Você está navegando na categoria: "Viagem"

20
fev
2015

Trip Tips: Hôtel de La Cité, em Carcassonne

Europa, Trip tips, Viagem

Em dezembro, eu fiz um post contando toda a minha experiência em Carcassonne e disse que não ia falar muito sobre o hotel porque iria fazer um post exclusivo. Pois bem, dois meses se passaram e eu esqueci totalmente dessa minha “pendência”, mas antes tarde do que nunca, né?

Em Carcassonne você pode ficar na cidade em si, mas também dá para viver uma experiência mais completa e se hospedar dentro das muralhas da cidade medieval. Existem albergues e hotéis mais baratos lá dentro, mas quem puder ficar no Hôtel de La Cité, eu recomendo, e muito!

hotel-de-la-cite-1Apesar dele não ser tão antigo quanto à cidade em si, ele foi construído em 1909 e viveu seu auge nos anos 50. O engraçado é que mesmo tendo mudado de administração algumas vezes (a última foi em 2010), o clima do local parece ter parado no tempo, e ao meu ver, isso é um trunfo, afinal, qual a graça de se hospedar em uma cidade medieval e ficar em um hotel com decoração moderninha? Tem que viver a experiência! rs

hotel-de-la-cite-2

foto de divulgação do restaurante La Barbacane (onde também é servido o café da manhã)

foto de divulgação do restaurante La Barbacane (onde também é servido o café da manhã)

Lembram da história da “Carla de 10 anos” que ficou animadíssima em percorrer a cidade medieval? É porque vocês não têm noção do que eu senti dentro do hotel. Para mim, os pontos altos foram o bar biblioteca tocando músicas antigas (associei a um clima meio Torre do Terror, na Disney, sabem? rs) e a descoberta de uma passagem (não muito) secreta que leva ao Hôtel Dame Carcas – os dois hotéis se juntaram em 1997 – com direto à escada escura, corredor cheio de quadros antigos e espelhos e minha mãe, que não quis me acompanhar na “exploração”, mas ficou fazendo barulhos para ver se me assustava. Confesso que uma parte de mim quis muito ver um fantasma por ali – a outra parte morre de medo de coisas sobrenaturais hahaha – afinal, o ambiente era muito propício para uma aparição. #simsouboba

foto: divulgação

foto: divulgação

Outro fator que ajudou a deixar o clima meio misterioso foi o tempo. Como fomos no inverno, estava frio e ventando muito, cheio de folhas amareladas voando por aí. Eu amei essa combinação, afinal, ajudou a alimentar as fantasias do meu eu de 10 anos! Acredito que na primavera e no verão, com sol, folhas verdes e flores, o clima fique super romântico.

Eu fiz alguns vídeos meio toscos – tudo para mostrar para o marido, que não pôde ir com a gente – mas achei que seria divertido mostrar para vocês também! hehehe Eu sei que estamos tentando dar uma cara mais profissional no nosso canal do Youtube, mas resolvi abrir essa exceção! hehehe

Apesar da decoração antiga, os quartos são maravilhosamente confortáveis. A cama é aconchegante na medida, e provavelmente foi uma das noites mais bem dormidas da viagem inteira, uma pena que esqueci de tirar foto do quarto! Quem for na primavera e verão, sugiro tentar um quarto com varanda. A vista é deslumbrante!

hotel-de-la-cite-3

Tem muita gente que vai para Carcassonne e passa apenas o dia, mas eu acho que vale a pena dormir por lá e conhecer mais a cidade. Como eu disse no outro post, tem inúmeras opções de restaurantes maravilhosos que vale a pena conhecer! Nós ficamos 2 noites e foi bom – até porque fomos em uma época onde muita coisa estava fechada. Quem for em alta temporada, onde tudo estará aberto, acho que 3 noites são mais do que suficientes.

Não lembro quanto foi a nossa estadia, mas fui dar uma fuçada no Booking.com e vi que a diária do quarto clássico em Junho está mais ou menos R$800. O café da manhã não é incluso e custa em tornno de R$90 por pessoa. Apesar de ser super bem servido e com muitas opções, não acho completamente necessário, afinal, o que não falta em Carcassonne é lugar para comer.

Não sou a maior fã do mundo de hotéis temáticos porque acho que os detalhes são caprichados demais, fica tudo tão perfeito que o resultado final é meio fake. Acho que gostei tanto do Hôtel de La Cité porque ele é muito fiel ao tema e à região, mas por ser antigo e bem conservado em toda a sua antiguidade, ele acaba sendo uma versão temática super verdadeira, sem forçar a barra. De todos os hotéis que eu vi dentro da cidade, acho que ele é o mais interessante, tenho muita vontade de me hospedar de novo lá (dessa vez, indo com o Bernardo, né, claro) e aproveitar um pouco o clima romântico que ele tem a oferecer!

Alguém já ficou lá?

Beijos!

Carla

9
fev
2015

Desafio GALAXY K ZOOM CLICKS: O Rio do futilidades (2)!

