Browsing Tag

Looks

0 em Looks/ Moda no dia 04.06.2018

MODA, vou olhar pra você com mais amor!

Tenho tentado ser mais assídua com os posts de look. As razões variam, muitas pessoas ainda pedem esse tipo de post por ser um conteúdo mais leve, ao mesmo tempo, me vejo sempre tentando inseri-los dentro do novo olhar mais amoroso e acolhedor do qual falamos no #paposobreautoestima. Tem a ver com se expressar, com estilo pessoal e com ser quem queremos ser, sem medo ou crenças limitantes. Só isso já seria o suficiente pra termos posts de look aqui pra sempre, né? Sinto que esse tipo de post traz um pouco do antigo futilidades de volta, mas ainda assim traz toda uma nova importância e uma motivação que vai muito além de inspirar looks que vocês possam reproduzir. Tenho tentado trazer a moda como ferramenta de autoconhecimento, não de objetos desejo pra consumir. 

A verdade é que me vejo tentando me achar constantemente no meu armário. To tentando usar meus looks pra comunicar minha personalidade e espero conseguir fazer isso com muito mais clareza. Estou me esforçando pra usar os looks como ferramenta de comunicar quem é a mais nova versão de Joana. Que nem um aplicativo que muda de cara quando tem um update, procuro sempre uma forma de comunicar que a versão que está ali evoluiu. Busco trazer informações pra quebrar os padrões antigos e abrir mão das crenças limitantes que aprisionavam a Joana versão blogueira de moda convencional. 

Quem de fato já é livre com a moda pode achar repetitivo, mas aí é só pular os posts que você não se identifica que está tudo certo. Seria uma arrogância sem tamanho achar que todo mundo gostaria de tudo que temos por aqui, né? Um blog de tantos assuntos não tem como ter a intenção de agradar a todo mundo. 

Nessa busca por usar a moda como forma de expressão de quem sou hoje, notei que quase todos os looks que monto com calma, cuidado e amor têm uma mensagem de libertação. Foi tanto tempo na auto-prisão da versão blogueira de moda que fazia parte da categoria de pessoa presa em dietas malucas, nunca se achando magra o suficiente para o cliente da categoria querer, sempre se comparando com a coleguinha do lado com o corpo mais magro e achando que para pertencer, eu precisaria ter bolsas de marca e peças caras. Era um ciclo vicioso que me afastava sempre mais de quem eu era, compartilhando essa sensação de inadequação, quase que ensinando que nunca somos suficientes sem perceber.

Um dia eu entendi que eu fiquei doente tentando me curvar a um sistema inflamado de egos e demandas doentias. Onde a parte principal da equação é se sentir melhor e mais poderosa que outras mulheres, quase uma sororidade às avessas. Se comparar já é perigoso, na moda então, eu diria que há um alto risco de se perder de si mesma. 

Em algum momento eu era magra e sequer percebia, igualmente não sabia que isso era sintoma de doença alguma, achava que era parte obrigatória da forma da moda funcionar. Eu era tida como inadequada e nunca suficiente, por mim e pelos outros. Eram menos 12 kg de peso e mais uma tonelada de infelicidade e hoje vejo que o problema começava comigo: eu me diminuía, consequentemente dava o aval para que os outros me diminuíssem. 

Quando eu comecei o processo de me libertar de tudo isso o inesperado aconteceu: a moda que era minha inimiga se tornou uma forma de expressão muito ousada e divertida. Os clientes de look do dia foram diminuindo, mas as marcas que acreditavam nesse olhar mais amoroso também foram se aproximando. A sensação de rejeição do mercado de moda deu lugar à uma sensação de pertencimento linda no universo de moda praia e lingerie. Enquanto eu não era suficiente para postar look do dia pra cliente gordofóbico, eu vivia tentando ser outra pessoa. Quando optei por ser eu, me tornei até modelo de campanha de lingerie. Definitivamente eu estava tentando pertencer ao lugar errado. 

look-joana-cannabrava-2

cropped Karamello

Claro que eu guardo memórias ruins dos tempos de rejeição e inadequação, mas isso não me define mais e tampouco define minha relação com meus looks. Hoje eu posso tudo pra vestir o que eu quiser e me colocar da forma mais confortável e dentro do meu estilo que eu quiser.

Que estilo é esse? Não sei ao certo, estou descobrindo, mas com certeza ele envolve conforto e liberdade. 

look-joana-cannabrava-5 look-joana-cannabrava-3

look-joana-cannabrava-1

look todo Karamello | link jaqueta bordada + link calça bordada

A meu ver, a gente se acostumou à ideia de que devemos emagrecer e mudar pra caber na roupa, pra vestir uma peça. Só que isso tá errado. Na verdade é a peça que precisa que nos vestir. Não devemos ser reféns de pessoas, que dirá de coisas, de roupas. Precisamos nos apropriar desse conceito empoderador de que somos donas de nós mesmas e entender que como consumidoras podemos escolher o que vestir e, quando não tivermos opção, podemos falar sobre isso.

