Browsing Tag

* Look da Ca

0 em Autoestima/ Destaque/ Looks/ Moda no dia 22.05.2017

Looks da Cá: minha nova relação com a cintura alta

Já contei aqui várias vezes sobre a minha relação com meus seios. Eu queria muito que ela fosse melhor e mais bem resolvida, mas a verdade é que eu odiava ter peitos tão grandes na adolescência. Além deles não me deixarem tão livres quanto outras amigas minhas mais despeitadas, que podiam sair de blusas sem sutiã ou biquinis tomara que caia sem se preocupar que eles realmente poderiam cair, eu acabava sendo vista como o “mulherão” que eu nunca fiz questão de ser, e isso me deixava desconfortável.

Tanto que mesmo depois que fiz a cirurgia de redução e comecei a me permitir decotes e saídas sem sutiã, eu ainda guardava esses sentimentos todos na cabeço e até hoje (que ganhei uns quilos desde meus 20 anos e os peitos aumentaram de novo) ainda acho muito dificil desassociar.

O resultado disso foi uma postura errada de encaixar os ombros pra frente para tentar escondê-los, uma certa aversão por decotes e outros tipos de modelagens que poderiam evidenciar os peitos grandes. Não que eu não tentasse, só que ao contrário de tantas mulheres que se olham no espelho com decotes gigantes ou com peitos em evidências e se acham maravilhosas, eu não conseguia me achar bonita ou sexy, só via mesmo peitos pulando.

Uma dessas roupas que eu evitava ter no armário era justamente qualquer coisa de cintura alta e mais colada ao corpo. Eu até tentava arriscar  e descobri nas saias de cintura alta – lápis, sino ou evasê – boas aliadas, pois elas acabavam equilibrando meu quadril e não deixando os peitos ficarem em destaque.

Até que cheguei aqui e comecei a ver muitas mulheres com calças e shorts de cintura alta. Calça skinny, coladinha, com corpos parecidos com o meu e peitos de todos os tamanhos, inclusive maiores do que os que estão aqui comigo.

Não demorou muito para eu descobrir um modelo que eu amasse: 9″ high rise skinny jeans, da Madewell. Comprei primeiro uma calça jeans e tive a “coragem” de botar a blusa pra dentro, um medo que sempre tive porque tinha certeza que aumentaria a comissão de frente.

Olha, me senti sexy. Como nunca tinha me sentido antes em uma calça jeans.

E aí depois comprei outra, preta com rasgos no joelho, também da Madewell e com a mesma modelagem. E tive outra “coragem”: usar com uma blusa bem justa, pra dentro. Ou seja, tudo coladinho, coladinho, sem medo de peitões ou qualquer outra neura que a gente pode ter quando resolve vestir um look mais justo.

De novo, me senti poderosa. Não tanto pelo look em si, mais pela minha ousadia de quebrar minhas próprias barreiras.

E eu vi que realmente tinha tirado meu preconceito total com cintura alta e peitos avantajados quando adquiri recentemente um jeans bem diferente: uma pantacourt cintura altíssima. Também da Madewell, porque eu viro cliente fiel quando eu curto muito alguma coisa. E apesar dos jeans de lá não serem baratos (variam de 100 a 130 dólares), a qualidade e o atendimento ao cliente me fazem sempre experimentar as novidades de lá.

Eu não me senti tão sexy nesse modelo quanto nos outros, mas acho que a proposta desse tipo de calça nem é essa e eu nem esperava isso dela. Eu queria algo mais fashion/ousado e, novamente, eu só me interessei por esse tipo de modelo porque cruzei com muitas meninas lindas e estilosas – com todos os tipos de corpos – que me convenceram a tentar. Tentei, gostei, achei que tinha a ver comigo, levei. E o peito ficou mais em destaque, sim, e sabem o que aconteceu? Milagrosamente, EU NEM LIGUEI.

Eu ainda estou na dúvida se o fato de eu não ter ligado está mais relacionado à minha autoaceitação ou se é porque eu tenho visto tantas referências inspiradoras e reais nas ruas que estão me fazendo ter vontade de testar coisas diferentes, mas a verdade é que eu estou mais feliz do que nunca de ver meu corpo em outras modelagens, tomando diferentes formas e proporções independente das minhas neuras. <3

Vocês têm alguma história de bloqueio com peças que foi superado? Me contem!

 

0 em Autoestima/ Looks/ Moda no dia 08.05.2017

Look da Cá: uma blusa branca diferente e toda uma redescoberta

Há uns dois anos eu entrei em uma espiral de looks jeans + camiseta branca, usei vários em um período de meses (tipo esse, esse, esse e esse). E aí como quase tudo que é usado demais, acabei enjoando e botei na minha cabeça que eu nunca seria interessante se ficasse postando só as mesmas duas peças, por mais que elas variassem de estilo e modelagem.

“Look do dia” nunca foi  o assunto principal desse blog, mesmo assim eu tinha essa ideia na minha cabeça que eu precisava trazer para esse tipo de post ideias inovadoras e ousadas. Como vocês podem ver pela tag “look da cá”, ousadia, inovação e experimentação nunca fizeram parte do meu estilo e volta e meia eu me frustrava por isso.

