Browsing Tag

lingerie

0 em Destaque/ Moda/ Patrocinador no dia 13.04.2018

Remarcação de preços? Opa! Vim falar de lingerie!

Acho que em 2015 comentei com vocês que usar a lingerie certa mudou minha autoestima e auto percepção nos momentos de intimidade né? Em tempo, leia-se por certa: aquela que abraça meu corpo. Eu tinha dois conjuntos onde eu me sentia confiante e se eu precisasse ir a ginecologista, trocar várias vezes na frente de alguém ou mesmo resolvesse dormir com alguém novo esse tipo de conjunto me ajudava a me sentir firme num momento que antes eu me via vulnerável. Isso tudo foi um processo, processo esse que ganhou muita força a partir do dia dos namorados.

Quando começamos nosso trabalho com a Marcyn resolvi encarar tudo de frente e de cara quis fazer um shooting de lingerie no dia dos namorados, da pra ver aqui. Nessa hora me vi escolhendo modelos que achei que favoreceriam meu tipo de corpo, vestindo de forma confortável, nada pulando ou apertando. Ousei em calcinhas menores porque ainda fiquei com uma certa resistência em apostar no meu lado ainda mais ousado das calcinhas grandes, coisas que na campanha eu fiz tranquila e depois ainda falei dessa questão que as pessoas tem com calcinha alta aqui no blog, mané calcinha de gorda ou de magra, é só calcinha estilosa mesmo.

E por que estou falando de tudo isso de novo? Algumas peças lindas, super chiques e ricas em rendas e materiais nobres tiveram agora suas primeiras remarcações. Pra mim a coleção Riviera é uma das mais sofisticada das lingeries disponíveis de Marcyn, é a que eu fotografei no dia dos namorados. O preço de algumas peças foi remarcado e por isso vim aqui trazer algumas das coisas que tenho e amo, além de outros bons negócios que estão disponíveis no site.

Riviera foi a porta de entrada para uma relação duradoura com as lingeries de renda da Marcyn. Depois descobri meu sutiã preferido do mundo, que já tenho em duas cores. Recentemente me joguei também nas peças da campanha de Celebration, nas peças em vinho e em cereja e nossa, minha relação com a lingerie se transformou de uma forma que antes o que era uma questão negativa virou algo muito positivo. Hoje eu me expresso também através da lingerie, me sinto estilosa, chique ou sofisticada quando tenho vontade, sexy de vez em quando.

 

Além das peças que tenho e usei, tem muitas outras coisas bacanas nessa remarcação pra vocês darem uma olhada.  O site da Marcyn tem lingeries muito legais sempre, vale a pena ficar de olho pra ver se a que você amou está com um preço bacana ou mesmo verificar se lá tem o modelo de sutiã que você está precisando. Os produtos são de muita qualidade, confortáveis e abraçam o corpo, como eu sempre que posso mostro. :)

 

Essas são algumas das peças que estão remarcadas, vamos ficar de olho para ver se aquilo que você andou desejando por aqui não vai aparecer com preço mais bacana! ;) A verdade é que tem coisa que acaba antes, mas o que temos uma segunda oportunidade de comprar pode ser muito bacana de achar com novos preços.

Espero que tenham gostado, sou mais uma apaixonada pelo conceito de vestir uma lingerie bonita e se sentir poderosa, espero que vocês também possam sentir isso!

Beijos

0 em Autoestima/ Destaque/ Moda/ Patrocinador no dia 23.01.2018

Saldão Marcyn: comprando lingerie para dia a dia com preço (muito) bom

Acho que a maioria das mulheres que eu conheço compartilham a mesma tradição no Reveillon: começar o ano novo com uma calcinha nova. Eu continuo fazendo isso religiosamente, ano após ano, apesar de ter deixado de lado a simpatia de usar a calcinha com uma cor específica, de acordo com o que eu desejo nesse novo ciclo. Como bem disse a Anitta:

calcinha-anitta

Uma mania foi embora, mas acabou dando lugar à outra. De uns anos pra cá eu gosto de fazer uma limpa no meu armário de lingeries e começar o ano renovando boa parte dessas peças. Jogo tudo na cama, guardo novamente as mais especiais e outras que não uso com tanta frequência e separo as que já estão bem desgastadas.

Esse “gasto” não é tão perdulário quanto parece. Na verdade, resolvi começar essa “tradição” depois que eu passei metade do ano com um monte de calcinha laceada e velha e sutiã com o arame do aro soltando (juro, cheguei nesse nível), tudo porque eu passei meses enrolando para procurar lingeries novas. Aí, toda vez que ia me vestir, eu olhava para minhas peças pedindo arrego e me sentia desleixada. Demorou para eu entender que minha falta de incentivo tinha a ver com o que eu estava usando por baixo.

