Browsing Category

Moda

2 em Destaque/ Moda/ Patrocinador no dia 20.08.2018

Estão preparadas para o verão 2019??

Quem acompanha a gente nas redes sociais ficou sabendo que em breve teríamos novidades na parte de moda praia da Marcyn. Inclusive viu alguns dos modelos da nova coleção de verão 2019, que lançaram hoje na loja física (em SP, na Alameda Lorena), nas revendedoras e, claro, na loja online.

A gente já tinha conhecido a coleção há alguns meses, quando estávamos definindo se conseguiríamos usar os looks (que ainda nem foram lançados) na piscina do #fimdesemanadopapo. E estávamos completamente ansiosas para compartilhar vários modelos que amamos com vocês – finalmente o dia chegou!

Para 2019, a Marcyn preparou uma coleção cheia de boas surpresas e algumas novidades para quem gosta de apostar em modelos mais fashionistas na hora de ir à praia. Como por exemplo, a linha preta com dourada que foi o maior sucesso entre todas as pessoas que mostramos a coleção. Com uma pegada bem praia chic milionária, o modelo preferido da maioria foi o que a Maraisa usou na piscina do nosso fim de semana: hot pant com top frente única.

Confessamos que essa linha é a nossa maior aposta para esse verão – e sabemos que corremos um sério risco de não conseguirmos os nossos depois de postarmos esse link (Marcyn, já que vocês vão aprovar esse post, favor, guardem um modelo G e outro GG para nós, obrigada #nãocustanada).

Outra linha que também apostamos muito foi a que eu usei no fim de semana que fizemos um bate e volta para o litoral de SP. Aproveitei que chegamos algumas horas antes do casamento que nos fez ir até lá para estrear meu biquini novo e dar um mergulho.

Confesso que quase não escolhi esse modelo justamente por causa do sutiã. Quem me conhece sabe que bojo não combina comigo. E por quê eu escolhi esse modelo? Por causa da calcinha hot pant, que me chamou a atenção pelo fato de ser bem alta, do jeito que eu queria e que não teve na coleção passada. A hot pant do verão 2018 era um pouco mais baixa e batia mais ou menos no me umbigo. Quando tive a oportunidade de falar com a estilista responsável pelas modelagens, lá na época das fotos que fizemos de Marcyn Mais, cheguei a reclamar disso e fiquei feliz de ver minha sugestão sendo ouvida. De fato essa calcinha deixa o corpo bem mais modelado que a outra, e eu me senti bem mais confortável também. Outra coisa que eu amei nessa linha é que todos os modelos têm esse detalhe em tela (não é estampa, é lycra branca com uma tela preta por cima) o que deixa tudo bem mais charmoso e especial.

Para quem gosta de estampa, pode se preparar que essa coleção vem recheada de estampas bem lindonas. A maioria ainda está para chegar, mas já posso adiantar duas que chegaram às lojas e são lindas de morrer.

A de crochê, essa toda coloridona e geométrica, é super especial e já adianto que a foto, infelizmente, não fez jus ao que esse modelo é ao vivo. A estampa digital com tecido texturizado dá a impressão que ele realmente é de crochê, mas com toda a mobilidade e conforto da lycra.

maiô crochê - maiô infantil - biquini crochê

maiô crochê – maiô infantil – biquini crochê – ainda vão entrar.

Para quem gosta dos básicos e lisos, os modelos de verão 2019 também já estão disponíveis. Alguns deles já são conhecidos, afinal, são repetecos dos sucessos do ano passado (ou melhor, desse ano, mas vocês entenderam). O legal dessa linha clássica é que você pode comprar as partes de cima e debaixo separadamente.

A nossa aposta, porém, não é um biquini, e sim nesse maiô. A coleção de lisos conta com 5 modelos, mas hoje resolvemos focar nesse que tem um detalhe de nó na frente. A Andreza Goulart vestiu ele no fim de semana e nós babamos, ficamos impressionadas como ele modela o corpo. Vale a pena dar uma olhada com carinho nele (e as cores são lindas!). E com certeza vocês vão ouvir a gente falar dele novamente por aqui, nem pensem que foi a última vez!

Ainda não experimentamos muita coisa que ficamos com vontade, mas já podemos adiantar que essa coleção da Marcyn é uma as mais especiais que pudemos experimentar desde que começamos a trabalhar com a marca. As peças têm detalhes que as deixaram mais modernas, a modelagem está cada vez mais bacana (e olha que esse foi um dos nossos maiores elogios na coleção passada, ou seja, eles melhoraram o que já estava muito bom!) e, é claro, a qualidade que continua a mesma. Não é à toa que as peças que usamos lá em Fevereiro do ano passado continuam em perfeito estado.

