Browsing Tag

arquitetura árabe

0 em Destaque/ Oriente Médio/ Trip tips/ Viagem no dia 11.10.2017

Trip Tips: O que fazer em Abu Dhabi

Diferentemente de Dubai, Abu Dhabi é um emirado mais low profile (mas ainda no arab style ostentação). Talvez por isso, a cidade acaba ficando de fora de muitos roteiros ou é visitada em um bate-e-volta partindo da irmã pop Dubai.

Já que decidimos explorar bem os Emirados Árabes, optamos por ficar em Abu Dhabi e nos hospedar no Shangri-La Qaryat Al Beri (mostrei em detalhes o hotel nesse post) e fazer a base ali para conhecer os principais pontos de interesse da cidade. E já posso adiantar que tem sim várias coisas legais pra fazer.

Além de curtir o hotel e a vista magnífica da Grand Mosque, os passeios que mais curtimos foram:

 

Sheik Zayed Grand Mosque

Não poderia começar diferente. Eu já estava obcecada na Grand Mosque desde a hora que pus meus pézinhos no Shangri-La e a vi lá do outro lado do canal. E se de longe ela é bonita, de perto ela é linda!

A mesquita branca de Abu Dhabi é enorme. Dizem que é a terceira maior mesquita do mundo, com capacidade para 40 mil fiéis. Foi bem interessante ver como é a rotina de reza dos muçulmanos: são salas separadas para homens e mulheres, em que é obrigatório entrar coberto e sem sapatos.

Já para as turistas (mulheres), é necessário entrar também com as pernas, braços e cabelos cobertos. Eu cheguei lá com um vestido longo que deixava meio dedo do meu tornozelo aparecendo e fui barrada. Como isso deve acontecer sempre, eles emprestam abayas, aquela roupinha que chamamos erradamente de burca, que são devolvidas na saída.

Bom, lá fui eu naquele calorão vestir minha abaya, achando que ia morrer assada dentro de uma roupa que nada mais era um vestido longo de manga comprida com um gorrinho. Curiosamente, achei que a abaya deu uma protegida tanto do sol quanto do calor e achei até mais confortável estar com ela.

Para os homens, como estava realmente muito quente, calça comprida e camiseta já era o suficiente.

Agora, deixando a questão religiosa e os costumes de lado, a arquitetura do lugar é fantástica. O pé direito das colunas brancas e douradas é muito alto e a sensação de amplitude é enorme.

Fiquei muito impressionada com a riqueza de detalhes no chão e nas paredes, com desenhos de flores meticulosamente formados pelos ladrilhos coloridos. Ah, e os espelhos d’água e jardins em volta da mesquita também contribuem para tornar a Sheik Zayed Grand Mosque um lugar único.

Essa visita não pode ficar de fora do roteiro!

 

Ferrari World Abu Dhabi

Saindo da Grand Mosque, pegamos o carro e partimos para Yas Island, uma ilha cheia de atrações onde fica o parque de diversões Ferrari World.

O Ferrari World é um parque indoors, todo fechado e com um ar condicionado bombante (lembrando que estava fazendo um calorzinho básico de 45 graus).

Como o próprio nome já diz, o parque é o mundo da Ferrari e tudo lá dentro é inspirado e decorado com o tema, desde os brinquedos às lojinhas e restaurantes. São muitas atrações para todas as idades, entre simuladores, cinema 3D, realidade virtual, kart e até um museu/exposição de diversos modelos de Ferraris. Além disso, acontecem shows e atividades como a troca de pneus de carros de fórmula 1, em que todos podem participar. Bem divertido!

Mas para nós, as estrelas do Ferrari World são as montanhas-russas. A mais famosa é a Formula Rossa, que é, nada mais nada menos, que a montanha-russa mais rápida do mundo e chega a 240 km/h! A idéia é passar a sensação da aceleração alcançada por um carro de fórmula 1. Para se ter noção, você recebe um par de óculos de plástico para usar durante o percurso (é tão rápido que acho que sem os óculos não deve dar nem para abrir os olhos!). Não preciso dizer nada além de: é SENSACIONAL! Tipo a melhor que eu já fui na vida!

Ainda tem outras montanhas-russas muito legais como a Turbo Track e a Flying Aces, além de novas atrações que estão sendo construídas. Em todas elas, a fila é na parte de dentro do parque, mas o trilho mesmo vai pelo lado de fora (achamos engraçado levar aquele bafo quente no rosto quando o carrinho começa a andar!).

Apesar de não ser muito grande, ficamos umas 3-4 horas pipocando de atração em atração. Demos super sorte de estar vazio e com pouca fila, o que nos deu tempo para repetir as montanhas russas que mais curtimos. Para os amantes de aventura e da Ferrari, achamos um programa imperdível!

 

Emirates Palace

Se até agora você não está Abu Dhabi tão ostentação assim, é porque não falei do Emirates Palace. O hotel mais famoso e luxuoso desse Emirado tem a fama de ter 7 estrelas, e não é à toa: o Emirates Palace parece um palácio direto dos contos das 1001 noites.