Brasil, Publieditorial, rio de janeiro

Em setembro, dividi com vocês minha experiência com o Samsung Galaxy K Zoom durante a semana de moda de NYC e contei por aqui quais foram minhas primeiras impressões. Em outubro, o aparelho chegou aqui em casa e me joguei nessa primeira experiência full time com o Android. Vim usando essa plataforma e gostando bastante.

primeira imagem

foto dele no meu look no SPFW | olhem como o zoom funciona

joana

Foto mostrando ele para vocês durante o passeio de dezembro!

Como disse desde o começo, o maior diferencial desse celular é sua câmera. Todo mundo à minha volta fica curioso quando o zoom abre. As pessoas acham que é uma lente acoplada no celular e quando elas vêem que é de fato uma câmera, ficam impressionadas. A verdade é que é difícil definir se o aparelho é uma câmera que é smartphone ou se é um smartphone com uma super câmera. Na prática tanto faz, ele acaba sendo um pouco de tudo isso.

No post de novembro contei um pouco sobre o desafio de fotos entre o Rio e SP que a Samsung lançou. A brincadeira se chama Galaxy K Zoom Clicks e eu tirei um dia de folga para fazer altas fotos, pode vir espiar aqui.

Desta vez não foi muito diferente, eu e Gabi tiramos uma tarde de dezembro para curtir o Pão de Açúcar, passear nos bondinhos, ver a vista e terminamos o dia na mureta da Urca. Esse dia carioca bem turístico rendeu muitas risadas.

selfie

Logo que chegamos com o tempo ainda melhor! :P

samsung fotos rio

Vista do segundo morro! :)

samsung K Zoom Rio

E a altura? #tenso

samsung-zoom-

O zoom da câmera é CHOCANTE!

samsung-7

brincando com os filtros e modos da própria câmera!

samsung-5-zoom

Mais um detalhe para mostrar o Zoom!

rio de janeiro

A vista do morro da Urca, o primeiro!

rio de janeiro pão de açucar

Mais uma vista do segundo, do Pão de Açúcar! ;)

samsung-por-do-sol

O por do sol, com o modo de pôr do sol da própria câmera!

samsung-2

fotografando os acessórios no fim de tarde na Mureta da Urca!

Por incrível que pareça, as fotos do fim de tarde não têm nenhum filtro, elas foram tiradas no modo por do sol, que transforma qualquer por do sol bonitinho em algo deslumbrante. #quemnunca

Você não precisa ser nenhum fotógrafo para entender o que o aparelho pode oferecer, os modos fotográficos são muito legais e é simples e intuitivo navegar de um para o outro. Sem contar que você pode organizar os modos do jeito que quiser, na ordem que desejar, deixando sempre a mão os que você usa mais.

Para quem me perguntou como foi a adaptação para o Android, eu digo o seguinte; minha vida ficou muito mais fácil com tudo vinculado aos meus e-mails do Google. Minha agenda do celular ficou a mesma do meu email (sincronizada simultaneamente), minha loja de aplicativos ficou vinculada à minha conta no Google e assim pude baixar e subir arquivos diretamente do meu Google Drive com a maior facilidade. A verdade é que essa “amizade” entre o Google e o meu Samsung deixou minha vida mais fácil.

ultima arte

A verdade é que sempre é fácil se acostumar com coisa boa, né?

Se vocês quiserem, depois eu conto quais aplicativos que mais usei nesses meses  e quais deixaram tudo ainda mais fácil!

Quem será que vai levar esse desafio? Nós, cariocas ou as nossas amigas paulistas? Vocês podem espiar mais posts com fotos do Rio no Fashionismo e no Starving!

Beijos

publipost

1
fev
2015

Trip tips: restaurantes NYC (parte 2)

Estados Unidos, NYC, Viagem

Ainda estamos em tempo para a segunda parte do post com as dicas de restaurante da minha última viagem a Nova York? Sei que estou atrasada, afinal, isso foi em Setembro (!!!), mas sei que restaurante quase sempre é um assunto atemporal! <3

Já falei de mais ou menos metade deles nesse post e hoje vou fechar o tema, afinal, tenho que quitar minhas dicas de viagens antigas antes de pegar o próximo avião!

Vamos começar pelos que ficam nos arredores do Meatpacking District?

Colicchio & Sons

CESO Biel, marido da minha prima-irmã, encontrou esse restaurante no open table e fez reservas para nosso jantar depois da Broadway. Assistimos Alladin no fim de semana e depois fomos jantar no Colicchio & Sons! Acredito que tenha sido no sábado à noite.

Nós 3 pedimos uma entrada divina, tão estranha que não resistimos. Uma pizza de pêssego, cebola caramelizada e alecrim. Na teoria pode parecer uma combinação estranha, mas na prática é uma coisa de louco, maravilhosa. Eu e a Aninha pedimos o mesmo prato, um risotto com quinoa que estava uma delícia também.

Achei o restaurante bonito, gostoso e menos óbvio, acho que voltaria.

