Browsing Tag

* BELEZA

1 em Beleza/ Destaque/ pele/ Publieditorial no dia 28.11.2017

Verão, proteção solar e menos base para curtirmos!

Quem me conhece sabe que protetor solar para o rosto é um item um pouco dramático na minha vida. Eu não vivo sem, mas não testo muitos. Por que? Ele precisa ser “multi tarefas” e, de quebra, se dar bem com a minha pele.

Nos últimos anos tive coragem de testar poucos lançamentos e um deles só aconteceu quando, depois de uma conversa franca com a turma da L ‘Oréal, eu resolvi testar os da linha Anthelios Airlicium. Ela possui tecnologia de controle inteligente de oleosidade, através de sua molécula Airlicium™, patenteada pela L’Oréal e composta por micropartículas matificantes encapsuladas em 99% de ar, que controla dinamicamente o brilho toda vez que a pele produz oleosidade ou umidade. Isso é muita tecnologia, não é mesmo? Pois bem, fica ainda mais interessante. O ativo foi desenvolvido inicialmente para capturar poeira interestelar em operações espaciais. Logo eu, a louca das estrelas, AMEI saber disso. 

A linha Anthelios Airlicium foi desenvolvida especialmente para o Brasil. Quem lembra quando falei do fps 30? Então, hoje vamos falar do filtro de fator de proteção solar 70 e seu lançamento de cores diferentes. Agora as opções serão mais do que “com cor” ou “sem cor”. A marca lançou 3 opções de cores, visando começar a atender mais tonalidades de pele, ainda mais no Brasil, onde temos tantas versões e misturas.

Anthelios Airlicium FPS 70 Cores veio para atender mais mulheres que, como eu, gostam da opção de proteção solar com cor para a rotina, ou até mesmo para dias de praia e piscina, onde o fator de proteção precisa ser ALTO, mas as vezes a gente quer deixar a pele mais uniforme sem usar base e ter essa opção é uma mão na roda. Com esse FPS, então, é perfeito!

O lançamento tem a mesma ação antioleosidade e tecnologia, mas agora com diversidade de cores, para ainda mais gente. Anthelios Airlicium Cores tem uma absorção super rápida, deixa a pele sequinha mesmo sendo gel-creme, a textura não é pesada (mesmo sendo 70) e controla de forma eficaz a oleosidade. A marca afirma que o produto  proporciona uma sensação de pele limpa por 9 horas graças ao ativo Airlicium. Eu nunca parei pra prestar atenção nas horas, mas também não costumo sentir que minha pele “venceu” quando uso a versão sem cor. A única coisa que acontece é que se eu estiver na praia ou piscina, acabo repassando o produto frequentemente, afinal, depois de anos tomando muito cuidado com a pele, o hábito de proteger meu rosto está automático. E é uma forma de deixar o rosto brilhando menos.

Por que é tão importante optarmos por um fator de proteção tão alto no verão? Minha dermatologista Dra. Vanessa Metz, sempre fala que é importante para a saúde da pele, e como sou meio apavorada de queimar o rosto ou dar mole com essa história de câncer de pele, confio cegamente. O alto fator de proteção contra os raios UVA previne o fotoenvelhecimento, o surgimento de manchas solares e evita danos profundos à pele, ou seja, prefiro sempre não correr riscos. 

Para mim o ideal foi o pele clara, e além dela tem mais outras 2 opções “com cor” disponíveis no mercado. Eu estava usando frequentemente a versão sem cor por baixo de uma base de alta cobertura, mas vou aproveitar essa linha para dar um descanso para o meu rosto e usá-la tanto no dia a dia quanto no descanso.

A marca é uma das melhores do mercado e sem dúvida alguma é uma das que mais compro, ganho e uso. Acredito que o produto vai ser sucesso de venda pra quem pretende aproveitar demais o verão com toda a proteção possível. Já vou organizar meu estoque porque o nordeste me espera. :)

Eu usando a cor “pele clara”

O preço sugerido do produto é R$89,90, mas consulte seu dermatologista antes. A tecnologia Anthelios Airlicium foi super recomendada para minha pele oleosa pela minha dermatologista, mas ela prescreve os produtos sabendo o que eu uso e o que combina. Por isso é sempre bom checar antes com o seu profissional de confiança.

