Browsing Category

Destaque

4 em Autoconhecimento/ Convidadas/ Destaque/ Juliana Ali/ maternidade no dia 22.02.2017

Esse é um texto sobre mãe

A Carla é a mamãe aqui do Futi, sempre escrevendo relatos sensíveis, admiráveis e honestos sobre sua relação com a maternidade. Hoje, vou pedir licença para a Carlota e, se ela me permitir, falar um pouco sobre esse assunto também. Amiga, posso?

Tenho dois filhos. Teodoro tem oito anos e Carmen tem dois. Não sou o tipo de pessoa que romantiza a maternidade. Como ela costuma ser mostrada pelo lado bom, levei um susto quando ela chegou pra mim. Descobri que vem um montão de coisas ruins, junto com o bom. Aliás, como com tudo na vida. Não tem bom sem ruim, e vice versa, não é mesmo?

No entanto, hoje, vou falar, sim, de algo bom sobre a maternidade (quem sabe um outro dia, conto meus perrengues. São montes. Não tem fim. Mas não hoje). Hoje, vou falar sobre o que a maternidade fez por MIM. Esse não é um texto sobre filho, é um texto sobre mãe.

( *DISCLAIMER: Antes de tudo, queria dizer que não sou uma dessas pessoas que acha que mulher tem que ter filho pra ser feliz. Que só conhece o amor quando tem filho, que mulher sem filho é frustrada, e esse monte de blablablá horroroso que só inventaram para limitar a vida de quem não tem a menor vontade de ser mãe. Tenho muito orgulho das mulheres que desafiaram a sociedade e disseram: Não, isso não é pra mim! Sou feliz assim! E também não acho que o que vou falar abaixo não possa ser alcançado de outra maneira que não seja através da maternidade. Só foi o jeito que eu, Juliana, consegui alcançar. <3)

Ok, então vamos.

Fiz quarenta anos no último domingo, e essa passagem de década, tão marcante, naturalmente me botou pra pensar em um monte de decisões que tomei durante minha vida. No que fiz certo, no que errei.

Concluí, entre montes de decisões que achei que arrasei e outros montes que achei que fui uma bela de uma anta, que ter filhos foi minha melhor decisão entre todas da vida.

Cheguei a essa conclusão ao pensar no quanto mudei desde que virei uma mamãe. O que ser uma mamãe fez por mim, para mim, como pessoa, como Ju.

A maternidade me fez abandonar o supérfluo. Me fez colocar a vida em perspectiva. Deixei pra lá muita bobagem, seja por agora ter outras prioridades, por ter que focar minha energia porque o tempo é mais curto, ou mesmo por puro cansaço. E isso foi um alívio.

A maternidade me fez forte. Parei de sofrer por muita coisa, que passaram a se tornar menores, sem sentido, bobas.

A maternidade me trouxe foco. Objetivo. Razão. “Vamo lá, levanta, é pelas crianças”.

A maternidade me fez humilde. A arrogância que me acompanhava até então – eu, que sempre me achei tão sabida – foi pro lixo. Olhar para uma criança e pensar desesperada “e agora, o que eu faço”, pode mesmo quebrar a cara de uma espertona.

A maternidade me aproximou da minha própria mãe. Eu, tão crítica dela, compreendi tudo. A angústia, o medo, a culpa, o esforço, as dificuldades, as tentativas diárias de fazer o seu melhor com todo o amor desse mundo, e mesmo assim errar, sem querer.

A maternidade me aproximou de todas as outras mães, e de todas as outras crianças. Hoje, vejo uma mãe na rua, com seu filho pendurado no pescoço, muitas vezes cansada, e minha vontade é ir lá dar um abraço. “Tamo junta, amiga. Força”. E quando vejo uma criança chorando? “Tá tudo bem meu amor, eu te acalmo”. Sou mãe de todas elas, um pouquinho.

