Browsing Tag

dia dos namorados

7 em Destaque/ Relacionamento no dia 12.06.2018

Eu quero mais que um dia dos namorados

Dizem que canceriano é romântico, mas eu sempre digo que sou meio fajuta. Uma dessas provas é que eu não tenho a mínima paciência para Dia dos Namorados. Poderia dizer que a culpa é do meu relacionamento – que já passou por 15 datas dessas – mas a verdade é que eu sempre tive preguiça.

Poderia dizer que a culpa é dos restaurantes – sempre lotados, reservas esgotadas, com menu fechado e preços salgados. Mas não é, porque poucas vezes vi vantagem em jantar no dia 12 se a gente poderia jantar no dia 11 ou 13 e ter mais opções no cardápio, menos fila e menos stress. Para minha sorte, meus únicos dois namorados na vida compartilhavam dessa ideia.

No quesito presente, já tive dias de luta e dias de glória. Os dias de luta eu poderia facilmente encaixar o dia que me empenhei e gastei toda minha criatividade (que acho que não recuperei até hoje) fazendo uma caixa de presentes com coisas personalizadas e ganhei uma -brusinha-, que nem era do meu tamanho. Ou o dia que eu estava crente que iria receber de presente um anel de noivado e recebi….um jogo de toalhas (ok, a justificativa foi fofa, ele queria que eu tivesse minhas coisas na casa nova). Mas também tive meus dias de glória, como o dia que comemoramos em um hotel maravilhoso ou quando fui surpreendida por uma joia em um jantar de Dia dos Namorados que nada tinha de romântico, tanto que até levei a Joana para ir junto (acho que esse foi o dia de luta dele, né? rs).

Hoje eu diria que minha ideia perfeita para comemorar esse dia é ficar largada no sofá, os dois vendo filme e saboreando uma tacinha de vinho depois de botar o Arthur na cama (e meu presente é ele botar para dormir enquanto eu continuarei linda e largada no sofá). Pode parecer um presente trivial para se pedir em uma noite aparentemente comemorativa, mas confesso para vocês que hoje em dia não me passa na cabeça viver algo mais romântico que isso. Hmm, se bem que dormir de conchinha também é o ápice do meu romantismo, ainda mais se eu for a parte de fora da concha….

do maravilhoso instagram da @mayavorderstrasse

do maravilhoso instagram da @mayavorderstrasse – tradução: eu estou tão empolgada para o dia dos namorados. Mal posso esperar para discutir sobre o que vamos comer e depois desmaiar no sofá enquanto discutimos o que vamos ver na Netflix. 

Não quero Dia dos Namorados para postar no instagram, não. Não quero juras públicas de amor, nem fazer, nem receber. Do nosso amor, a gente é que sabe. Conhecem essa frase? Cada vez mais sinto menos vontade de expor o nosso relacionamento por aí, até porque ocupar o lugar de casal perfeito (coisa que é comum de se achar quando dizemos que estamos juntos há 15 anos) cansa. Não somos, nem temos essa intenção de ser. Se as nossas imperfeições se complementarem, isso já é mais do que o suficiente.

Meu conceito atual de romantismo é conseguir valorizar as concessões e os esforços feitos, celebrar o companheirismo dos momentos mais complicados aos mais bobos e, principalmente, valorizar a beleza que é viver um amor onde ambas as partes tentam diariamente manter a essência do namoro, mesmo que o cenário recente englobe casamento e filhos.

Nem sempre é fácil. Tem dias que a rotina nos engole e leva a melhor. Tem dias que nós conseguimos resgatar sentimentos que achávamos que tinham ficado para trás. Tem dias que morar junto cansa – com filho, então, cansa 15 vezes mais – e tem dias que tudo que queremos é comemorar mais um ano de relacionamento. E esse é o nosso Dia dos Namorados.

Nesse dia não tem discussão de quem vai arrumar a casa ou quem vai botar o filho para dormir, não tem cansaço mental depois de um dia de trabalho intenso, só tem a vontade de lembrar que independente do estado civil ou da aliança no dedo, a vontade de ser eterno namorado ainda está ali. Não precisa de presente, de jantar em restaurante, não precisa impressionar. Talvez um sexo mais especial e com mais atenção, apesar de eu ser da teoria que quando o clima é esse, o sexo melhor flui naturalmente. E posso falar? Melhor assim. Sem data, sem pressão, sem aquele sentimento de obrigação de mostrar uma vida perfeita, apenas aproveitando o que está acontecendo aqui e agora. Mesmo que o aqui e agora seja dois adultos babando no sofá com um filme visto pela metade. 

