Browsing Category

Celebs

3 em Autoestima/ Celebs/ Comportamento no dia 26.07.2018

Cabe o termo body shaming e Gisele Bündchen na mesma frase?

Esta semana, passeando pelo Instagram, me deparei com aquela foto clássica do casal Gisele Bundchen e Tom Brady, juntos, andando pela praia num momento de carinho um com o outro. Até aí tudo bem, o amor é lindo, eles também, tudo certo no mundo. Até que fui olhar os comentários. Sempre eles, né? Mas em vez dos esperados “maravilhosos”, “linda”e “perfeita”, me deparei com uma chuva de críticas. Isso mesmo, críticas tanto ao corpo de Gisele quanto ao de Tom Brady, seu marido atleta.

gisele

Post do instagram @tricotadas

Uma sequência considerável de “sem cintura”, “barriga de tiozão”, ela está grávida?” e “não acredito que a maior modelo do mundo tem este corpo” me surpreendeu. Peraí, quando foi que no mundo nem mesmo o casal considerado o mais perfeito de todos em diversos aspectos parou de atender às exigências do público em geral? Qual será o novo padrão dessas pessoas? É algo humano?

comentarios

Gisele é modelo padrão. Apesar de ter sim, sido revolucionária nos anos 90/00 mudando o padrão “heroin chic” para a beleza com aparência saudável e um pouco mais de curvas que prevalece até hoje, ela é mais do que padrão, já que segue super magra como o exigido atualmente das modelos. Tom é um atleta de ponta, considerado referência na sua área, assim como Gisele. Seus corpos cumprem as tarefas que eles escolheram ter como profissão com louvor, estão aí os fatos para comprovar. Então porque esperar essa perfeição física surreal deles?

Tom não tem os músculos do abdômen marcados, o famoso “tanquinho”, mas isso não faz dele um homem menos forte, muito menos um cara não atraente. Seu corpo é além de super saudável, potente e cumpre as funções necessárias para o esporte que pratica com excelência. O mesmo podemos dizer de Gisele. Ela está dentro do esperando atualmente para a passarela ou para fotos de campanha, como já notamos todos esses anos. Agora, a paranóia do corpo perfeito e a patrulha é tão grande que esquecem que nem Tom nem Gisele estão buscando o título de corpo perfeito que os críticos da internet imaginam existir, uma vez que, tanto para ser o melhor jogador ou a melhor modelo, mais do que o corpo que esperam deles, necessitam outras habilidades muito mais importantes como visão tática, habilidade para correr, desfilar, saber a melhor forma de posar, entre outras aptidões que independem de um corpo com gominhos na barriga ou uma cintura marcada.

As pessoas parecem não notar também que, ao cobrar padrões irreais das celebridades, se impõem ideais impossíveis de ser alcançados por nós, meros mortais. Pode até parecer inofensivo, mas não é. Ao usar o teclado do celular para atacar o corpo de outra mulher na internet a sociedade está se aprisionando ainda mais nas crenças limitantes. Assim as pessoas começam a oprimir da mesma forma que se sentem oprimidas. Chamar  Gisele de imperfeita em tom de crítica só salienta a ideia de que ela não é perfeita o suficiente, criando um ideal de perfeição que nem mais a modelo mais bem paga do mundo atende.

É preciso entender que ao atacar o corpo daquela blogueira ou atriz famosa só se cria um ideal de perfeição inatingível, quase impossível de ser alcançado de forma natural e leve, sem sofrimento ou sacrifício. Assim, sem querer, alimenta-se o conceito de um único padrão de beleza cada vez mais segregador que pressiona a todos. Quando o criticado é o primeiro a criticar, precisamos parar pra pensar. Tudo isso acaba gerando ainda mais motivos para insatisfação coletiva com a autoimagem e desencadeando justamente problemas de autoestima, falta de autoconfiança e transtornos alimentares, apenas para citar os exemplos mais óbvios. Ou seja, quem ataca está na verdade criando armadilhas de inadequação e insegurança para si mesmo.

