Browsing Tag

casamento

2 em casamento/ Comportamento no dia 27.09.2016

#futiconvida: 8 Dicas para fazer um Mini Wedding

A Lyanna, dona do blog de casamento Noiva de Evasê, volta e meia escreve aqui sobre o assunto e hoje ela veio nos trazer mais algumas ideias!

Uma nova forma de celebrar o casamento tem se tornado um fenômeno em todo o Brasil: o mini wedding. Na verdade essa outra maneira de festejar o casório não é exatamente uma novidade, pois é algo bem típico dos casamentos gringos.

 

Não sei quais foram os fatores que tornaram essa opção um sucesso entre os noivos daqui. Não sei se foi a crise ou simplesmente o charme do mini wedding e a vontade de comemorar entre poucos e bons. Mas fato é que muitos casais procuram e desejam fazer uma festa intimista e – talvez – mais prática. Assim o mini wedding, que nada mais é do que um mini casamento, no exato sentido de ser uma pequena celebração para poucos e íntimos convidados, é a pedida do momento. E para que o seu mini wedding seja como vocês sempre sonharam, listei 10 dicas para começar os preparativos já.

1 – Defina a quantidade de convidados

O mini wedding é uma festa intimista, reservada e para poucos convidados. Considere no máximo 100 (cem) convidados e alguns casos pode ser ainda menor como 30, 50 ou 80 convidados. É a celebração perfeita para quem não gosta de grandes festas e procura curtir este momento apenas com amigos próximos do casal.

2 – Por quê fazer um mini wedding?

Alguns dos motivos mais citados são: orçamento apertado, desejo de realizar uma festa mais exclusiva e com pessoas próximas que realmente curtam o casal ou então investirem menos na festa para aproveitarem a lua de mel.

Hoje em dia muitos noivos pagam a própria festa e acumulam muitas despesas com estudos, a compra do primeiro apê, mobília e decoração do novo lar e, por uma questão financeira, optam por uma festa com menos convidados, o que influi diretamente no valor de contratação de inúmeros fornecedores de casamento que trabalham com valores relacionados à quantidade de gente convidada.

Também há casais que querem fazer uma festa reduzida e oferecer tudo de melhor para poucos convidados.

Foto: Camilla Bandeira

Foto: Camilla Bandeira

3 – Não subestime a organização!

A sua festa será para uma quantidade reduzida de convidados mas isso não significa que seja uma festa menos complexa e que não precise de organização. Muitas noivas optam pelo mini wedding achando que terão menos trabalho e não é bem assim que funciona.

O casamento será mini porém vários fornecedores precisam ser considerados, pesquisados e contratados, como: igreja/templo e celebrante; cerimonial/assessoria; música da cerimônia e banda ou DJ; os doces e bolo de casamento par compor a mesa, chocolates ou brigadeiros e bem-casados. Não é obrigatório escolher tudo, mas é tradição a mesa com bolo e bem-casados como lembrança e ainda outros itens do check list do casamento tradicional como vestido de noiva e acessórios como brincos, sapatos, grinalda; maquiagem e penteado. Ou seja: organização é fundamental, por menor que seu casamento seja.

Casamento em Natal | Magda e Tiago | Foto: Camilla Bandeira

Casamento em Natal | Magda e Tiago | Foto: Camilla Bandeira

4 –  Quem será convidado?

A lista de convidados é o grande desafio da organização de qualquer casamento. No mini wedding não é diferente mas o desafio é ainda maior porque muitas vezes os noivos têm que começar a convencer quem está dentro de casa. Quem nunca viveu ou ficou sabendo da história que os pais queriam convidar a primeira professora do maternalzinho que viu um dos noivos crescer ou convidar parentes que você nunca imaginou que tivesse?

A grade dica é ser honesto, franco e sincero: a festa será para poucos convidados e chamaremos apenas os mais próximos.

Fato é que os noivos precisarão fazer cortes para definir a quantidade e selecionar os convidados da sua lista, por isso sugiro considerar dois fatores: proximidade e amizade. Possivelmente não farão parte dessa lista colegas de trabalho (até mesmo o chefe) e parentes que vocês não têm contato, como por exemplo aquele tio, primo ou parente que vocês encontram a cada Copa do Mundo e que fica até difícil reconhecer com o passar do tempo. Se os noivos têm aquela família italiana que todos estão sempre juntos e grudados, aí só sobrará espaço para os amigos muito, muito íntimos. É um desafio e ultrapassada essa fase, o seu mini wedding tem tudo para ser um sucesso.