Para quem não vê a hora do verão chegar e já está afim de ir se preparando, pode apostar nessas opções!

2 em Looks/ Moda no dia 17.08.2018

Hoje o meu look do dia não é mais um catálogo, ele é sobre a liberdade de expressão através da moda.

Vim mostrar pra vocês um look que eu “inventei” em uma fração de segundos, tirei a camiseta que eu estava usando e pronto, coloquei o cropped e desci.

Bom, para ser honesta, a história desse cropped começou 3 dias antes da festa de “Ame sua Natureza“, no fim de semana do papo sobre autoestima. Dia 1 pela manhã, Maraisa chegou na minha casa e na sua mala veio nossos looks da festa. Mal dei bom dia para Mara e já sai pulando pra ela tirar da mala a roupa da festa, eu queria mais do que tudo experimentar e ver como iria me sentir naquela produção que eu e Carla pensamos com tanto carinho e a Adriana Meira executou.

Bom, como eu não me medi certo, o pior aconteceu e enquanto a saia do look ficou maravilhosa, a blusa não vestiu tão bem. Na prática não foi um problema, porque olhando tudo junto, concluí que ficou com mais informação do que eu gostaria, sabe? Me caiu a ficha que na verdade eu queria usar uma parte de cima lisa, não estampada. Pronto, nesse dia eu precisei criar forças para enfrentar um shopping durante a noite com a missão de encontrar um cropped pra mim. O que não seria um problema se as lojas tivessem mais variedades de peças do meu tamanho, mas como nem sempre tem, eu sabia que seria chatinho mesmo. Comprei um cropped vermelho primeiro, mas ainda não era bem isso. Comprei uma blusa preta na Zara depois, mas não era o que eu queria para a ocasião e, por fim, comprei dois cropped pretos diferentes que resolveram minha produção. Eu sabia que um dos dois atenderia prontamente meu look, dito e feito. No dia 04 eu entrei na festa com um dos modelos que achei na Renner, e o outro? Bom, eu veria o que faria com o outro depois.

Eu achei que esse “depois” iria demorar a chegar, no entanto, não foi assim que aconteceu. No dia seguinte, na hora de me arrumar pra o bate papo que fizemos no domingo, eu simplesmente estava abrindo a porta do quarto quando olhei o tempo lá fora e falei: “Opa! Posso mudar esse look aqui e ousar mais um pouco. Tirei minha T-shirt que tinha uma frase estampada sobre ser você mesma e de fato fui eu mesma, coloquei meu cropped novo e desci.

Não tive nem tempo para os antigos pensamentos viciados, não tive tempo para pensar em como eu pensaria no passado ou questionar julgamentos. Não sei se fui eu que sigo me transformando e amadurecendo ou se o ambiente de leitoras do papo sobre autoestima me deixou confiante. Atrasada eu só fui, de cabelo molhado, maquiagem improvisada e pronto, a barriga super de fora.

look-joana look-joana-2

Blazer e calça Zara | cropped Renner | sandália Cavage

O look não arrancou elogios, afinal, tinha tanta coisa incrível acontecendo que o look de fato era muito pouco importante. O look não arrancou olhares tortos ou julgamentos, era só uma roupa, roupa essa que eu estava vestindo com prazer.

post-jo

Dividi o sofá com Camilla Estima e Daiana Garbin, falamos de muitos dos assuntos que debatemos aqui no blog e foi sensacional viver essa experiência com as leitoras. Me empolguei tanto que esqueci de fotografar o look, que cuidadosamente eu repeti para fazer as fotos desse post.

Por que? Bom, porque eu senti que seria um grito de liberdade pessoal postar ele tanto no blog quanto no insta, então deixarei com vocês as palavras que usei no insta do futilidades para falar dele:

De repente a moda não é mais sobre o que eu devo ou não devo usar, de repente a moda é sobre como eu quero me expressar. De repente, não mais que de repente, a moda deixa de ser sobre me limitar. Posso e devo usar o que quiser para me comunicar, minha imagem pode falar sobre quem sou, alguém mais segura do que antes, num processo de transformação, que quer poder usar a moda como ferramenta de comunicação. Meu estilo deveria poder se lapidar com muita liberdade de expressão. Falo “deveria” porque na prática está longe de ser simples encontrar roupa que veste bem quando você é grande demais para as lojas tradicionais e menor do que deveria para as lojas plus size. O limbo do 44/46 ainda é mito pra muitas empresas, o que é curioso em tempos de tantas marcas falindo na moda e ao mesmo tempo tantas mulheres usando esses números! Então enquanto não dá pra escolher muito a gente dá nosso melhor casando todas as peças que temos de diferentes formas! Aproveitei a presença da fotografa @adrianacarolinafotografia no Rio para fazer um shooting, tudo de barriga de fora, uma conquista pessoal minha, que sempre achei que nunca era suficiente pra isso!