Até que de uns tempos pra cá eu resolvi assumir que sou básica mesmo, e mais recentemente ainda, voltei a assumir também a blusa branca. Depois do post da Thassia voltei para a Carla de 2014 e me convenci que estar de blusa branca e jeans não significa estar básica. A diferença é que a Carla de 2017 descobriu que blusa não significa camiseta, e que blusas brancas podem ser camisas de diferentes tipos de tecidos, ter mangas ou decotes diferentes, enfim, dá pra ser muito interessante sim!

Esse fim de semana resolvi botar pra jogo uma blusa que eu estava me segurando DEMAIS pra usar. Comprei no começo do ano, mandei entregar na casa da minha mãe e peguei em fevereiro, quando estive no Brasil. Ou seja, eu não experimentei, nem tinha ideia de como ficaria. Quando eu vesti, AMEI, mas…onde usar aqui em Nova York?

Como vocês sabem, a vida de mãe nem sempre é das mais glamourosas e uma blusa com mangas tão largas quanto essas não são das mais práticas quando se tem um filho pequeno. Em restaurante então, as chances dessas mangas sujarem com comida elevam-se à 15a. potência. Desde março, quando voltei para NY, eu tenho ensaiado usá-la e sempre desencorajo. Uma vez, inclusive, me arrependi de ter comprado porque “ela não era pra mim”. Até que lembrei desse post que eu fiz, me reencorajei e usei esse fim de semana!

Não fotografei na rua, mas acabei fotografando depois que já tinha chegado em casa. Então vai um look descalço mesmo. rs

Blusa Amaro | Calça Madewell | Colar Claudia Curti

>>>>> nos afiliados <<<<<<

Nossa, como eu me senti bem! Lá estava eu, de jeans e blusa branca mas estava me sentindo verdadeiramente poderosa, crente que conseguiria me inspirar em uma Emanuelle Alt e ter um estilo de look próprio para chamar de meu (apesar de gostar da liberdade de vestir o que eu quiser, sem ficar presa a um estilo só porque sou reconhecida por ele).

Terminei com um cinto – que eu deveria dar mais importância do que eu dou, já que cintos podem fazer toda a diferença – e um colar que eu amo!

Talvez vocês vejam muitos mais looks com jeans e camisas, blusas ou camisetas brancas por aqui. E espero que vocês gostem! :) Não serão as propostas mais inovadoras ou ousadas, e tá tudo bem! :)

 

2 em Looks/ Moda no dia 19.04.2017

Look da Cá: pernas de fora e um look simbólico

Usei esse look no domingo, quando saímos para celebrar que os termômetros chegaram a – até muito pouco tempo atrás inimagináveis – 27 graus. Ele não tem nada demais, nenhum segredo de styling inovador, nenhum mix de texturas ou estampas interessantes, inclusive na hora de fotografar esqueci a bolsa que estava pendurada no carrinho do Arthur, mas ele é tão simbólico que precisava aparecer por aqui.

Semana passada eu falei sobre como o inverno me pegou de jeito e como eu me senti outra pessoa quando substituí os casacos pesados e roupas térmicas por camisetas de manga curta e jaquetas levinhas. Daí, quando eu vi que a temperatura ia chegar a 28 graus em um dia com muito sol, as minhas expectativas foram lá em cima. Só que na hora de me arrumar pra sair, sabem o que aconteceu? EU TRAVEI.

Sim, surpreendentemente eu tive aquele momento de “não tenho nada pra vestir”, onde experimentei dezenas de looks que foram ficados empilhados em cima da cama à medida que eu não sabia o que mais poderia tirar do armário. Botei um vestido de manga comprida, achei que ia ficar com calor. Botei uma camiseta regata, achei que eu poderia sentir frio (afinal, agora estamos na estação que faz calor de dia e esfria pra caramba à noite). Aí decidi ir de camiseta branca, porque nunca tem erro.

Camiseta Madewell | Short Le Lis Blanc | Sapato Steve Madden | Óculos RayBan | Pulseiras J. Crew e Francesca Romana Diana

>>>>> nos afiliados <<<<<<

 

 

Poderia ter ficado mais interessante? Acho que sim. Esse short tem uma cor versátil pra caramba. Eu quase ia sair de casa com uma blusa do Guns n Roses, mas quando me olhei no espelho, não me senti eu.

Engraçado como recentemente eu estou tendo verdadeiros casos de amor com blusas, camisas  e camisetas brancas (aliás, desde o post da Thassia eu acho). E se eu estou me sentindo segura com elas – e apenas com elas – pra quê eu vou forçar estilos diferentes?

Para fechar, a pulseira escolhida também também foi simbólica. Um pedacinho do Rio de Janeiro para celebrar uma temperatura digna do verão carioca. Isso não foi por acaso mesmo. :)

E essa é a história de um look que pode até não ter nada demais, mas estava me fazendo sentir sensacional.