5 – Defina o orçamento

Definir o orçamento é fundamental não só para a contratação de vários fornecedores como também para ver o que pode ser cortado do checklist. Ele está diretamente relacionado ao estilo do casamento, pois os noivos podem optar por um brunch para um mini wedding diurno ou um jantar à francesa para um mini wedding noturno.

Mesmo se tratando de um casamento pequeno haverá um custo e quanto mais enxuto for o seu orçamento, mais simples será a sua festa, o que não significa que será uma festa incompleta. Os noivos farão escolhas de acordo com o orçamento, mas seu casamento tem tudo para ser lindo, charmoso e cheio de amor.

Fotos: Bliss

Fotos: Bliss

6 – Escolha seu estilo de casamento!

Por incrível que pareça, todos os tipos de casamento são possíveis no universo dos mini weddings. Os noivos podem ter um pequeno casamento com estilo praiano, campestre, rústico; criativo e DIY. Todos os horários também são permitidos.

Se o casal tem um orçamento largo e desejam fazer o mini wedding porque querem reunir apenas os mais chegados é possível ter um mini wedding sofisticado e luxuoso, se esse é o desejo dos noivos. Lembrem-se que todos os estilos são possíveis e mini wedding todo DIY (faça você mesma) é um charme, tudo depende do estilo do casal.

Se o mini wedding será praiano, campestre ou rústico, pode ser perfeitamente realizado durante o dia, pela manhã ou à tarde e vocês poderão servir, por exemplo, um brunch ou buffet fixo sem jantar. Para um casamento praiano os noivos podem servir comidas leves, cerveja ou coquetéis e para um mini wedding luxuoso os noivos podem oferecer um jantar completo e servir o melhor champanhe. Os principais critérios serão orçamento e estilo!!!

mini wedding em um bistrô Foto: Camilla Bandeira

mini wedding em um bistrô Foto: Camilla Bandeira

7 – Escolha um local

O seu mini wedding pode ser numa casa de recepções com espaço para poucos convidados e que ofereçam salões menores ou vocês podem considerar deixá-lo ainda mais com a cara dos noivos e receber os convidados na casa de praia, sítio ou fazenda dos pais, avós ou outros parentes. O seu mini wedding pode ser também num lindo jardim da casa de algum parente ou amigo e até a opção bem moderna de realizar o mini wedding num restaurant ou bistrô.

8 – Personalização e histórias contadas no mini wedding

O que torna um casamento marcante e inesquecível é a personalização!!! Uma festa com a cara dos noivos não se trata apenas de fazer uma identidade visual e papelaria única para o seu casamento, mas coisas que toquem o coração e que falem sobre vocês. Um casamento realizado na casa da família, seja praia, sítio ou serra, terá muito o que contar sobre a infância, adolescência e vivência da família.

Existem noivos que já têm filhos e nada se compara à emoção do pajem, da daminha ser o filho do casal. Alguém na sua família canta, por exemplo: sua mãe, pai, prima ou alguém bem próximo??? Essa pessoa pode cantar no seu mini wedding uma música que seja dos noivos. A mãe ou avó de um dos noivos tem uma receita tradicional e marcante na família??? Pense em servir esse prato da receita da família na sua festa. Alguém na família tem dotes com artesanato??? É hora de investir no DIY (faça você mesma) e fazer vários itens da decoração do casamento e colocar amor em tudo que foi feito com as suas mãos e com as mãos de quem ama o casal.

Fotos: Bliss

Fotos: Bliss

Espalhe fotos dos noivos, das famílias e até dos convidados em momentos com o casal. Já pensou chegar numa festa de casamento e se deparar com uma foto do convidado com os noivos relembrando o início da amizade, dos tempos do colégio ou faculdade??? Fotos de uma viagem inesquecível da turma ou momentos de infância e adolescência com os pais, irmãos, primos e tios naquela casa, que conta tanto sobre o amor e o tempo que passou, as lembranças daqueles que estão conosco e de quem já se foi. Certeza que seus familiares e amigos vão se sentir especiais e fazendo parte desse momento único e muita gente vai se emocionar. Isso que toca o coração torna qualquer festa inesquecível (inclusive as maiores!).