Por isso é importante desconstruir essa ideia do corpo perfeito, do ideal de corpo a ser seguido ou mesmo que exista um corpo para se considerar padrão, independente de qual seja sua forma, uma vez que o corpo humano é único e cada um tem sua particularidade. Aprender a se enxergar como indivíduo com suas particularidades e ver isso como um privilégio da natureza em vez de defeitos para se encaixar dentro de grupos é o que nos motiva a seguir com esse discurso de olhar amoroso sobre si mesmo. É saber que tá tudo bem não ter o corpo que será visto por aí como dos sonhos, desde que o seu corpo esteja plenamente apto para desenvolver as atividades que você gosta e deseja de fazer. Porque corpo perfeito é isso, aquele corpo que está preparado para fazer todas as coisas que gostamos de fazer, independente de forma e tamanho.

Está difícil viver num mundo onde nem Gisele está livre de episódios de “body-shamming”. Uma sociedade que cobra uma perfeição irreal e quase inalcançável até mesmo da modelo mais famosa do mundo está mesmo doente. E o pior de tudo? É enxergar o ciclo vicioso onde quem aprisiona é na verdade quem já foi aprisionado.

1 em Celebs/ Comportamento no dia 08.01.2018

5 fatores que fazem da Meghan Markle uma ótima inspiração

Meghan Markle é sem dúvida a dona dos holofotes de boa parte do ano de 2018. Não é todo dia que o príncipe mais legal resolve se casar e ele fez uma escolha que, além de atípica, foi um grande passo para todo mundo: pra eles como casal, pra ela enquanto porta voz de causas e para a Monarquia britânica, que precisava de uma renovada não apenas de juventude e carisma, como foi o caso de William e Kate, mas de posicionamento diante de questões que têm sido mais recorrentes.

Eu poderia fazer uma lista extensa sobre os motivos que nos levariam a prestar atenção na Meghan relacionados à beleza e talento, mas quero ir na relação de comportamento, mesmo.

Captura de Tela 2017-12-27 às 13.16.24

Ela defende os direitos das mulheres. Ter no meio da realeza uma mulher que se dedique a pelo menos falar abertamente sobre isso, é um avanço. Mesmo que a rainha siga impondo certas formalidades (não deixá-los andar lado a lado, entre outras coisas), a própria rainha tem dado passos decisivos ao permitir que a princesinha Charlotte entre na linha de sucessão ao trono e, acredito que a Meghan terá muito a acrescentar neste quesito. Aguarod futuros discursos inspiradores como alguns que já circulam pela internet.

Ela tinha uma carreira. Sim, eu sei que ela vai precisar abdicar disso para se casar com o príncipe, mas faz toda a diferença ter como referência uma mulher que construiu seu nome por esforço próprio, especialmente num meio onde as mulheres costumam estar ali apenas por títulos herdados. Além disso, acredito que isso possa fazer toda a diferença no relacionamento dela não apenas com as demais “novas colegas de profissão”, mas também com o público, que se identifica com ela. Se antes, eles acreditavam na Kate como a “plebéia que virou princesa”, imaginem quando ela antes tinha uma carreira bem sucedida. Charlotte ganhou uma tia em quem se inspirar! (Aproveitando: acho muito ok quem abre mão da carreira em troca de um casamento que exija isso, de uma experiência profissional do parceiro ou dos filhos. Acredito que trabalhar nos dá muitas lições, mas tudo bem abrir mão disso em troca de algo que te realize igualmente como pessoa. Somos livres, certo?).

Ela é mais velha que Harry. Isso nem deveria ser um assunto, assim como o fato dela ser filha de uma negra com um branco, já ter sido casada ou até mesmo ser americana. Mas ao mesmo tempo, deveria. Porque essas barreiras ainda existem, porque mesmo que pareça que isso já é mais socialmente aceitável, não é. Muito menos na posição em que ela se encontra agora. Então é um motivo para inspirar, sim. Pra gente sempre se lembrar que não é a nossa idade (ou a diferença dela), a cor da nossa pele, nosso estado civil e muito menos de onde viemos que pode nos limitar. Quem define nossos limites somos nós mesmos!

Ela chegou trazendo mudança. E é este o grande ponto dela ser uma inspiração. Por todos esses fatores e tantos outros que espero que a gente possa descobrir ao longo dessa maior exposição dela, ela chegou mostrando a que veio. Com delicadeza, doçura e segurança, item essencial para quem quer transformar o ambiente em que chega, ela está mudando a própria vida, mas também a de todos que a cercam, em diferentes escalas. Quem não quer ser assim?