Foi notando que apesar da moda ter mesmo muita gente que só quer excluir e segregar, eu vou olhar diferente. Vou tentar guardar meus traumas e implicâncias pra lá e me apropriar dessa alternativa de postar looks, dos mais ousados aos básicos, sem medo. Vou olhar com amor pra quem é do amor na moda e falar de quem luta pra vestir as mulheres que estão em busca de expressar a sua personalidade através de looks. 

Look-joana-cannabrava-4

Estou tentando deixar meu olhar super rígido e crítico com a moda pra lá, para isso não me limitar. Vou seguir aqui jogando holofote na parte boa, criativa e divertida da moda, para me conectar com a energia do novo que veio pra somar…

Fotos: Adriana Carolina
4 em Looks/ Moda no dia 29.05.2018

Look da Jô: meu look preferido!

Hoje vou compartilhar com vocês um dos looks que mais gostei de montar até aqui. Sinto que ele, assim como o último que postei, traz para o blog um pouco da nova Joana. Minha versão atualizada muitas vezes não consegue se expressar através da moda e isso me frustra um pouco. Tanta ousadia, coragem, personalidade e mensagem pra passar e eu deixando de usar a moda pra me comunicar?

look-joana-cannabrava-1

Agora abraço com unhas e dentes toda oportunidade que eu tenho de montar alguma produção que passe uma mensagem de quem eu sou. Foi isso que fiz nesse que foi meu look preferido com minha saia obra de arte da Adriana Meira. Ele connseguiu ganhar da produção que montei para o Beauty Festival de São Paulo no ano passado, que eu postei aqui. 

Eu sou completamente apaixonada por essa saia, mas desde que a trouxe pra casa pensava em como aproveitar melhor essa peça cheia de potencial. Minhas primeiras alternativas foram produções com camiseta de malha preta. O motivo era quase que inconsciente: não marcaria, seria simples de usar e ao mesmo tempo sem o risco de ousar. Quanto mais vivo meu processo de desenvolver autoestima e autoconfiança, o medo de ousar vai ficando pra trás.

Se em 2017 essa saia era sobre usar com cautela e camiseta – ou com estratégias para a barriga não aparecer tanto com a jaqueta amarrada – em 2018 eu mudei de opinião. Vi um look da Bianca e pensei: Por que não encomendar um cropped da Adriana e fazer a minha versão desse look conjuntinho?

jo

bia

Agendei um horário no ateliê da Adriana e enquanto ela faz a minha peça para um look causador, me peguei pensando novamente: mas por que esperar? Achei esse cropped na Karamello e, pronto, montei o meu look preferido com minha saia até aqui. Parece que foi uma combinação dos deuses eu ter adquirido essa jaqueta – e a minha sandália nova ser dessa cor.

Finalmente eu entendi que a moda pode ser usada a serviço de todo tipo de corpo. Não precisava usar a saia de uma forma mais básica só para fazer meu corpo parecer mais magro ou mais alto, eu não precisava de regras. Vestir bem não significa mais mascarar meu corpo todo o tempo, pode ser abraçar ele como ele é, ser confortável ou algo que simplesmente cause um efeito que eu goste. Posso até me preocupar com esses truques que trazem ilusão de ótica para meu corpo parecer mais padrão em algum momento, mas quero que seja cada dia menos. Não quero ser refém de regras que aprisionam na moda. Quero usar a moda pra quebrar meus próprios paradigmas e curtir isso.

Ao ver minha amiga usando uma variação dessa estampa com cropped pensei: Por que não?
look-joana-cannabrava-5 look-joana-cannabrava-3 look-joana-cannabrava-2

cropped Karamello | saia Adriana Meira | sandália de veludo Vicenza | jaqueta Zara

Desde então é como se uma série de novas opções pra essa saia se abrissem pra mim, essa peça que mais parece obra de arte, ganhou muito mais espaço no meu armário no momento em que resolvi que não me limitaria mais com crenças sobre a moda. As roupas precisam me servir, não sou eu que preciso mudar pra caber nelas, entender isso muda minha vida a todo tempo. 

Eu posso e vou começar a usar a moda pra comunicar minha personalidade, espero que vocês gostem tanto quanto eu de ver os reflexos da nova Joana no meu estilo, enquanto isso uma coisa é fato: eu vou me divertir e gozar da minha liberdade, independente do tamanho do meu manequim.