0 em Destaque/ Moda/ Patrocinador no dia 29.05.2018

Mais renda e mais amor, por favor <3

No Dia dos Namorados do ano passado, contei aqui no blog sobre o dia que fui surpreendida por uma gaveta de lingeries. No caso, foi a gaveta da minha amiga. Hoje vou contar da minha.

Ao contrário dessa minha amiga, eu nunca fui uma pessoa de usar a lingerie para sensualizar. Minha gaveta era uma infinidade de peças brancas, pretas e beges, com muitos modelos de calcinhas lisas de algodão e outros de sutiãs lisos sem bojo. Básicos até dizer chega, mas que cumpriam sua função com todo o conforto. Só que conforme eu fui crescendo, vi que queria mais.

Foi aí que aos poucos fui entrando no mundo das rendas e dos fios dentais. Não acho que tenha sido coincidência que isso tenha acontecido quando eu estava naquela fase de sair da adolescência para entrar na vida adulta. Foi quando eu me senti mais preparada para explorar um pouco mais a minha sensualidade. Mesmo assim, nunca fui de usar lingeries super sexy e cheias de firulas. Renda sim, fio dental sim, mas com conforto acima de tudo, por favor. Ah, e para quem acha que eu ainda não tenho uma boa parcela de lingeries básicas, estão enganadas. Elas ainda ocupam pelo menos 60% da minha gaveta rs

Agora que você sabem desse meu gosto super pessoal, provavelmente vão entender quando eu falo que eu costumo passar longe de opções para o Dia dos Namorados. Geralmente é nessa data do ano que vemos os mais variados tipos de modelos que abusam da sensualidade e esquecem do conforto, como se a gente fosse usar as peças apenas no dia 12 de junho e acabou.

Pois eu gosto daquelas peças que você usa em um dia especial e depois usa mais ainda no dia a dia. Quando eu vi a campanha Mais Renda, para o Dia dos Namorados da Marcyn, vi que eles pensaram justamente nisso: peças que valorizam a sensualidade natural da mulher e que podem ser usadas com os mais variados propósitos. E ver a Nath e o Abner, marido dela, estampando a campanha me deu aquele quentinho no coração que a gente sente quando vê as amigas fazendo trabalhos lindos.

Deu para ver nessa sessão de fotos que o mote da campanha não foi paixão, luxúria e ser sexy só na ocasião, né? Tem muito mais a ver com celebrar um amor tranquilo e companheiro, que te deixe confortável para ser quem é ao mesmo tempo que te permite explorar toda a sensualidade que é naturalmente sua. 

Com cores como marinho, vermelho alaranjado, preto e berinjela, a coleção sai do clichê tanto na escolha cromática quanto nas modelagens. O modelo de sutiã triangular, sem aro e bojo, é o meu preferido da vida! A renda aparece em detalhes sensuais e as modelagens são as mais confortáveis, ou seja, é a tal combinação perfeita que eu estava falando ali em cima.

maisrenda-marcyn-dia-dos-namoradosSutiã vermelho | Body preto | Sutiã marinho
Calcinha berinjela | Calcinha preta | Calcinha vermelha

Aquela combinação que funciona tanto no dia a dia ou em ocasiões especiais. Aquela que não precisa de ninguém para te fazer sentir linda e sexy (mas se tiver, que bom!). Aquela campanha que se chama Mais Renda, mas na verdade traz mais amor mesmo, inclusive o próprio. <3

32 em Autoconhecimento/ Autoestima/ Destaque/ Moda/ Patrocinador no dia 05.06.2017

Look da Jô: lingerie, autoestima & o dia dos namorados!

Semana passada a Ca fez um post sobre como ela reviu sua relação com a lingerie e compartilhou conosco as peças que ela mais gostou da coleção da Marcyn, mais nova patrocinadora do Futi. Ainda no clima do dia dos namorados, eu vou fazer o mesmo mas de outra forma. Vou mostrar para vocês o que eu escolhi no site achando que iria ficar legal e na prática ficou bem melhor.

Para começar, ao longo dos últimos 24 meses minha relação com o meu corpo mudou muito. Vivi diferentes fases da auto descoberta e nesse processo foi uma delícia encontrar uma nova Joana. Uma mulher mais segura na cama, no sexo e na vida. Essa versão de mim foi descobrindo pequenas coisas que ajudavam nessa sensação gostosa de segurança e sentir-se poderosa, e uma lingerie que abraçasse meu corpo e não brigasse com ele, passou a fazer 100% de diferença pra mim. Não importa se era em momentos de intimidade com pessoas importantes pra mim ou apenas quando queria me sentir ~plena e empoderada, bonita e dona do meu nariz.

