Você está navegando na categoria: "Viagem"

14
dez
2015

Trip tips: Praça Mauá no Rio de Janeiro

Brasil, rio de janeiro, Viagem

Quem acompanha nossas redes sociais viu que nesse domingo eu fiz um programa muito gostoso. Mesmo sendo a louca dos passeios do Rio, dessa vez a ideia não foi minha. De qualquer forma, curti tanto que o dia acabou virando uma boa pauta de programação pra se fazer em terras cariocas.

rio-de-janeiro

Museu do Amanhã ao fundo

Para quem não sabe, a Praça Mauá foi revitalizada. Há algum tempo inauguraram por lá o MAR (Museu de Arte do Rio) e as atrações não se restringem a ele.

MAR-RIO-DE-JANEIRO

MAR | Museu de Arte do Rio de Janeiro

O meio de transporte para chegar na praça poderia ter sido carro, o estacionamento perto estava custando em torno de R$25 a diária no domingo. Uber ou Táxi poderiam ter sido uma opção mas optamos por ir de metrô, uma das melhores alternativas para chegar no centro. Por ser domingo, a saída da Uruguaiana estava um pouco mais vazia do que seria o ideal, mas nada que fosse um grande problema. Andamos um pouco e logo estávamos na Praça Mauá.

Tudo começou com a vista do sexto andar do MAR, ela é linda! Não custa nada para subir e com certeza vale uma selfie. rs  Nosso programa começou ali, no Restaurante Mauá, no mesmo andar. Preferimos uma mesa sem vista, do lado de dentro, por motivos de ar condicionado.

A photo posted by futilidades (@futilidades) on

A photo posted by futilidades (@futilidades) on

muqueca

Moqueca + Stella Artois

Nada como uma cerveja num dia de verão, não é mesmo? Foi nesse clima que fizemos nossos pedidos, um camarão na crosta de tapioca ao molho de maracujá, com um arroz cremoso inesquecível de queijo coalho. Eu invejei tanto essa prato que ele vai ser minha pedida na próxima vez. O meu prato foi uma moqueca de peixe e camarão que também estava super gostosa, com destaque para a farofa de amendoim que acompanhava.

A photo posted by futilidades (@futilidades) on

De sobremesa dividimos uma gordice bem brasileira: cuscuz de tapioca, baba de milho verde, sorvete de canela (super refrescante) e coco caramelizado (dos deuses). Pedimos também 4 cervejas e nossa conta ficou em torno de R$230 para as duas pessoas, com o serviço incluído.

Depois passeamos para ver o acervo do MAR, para mim os destaques são as fotos bem legais de situações marcantes do Rio de Janeiro. Nós demos a maior sorte pois a visita ao museu era gratuita neste domingo, por isso, já aviso que vale a pena pesquisar para ver quando isso vai acontecer de novo! Eu não pirei no acervo do museu de uma forma geral, mas achei que valeu a visita. O programa em si é bem gostoso.

Depois dessa visita compramos uma água em um dos fofos “food trucks “que estavam na praça e aproveitei para tirar umas duzentas fotos do Museu do Amanhã, que é imponente e moderno. Ele ainda não abriu, mas agora falta pouco, ele vai ser inaugurado no dia 19 de dezembro e eu já estou louca pra ir.

Pelo que eu li, o museu será focado em ciências. A ideia é analisar o passado, conhecer as atuais transformações do mundo e imaginar cenários possíveis para os próximos 50 anos. Tudo com muita interação e imersão com recursos audiovisuais, jogos e com direito a tradução, para inglês e espanhol. Já deu pra ver que promete, né? Minha expectativa está bem alta!

MUSEU-DO-AMANHA MUSEU-DO-AMANHA2

Vou aproveitar a carona nesse post para compartilhar outra dica que fica na mesma praça. Há algumas semanas fui almoçar com a Maybelline no Brasserie Lapeyre, que fica no RB1. Pra mim, foi uma das melhores refeições “francesas” que já fiz no Rio. Os pratos não são baratos, mas a vista e a comida são muito especiais! Eu comi uma cavaquinha que foi impossível de esquecer mas saí de lá com vontade de provar mais uns 4 pratos do cardápio.

A photo posted by futilidades (@futilidades) on

Eu não vejo a hora de voltar lá!!!!

