Browsing Tag

bolsas

0 em Bolsas/ Destaque/ Moda/ Publieditorial no dia 11.05.2017

Coach & o presente de dia das mães!

Há algumas semanas a Carla me mandou uma foto mostrando um presente que ela e a mãe tinham acabado de comprar para a avó dela: uma bolsa maravilhosa da Coach, verde militar, compacta mas espaçosa, com vários compartimentos, zíperes e bolsos e dois tamanhos de alça (o tal modelo se chama Mercer para quem interessar, é o tipo que agrada mulheres de todas as idades mesmo!).

Depois desse bate papo, acabamos falando um pouco sobre a marca e chegamos à conclusão que ela é uma das melhores da atualidade para dar um presente especial. Ou ser presenteada. Ou auto presentear hehehe, afinal, poucas coisas na vida são tão recompensadoras quanto se dar um presente incrível.

A qualidade é excelente; os modelos de bolsas são super variados e feitos para todos os tipos de mulheres e gostos; as cores são inspiradoras, ótimas para fazer a gente sair da nossa zona de conforto quando o resto do look todo é básico; sem contar o preço, muito justo para tantos elogios.

Por aqui bolsas da marca já fizeram sucesso como presentes de sogra, de avó, auto presente e, agora de mãe também, mais especificamente, a minha.

Essa semana a Coach me chamou para ser a anfitriã de um evento muito gostoso de dia das mães na loja do Shopping Leblon (a única do Rio de Janeiro) e entre amigas e leitoras, é claro que eu levei dona Margô para ser minha companheira da noite e ganhar um presente, claro.

Para o evento, eu acabei escolhendo um modelo que eu sou apaixonada há anos e finalmente pude comprovar na prática que ele é tudo aquilo que eu imaginei que seria: a Swagger! Ela é um dos clássicos da marca e é o tipo de bolsa perfeita para bater muita perna. Ela vem em 3 tamanhos (a minha é a maior, a 27) e cabe muita coisa, ao mesmo tempo que é leve e ainda por cima transpassada. O tipo de modelo que vale a pena dar uma olhada com carinho.

Escolhi a verde e só agora eu percebi que fui influenciada pelo presente da Cá hehe

Minha mãe acabou escolhendo a versão um pouco menor, a 20, e eu particularmente adorei porque vou poder roubar bastante. Aguardem que muitos looks com ela ainda vão aparecer por aqui!

Mostrei muita coisa no stories, mas como em breve os vídeos sumirão e recebi muita mensagem de meninas querendo saber preços e mais detalhes, achei que valia a pena mostrar tudo por aqui também. Se você está querendo presentear sua mãe ou pensando em se dar um presente legal, dei um jeito de fotografar as mais bacanas e com aquele preço que não nega o bom custo-benefício.

E aí, já tem uma ideia de presente? :)

2 em Bolsas/ Moda/ Sapatos no dia 27.04.2017

Ju Ali & Capodarte para o Dia das Mães

Faz tempo que não faço um tipo de post desse tipo, em que mostro a coleção de uma marca, mas a verdade é que quando ficamos sabendo que a Ju estava assinando – e ilustrando – uma coleção de Dia das Mães para a Capodarte, a gente (sim, to falando pela Jo também) ficou tão feliz que parecia que era projeto nosso.

Caso vocês não saibam, a Ju – que além de amiga, colabora com o Futi com posts sucintos sobre assuntos muito relevantes – é uma artista de mão cheia e há alguns anos ela faz um trabalho bem bacana de customização de bolsas. Quando conhecemos ela, na época em que todas éramos do Fhits, conhecemos também seu trabalho, que ela divide no instagram pela #jucustomiza.

Naquele período a vida de blogueira da Ju era mais movimentada que a de artista plástica, mas de uns tempos pra cá, ela resolveu focar na sua arte e tem feito trabalhos cada vez mais primorosos. Eu, que sou uma apaixonada por ilustração, acompanhei toda a sua evolução e, acho que por causa disso, quando fiquei sabendo que uma marca de acessórios super bacana chamou ela para assinar uma coleção com uma ilustração exclusiva dela, eu vibrei tanto. Porque é merecido pra caramba e porque ela é super talentosa. E porque é muito bom ver alguém que você gosta fazendo um trabalho que ama e sendo reconhecida por isso. Então, como não prestigiar a amiga – e colunista? Olha só a rosa que ela fez e que está estampando slip ons, sandálias, sapatilhas e bolsas?

Quem for de São Paulo, Florianópolis e Porto Alegre, ela estará em algumas lojas Capodarte durante o mês de Maio personalizando bolsas da marca (que podem ser presentes para mães ou para vocês também, claro!).

O evento nas lojas será mais ou menos isso, ó:

Quem não conhece o trabalho da Ju de customização de bolsas, vou aproveitar para mostrar algumas das bolsas que eu mais amo. Quem sabe não vai dando ideias? Só de curiosidade (e a Ju ficar sabendo também, porque eu nunca falei pra ela hahaha), eu tenho uma pastinha no computador que eu separo todos os trabalhos dela que eu mais gosto só para ver se eu me decido.