Com arquitetura árabe e muito ouro para tudo quanto é lado, o Emirates Palace fica de frente para a praia e perto do centro financeiro, em um ponto nobre de Abu Dhabi. O hotel tem vários restaurantes, incluindo a deliciosa rede internacional Hakkasan, sendo visitado por milhares de turistas e emiradenses todos os dias, nem que seja só para uma refeição.

A parte boa é que a entrada no hotel é livre, não sendo necessário ser hóspede e nem ter reserva em algum dos restaurantes. Tudo lá dentro é lindo e rico e existem coisas inacreditáveis tipo existem máquininhas a la caixa eletrônico em que você pode “sacar” lingotes de ouro (de verdade!).

A parte de fora do hotel também é linda, com coqueiros, laguinhos e uma vista bem interessante para o centro financeiro de Abu Dhabi e seus arranha céus. Em resumo: vale muito a pena passar ali para se ver a imponência e grandiosidade de um dos hotéis mais caros do mundo!

Nós decidimos ter uma experiência mais completa e optamos pelo day use do Beach Club do hotel. O day use dá acesso às piscinas e à praia particular do Emirates Palace (essa eu fui só bisbilhotar mesmo, estava quente demais!).

Uma coisa legal é que no caminho para a praia existe uma tenda beduína, onde tem alguns camelos. É possível dar uma voltinha na corcunda dos amiguinhos e ficar sentado dentro da tenda, onde são servidos chás e cafés árabes (tudo sem custo adicional). Por conta do calor, passei só para dar um oi para os camelinhos e voltei correndo para a água geladinha da piscina.

Aliás, as piscinas são bem bacanas: tem uma piscina comum com alguns bancos com borbulhas relaxantes, além de um rio lento com bóias e cachoeiras, pra sentar e esquecer da vida. Existem 2 toboáguas, pequenos mas bem divertidos, que desembocam nesse rio lento. Resumindo: é um mini parque aquático, onde é possível aproveitar um bom dia de sol (na sombra, óbvio!).

Chegamos de manhã cedo e passamos o dia aproveitando o beach club do hotel. Aproveitamos para almoçar no restaurante Cascades, coladinho na piscina. Estava tudo delicioso e super fresco.  

Achamos o day use uma opção bem legal para quem não estiver hospedado no Emirates Palace conseguir aproveitar a estrutura a um custo mais acessível.

Camelinho tentando forçar a amizade

Abu Dhabi tem um jeitão diferente do que vimos em Dubai e merece sim uma visita. Para quem não pretende dormir por lá, acho que um bate-e-volta do outro Emirado pode ser uma boa opção, apesar de mais cansativa, já que a distância entre as cidades é de aproximadamente 1 hora.

Nós ficamos em Abu Dhabi por 2 noites e achamos pouco! Acho que para aproveitar a cidade com calma e ainda descansar um pouco no hotel (e babar ainda mais na vista da Grand Mosque), devíamos ter ficado mais uma noitezinha por ali. Fica a dica!

0 em Destaque/ Oriente Médio/ Trip tips/ Viagem no dia 21.09.2017

Conhecendo o deserto de Dubai no hotel Bab Al Shams

Os Emirados Árabes estão localizados no deserto arábico de Rub’ al-Khali, na costa do golfo do Omã e do golfo Pérsico. Trocando em miúdos, ir até o Oriente Médio e não conhecer um pouquinho do deserto é como ir a Paris e não conhecer torre Eiffel: não dá.

Existem duas formas de conhecer o deserto emiradense: pegando um tour de 4×4 bate-e-volta a partir de Dubai, num passeio que sai na parte da tarde e volta no fim da noite, ou se hospedando em algum hotel no deserto. Nós optamos pela segunda opção.

E para isso, decidimos passar 1 noite no Bab Al Shams Desert Resort & Spa, um hotel bacanérrimo que fica a aproximadamente 50 minutos de Dubai. O hotel fica no meio do nada, cercado de areia por todos os lados e algumas pequenas dunas.

 

Além da vibe desértica no seu entorno, o Bab Al Shams é todo decorado com tema árabe e construído com material próprio para manter a temperatura dentro dos quartos mais amena (me lembrou o adobe, que vemos muito pelas ruelas de San Pedro de Atacama).

Aliás, o hotel é árabe também no estilo de construção: são muitos corredores se entrelaçando, o que faz do lugar quase um labirinto. A cada curva, uma paisagem e um cantinho diferente que você ainda não tinha visitado, como espelhos d’água, balanços e lareiras.

O hotel tem 113 quartos muito aconchegantes, com uma salinha de estar, penteadeira, TV, máquina de Nespresso (com cápsulas à vontade, yay!) e uma cama gigantona muito confortável. Os banheiros tem banheira junto do chuveiro e amenities muito bacanas produzidos ali no Oriente Médio: até máscara facial com lama do mar Morto tem! Nosso quarto tinha ainda uma varandinha com vista para o deserto.

Quando chegamos no quarto, fomos recebidos com uma cesta de frutas enorme e vários doces árabes. Adoro esses mimos! Não esperamos nem 2 minutos e já fomos fazendo um cafézinho para provar junto com as guloseimas.