Tem gente que sonha em, quando for embora desse mundo, deixar sua presença nos livros de história, talvez em um filme sobre si próprio, talvez em discos, livros, ou outra coisa que marque pra sempre sua passagem pela Terra. Eu não. Não ligo pra isso. Me enche de orgulho imaginar que talvez, um dia, muito tempo depois que eu morrer, Teodoro vai cantar “O Segundo Sol” da Cássia Eller para seus netos e dizer “minha mãe cantava essa música pra mim antes de dormir”. Ou então, daqui 30 anos, Carmen vai ver uma amiga triste e falar pra ela, “amiga, calma, minha mãe sempre diz que não tem ruim sem bom”. Esse é o meu legado. É o legado que eu quero. O que vai ficar de mim, neles.

2 em Destaque/ Looks/ Moda/ Patrocinador no dia 22.02.2017

Papo na piscina: nossos looks Marcyn

Finalmente postamos ontem tudo que rolou no PAPO NA PISCINA, onde celebramos um verão sem padrões, onde toda mulher poderia nadar, tirar fotos e dançar sem medo de julgamento ou inadequação, sem se sentir obrigada a ter um corpo malhado para o verão. Todas foram vestidas nos seus melhores looks de segurança e amor próprio para celebrar esse projeto, que visa lançarmos um novo olhar sobre nós mesmas, tentando enxergar o que há de melhor e mais bonito no aqui e agora, se amando ao longo de qualquer que seja o processo que a pessoa deseja viver.

foto Mayra Leal

Na festa vimos mulheres de todas as cores, tipos de cabelos e corpos dançando, brincando e rindo juntas. A sensação era de que nunca vimos tantas mulheres plenas e seguras no mesmo ambiente. Essa era exatamente a nossa ambição, mas como dependíamos das meninas pra isso, pois era um sentimento do coletivo, só podíamos fazer uma coisa: dar o exemplo. E foi nesse contexto que a Marcyn abraçou a nossa causa.

foto Mayra Leal

A moda praia da Marcyn permitiu que nós duas enfrentássemos uma velha insegurança: ficar o dia todo de roupa de banho. Se era pra fazer isso na nossa própria festa, precisávamos de peças bonitas, que vestissem BEM. Foi exatamente isso que aconteceu. Decidimos os looks e nosso foco era usar uma segunda peça aberta, para que todo mundo pudesse ver nossos maiôs, que eram lindos e vestiam bem! <3

foto gabriela Isaias

Se tínhamos medo de nos sentir inseguras com o look? Sim, mas isso não aconteceu nem por um segundo. Como já contamos aqui, a Marcyn é uma marca que veste mulheres de todos os tamanhos e aposta na representatividade, é impressionante como eles têm mesmo peças para todos os corpos. Desde aquelas cujo foco é vestir bem – como o maiô da Jô – até as mais fashionistas como o body da Carla. Sem falar na Aline, nossa colunista de viagem, que vestiu um biquini super moderno. Cada uma com uma peça completamente diferente, para usar em seus corpos completamente diferentes. Isso sim é diversidade.

Look da Jô


fotos Mayra Leal

foto gabriela Isaias

Maiô control básico plus size cereja

“Pra mim o primeiro desafio do meu look era: encontrar uma peça que abraçasse minhas curvas de um jeito a deixá-las mais bonitas, em evidência, sem espremer minha gordura/ dobrinha das costas. Quando vi esse maiô da linha control plus, fiquei pensando que ele vestiria perfeitamente e me daria a cintura que eu precisava com conforto. Dito e feito. Foi exatamente isso que aconteceu. Me senti confortável, bonita e segura nele.

Eu naquela minha velha mania de achar que preciso do maior número pedi 3 numerações, e o mais curioso? Vesti o EG/48 (meu número de maiô mesmo) e era o menor de todos que pedi. A grade da Marcyn é muito honesta. Achei que esse modelo vestiu tão bem que fiquei com o roxo igualzinho que já sei que vou usar muito também.

Usar uma peça de moda praia sempre foi a MINHA MAIOR INSEGURANÇA em termos de look, sábado eu venci isso da forma mais incrível que eu poderia querer. Me senti bonita, elegante e perfeita para o contexto. Fiquei impressionada com as peças, com a qualidade e a versatilidade, dado que cada uma de nós optou por um estilo e ficou perfeita. Também fiquei com mais dois biquinis que vestiram muito bem para usar na minha viagem de março que vocês poderão ver no insta do @futilidades!”