A gente sabe que muitas de vocês compram os produtos quando vão na farmácia, mas quem quiser mais comodidade, dá para comprar COM FRETE GRÁTIS nas entregas para todo Brasil nesse link da Drogarias Pacheco. 

Espero que vocês experimentem nos testers as novas opções de cores e vejam se alguma funciona pra vocês, eu vou aproveitar a minha opção nesse verão.

Beijos

0 em Beleza/ Cabelo/ Destaque/ Patrocinador no dia 22.11.2017

Transformação do cabelo: muito além de um antes e depois!

Lembram que eu falei semana passada que eu ia mudar? Pois bem, mudei! Finalmente sábado consegui tirar um tempo – ou melhor, consegui ajustar a agenda do marido com a do salão, afinal, precisava que ele ficasse com o Arthur – para fazer meu cabelo.

Essa foi a foto que eu postei e recebi várias mensagens perguntando se tinha escurecido meu cabelo: não, isso foi resultado de 1 ano sem retocar as luzes! :)

Enquanto estava no caminho para o salão, com a linha completa de coloração que a Bio Extratus me enviou para experimentar, me deparei com uma frase que até postei no insta onde dizia: “não é mudando que você se ama, é se amando que você muda”. E isso nunca fez tanto sentido para mim, combinou perfeitamente com essa minha fase.

Porque talvez vocês não saibam, mas eu já tive cabelos pintados de vermelho. Eu tinha 19 anos, tinha passado o ano anterior enlouquecida com o vestibular, engordei, não tinha mais roupa, não sabia quem eu era e resolvi pintar o cabelo porque estava insatisfeita, sem me reconhecer. Queria me reencontrar e depositei todas as minhas esperanças na mudança da cor do cabelo.

Eu, com 19 anos, tirando foto no banheiro com Cybershot. rsrs

Obviamente isso não aconteceu. Por isso mesmo, acho que a mudança capilar não adiantou de muita coisa naquela época. Depositei muitas expectativas nessa mudança. Eu tinha pouca autoestima sobrando naquele momento, achei que essa transformação me ajudaria nesse processo de reconstrução, mas não aconteceu dessa forma. Mudar o cabelo foi uma mudança superficial naquele momento, ela foi efetiva só até certo ponto, mas seria muita pretensão que uma cor de cabelo reorganizasse tanta coisa desajustada naquele momento.

Engraçado como as cores podem ser parecidas, mas as motivações não poderiam ser mais diferentes. Dessa vez meu objetivo era outro: eu queria mudar porque eu estava muito segura de mim. Eu queria mudar porque minha relação com o meu cabelo está em sua melhor fase – então, por que não experimentar algo novo? Acho que meu cabelo nunca esteve tão bonito e foi uma delícia curtir isso e me sentir segura o suficiente para mudar, brincar com meu visual num momento tão gostoso da minha relação com o espelho, em que sinto que estou cuidando de mim pelas razões mais honestas que eu já tive. Foi justamente por estar achando ele bonito que eu senti vontade de aproveitar todo potencial de adorno que ele tem. E claro, minha experiência aos 19 anos, por mais que não tenha sido 100% bem sucedida no que eu esperava dela, me ajudou a não ter medo dessa mudança que, para muita gente que acompanhou, foi super radical.

Na verdade, a referência que eu tinha era algo muito mais claro do que está, quem leu meu primeiro post falando do lançamento de Bio Extratus Color sabe disso. A tintura que eu escolhi – a 9.4, loiro muito claro acobreado – é a ideal para quem quer o visual que eu mostrei aqui na semana passada. Só que chegando no salão, o Rogério – o profissional que mexe no meu cabelo desde que eu cheguei aqui em NY – achou melhor não chegar nessa cor logo de uma vez. Eu confiei, afinal quero mudar o visual, mas com todo cuidado que meu cabelo merece, não a qualquer custo.