Outra coisa linda pra fazer ali perto é visitar o Mosteiro de São Bento, uma das igrejas mais lindas do Rio que fica aberta diariamente mas tem uma demanda de trajes específicos e restrições de horários, por isso é legal visitar o site antes.

A Praça Mauá é mesmo hoje um bom destino para quem quer visitar o Rio ou curtir a própria cidade. Sem contar que com a chegada dos cruzeiros aportando na praça as coisas vão ficar ainda mais animadas e divertidas. Acho que vai dar toda uma nova atmosfera de chegada para o turista que vier através desse porto!

Como entusiasta que sou do Rio de Janeiro, não poderia deixar de compartilhar esse trip tips carioca com vocês! :) Taí um programa gostoso para fazer a dois, com a família e/ou amigos.

Beijos

8
dez
2015

Trip tips: Vale do Matutu & o meu retiro de meditação!

Brasil, Viagem

Em junho eu contei um pouco sobre meu retiro de trekking e meditação na Chapada Diamantina. Esse 2015 foi tão intenso que eu tive que providenciar mais um retiro para esse segundo semestre, que também foi planejado pela escola Trilha dos Lobos (onde eu faço vários cursos). Dessa vez a Cláudia, que fundou a escola, escolheu fazer um retiro de silêncio e meditação, com direito a trekking também. Nós fomos para uma pousada no Vale do Matutu, em Aiuruoca, Minas Gerais (o caminho parece com o de Ibitipoca).

PATRIMONIO-MATUTU-4

Eu jamais vou conseguir explicar para vocês a altura o que rola nessa comunidade especial do Vale do Matutu. Eles produzem milhões de coisas por lá e esse é um lugar que abriga muitas pessoas que fugiram das grandes cidades para preservar esse espaço numa proposta de contato profundo com a natureza.

matutu

Foi assim que conheci o Luiz e a Carla, que comandam um dos locais mais incríveis que já conheci no Brasil, energeticamente falando. A “guest house” Patrimônio Matutu é uma “pousada” sem energia elétrica, onde você estaciona seu carro e segue por uma trilha de mais ou menos 1 uma hora (bem tranquila a meu ver, mas cansa) e chega na casa de hóspedes que te faz sentir como se estivesse em casa mesmo.

PATRIMONIO-MATUTU-3 PATRIMONIO-MATUTU-2 PATRIMONIO-MATUTU-1 VALE-DO-MATUTU-2

Para a trilha levamos uma mochila com o básico, já os “burrinhos” levam as malas, que obviamente devem ser leves.

MALAS-2 MALAS

Existem uns chalés para quem quer um pouco mais de isolamento e não se importa em subir mais um pouco. No meu caso, ficamos num quarto mesmo e foi uma delicia. Tudo muito limpo, simples, gostoso e muito confortável (a cama, então!). O quarto não tem nenhum cheiro de mofo, de antigo ou de lugar que fica muito tempo fechado e é perfeito para as alérgicas como eu. Aliás, eu não tive NADA lá!

A comida é toda orgânica (e vegetariana), a maioria vinda da própria horta da região, sem dúvida nenhuma é a comida mais pura que eu já comi na vida. O queijo parmesão e o pão de queijo foram os melhores da vida e tudo foi delicioso, das sopas aos pães, tudo feito lá. Até o sabonete de capim limão usado em toda a pousada é fabricado nos arredores, o que me fez ter certeza que é uma comunidade MUITO interessante e que parece focada na subsistência.

Eu entrei TANTO no clima que fui a única pessoa da viagem que optou por nem usar o gás para aquecer a água do chuveiro. Queria água gelada, pura, perfeita para a pele, saúde e cabelo, como se fosse recém saída da cachoeira todos os dias.

Se você está se perguntando como eu sobrevivi sem eletricidade, eu respondo. Foi muito mais simples do que vocês imaginam. Só precisei carregar a minha bateria extra do celular, que mesmo ficando no modo avião, foi útil para ouvir músicas e tirar fotos. Como eles têm LED para captar energia solar, deu super certo pra mim. Fora isso, para minha surpresa (e surpresa de todo mundo que conheço e me conhece), não senti nenhuma falta desse tipo de energia.

Outra coisa boa é que eles têm telefone lá, ou seja, ninguém aqui em casa morreu de preocupação. A única coisa que não deu pra burlar foi a vontade de compartilhar a viagem com a turma das redes sociais, mas no fim das contas até esse detox foi bom.