Essa minha conquista está até chata de tanto que o mundo olha pra minha barriga hoje, mas honestamente? Foram 28 anos dizendo que esse corpo não era digno de usar o que quisesse, ousar o quanto quisesse. Vivi um processo de adoecer esse corpo dos 11 aos 28 anos de idade, acho que é mais do que normal estar caminhando para os meus 32 gozando de uma liberdade que jamais pensei que teria, então sim, vamos continuar com esses posts onde um look do dia não é mais um catálogo, ele é sobre a liberdade de expressão através da moda.

Beijos

fotos: Adriana Carolina 
0 em Autoconhecimento/ Autoestima/ Moda no dia 30.07.2018

O que valoriza?

A gente fala muito que autoestima, autoconhecimento e estilo pessoal caminham de mãos dadas, e é a mais pura verdade! Afinal, sabendo o que eu mais amo em mim e os motivos de eu amar tanto determinada coisa, eu posso usar os truques de estilo que estão disponíveis a meu favor, a favor do meu corpo, a favor da minha autoestima.

A gente adora repetir que nem todo mundo quer parecer mais alta e mais magra, e achamos engraçado reparar na reação das pessoas quando falamos que somos consultoras que não curtem seguir muitas regras. Para nós, algumas das perguntas mais importantes que fazemos são: você sabe como você quer parecer? O que é importante pra você?

estilo-pessoal-assinatura-de-estilo

Não tem problema nenhum em querer parecer mais alta e mais magra, eu sei que cada pessoa tem um olhar único sobre si mesma, mas gosto de sempre reiterar que acho super importante saber os motivos de você querer criar ilusões para conseguir esses atributos. As vezes você não quer isso de verdade, mas quer parecer mais madura, mais elegante, mais confiável, independente do efeito que isso possa causar na sua silhueta. Ou pode ser você queira reequilibrar alguma proporção do seu corpo de acordo com algum gosto pessoal. Pode ser que você queira estar mais próximo do padrão porque essa é a forma que você aprendeu a se sentir mais confortável e segura em determinados ambientes. E também pode ser que você prefira ser ousada e goste de brincar com proporções – seja na silhueta, seja no design. E pode ser que você esteja em algum lugar entre todos esses lados. 

O mais importante é entender, portanto, onde você está e porque você está ali.

E porque estou enrolando tanto pra começar a falar o que eu vim falar hoje?

Vamos lá: no vídeo que gravamos com a Jô há uns meses e ela disse que já usou muito alguns truques aprisionadores a seu favor, ou melhor, a favor da antiga Joana, cuja preocupação era estar o mais dentro do padrão possível. Ela ainda não tinha atingido o atual nível de desconstrução, amor próprio e acolhimento. E tá tudo bem, afinal, muita gente (a maioria) ainda não chegou lá e cada um tem o seu ritmo.

E o que isso significa?

Que mesmo entendendo que a gente não precisa ser igual a uma Angel da Victoria Secret (obrigada Carla, por esse post!) a gente pode ter nossas questões e preferências. Ou seja, é possível que mesmo passando por um processo de desconstrução (que, vale dizer, não acaba nunca), no fim das contas você conclui que é importante pra você parecer mais alta e mais magra – e por motivos que só interessam a você.

Ou seja, eu acredito, de todo o coração, que hoje em dia já não faz mais sentido nenhum  encaixar as pessoas em rótulos de pera, uva, maçã ou salada mista de acordo com as suas proporções. Tenho a sensação que isso desumaniza algo que deveria ter o indivíduo como centro, a base de todo o estudo sobre o estilo e a forma de se vestir daquela pessoa.

Também é fundamental entender tudo que você ama em você mesma (e, portanto, quer valorizar/destacar) e esquecer a ideia de que temos de “esconder” ou “camuflar” alguma coisa. Afinal, a gente só esconde ou camufla coisas da quais a gente não se orgulha, e não é esse o nosso intuito. Nosso intuito é focar no que você acredita que tem de melhor!

Assim, naturalmente, você não vai chamar tanta atenção para aquela parte do seu corpo que não é lá o grande amor da sua vida. E onde eu quero chegar com tudo isso?

Que não vale a pena focar esforços e energia buscando esconder as partes do seu corpo que não te agradam tanto. Vale a pena, sim, focar em destacar e chamar toda a atenção do mundo pro que você ama mais que tudo em você. E, isso, como a gente sempre diz, só você vai pode dizer.