Se os noivos sempre sonharam em fazer um pequeno casamento e ainda estavam na dúvida sobre fazer ou não, siga as dicas, deixe a emoção fluir e faça o seu mini wedding inesquecível.

banner-lyanna-noiva-de-evase

1 em Europa/ Parceria/ Paris/ Trip tips/ Viagem no dia 07.03.2016

Trip Tips: Eternizando a lua de mel (ou outras datas especiais) em Paris!

Eita que hoje esse blog só está falando de Paris, né? Foi totalmente ao acaso, já que nos embolamos nas ordens dos posts (por exemplo, o DQF que era para sair hoje, mas não deu para terminar!), mas já, já voltamos com a programação normal! hehehe

Conhecemos o Chris Perona em Setembro, quando fomos passar o aniversário da Jô em Paris no meio da semana de moda. Estávamos procurando um fotógrafo para clicar nossos looks e uma amiga da Jô acabou nos indicando o primo dela. Ele foi o responsável por essas fotos nossas, para quem não viu!

Marcamos em um local perto de onde fotografaríamos e antes dos cliques, resolvemos sentar em um café para bater um papo. Foi desse jeito que ficamos sabendo mais sobre o seu trabalho, o Paris for Two. Como o nome já dá a dica, o Chris é especializado em fotos de casais que vão para a Cidade Luz curtir a lua de mel, noivado, aniversário de casamento ou qualquer outra data especial e querem eternizar o momento. Quem for casar por lá também pode contratá-lo!

Eternizando o aniversário da Jô e a nossa amizade! :)

Eternizando o aniversário da Jô e a nossa amizade! :)

Além de saber os pontos parisienses mais fotogênicos (provavelmente todos! hahaha), o Chris tem um olhar bastante especial para achar cantinhos interessantes, detalhes que criam o clima e ângulos diferentes. Quando a gente achava que já tinha explorado todas as possibilidades de um local, ele aparecia com mais uma ideia que ficava o máximo! E para quem acha que ficaria com vergonha, ele é uma simpatia e deixou a gente super à vontade, inclusive quando a gente quis repetir algumas fotos (blogueira costuma ser meio chata com alguns detalhes! haha).

Bem, vamos parar de falar porque o trabalho dele fala por si:

_DSC2452(low-res)

_DSF5290(low-res)

Harri_et_Alberto_Dez_14_0270

Ana+Cláudia+et+Ivan_0073

_DSF4264(low-res)

_DSC2624(low-res+ver+2)

_DSC6726(2+low-res)

Ana+Cláudia+et+Ivan_0023

Vai dizer que não dá vontade de pegar o respectivo e levar pra Paris só para fazer umas fotos dessas? :)

Eu, Carla, passei a lua de mel em Paris e me lembro que no longínquo ano de 2010 eu fiquei morrendo de vontade de eternizar aquele momento de um jeito melhor do que selfies ou fotos mal tiradas por turistas solícitos. Naquela ocasião eu pensei sobre esse tipo de serviço (nem sabia que existia, para ser sincera), mas só fui sentir falta mesmo quando já estávamos lá. Só conseguia pensar que pensamos tanto (e gastamos tanto) no casamento e deixamos a lua de mel para lá, sendo que ela é tão importante e única quanto o grande dia, né? Sem contar que as fotos do casal viajando e curtindo juntos um lugar diferente ficam muito mais românticas! 

Quem está de casamento marcado e pensa em incluir Paris como destino, vale conhecer o trabalho do Chris Perona, o Paris for Two. Lá tem mais fotos lindas, depoimentos, preços e contato. Depois contem para a gente se não vale a pena!

Beijos!

 

0 em casamento/ Comportamento/ Convidadas/ Moda no dia 25.01.2016

Vestido de noiva: olhou, provou e escolheu!

Vamos falar de mais um vestido de noiva? Em novembro de 2014 fui madrinha de casamento da minha amiga Alessandra, hoje é ela quem vai contar como foi o processo de decisão do seu vestido de noiva! <via Jô>

casamento-lele-2

Ninguém acredita, mas eu coloquei um único vestido e sabia que era aquele, não precisava experimentar mais nenhum. Cheguei no Atelier da Marie Lafayette e depois de falar como queria que fosse o vestido ela pegou um que era exatamente o que eu havia descrito. Foi mágico colocá-lo e ver que ficou como eu imaginava. O único ajuste a fazer era no comprimento da manga, eu queria que fosse até o pulso – o que eu experimentei era manga ¾. Tirando isso, todos os outros quesitos estavam preenchidos, ele era único e exatamente o que eu queria.