Eu estava sem fazer luzes desde Dezembro de 2016, o que quer dizer que tinha muito cabelo virgem na jogada, castanho escuro ainda por cima. Para chegar naquele tom eu teria que descolorir, e ele achou que seria um procedimento bem mais agressivo para o estado que meus fios se encontravam. Também demoraria mais e gastaria um tempo que eu não teria naquele dia, coisa que as mães vão me entender perfeitamente. Preferi seguir com a opinião de especialista dele, e aí a gente vai clareando com o tempo. Se bobear é até bom para eu ir me acostumando com as tonalidades ruivas. :)

Só sei que quando virei para o espelho, lá estava a Carla com uma cor de cabelo super parecida com a da Carla de 19 anos. Por um segundo lembrei de todo aquele período de insegurança, mas quando olhei de novo, aquela Carla realmente não estava ali. Que sensação maravilhosa me dar conta que a Carla de frente do espelho em 2017 pode até ter outras questões e inseguranças, mas que não é mais aquela que deposita esperanças em mudanças externas.

E quanto ao cabelo em si? Para começar, eu fiquei espantada que a cor conseguiu chegar nesse tom logo de primeira. Ainda não é a cor final e ainda está mais escuro do que eu tinha planejado, mas levando em conta que não usamos o pó descolorante, eu achei muito bom! E o principal? Eu to apaixonada pelo toque. O tutano na fórmula, que é exclusivo da Bio Extratus e diferencial no mercado, ajuda a hidratar enquanto colore e isso realmente acontece. Lavei ele dois dias depois de pintar, e quando sequei (tá frio aqui, não tenho conseguido deixá-lo secando naturalmente), ele estava super sedoso, os fios nada embaraçados. O brilho também é notável. Confesso que fiquei pensando em não descolorir, afinal, por mais que eu cuide muito, é normal que resseque demais, coisa que a tinta claramente não fez. Veremos.

Aliás, percebi nessa semana que a tinta também está ajudando demais a controlar a oleosidade. Nesse período que eu estava com a raiz virgem bem comprida, eu cortei um dobrado com ele, porque ela voltou a ficar super oleosa em tempo recorde. A linha pós química de abacate com jojoba – que eu amo – é tão hidratante que a minha raiz não aguentou, só podia usar nas pontas. A mesma coisa aconteceu com a linha pós coloração, que é ainda mais hidratante e não funcionou tão bem (comecei a usar ela novamente essa semana, vamos ver como ela vai se comportar nessas outras condições capilares). Tem sido um alívio poder voltar a lavar meu cabelo dia sim, dia não sem me preocupar tanto se a raiz vai ficar oleosa.

Eu estou super satisfeita com o resultado e feliz por ter escolhido uma cor tão diferente do que eu tenho feito há tanto tempo, parece que essa cor combinou perfeitamente comigo e com esse meu momento de vida em Nova York. O que vocês não imaginam é como fiquei impressionada com o sucesso que a mudança fez no instagram!!!! Acho que não lembro de um post meu ter tido tantos likes, tampouco lembro de ter recebido tantas mensagens diretas antes. Não que a popularidade nas redes sociais influencie minha opinião, mas não nego que é uma injeção de elogios no processo de construir uma boa autoestima receber tanta mensagem positiva. Elogiar faz bem a quem faz e quem recebe. :)

Quem estiver pensando em mudar, sugiro conhecer a linha de Bio Extratus Color e conversar com o profissional que cuida dos seus cabelos para juntos, definirem a melhor ideia para vocês. Juro que não é só porque eles são patrocinadores do blog, mas o resultado foi muito melhor do que eu tinha imaginado, inclusive com a minha auto percepção. A marca demorou bastante tempo para lançar o produto até o resultado ficar do jeitinho que eles queriam, trazendo algo pro mercado que não tinha antes (espero que o tutano nessa fórmula traga o mesmo sucesso que o ingrediente em si trouxe para empresa anos atrás). O cabelo novo não foi feito para suprir nenhuma falta de amor próprio, mas estou amando me enxergar com novos olhos e me ver diferente nessa fase tão gostosa em que busco me conhecer cada dia mais e melhor.

1 em Beleza/ Cabelo/ Destaque/ Patrocinador no dia 30.10.2017

Sustentabilidade, ética, projetos sociais e muito do que faz um mundo melhor.