Acho que até então eu nunca tinha me dado conta como as lingeries do dia a dia são tão importantes para a nossa autoestima quanto aquelas poderosas que a gente usa quando quer impressionar.  Depois desse ano, eu passei a me prometer que todo mês de janeiro eu iria dar uma atenção especial para minha gaveta de peças íntimas e dar uma renovada no que estava precisando.

Não sei se mais alguém aqui é que nem eu, mas para quem está pensando em fazer o mesmo, trouxe boas notícias: a Marcyn acabou de anunciar seu saldão, com descontos que vão até 80% em boa parte do site. E eu estou aqui para mostrar algumas coisas para vocês, até porque boa parte das peças que eu pedi para começar o meu ano estão nesse saldão:

lingerie-marcyn

SUTIÃ RENDA | SUTIÃ BALCONET | SUTIÃ SEM BOJO | CALCINHA COM RENDA DE R$31,99 POR R$24,99 | CALCINHA DE RENDA | SUTIÃ STRING – DE R$19,99 POR R$15,99

Eu ainda não tinha pedido nada da linha básica deles até que experimentei alguns modelos enquanto a gente estava fotografando a campanha de Marcyn Mais. Nem pensei duas vezes em renovar minha gaveta de 2018 toda com eles.

Também dei uma fuxicada no site para mostrar para vocês outras lingeries perfeitas para o dia a dia e que estão com preços bem maravilhosos. Muitas calcinhas em torno de 15 reais e sutiãs básicos com boa sustentação por menos de 50.

Além das lingeries do dia a dia, outra área do site que merece uma atenção especial é a linha fitness, com várias peças que já mostramos nesse post e nesse post com descontos que vão de 30 a 70%. Nós estamos adorando as leggings e os tops, principalmente. As calças vestem bem, não marcam e eles têm alguns modelos que são queridinhos nas academias, como a calça de recortes em tela ou as de cirré! Eu adoro os tops porque eles são confortáveis e com boa sustentação, ótimos para quem faz exercícios pulando ou correndo. Vale a pena dar uma olhada, caso você esteja procurando novidades nesse segmento também.

Ah, lembrando que o frete é grátis para compras acima de R$99 e dá para dividir sua compra em até 6 vezes sem juros no cartão.

7 em Autoconhecimento/ Autoestima/ Moda/ Relacionamento no dia 18.12.2017

Pelo direito de usar calcinhas grandes sem ser julgada!

Eu gostaria de escrever um post cuja primeira frase será: pelo direito de usar o tamanho de calcinha que eu quiser. Pode ser de renda ou não, algodão ou lycra, pequena o grande, alta ou baixa. O tamanho da minha calcinha não define minha sensualidade e tampouco minha auto-aceitação. 

Eu poderia acabar esse post aqui, mas não vou. Vou explicar pra vocês o motivo desse parágrafo tão importante para mim, para você e para qualquer outra mulher que não deveria atender a uma série de rótulos ou estereótipos de acordo com a calcinha que usa.

O tamanho da roupa de uma mulher não significa provocação alguma à homens, certo? Nessa mesma equação as calcinhas e sutiãs poderiam ser livres de rótulos e significancias pré estabelecidos. Calcinha bege? De vovó. Sutiã nude? Não pode ser sexy. Calcinha de algodão é para menstruação. Calcinha grande é para esconder gordurinhas. Mulheres usam lingerie para o cara, então elas deveriam ser pequenas, enfiadas e de preferência de uma cor provocante (e aí entramos em mais uma questão, afinal, é só uma cor!).

Quantas falsas regras mais vocês poderiam me dizer sobre as calcinhas? Eu poderia enumerar mais umas 5, mas não estou com saco. 

Não posso negar que quando me joguei nas aventuras e desventuras da minha vida íntima busquei renovar meu guarda-roupa de lingerie. Passei a buscar modelos que não brigassem com meu corpo, queria abraços e aconchegos. Eu não queria nada pulando ou apertado, queria conforto e beleza para me sentir segura na cama, fosse sozinha ou acompanhada. Um adorno, como faço tantas vezes com a maquiagem. Nesse movimento entraram muitos modelos na minha casa: calcinhas pequenas e grandes, sutiãs com e sem bojo, muitos detalhes de renda e peças para dias que eu quisesse me sentir poderosa. 

Tem P, tem M, tem G, tudo vestindo calcinha alta. E aí? Por que a aceitação de uma seria menos questionável que a de outra?