Sim, porque desde 2013 eu falo para a Ju que eu quero uma bolsa minha customizada por ela, sempre recebo uma resposta empolgada do tipo “agora, Carlinha! Claro! Vamos!” e eu ainda não fiz nada simplesmente porque fico muito indecisa.

Será que eu faço estilo Banksy?

Ou algo mais pop art?

Definitivamente pop art

Pera, será que ilustro com pontos turísticos da minha cidade preferida (tentada a botar o cristo redentor por motivos de saudades)?

Ou pinto o Jack?

Hmmm, posso fazer uma oncinha estilizada, né?

Ou quem sabe ter intervenção só em uma parte da bolsa??

Ahhh, não, vou querer estilo old school com certeza! :) Entenderam a minha dificuldade?

Quem quiser ver mais trabalhos da Ju é só começar a segui-la no insta @julianaali ou então procurar pela #jucustomiza!

Vai dizer, tinha como eu não prestigiar essa pessoa super talentosa?

1 em Autoestima/ Destaque/ Moda no dia 03.04.2017

Frase do ano: Seja você mesma a sua marca favorita!

Eu gosto de marcas de luxo. Gucci, Chanel, Hermès, Dior, Valentino, Dolce & Gabbana, Prada. Mais especificamente bolsas – e alguns sapatos. Sou dessas que costuma passar meses – quando não anos – economizando e namorando um modelo específico, mas também já aconteceu de eu ser impulsiva e escolher gastar aquele dinheiro que eu tinha guardado e que poderia ser usado para tantas outras coisas (inclusive para economias). Impulsiva mas sempre com consciência, afinal eu não tenho como pagar o preço de comprar um acessório caro que não compense o uso x benefício.

Nunca comprei nada para ostentar, diria que meu gosto por bolsas caras acontece por inúmeros motivos, desde ter aprendido com a minha mãe a gostar disso como também uma série de fatores que considero muito atraentes. A qualidade me atrai, o acabamento impecável me atrai, a embalagem me atrai, a experiência de compra me atrai, e não vou ser hipócrita, também me sinto atraída pelo status que confere, apesar disso ser a última coisa que eu penso (quando eu penso) na hora de entrar numa loja dessas.

Estou falando isso tudo porque outro dia cruzei com um texto que me fez parar para pensar, vou reproduzi-lo aqui:

 

“Adoro a elegância de uma bolsa sem nome nem sobrenome que se destaca apenas por sua qualidade e design. Nada contra grifes, muito pelo contrário, adoro a história que algumas delas carregam por trás do nome famoso. Mas as vezes é bom comprovar que estar bem vestida tem pouca (ou nenhuma) relação com a marca que você ostenta. Seja você mesma sua marca favorita!”

Eu concordo tanto com isso, mas tanto! Mesmo tendo muito mais bolsas grifadas do que anônimas no meu armário atualmente, é inegável que elegância e ostentação são quase antônimos. Aliás, já vi muito mais caso de gente cafona grifada da cabeça aos pés do que totalmente vestida de fast fashion.

Mas o que me marcou mesmo, do texto todo, foi a última frase. Quer algo mais empoderador do que “seja a sua marca favorita”??

Falando em bolsas, esse texto também me lembrou da única bolsa de mão que eu trouxe pra cá. Só ela veio porque ela é justamente o acessório desse segmento mais diferente, único e interessante que eu tenho no armário, e combina com tudo. Sei que se um dia eu precisar ir para um lugar que pede esse tipo de bolsa, ela não vai me deixar na mão. E posso contar a procedência?

Um desfile de moda. Sim, era brinde de um desfile da Animale, vinha com uns produtos amostra grátis dentro se não me engano, mas eu achei as cores maravilhosas e o tamanho super adequado.

Por um tempão eu fiquei com vontade de usá-la mas toda vez que botava no look eu ficava com medo de ter “cara de brinde”, ou achava que ia para um lugar chic demais para ir com bolsa que foi jabá de desfile (aqueles lugares chics que todas as mulheres estão com bolsas grifadas de muitos mais mil reais que todas as minhas juntas, sabem?) Até que deixei de bobeira e comecei a usar, chutem o que aconteceu? Ela é uma das minhas bolsas mais elogiadas, em disparada. 

Devaneei, devaneei, e por que falei isso tudo? Porque já cansei de ver pessoas frustradas porque acham que não vão conseguir ser estilosas que nem a blogueira que se veste com looks de 30 mil reais pra cima. Porque já perdi as contas de quantas pessoas já gastaram o que não podiam em uma bolsa de luxo para impressionar pessoas que na verdade não estão nem aí. Porque já vi gente muito bacana, sensata e cheia de qualidades marcantes ser endeusada – e ter o saco puxado até quase atingir o chão – só por ter um armário quase todo grifado. Sei lá, acho que to um pouco cansada de toda essa distorção, afinal, uma bolsa de marca pode ter mil qualidades, mas ela nunca conseguirá trazer elegância para alguém deselegante ou segurança para uma pessoa insegura. 

Ao invés disso tudo, que tal a gente trabalhar para ser nossa marca favorita?? Tendo grifes ou não, que tal a gente não depender de nada além do nosso gosto e da nossa sensibilidade para escolher peças que nos façam felizes para nos tornarmos nossa melhor versão também no nosso estilo?