Foi nesse contexto que descobri que tanto para mim quanto para o outro, a lingerie poderia ser uma ferramenta que me fazia sentir BEM. Assim como um look que vista perfeitamente ou uma maquiagem que eu me sinta gata. Aquela sensação de “eu estou me sentindo muito” passou a me gerar mais confiança e aliada ao meu processo de autoconhecimento, o combo fez toda a diferença.

Sutiã cereja e calcinha alta

Ótimo? Sim, lindo. No entanto ganhei um pouco mais de peso e passei a ter um pouco mais de dificuldade. Com uma coisa pulando aqui ou apertando ali, aquela sensação de confiança nas minhas peças de sempre foi ficando menor e menor. No primeiro momento deixei isso pra lá, mas ao me ver trabalhando com a Marcyn, dei um nova chance à mim e pedi pra me mandarem as peças que gostei mais e acreditei que vestiriam bem no meu corpo.

Acabei pedindo várias e jurava que esse post teria umas duas fotos minhas e uma montagem linda do que eu gostei, mas a verdade é que tudo vestiu tão bem e me deixou tão segura, que resolvi fotografar tudo e mostrar pra vocês.

Sutiã roxo

Sutiã strappy bege

Sem dúvida nenhuma eu me impressionei que ao me perder no site da Marcyn encontrei muitos tipos de corpos e lingeries variadas, das mais clássicas às românticas. Das mais básicas às sensuais, mas tudo com uma pegada chique, elegante e bem acabada. Tudo chegou em casa com uma cara ainda melhor do que nas fotos.

Top cropped Riviera azul

Body em renda preto Riviera

E por que isso no Dia dos Namorados? Porque não vou negar que várias das vezes que eu me relacionei intimamente com alguém, a lingerie foi um detalhe a mais que fez a diferença – e que nada tinha a ver com querer agradar apenas o namorado. Uma mulher trabalhando sua autoestima e sua confiança pode sim se sentir ainda mais incrível com a roupa certa, a maquiagem que gosta e uma lingerie que vai fazer ela se sentir ainda mais sexy ou gostosa. Não é uma obrigação mas pode fazer uma diferença incrível para quem ainda quer ganhar mais e mais confiança naquela situação.

Quando me vi numa situação onde ia começar a me relacionar com outra pessoa, depois dos meus 6 anos de namoro, eu percebi que comprar uma lingerie que combinou comigo fez uma diferença enorme pra mim. Me deixou ainda mais confortável com meu corpo e segura. Desde então se eu tenho um encontro, uma festa, uma reunião ou quero me sentir super poderosa, aposto numa peça íntima que combine comigo, com aquele dia e com o como eu quero me sentir.

Uma “coisa” que eu achava que não era pra mim ou pro meu corpo passou a ser, indo muito além de se sentir sexy ou não, apenas me ajudando no processo de adorno, moda e beleza que eu curti para mim.

Nesse contexto quis mostrar pra vocês algumas escolhas que eu faria para o dia dos namorados, mas na prática eu fiz pra mim, mesmo sem namorado. Foi incrível fotografar com a Gabriela Isaias, que fez com que eu me sentisse plena e concordou comigo no quanto aquelas peças combinaram comigo e vestiram bem. Foi impressionante que fotos que poderiam ser as mais difíceis foram as mais libertadoras, a ponto de eu vir aqui e postar no blog. Feliz curtindo meu corpo como ele é hoje, ainda que eu pense muitas mudanças pra ele, mas nada disso impede que eu me olhe hoje com esse olhar amoroso e acolhedor que propomos no #paposobreautoestima, nada impede que eu busque o melhor olhar pra mim com o que tenho no espelho hoje.

Obrigada Marcyn, por essas peças que me caíram como uma luva e vão protagonizar muitas histórias com ou sem alguém. Obrigada, meninas por me deixarem tão confiante e à vontade a ponto de compartilhar minhas fotos curvilíneas com vocês. Pode parecer bobo, mas esse post foi muito libertador, jamais pensei nessa vida que passaria por isso.

Muito amor pra todas nós, dia 12 e todos os dias mais!

Beijos

fotos: Gabriela Isaias