 

Dito isso, eu quero compartilhar que inicialmente eu usava minhas calcinhas altas, chiques ou confortáveis, sozinha. Achava que as outras pessoas pensariam que era de vovó e quando sabia que iria dormir com alguém, buscava atender ao padrão de lingerie sexy que eu aprendi a vida inteira. Mais uma crença. Conforme eu ia ganhando intimidade com a outra pessoa eu ia tirando as outras peças do armário e era impressionante como eu vestia as mesmas com tanta atitude que nunca ouvi um comentário que fizesse crer que as pequenas eram mais apreciadas do que as grandes. Minhas calcinhas altas são estilosas, remetem a um visual vintage que eu particularmente amo e combinam com sutiãs lindos. Não tinha porquê as esconder e aos poucos fui me soltando. 

Sabem o que eu notei? Que eu preferi. Me senti mais linda, mais eu e consequentemente, me sentir mais segura foi um passo natural. Não nego me me divirto na construção do personagem “Joana sexy”, é uma parte de mim que eu adoro e tem muito a ver com o como eu me sinto naquele momento. Usar a maquiagem, o cabelo e a lingerie certos podem ajudar nisso? Claro! No entanto tem dia que só a lingerie já dá o tom e outras vezes a gente não precisa é de nada mesmo.

Agora que já deixei claro que minha sensualidade nada tem a ver com o modelo da minha calcinha, queria conversar duas coisas com vocês. Eu sei que muitas não gostam de calcinhas grandes, entendo e respeito isso. Todo comentário que a pessoa faz dizendo que não gosta eu acho super de boa, mas quando vem com tantos rótulos construídos em crenças e estereótipos, me dou ao trabalho de contar que eu me sinto sexy de calcinha alta.

Outro estereótipo complexo na história da calcinha alta: não, não é coisa de gorda, gordinha ou seja lá qual o nome que dão para boa parte das brasileiras com muitas curvas. Mulheres magras ou malhadas também podem usar e terem o mesmo resultado igualmente sexy e confortável. Basta que a dona da calcinha acredite nisso e se sinta assim. Carla e Aline (que têm corpos mais dentro do padrão do que o meu) arrasam de biquinis hot pants, por exemplo.

as duas causam o mesmo efeito no meu olhar!

Claro que está tudo certo se você não gosta de calcinhas grandes, também está tudo bem se você quiser comentar sobre isso no nosso instagram, mas eu preferiria se tais comentários não viessem cheios de estigmas anti sensualidade, afinal, eu me acho bem sensual quando quero e o tamanho da minha lingerie não define isso, minha atitude sim.

Agora você está se perguntando se eu acabei com esse textão sobre calcinha grande? Não, infelizmente não. Cheguei agora na parte mais importante dele. Acho que nós, eu e você, estamos de boa com tudo que foi dito até aqui, né? Vamos à parte complicada…

Nesses mais de 12 meses postando biquinis, maiôs e lingeries, eu ouvi de tudo. No entanto, poucas vezes li variações de um mesmo argumento que me deixou chocada: um questionamento sobre como me sinto com meu corpo baseado no tamanho da minha lingerie. Como se o status quo definisse que quanto menor a lingerie, mais a mulher se aceita.

Está tudo bem você não achar que é sexy, mas precisa questionar meu amor próprio e minha auto aceitação por isso? Não faz sentido pra mim.

Então, pela lógica aqui eu me aceito…

Aqui já não me aceito tanto assim?! Não faz sentido!

Só agora senti a necessidade de falar sobre isso, de ser verborrágica e falar a minha opinião que algumas poucas vezes ficou silenciada como um nó na garganta em 2017.

Uma pose e uma foto: será que cabe o julgamento de toda uma auto aceitação? Uma pose. Uma foto.

Pra mim não está tudo bem quando eu leio o comentário no instagram (alheio) dizendo que não estou confortável com meu corpo já que precisei da CALCINHA GRANDE tampando minhas gordurinhas. Ou como no caso da foto acima, que teve gente querendo analisar a boia e a posição das mãos e tirar uma conclusão em cima disso. Como assim a outra pessoa presume que não estou confortável comigo porque estou tapando a barriga em UMA POSE? Esses comentários foram de mulheres que não conhecem meu trabalho, não sabem quem eu sou e julgaram assim, de forma tão óbvia, que se eu coloquei a mão na frente numa foto é porque estou escondendo a barriga e se optei por uma calcinha alta é porque não me aceitei tanto assim. Claro que isso não aconteceu no nosso perfil, aconteceu em outros onde nem todas as pessoas acompanham o papo, mas mesmo assim me fez pensar.

porque também tem post com calcinha menor, mas me dou ao direito de usar as duas.

Será que não estamos colocando pressão demais no tamanho da calcinha? Sensualidade e autoaceitação vem de dentro e não cabe julgarmos pelo tamanho de uma lingerie, ou qualquer outra peça de roupa. A pessoa traz isso de dentro, não de fora. Enquanto isso eu sigo usando e postando todos os tamanhos de lingerie.

Calcinhas grandes não são um esconderijo pra mim, são um adorno que eu gosto. Pronto, simples assim.