Eu estou há algumas horas buscando inspiração para escrever sobre a visita à fábrica da Bio Extratus. Nada que passou pela minha cabeça parecia bom o bastante, nada parecia fazer justiça ao que eu vi e vivi nos dois dias em que estive na fábrica em Minas.

Estaria mentindo se dissesse que foi chocante ou surpreendente. O motivo? Todo mundo que conhecia a fábrica me dizia que eu iria morrer de amores, que o verde era incrível, que os peixes na água de reuso eram impressionantes, que a forma da família gerir era algo que praticamente não existe em indústria hoje em dia e que a vibração do lugar tinha algo que transcende a explicação. É inegável que eu fui com a expectativa muito alta.

Nesses 3 anos e alguns meses sempre conversamos com as mulheres do marketing sobre produto, sobre a qualidade e entrega dos mesmos, mas foi numa viagem há pouco mais de um ano que eu fiquei sabendo da energia solar da fábrica, do tratamento de água, dos prêmios e selos relacionados à sustentabilidade. Algumas vezes no escritório de Belo Horizonte e pronto, todos os funcionários só falavam no casal, nos donos e no quanto eles ligam para a relação interpessoal, para a energia colocada nas coisas e para a verdade do trabalho.

Só pela maneira de aprovação dos posts e briefings 100% livres eu já sabia que eu e Carla somos 100% privilegiadas de trabalhar há tantos anos com a Bio Extratus, mas foi na visita à fábrica que eu enxerguei o tamanho do meu orgulho de sermos embaixadoras dessa marca, que compartilha tantos valores nossos e do #paposobreautoestima.

E se você está pensando: Joana, isso é um publi, você tem que falar isso… Já começo dizendo que não, não é bem assim. Nunca vendemos elogio, vendemos o espaço publicitário da resenha ou da informação de lançamento. O que eu precisava contar é que fomos a fábrica para a gravação da final do #bioextratusreality, quadro do programa QUE BELEZA da RECORD NEWS. Foi um barato estar com todo mundo do programa mais uma vez, mas não é sobre isso que eu vou falar agora.

Se eu vi a Bio Extratus entrar na vida das nossas leitoras e amigas por causa da qualidade do produto, hoje vou dizer pra vocês que estamos comprando mais do que isso e mais do que um produto que envolve princípios ativos da natureza. Estamos comprando uma causa, quase uma maneira de provar que dá para empreender de uma forma tão linda que mais parece utópica, mas que eu vi com esses olhos aqui.

Já tinha um tempo que eu sabia que a marca investiu para que a energia de todo o terreno da fábrica fosse proveniente de placas fotovoltaicas , que usam a luz do sol para produzir energia. É energia limpa, é lindo, é da natureza, mas é caro. Nesse caso a previsão é que demore de 7 a 10 anos para haver realmente uma economia financeira na conta, mas pra eles é mais do que isso. É sobre estar DESDE JÁ beneficiando o meio ambiente. Quando eu questionei o Seu Lindouro, o responsável pelo Projeto Sol Nascente, e um dos diretores da Bio Extratus, sobre os anos que demoram para ter algum retorno financeiro, ele me respondeu que a melhor recompensa já acontece hoje, e ainda me deu o número preciso do dano que a fábrica deixaria de gerar ao meio ambiente. Eu confesso que esqueci esse dado, mas sua resposta simples e sincera me marcou.

Eu quero contar a história inspiradora e motivacional desse casal e seus filhos pra vocês, mas hoje eu vou trazer o olhar da sustentabilidade. A empresa se preocupa genuinamente com a natureza, com os funcionários e com o produto final. Eles nasceram para empreender com responsabilidade. Fui só mais uma das que sentiu uma lágrima cair durante a palestra da dona Vera, esposa de seu Lindouro, e uma das diretoras da empresa, antes de passear em todos os espaços da fábrica.

A história de como eles começaram é linda e inspiradora e até poderia render um post, ou um livro (fica a dica), mas vou me ater a falar do quanto vejo de valor nas motivações genuínas que eles têm na forma de tratar os funcionários, a natureza e os moradores da cidade de Alvinópolis.