Presentinhos de boas vindas

Como o próprio nome já diz, o hotel tem um spa bem conceituado, com diversos tipos de tratamento. Além disso, também existe uma academia completa e infra de sauna liberada para os hóspedes.

O grande destaque do hotel, na minha opinião, foi a piscina de borda infinita de frente para o deserto. Na realidade, o Bab Al Shams tem um conjunto de piscinas que fica lado a lado, uma mais rasa para os pequenos e a principal, que além da vista, tem vários pontos de onde saem borbulhas que fazem massagem. O melhor é que perto da fonte das borbulhas tem tipo umas cadeirinhas esculpidas na pedra, para você ficar jogadão mesmo, que além de tudo ainda ficam na sombrinha! Além das piscinas, tem também uma jacuzzi escondida num terraço ao lado da piscina mais rasa, para quem quiser levar o relaxamento ainda mais a sério.

E como nós fomos no verãozão, a programação foi uma só: escolher uma espreguiçadeira e passar o dia relaxando na sombra e água fresca. 

Curtindo minhas borbulhas

Foi ali na piscina que vimos pela primeira vez na vida uma tempestade de areia! O tempo fechou e do nada começou um vento forte, carregando areia pra tudo quanto era lado. 5 minutos depois, tudo voltou ao normal como se nada tivesse acontecido. Bem louco!

Em questão de atividades, o hotel oferece também experiências bem interessantes sem custo para os hóspedes: a interação com falcão e a voltinha de camelo. Quando estivemos no Bab Al Shams, essas atividades aconteciam entre 17 e 18 h, logo ao lado da piscina, mas vale confirmar os horários na recepção.

Amei dar uma voltinha no camelo, mesmo sabendo que ele não estava nem aí pra mim e só ficava mastigando o que quer que tenham colocado dentro daquele saquinho que fica na boca dele. A interação com falcão também foi bem legal, apesar de dar um nervosinho (só pensava no estrago que aquele bico fino podia fazer!).

Tentando fazer amizade

Outra atividade que o hotel oferece é um tour nas dunas numa 4×4 (com custo adicional). Acabamos ficando meio sem tempo para ir nesse passeio, mas acho que deve ser bem divertido.

Um programa imperdível é assistir o por do sol. E para isso, o melhor lugar é o Al Sarab Rooftop Lounge, um restaurante que fica no 2o andar com uma vista panorâmica para o deserto. Fomos para lá no fim da tarde, pedimos uns drinks e ficamos assistindo o sol se por por trás da areia. Sensacional!

Aliás, o hotel tem diversas opções de bares e restaurantes, com culinárias diversas para vários gostos. Nós almoçamos na beira da piscina e, para jantar, escolhemos o Al Hadheerah, um restaurante típico árabe que fica anexo ao Bab Al Shams.

O Al Hadheerah tem formato de forte, todo feito de pedra natural, e serve o jantar em estilo buffet. Na verdade, é como se fosse uma experiência num acampamento beduíno: na chegada, você passa por um souk (mercado típico); no salão principal acontecem diversos espetáculos de dança do ventre e outras danças locais (fiquei muito impressionada com um dançarino que rodava sem parar durante vários minutos), além de um ato com cavalos e camelos; e na parte de trás tem tatuagem de henna, interação com falcão e voltinha no camelo.

Show de dança típica

Quase uma beduína

A comida estava incrível e era MUITA quantidade e muita opção – beirava até o exagero. De sobremesa ainda pegamos um sorvetinho turco muito gostoso (depois de ser muito zoado pelo moço que servia o sorvete, que fazia altas trapalhadas e você nunca conseguia pegar a casquinha de verdade!). Achamos que valeu muito a pena! 

Na verdade, o Al Hadheerah é bem famoso e atrai turistas que vem de Dubai só para isso. Os tours mais tops de bate-e-volta ao deserto incluem o jantar no restaurante, o que também é uma opção, caso você opte por não se hospedar no Bab Al Shams.

Ainda sobre alimentação, o café da manhã é bem gostoso e tem muitas opções de comida de várias regiões, além de uma sessão só para os pequenos. O destaque ficou para o leite de camelo e um mel branco da montanha, dois itens inéditos no meu café da manhã!

Café da manhã com itens super diferentes

Para épocas de temperatura mais amena, tem uma outra coisa que dá pra fazer que deve ser incrível: ver as estrelas. Tem um terraço dedicado a isso no Bab Al Shams, com pufes e almofadas, para você se jogar e ficar relaxando. Acho que ali deve ser muito bom de ver estrelas, porque não há muita luz em volta do hotel, o que facilita muito a visualização. Ainda, é possível sentar em volta de uma fogueira e ficar curtindo a noite. Deve ser uma delícia.

Amamos a experiência no deserto e a estadia no Bab Al Shams, mas achei pouco tempo. Acho que o ideal para se aproveitar bem o hotel são 2 noites, o que teria nos dado tempo de conhecer outros restaurantes, fazer o tour de 4×4 e aproveitar mais a calmaria da região para descansar. Ainda assim, valeu muito a pena a visita.

 

Quer ver mais detalhes do Bab Al Shams? Confira a galeria abaixo.