39 em carreira/ Celebs/ Mayara Oksman no dia 21.07.2016

O sucesso da garota “sem talento”

Eu fiquei com receio de falar sobre esse assunto, pois a princípio me pareceu meio “da semana passada”, mas acabei de ler algo na internet e, bom, vi que temos sim que falar sobre Kim Kardashian. E não, não estou falando da briga dela com a Taylor, isso eu estou apenas observando, sentadinha no sofá e comendo meu fandangos de presunto.

Vejam, não é de hoje que quando vão falar sobre a Kim sempre mencionam a sex tape que ela fez há mais de dez anos (sim, amiguinhos, o vídeo vazou em 2007 mas foi gravado em 2003). Falam de como ela ficou famosa por causa disso. Como ela ganhou dinheiro por causa disso. Como ela casou por causa disso. Como ela teve filhos por causa disso. Ou seja, ela pode estar em 42º lugar das 100 celebridades mais bem pagas do mundo e tudo o que vão lembrar é que um dia ela fez uma sex tape. Como se tuuuudo o que a Kimberly fez desde então dependesse apenas dessa maldita sex tape.

Pessoas sempre me perguntam como faz para ficar famoso. Minha resposta é simples. Tenha um pai que defenda a morte de uma mulher. Vaze uma sex tape. É isso. Boa sorte. | A ironia de uma das mulheres com menos talento no mundo atacando uma das mulheres mais talentosas.

Tweet 1: Pessoas sempre me perguntam como faz para ficar famoso. Minha resposta é simples. Tenha um pai que defenda a morte de uma mulher. Vaze uma sex tape. É isso. Boa sorte. Tweet 2: A ironia de uma das mulheres com menos talento no mundo atacando uma das mulheres mais talentosas.

Primeiro: e daí? Segundo: o que pode ter começado com uma sex tape, virou algo nunca antes visto. Kim Kardashian (agora também West) fez um tonel com infinitos galões de limonada com os limões que tinha. A mulher tem um reality show de sucesso, linhas de roupa, de maquiagem, um livro, emojis próprios e um dos jogos de maior venda do mundo. Não sou eu que to puxando a brasa para a sardinha da Kim, não. Ela foi capa da Forbes. Sabe, a Forbes? E foi capa porque ela tem sim uma bela visão para negócios e ganhou nada menos que 45 milhões de dólares com seu jogo para celular.

unnamed-1

Kim é especialista no quesito marketing. Ela transformou seu próprio nome em uma marca e ganha dinheiro atrás de dinheiro todos os dias. Ela fez dos seus casamentos um espetáculo visto por milhões de pessoas. Ela fez do seu livro de selfies quase um best-seller. Ela consegue com que marcas famosíssimas queiram estar no seu joguinho: Balmain e Chanel são duas delas.

Eu adoro quando pessoas me subestimam e depois ficam agradavelmente surpresas

Eu adoro quando pessoas me subestimam e depois ficam agradavelmente surpresas

E enquanto eu procurava dados e fatos sobre a Kimberly para escrever esse texto – e tive que ler comentários bestas e maldosos enquanto fazia isso – cheguei à conclusão de que ela representa sim, muitas de nós. Ela é subestimada sempre e por quê? 1) porque ela fez uma sex tape; 2) porque ela coloca o popô para jogo; 3) porque ela tem um reality show; ou 4) porque ela é mulher? Eu diria que todas as anteriores.

Um dos paralelos que consigo fazer entre ela e eu é que talvez o simples fato de não sermos homens faz com que precisemos, todos os dias, provar o quanto somos capazes. Eu posso não receber as críticas que ela recebe (e nem quero começar a receber), mas percebo a dúvida estampada na cara de algumas pessoas quando digo que sou advogada criminalista, uma área com muitos mais homens do que mulheres. Isso quando não me olham com cara de espanto e soltam a famosa “nossa, tão bonita e trabalha com isso?“. Pois é, mas isso é papo para um outro post.

Então enquanto eu e você estamos aqui sentados – e você está chamando Kim de fútil e outras coisas piores – ela está viajando o mundo, curtindo sua família, bebendo bons drinks e pensando na próxima estratégia de marketing que ela pode criar para ganhar ainda mais dinheiro. Queria eu ser uma garota sem talento como ela.

mayara