Beijos

fotógrafa: Adriana Carolina 

0 em Autoestima/ Looks/ Moda no dia 04.05.2018

Look da Jô: barriga de fora

Eu sei que já havia apresentado meu umbigo pra vocês em outro texto. Acredito que atualmente vocês estejam todos familiarizados com esse buraquinho que fica no meio da minha barriga. Depois desse look icônico que postei aqui quebrei o jejum de uma vida inteira de looks com ele aparecendo. Cheguei a trazer a transparência aqui para o blog e aos poucos entendi que estava mesmo liberado usar a moda de forma livre, sem me prender ou me restringir por não ter o tal do corpo que sempre considerei padrão. Abri mão da crença de que para usar barriga de fora ou transparência eu precisava mudar meu corpo, e internalizei que eu precisava mesmo era mudar o meu olhar, afinal, só ele me limitava e me diminuía.

Se em junho do ano passado ousei de trazer o tema pro blog, posso dizer que foi em janeiro de 2018 que eu realmente abracei de verdade esse novo olhar para as peças de barriga de fora. Usei pela primeira vez uma blusa que comprei entre 2011 e 2013, mas nunca achava que eu tinha chegado no corpo para usá-la. Eu a guardei durante anos e sempre mantendo ela ali, em stand by, para ser usada no dia que eu fosse magra o suficiente para usar uma peça de cintura alta com aquela blusa. Doce ilusão, era apenas mais uma crença limitante que me impedia de me expressar através da moda.

print-2

Postei o desabafo no insta e recebi tantas mensagens lindas que resolvi que iria mesmo quebrar essa minha antiga prisão. Vocês me ajudando no meu processo mais uma vez. Aos poucos fui ficando mais confortável e mais à vontade.

Não é a toa que comprei uma blusa super curta na minha última viagem e tô que tô usando ela. Comprei achando que seria pra um dia que eu acordasse poderosa e bancasse a barriga de fora, mas a verdade é que estou usando sempre que tenho vontade. Não foi preciso de coragem pra usar essa peça, foi só preciso de liberdade.

print-1

clique aqui para ler o texto inteiro no insta do @futilidades

Nesse clima, usei esse look outro dia e um monte de gente elogiou no stories do @futilidades. Fiquei com vontade de postar, e foi nesse clima que aproveitei para usar essa produção no dia da minha sessão de fotos com o Pedro Mena. Fui de barriga de fora e ainda aproveitei para brincar com a cor da sandália, que casava perfeito com o detalhe da calça.

look-joana-cannabrava-3 look-joana-cannabrava-5

blusa e calça verão (em liqui) passado Karamello | sandália nova da Vicenza

Karamello vem provando que chegou pra ficar porque o que vocês me veem repetindo roupa de lá não está no gibi, né? Acho ótimo ver uma marca com uma grade tão honesta ter tantos looks com a cara do Rio de Janeiro e que cabem em mim, que to naquele limbo de 44/46 que não costuma achar roupa nas lojas “comuns” e ao mesmo tempo não se enquadra no nicho de plus.

look-joana-cannabrava-2 look-joana-cannabrava-1

Nesse look temos uma sandália inédita, que eu quis depois de ter visto no insta da Thassia Naves. Ela tem O tamanho de salto que eu amo, tem várias opções de cores e ainda pode ser destaque de looks mais básicos, que no meu caso de pessoa mais básica, acaba sendo fundamental. Para quem achou esse veludo laranja muito ousado, vou compartilhar essa cor linda de viver, mais clássica e sem ser de veludo, mas no mesmo modelo. Eu particularmente acho que vou usar muito, assim como uso a preta dessa vibe que tenho da Cavage.

A verdade é que eu poderia falar horas sobre os nobres motivos que vejo para o mercado apostar mais em sapatos com esse tamanho de salto, mas vou voltar ao que interessa: minha barriga de fora. 

look-joana-cannabrava-6

Se no início ela era uma causa, uma luta, hoje ela me parece cada dia mais normal na minha vida. É cada dia mais sobre escolher um look que tenho vontade, cada dia menos sobre causar. Parece que ao tirar essa crença limitante nesse trabalho de autoconhecimento e autoestima, que faço aqui e na terapia, eu me vejo sem nenhuma limitação. Eu simplesmente usei esse look porque amei, sem medo do que vão falar ou julgar. Visualmente me pareceu lindo e já não acredito mais que eu precisaria ter um corpo mais assim ou menos assado pra isso, seja pela barriga de fora ou até mesmo pela calça branca. Cheguei do feriado relaxada e coloquei essa roupa, pelo simples fato de que amei e não queria mais procurar defeitos em mim.

E vocês, o que acharam?

Tem o post completo da mudança do cabelo aqui.

Beijos

 

Fotos: Pedro Mena | @menaphotography

——

Posts de look que falam da liberdade com o corpo:

Oi, esse mé meu umbigo, prazer!

Transparência agora eu posso! 

Transparência de novo, no Rock in Rio! 

Peitos soltos, livres e não tão em pé!