The Standard Grill

Sandart-grill

standard-grill-brunch

Taí um lugar que eu queria ir há eras, aliás, eu MORRO de vontade de ficar nos dois hotéis The Standard que existem na cidade e esse restaurante do High Line era mesmo uma prioridade na minha lista.

Acho que a prioridade era tão grande que acabei indo duas vezes em uma mesma viagem: uma para jantar e outra para o café da manhã/brunch. O hambúrguer do jantar estava ótimo, o ambiente e a frequência também, mas não posso negar que foi o momento café da manhã que me ganhou. Sem falar na possibilidade de poder caminhar sobre o jardim suspenso depois, achei um programão.

O Standard Grill é um desses queridinhos dos últimos anos que eu gostei e aprovei. Acho que vale a pena conhecer.

Caso você queira uma badalação noturna, o hotel conta com dois lugares para dançar + ver a vista + ouvir música e tomar uns bons drinks: O Le Bain e o Boom Boom Room. No caso, só fomos no primeiro e só posso dizer que a vista vale a subida, além da banheira no meio da boate.

Rana

rana-restaurant ravioliO Rana é um italiano que fica no Chelsea Market, mercado que conta com uma série de restaurantes e stands que vendem coisas legais. Para mim, o mercado merece uma visita com toda a calma do mundo.

No dia em questão, passei a manhã andando no Greenwich Village, e depois de muitas andanças, chegamos no Meatpacking. Mesmo com 200 restaurantes incríveis na região, resolvemos buscar algo dentro do Chelsea Market e a Aninha escolheu o Rana. Tinha uma fila de espera, mas acabamos usando esse tempo para andar no mercado, foi uma delícia e nem sentimos o tempo passar!

Pedi uma massa negra com lagosta que estava bem gostosa, acho que acertei em cheio. De sobremesa, nós 3 dividimos um ravioli de chocolate que é super interessante, gostoso e com uma textura inesperada.

Sem dúvida essa é a minha região preferida em termos de concentração de restaurantes. Amo o Spice Market, o Fig & Olive, amei o Rana e ainda tenho uma lista com uns 10 que ainda falta conhecer.

Ainda mais para o sul, fui a dois restaurantes gostosos no SoHo.

The Mercer Kitchen

mercerEu era louca para conhecer o Mercer, como minha expectativa não era baixa acho que não me surpreendi tanto. Como fui almoçar correndo entre trabalhos acho que daria uma outra chance ao restaurante, até porque ele fica entre as melhores ruas para compras da cidade, no coração do SoHo.

Eu comi uma pizza trufada que estava bem gostosa, acredito que eu pedi bem, mas acho que minha visita não fez jus ao lugar.

Delicatessen 

delicatessenEu e a Mandy almoçamos no Delicatessen no último dia de compromissos. Pedimos uma batata frita trufada de entrada e mexilhões como prato principal. A batata é uma pedida obrigatória, uma delicia mesmo, só perde para a da feira do Brooklyn que postei aqui. Os mexilhões também estavam ótimos, o restaurante foi uma super pedida e também fica nos arredores das boas compras do SoHo.

Único porém, ao meu ver, foi o serviço bem mais ou menos, mas sem dúvida a comida compensou. Eu super voltaria.

Clement no The Peninsula New York

clement-nycNa última noite de agenda da semana de moda fomos convidadas para conhecer o Clement, restaurante do super hotel The Península. Primeiro fomos tomar um drink no rooftop do hotel (vale a pena) e depois descemos para jantar.

O menu estava uma delicia, extremamente sofisticado e cada prato trazia algo novo em termos de textura e sabores. Minha lagosta foi sem dúvida a melhor pedida da noite, foi um prato principal muito saboroso e especial. Sem falar na harmonização de vinhos.

Assim como o The Mark eu diria que o Clement é um restaurante mais caro e perfeito para um jantar mais especial.

Ufa! Agora acho que falei de quase todos os restaurantes em que fui nessa viagem. Ficou curiosa(o) para ver os outros posts dessa viagem? Aqui contei sobre meu passeio do Brooklyn,  fiz um roteiro baseado em Gossip Girl, falei da primeira lista de restaurantes, contei do Empire Hotel onde fiquei parte da viagem, do Row NYC onde fiquei os outros dias e por fim dei dicas de chip + transporte. 

Tinha achado que a viagem não rendeu posts suficientes, mas me enganei. Acho que agora só falta falar dos passeios que fiz ao ar livre. Essa foi minha quarta visita à cidade e sem dúvida foi no clima que eu mais gostei, no início de setembro, no fim do verão. O clima estava fresco e agradável.

Beijos

PS: Não sei se vocês notaram, mas esse é o segundo trip tips dessa semana, estamos pegando embalo para dar mais gás na nossa coluna semanal de viagem! Estamos conversando e queríamos saber qual seria o melhor dia da semana para postá-la. Contem pra gente? Agradecemos muito!

Página 3 de 6512345...102030...Última »