Vocês já ouviram falar em distribuidores que pegam seu próprio dinheiro para doar um ônibus para o projeto social da marca? Isso tem lá. E funcionários de fábrica que juntaram um pouquinho de cada um e contrataram um show de teatro para o chefe? Também tem lá. Eu NUNCA nessa vida de blogueira e de CLT vi TANTO AMOR numa fábrica (eu trabalhei em duas e já visitei algumas).

Nessa visita muitas coisas me impressionaram: a palestra, a visita em si em cada parte da fábrica, a quantidade de produtos e a Fundação Bio Extratus, onde o trabalho social que eles fazem na comunidade com atividades de música, arte e dança me fez soltar lágrimas nos olhos. Acho que poucas vezes na vida senti tanto orgulho de fazer parte de algo. Nós duas fomos as primeiras blogueiras fixas contratadas pela marca, nós duas estamos aqui até hoje. Assim como os primeiros funcionários, que trabalham na Bio Extratus há 25 anos. Eles são assim, não tem muita explicação.

O casal, os filhos e o sonho são todos de uma simplicidade, competência e esforços únicos. Nesses quase 8 anos de blog trabalhei com grandes marcas, boa parte dos segmentos de mercado investiram no futi e eu nunca tinha visto nada assim. Lutando contra os preconceitos e tendo embaixadoras digitais cheias de propósitos maiores do que ter likes na foto, a empresa mostra que seus valores não são deslumbrados. É tudo verdade.

O tratamento de água em si é muito bacana, e ela é usada da descarga ao lago com centenas de peixes. que nadam nas águas tratadas. Para vocês entenderem um pouco do clima que eu senti, um desses peixes se chama Chico e é peixe de estimação da fábrica que vem para comer e receber carinho das mãos do Sr. Lindouro. Ver aquela cena me fez acreditar que existe um encanto, uma benção do divino por ali.

Enquanto eu andava dentro da fábrica atual (a nova ainda vai ficar pronta) me perguntei várias vezes sobre as placas que falam da responsabilidade pelos atos e outras mensagens positivas e humanas. Depois me arrepiei ao ouvir a história que dona Vera pede para que todos façam os produtos com a melhor energia e o maior amor, afinal, o produto vai na cabeça das pessoas. Eu, que acredito muito na circulação de energia do corpo, entendi mais uma vez que o mesmo amor que a gente sente vindo do marketing existe na hora de fazer os produtos e existe na hora que a empresa permanece na família com seus valores.

Para algumas pessoas, investir em tudo isso é jogada de marketing, ou mesmo um discurso para venda, no caso deles é o contrário. Eles foram fazendo as coisas e depois buscando os selos como consequência. Tem a ver com a forma como eles levam a vida, na pessoa jurídica e física. Nós trabalhamos com a marca há anos e vocês nunca leram sobre isso porque não era um argumento vazio, que lia em um release e transcrevia, era algo que precisávamos ver para falar aqui.

Se antes achávamos que a empresa era incrível pela comunicação mais verdadeira e transparente que já vimos ou pelo produto DE QUALIDADE, sempre elogiado por vocês (que nos mandam muitos feedbacks positivos), hoje entendemos que é muito mais do que isso. O investimento do marketing sempre foi focado na performance dos seus produtos, então a última coisa que podemos dizer é que o discurso é vazio ou para vender. Ainda que o mundo precise de mais fábricas assim, independente da motivação.

Eu voltei com muito orgulho de tudo. Nunca fez tanto sentido a forma que eles abraçaram todos os nossos projetos, nunca foi tão lindo ver de perto desde o cuidado com a natureza ao trabalho social, nunca foi tão emocionante estar de braços dados com uma empresa. Eu não sei quantos anos mais vamos ficar juntos, mas com toda certeza nós duas nos orgulhamos muito desses 3 anos de histórias juntos, construídos na internet e solidificados com essa visita, mas sempre com muita verdade e respeito à vocês, a nós e a eles.

Obrigada Bio Extratus por me ajudar a restaurar a fé no mundo, por acreditar no que temos para dizer, na nossa credibilidade e no que nem sabemos fazer ainda, mas vocês já apostam. Obrigada por serem essa família-firma na nossa vida.

Beijos

Se você gostou, pega esses links para você ler:

Link: Responsabilidade ambiental
Link: Responsabilidade social
Link: Fundação Bio Extratus
Link: História da marca