Nós começávamos o dia por volta de 8 da manhã e terminávamos no máximo 9 e meia da noite. Nunca na vida pensei que dormiria antes de meia noite, mas me surpreendi ao constatar que estava dormindo muito facilmente todos os dias.

Fiquei com vontade de voltar para lá bem acompanhada, se vocês me entendem rs, ou com os amigos. Desta vez nós fizemos inúmeras práticas que nos permitiram nos conectar conosco e toda a experiência foi super profunda. A energia lá é tão especial que nem sei explicar, parece que o tempo passa de uma forma diferente ali!

vale-do-matutu CACHOEIRA-DO-FUNDO

 

Joana

Meu passeio preferido foi o da Cachoeira do Fundo, que fica a mais ou menos uma hora de caminhada da pousada. Essa foi sem dúvida a cachoeira mais incrível na qual eu já fui no Sudeste, se não no Brasil. O lugar é muito especial e gostoso, perfeito para quem procura essa desconexão com o mundo atual e com os hábitos contemporâneos. Foi muito bom para pensar em muita coisa, voltei renovada! Vocês querem saber qual é a proposta do Patrimônio Matutu e acordo com os donos?

“Santuário natural, O Patrimônio está localizado aos pés da majestosa Serra do Papagaio, nas cabeceiras do vale do Matutu, lugar abençoado por águas puras, cristalinas. 

Foi criado para acolher os que buscam conexão e sintonia com o sagrado na Natureza, permitindo que o silêncio, a beleza e o convívio com os elementos naturais ofereçam a pausa que nos torna mais próximos de nossa origem, da nossa tranquila essência. 

Seguindo em direção às nascentes do rio principal do vale do Matutu, chega-se a um lugar protegido pelas altas montanhas, onde qualidades originais e primitivas ainda estão intocadas.

Ao chegar, o caminhante é recebido por uma paisagem de sonho. As águas que correm murmurantes, as montanhas que se elevam altivas para o céu e o mosaico de gramados nativos e arvoredos emolduram a grande Cachoeira do Fundo, que dá nome ao vale. Na língua indígena dos ancestrais que aqui habitaram, Matutu significa Cabeceira Sagrada. 

Os jardins, entremeados de riachos e fontes puras, são espaços de repouso e contemplação. A cozinha vegetariana, utilizando produtos locais e orgânicos. O convívio direto com os elementos. A arquitetura espontânea, artesanal e ecológica. O requinte da simplicidade. O conforto que vem da arte de hospedar. E as montanhas ao redor. Tudo conspira para que estar no Patrimônio seja um tempo para a alma, para re inspirar e se recriar.

A cuidadosa ocupação do Patrimônio inspira-se no conhecimento ancestral, nos novos modelos de relação entre homem e natureza e no conceito contemporâneo de ecovillage. Seus 80 hectares fazem parte da Reserva Matutu, uma área belíssima de aproximadamente 3.000 hectares que protege os ecossistemas de altitude da Serra do Papagaio.”

O local teve tudo a ver com as dinâmicas da escola que a Claudia planejou. Nosso grupo continha mulheres e homens das mais variadas idades em busca de uma maior conexão consigo, isso é mágico e reúne muitas pessoas com afinidades incalculáveis. Nós entramos em contato com o silêncio, manifestamos muitas das nossas características que precisam ser vistas e revistas através de atividades aparentemente simples e com a força do grupo, nos propusemos a encarar a vida de uma forma mais saudável. Viver com consciência é uma tarefa para corajosos. Talvez a busca por um caminho espiritual tenha me levado até o grupo, que independente de religião acolhe e ajuda qualquer manifestação de fé verdadeira, mas é a busca pela consciência e pelo despertar que me faz ficar. Essa escola em poucos anos agregou tanto na minha vida que já não sei quem eu seria sem ela e sem os seus aprendizados na minha vida. escola-trilha-dos-lobos meditacao

É emocionante fazer parte de uma escola de “buscadores” que procuram sua essência e não fazem nenhuma questão de fazer tipo. Hoje em dia muitos caminhos se dão através de fanatismo, lavagem cerebral e filosofias “marqueteiras”, então acho muito especial fazer parte de algo que não inclui esses rótulos e não procura radicalismo ou culpa para reunir aqueles que fazem parte disso.