Look da Ca

foto gabriela Isaias

 
fotos mayra leal

Body estampa guarani

Acho que a última foto  que eu aparecia de biquini ou maiô eu devia ter uns 15, 16 anos. E mesmo com um corpo que hoje eu consigo ver que era lindo, eu só aparecia escondendo partes dele com uma toalha ou canga. Depois disso, a situação chegou em um ponto onde eu não conseguia mais ver fotos minhas na praia ou na piscina. A foto podia ser linda, a paisagem maravilhosa, mas eu só conseguia enxergar gordurinhas e apagava todos os registros.

De lá pra cá eu engordei, engravidei, ganhei uns culotes e flancos que eu não tinha, a barriga ainda tá longe de ser o que era. A única diferença é que eu fui aprendendo a me enxergar de outra forma. E foi com essa visão que eu escolhi a peça para a nossa pool party, um body todo estampado de flores e oncinha.

Achei a estampa maravilhosamente adequada para a ocasião, combinava com a saída que eu peguei emprestada da Jo e confesso que a modelagem foi providencial para que eu me sentisse o mais segura possível. Vocês sabem que eu evito decotes, então ter achado um body fechado na frente e aberto atrás foi incrível mesmo. E mesmo me sentindo segura com a roupa escolhida, é óbvio que eu estava com medo. Para ser muito sincera, quando fui ver as primeiras fotos que a Mayra e a Gabi fizeram, parecia que eu estava indo para a forca tamanho o medo de ver algo que eu não gostasse, mas esse medo durou segundos.

Só sei que me surpreendi do quanto eu me senti bem, confortável e feliz tirando fotos na piscina, sem estar com alguma saída de praia cobrindo tudo.

Look da Aline 

calcinha | top 

A Aline, nossa colunista de viagem, também vestiu Marcyn e adorou o seu biquini!

“Eu escolhi o modelo desse biquini pela parte de baixo, para mim é sempre a parte que eu mais tenho dificuldade de gostar. Não gosto de nada pequeno demais, nem grande demais e nem que aperte meus flancos. Quando vi esse modelo achei que ele ia ser a solução para tudo isso, e foi. Depois eu escolhi essa cor, que eu achei maravilhosa para o meu tom de pele e eu adorei. Depois eu naveguei pelo site para escolher uma parte de cima que fosse combinar e decidi por essa. Acho que a combinação ficou perfeita, valorizou meu corpo, a cor ficou linda e fiquei me sentindo autoconfiante e livre de biquini! A calcinha entregou o que prometia de uma forma bem confortável e elegante, me senti muito bem durante a festa. ”

Achamos que ficou público e notório, nas fotos, vídeos e stories que estávamos muito relaxadas e despreocupadas com nossos looks né? Como já contamos, escolhemos tudo no ecommerce da marca, que além de estar em liquidação, deu mais um desconto (que acumula, isso mesmo, acumula) de 15% para nossas leitoras. A Marcyn deu esse benefício para todas porque a marca deseja que todo mundo se sinta segura como a gente se sentiu! :)

CUPOM 15% OFF em TODO site: FUTI15

Os preços estão IMPERDÍVEIS num grau que vocês não têm ideia, sem falar que tem várias possibilidades de frete grátis! <3 Quem quiser receber as novidades da marca ou mesmo retribuir o carinho com a marca que nos apoiou pode se inscrever para receber as newsletters deles! <3

Se antes nosso orgulho era de uma marca tão incrível ter vestido a camisa da nossa causa, agora é o orgulho de termos usado produtos tão bonitos, de qualidade e que foi super elogiado. Ficamos nos sentindo tão bem, tão satisfeitas, que orgulho dessa parceira que foi perfeita pro #paponapiscina!

Obrigada Marcyn, a gente não lembra de ter se sentido tão plena na piscina antes e vocês têm parte nisso!

——-——– Orgulhosamente a Marcyn foi uma das patrocinadoras da nossa festa <3 ——————