero mais é atingir uma harmonia ou experimentar e me jogar. Dificilmente eu escolho a primeira opção.

Poxa, eu já sou tão básica na maior parte do tempo, porque eu vou ficar me preocupando se peitos acima do tamanho X devem evitar babados na região? Obrigada, mas não obrigada. :)

 Blusa PS love Stripes | Short J.Crew | Alpargata Cavage

>>>>> nos afiliados <<<<<<

Provavelmente se eu tivesse que mudar um coisa, seria o short. Amo ele, cintura alta do jeito que eu gosto e tem o detalhe do laço que deixa tudo mais charmoso – a não ser quando pego o Arthur no colo e ele quer sair, se contorce e deixa o laço destruído, como na segunda foto hahaha #realidades. Mas depois de ter visto as fotos, eu tive a impressão que essa blusa ficaria mais valorizada com um short menos molenga. E é assim que a gente aprende, errando, testando, aprendendo com o próprio armário.

Eu adoro ver looks meus, mesmo aqueles que eu considero 100% bem resolvidos, e estudar o que poderia mudar ou melhorar. E acho que trazer para cá para a gente conversar sobre é mais legal ainda, não acham?

Beijos!

Fotos: Adriana Carolina
5 em Autoestima/ Convidadas/ Destaque/ Looks/ Moda no dia 29.05.2017

Listras horizontais e plus size combinam? Óbvio que sim!

Como mulher plus size, sempre notei o quanto a moda me exclui e me ignora. Toda nova tendência lançada vem sempre com uma observação para mulheres que possuem o corpo como o meu, acima de 44. Lembro que em 2009, quando eu tinha uns 14/15 anos, lia algumas revistas adolescentes e nunca conseguia me enxergar nas matérias. Depois de anos estudando moda e comportamento, hoje vejo o quanto ela, mesmo sem querer, pode ajudar a melhorar minha autoestima.

Não, você não leu errado. Eu sei que é um paradoxo pensar que a mesma moda que é tão opressora com quem está fora do padrão de beleza é a que me faz ter forças para quebrar esses padrões e melhorar minha autoestima. Falam que o top cropped é moda, mas gorda não pode usar. Falam que comprimento midi é moda, mas gorda não pode usar. Quem disse? Saber o que dizem que eu não posso usar me dá ainda mais vontade de testar, experimentar e ousar. Depois de grande parte da minha vida sendo podada, descobri que posso usar todos os artifícios que a moda me oferece para quebrar padrões e estereótipos falhos, aumentando assim minha autoestima.

O primeiro grande exemplo de quebra de regras diz respeito às estampas. Ouvi a minha vida inteira que eu não poderia usar estampas de listras horizontais pois elas ampliam visualmente a silhueta. Sim, ampliam mesmo. Só que essa ampliação toda não me incomoda. Me sinto bem de listras horizontais, é uma das estampas que mais tenho em meu guarda-roupa, de todas as cores e formas possíveis.

Muitas vezes a gente se prende tanto às regras ditadas, que esquecemos o nosso estilo pessoal, do nosso gosto. Nada melhor do que vestir uma peça que nos transforma, que nos deixa maravilhosa, que nos faz olhar no espelho e só ver qualidades. É exatamente assim que me vejo quando uso listras horizontais e isso independe do que a moda diz sobre minha silhueta poder ou não usar esse tipo de peça. Quando quero dar esse ar de alongar o corpo, opto pela terceira peça, que geralmente é um colete ou uma jaqueta jeans. Quando não quero, me jogo sem neura e sem culpa de “parecer maior”.

E quando se trata de mix de estampas o problema é ainda maior na visão dos fashionistas maníacos. Se uma estampa dá aquela impressão de aumentar a silhueta, imagine duas? Pois aos poucos eu consegui experimentar em meu dia a dia. Comecei com versões mais simples, as vezes com a mesma padronagem em diferentes cores ou larguras.

Optei pela listra horizontal, por exemplo, como zona de conforto para aos poucos ganhar confiança nesse novo habitat de estilo. Depois, parti para mix mais ousados, porém em regiões distantes como a blusa de poá e o calçado de animal print. Logo eu já estava louca para fazer misturas mais ousadas e cheias de estilo. Me sinto confortável, por exemplo, com um maxi colete chevron e blusa listrada. Ainda uso combinando com minha calça destroyed, que quase anda sozinha por ai, para ter mais a minha cara.

Eu sei o quanto é importante descobrir qual a nosso tipo de corpo para valorizá-lo, quais os pontos positivos para ressaltar o que nos faz sentir bem. Porém, acho que ditar uma regra de estilo pode ser perigoso para nossa saúde mental. É muito difícil afirmar para uma pessoa o que ela deve ou não vestir, apenas julgando pelo formato do corpo. Pra mim, o correto seria avaliar primeiro o estilo da pessoa e adequar as peças favoritas ao seu tipo de corpo. A moda deve nos servir, não o contrário.

Queria agradecer imensamente o convite da Jô e da Cá para escrever esse post-desabafo aqui no Futi, um blog que acompanho há anos. Espero ter ajudado a inspirá-las a quebrar um pouquinho dos padrões que a moda nos empurra goela abaixo todos os dias, seja nas revistas, jornais, TV ou blogs de moda comuns.