Captura de Tela 2015-12-08 às 10.56.37

Se você leu até aqui já sabe que eu me apaixonei e vou voltar (ultimamente tenho falado muito nisso, né? rs), mas o meu senso crítico adverte: essa é uma viagem para poucos. Para aqueles que estão buscando outros tipos de conexão que não seja com a internet, wi-fi e outros adventos da vida moderna.

Isso para mim foi o verdadeiro detox, tenho que agradecer ao meu pai por ter colocado essa viagem como um dos meus presentes de aniversário! :)

Beijos

Para os que sempre me perguntam da escola: tem novo site  na área
24
nov
2015

Trip tips: restaurantes de Cancun

México, Viagem

Acho que estou devendo um trip tips gastronômico desse ano de NYC e de Londres, e já estou me cobrando para fazer esses antes do ano acabar! Por enquanto, vou começar com o que está mais fresco e falar dos restaurantes que amei conhecer em Cancun. Aliás, se teve um lugar que me surpreendeu muito em termos de boa comida e bons restaurantes, foi lá.

Como falei no post sobre o Paradisus Resort, o jantar menu degustação do Tempo by Martin Berasategui foi uma das melhores experiências gastronômicas da minha vida!O menu com harmonização foi uma experiência ímpar, não é à toa que é o 4º melhor restaurante do México e Martin é considerado um dos chefs mais queridinhos do mundo.

tempo-1 Tempo-2 Tempo

Sabe quando o prato mistura ingredientes improváveis e te traz algo novo, que emociona e surpreende? Foi assim, único! Foi a melhor refeição de toda a viagem. No entanto, outros dois restaurantes chamaram muito a minha atenção na cidade!

O segundo jantar foi num restaurante especializado em massas e frutos do mar que se chama Casa Rolandi.

polvo

casa-rolandi

Nossas porções foram menores que as habituais para que provássemos mais pratos! :) <3 Eu amei esse!

prato

Adoro polvo! :)

Por lá eu comi ceviche, carpaccio de polvo, um ravioli de funghi trufado e um polvo super saboroso. Além da comida, o ambiente é bem legal, mas vale a pena tentar sentar na varanda de frente para a água para provar as delícias do cardápio.

Outra experiência que eu tive e recomendo muito foi o Puerto Madero. O restaurante Argentino de carne é um queridinho na cidade. Nesse também vale muito a pena sentar na varanda, que também tem uma vista linda.

pães

puerto-madeiro-entradas

entradas especiais! <3

carnes

carne e clericot (que mais parecia uma sangria! rs)! :)

atum-selado

MELHOR PRATO POR UNANIMIDADE: ATUM SELADO! Tem que pedir!

As entradas estavam incríveis, mas o ponto alto realmente foram os pratos principais: as carnes de lá que são conhecidas pela sua maciez e sabor e um dos melhores pratos de toda a viagem: o atum selado que vinha com um purê. Esse prato é daqueles que não dá para não provar, é sensacional e caiu no gosto de toda nossa mesa.

Nosso último jantar foi no La Habichuela Sunset, também na varanda. Tive a impressão que não acertei muito no meu prato, então minha experiência não acabou sendo tão boa quanto nos outros. Quem pediu massa com frutos do mar amou, se um dia eu voltar lá, vou tentar lembrar disso para não repetir o erro. :)

Vale comentar que a varanda tem um clima romântico muito fofo, uma coisa de linda e bem decorada.

habichuela-sunset

habichuela-sunset-2

Postando os pratos que fizeram o maior sucesso na mesa: massa + frutos do mar

Esses foram os restaurantes em que eu comi, fora o almoço maravilhoso no buffet do hotel, mas nesse acho que só os hóspedes do Paradisus podem usufruir. Contei sobre ele nesse post sobre o hotel que fiz para o Falando de Viagem.

Você também pode ler mais posts sobre o México aqui no futi:
– 5 melhores momentos da minha viagem a Cancun
– Tudo sobre minha experiência no Paradisus Resort Cancun
– 5 melhores momentos da minha viagem a Playa del Carmen

Mais uma vez eu quero agradecer ao Falando de Viagem, a Tam e ao Conselho de Promoção Turística do México por essa experiência fantástica!

Beijos

Página 6 de 84« Primeira...45678...203040...Última »