Claro que ninguém deixou que eu comprasse o primeiro sem ver outras opções, minha mãe e minhas amigas insistiram muito para que eu olhasse em outras lojas/ateliês. Aceitei o conselho, afinal até aquele momento eu nunca tinha colocado um vestido de noiva e a sensação era boa, seria legal vestir outros para ver como ficava, mas no fundo para mim já estava decidido, o primeiro vestido era exatamente o que eu imaginava. Fui embora sem fechar o vestido mas com um aperto no coração.

camamento-lele-1 casamento-lele-6

Meu casamento inteiro foi programado com bastante objetividade, com o vestido não seria diferente, sabia exatamente como queria! Ao longo do tempo fui juntando referências e todas tinham a mesma linha, acho que por causa disso, foi uma tarefa relativamente fácil encontrar o meu vestido perfeito. Saber o estilo e as características facilita muito na hora de começar a procurar. São tantas as opções que dá para ficar completamente perdida.

casamento-lele-4 casamento-lele-5 casamento-lele-3

Comecei a marcar as visitas nas lojas e ateliês já com uma listinha de especificações, teria renda, ombros de fora, manga comprida, sempre achei lindo a renda no pulso, não queria cauda – já tinha visto muita noiva sofrendo com a cauda do vestido na festa e não queria isso para mim.  O botãozinho que prende a cauda solta o tempo todo, os convidados pisam no vestido, sempre achei isso muito incômodo de ver, mas é inegável que fica lindo na igreja. Para substituir o efeito da cauda escolhi compor com uma mantilha e funcionou super bem.

Sempre soube que mandar fazer não ia ser uma opção para mim. Fico muito nervosa em não ter certeza do resultado final e sempre tive um pé atrás com costureiras. Acho que acabam interpretando diferente ou que acham que sabem o que fica melhor. Para minha ansiedade teria que ser um vestido pronto ou com poucos ajustes a fazer.

Inicialmente queria alugar o vestido, não só por uma questão financeira, mas de desapego mesmo. Se desfazer do vestido não seria tarefa fácil, mas sendo alugado eu não teria opção e para mim isso era um ponto a favor, afinal, o que fazer com o vestido depois do casamento? Claramente nem tudo sai 100% como planejado e o vestido “amor à primeira vista” era para venda apenas. Bom, paciência, fui ver outros lugares também na esperança de achar algum que desse para alugar.

Voltei no Atelier da Marie uma semana e muitos vestidos experimentados depois e ao colocar novamente o meu vestido tive mais do que certeza de que era aquele. Acertamos os detalhes a serem ajustados e tudo estava resolvido. O vestido não poderia ter sido mais perfeito para mim, clássico e romântico.

Falando tecnicamente a respeito do vestido, uma das coisas que me fez escolher não foi apenas o modelo ou a renda, mas também o suporte incrível. O corpete tem uma estrutura super firme que te deixa com a postura perfeita, e apesar de ser um vestido sem alça, dava muita segurança. Nenhum outro lugar que eu fui conseguiu oferecer nada parecido e isso foi com certeza um dos pontos determinantes na escolha.

Quanto ao sapato, para mim era tão importante quanto o vestido. Sou baixinha e vestido longo, branco, com saia de volume não ia ficar legal se não acompanhasse um super salto. Claro que eu tinha uma lista de quesitos para o sapato também e já encontrei dificuldade no primeiro quesito: não conseguia achar nada para comprar que fosse branco.

casamento-lele-9

Acho que comprar sapato de noiva é a tarefa mais difícil, as lojas não tem nada especifico – fiquei chocada com essa descoberta! – e foi aí que me indicaram um atelier que faz sob medida. Caiu como uma luva! Nesse dia levei o noivo, pois queria definir o salto de forma a ficar proporcional, mas não muito menor do que ele. Em duas visitas o sapato estava pronto e foi uma delícia poder montar exatamente como eu queria.

No final das contas foi uma experiência maravilhosa e hoje posso dizer que escolheria tudo exatamente igual. Acho que o melhor conselho que posso dar às noivas é ter calma, aproveitar o momento e tentar ser o mais objetiva possível. Todo o processo é muito gostoso e, no dia, ver o seu sonho pronto é magico.

Beijos

Lele