Browsing Category

Beleza

0 em Beleza/ Cabelo/ Destaque/ Patrocinador no dia 21.05.2018

Cuidando do loiro: hidratando com abacate!

Outro dia fiz um post contando tudo sobre meu processo de mudança de cor no cabelo. Meu caso é um pouco peculiar porque eu aliso, isso é, faço uma química menos abrasiva para deixar o cabelo mais liso mas sem ser escorrido, gosto de deixá-lo com um visual ondulado e cheio, podendo ativar os cachos quando eu quiser. Por ter uma química no cabelo, descolorir e matizar com a tinta foi uma ideia de certa forma ousada, mas como Bio Extratus Color tem tutano e microqueratina na fórmula, eu resolvi que iria mudar o visual com a profissional que faz minha química há anos. A Jussara faz uma técnica de alisamento muito específica e entende de fio de tal forma que com ela eu sabia que poderia ousar um pouco. Foi isso que fiz e contei aqui.

Claro que meu cabelo ficou diferente, com as pontas mais secas e na primeira lavagem eu entendi que teria que ter novos hábitos. A ideia de só passar o shampoo e condicionador da linha neutro somado a um pouquinho do leave-in da linha de Specialiste Resgate já não estava funcionando tão bem quanto antes, e vi que eu precisava rever meus cuidados para um cabelo que, apesar de bem cuidado, estava chupando rapidamente a hidratação.

O que eu fiz? Lavei normal, finalizei normal e deixei secar natural. Percebi que a integridade do fio estava intacta, mas é como se ele tivesse absorvido o leave in e pedindo mais hidratação. Como ainda não tinha encomendado nenhum creme ou tratamento para loiras, resolvi atacar com algo que eu tinha em casa: a máscara de abacate. Sempre uso o sachê de 60 segundo, mas já tem um tempo que não usava a máscara de hidratação, que é tão emoliente e hidratante pro meu cabelo.

Como agora meus fios estão pedindo mais produto, voltei a usar o pré shampoo detox na raiz. Ainda considerando essa raiz muito selada com a química, eu opto por alternar o shampoo e condicionador (neutro e pós química), mas o que está salvando a hidratação das minhas pontas tão bonitas e saudáveis em todos os vídeos e fotos é a máscara de hidratação de abacate com jojoba, da linha Pós Química de BIO EXTRATUS que eu resenhei inteira em novembro de 2016.
joana-cannabrava-1-

Acho que de todas as linhas da marca que já experimentei essa foi uma das que usei por mais tempo. Depois de quase um ano experimentando muitas coisas mas sempre voltando para a linha Pós Química, passei o verão com a linha Neutro, mas foi só meu cabelo dar o primeiro sinal de ponta secas, que optei por trazer essa máscara tão eficiente de volta pra minha vida.

cabelo-4

cabelo-3

Tamanho de 1kg que eu uso atualmente, tamanho de 250g que usei sempre.

Estou usando a máscara para desembaraçar, tratar e hidratar os fios. O resultado tem sido uma maciez extrema e um fio muito bem cuidado apesar do eixo alisamento/pó descolorante/água oxigenada/matização com tinta. Sinto que o cabelo está bem cuidado e vou poder estudar com calma qual linha para loiras da Bio Extratus eu deverei testar para me ajudar. Quem sabe até volto a usar a linha pós coloração, visando ajudar a manter a cor. Por enquanto quis garantir a hidratação do meu cabelo com a linha que meus fios mais adoram pra isso.

cabelo-1 cabelo-2

Quanto ao leave-in, estarei mentindo pra vocês se eu disser que troquei e estou usando outro. Sigo no meu preferido da vida: Specialiste Resgate. O que mudou foi a quantidade, se antes eu colocava bem pouco, agora eu aplico duas vezes mais em todas as pontas do cabelo. Esse pra mim é o melhor produto que meu cabelo conhece pra secar naturalmente (por causa do filtro solar) ou pra secar no secador (por ter protetor térmico). É o finalizador desse link aqui.

Cuidar do loiro vai trazer novos desafios que me farão experimentar novos produtos e técnicas pra dividir com vocês aqui, então podem me dar dicas de produtos e formas de uso dessas linhas que temos em casa!

Como “pós química” é a linha que nossas leitoras mais elogiaram, vale a pena ler também:

Resenha pós química completa

Resenha Carla sobre a manteiga de abacate, um dos melhores produtos da vida.

Resenha da Carla sobre a máscara de pós química sobre a qual estou falando aqui.

Beijos

2 em Beleza/ Esmaltes no dia 15.05.2018

Hipotireoidismo: das unhas fracas e quebradiças às unhas de fibra de vidro

Nos últimos anos tenho falado muito pouco sobre unhas e esmaltes, o principal motivo muito pouca gente sabe. Eu perdi o tesão por fazer a unha e entrei num processo de paz com não ter unhas perfeitas, ou até mesmo feitas. Foi sem dúvida nenhuma a melhor coisa que eu fiz, e depois de uma vida tentando fazer minhas unhas melhorarem eu resolvi aceitar que não havia um produto mágico que iria resolver minhas unhas quebradiças, que descamavam e quebravam com muita facilidade. Essa era a única consequência real e prática que eu sentia do meu hipotireoidismo, mais especificamente síndrome de Hashimoto.

O processo de liberdade e consciência de que as unhas não precisam estar perfeitas foi engrandecedor, adorei e aprendi que desde que elas estejam limpas, eu me sinto bem. Já fiz shooting de revista com esmalte vermelho descascando, já fui pra grandes eventos apenas com uma base, mas até mesmo manter a cutícula organizada me dava um certo trabalho. No entanto, pra mim, o melhor foi descobrir que fazer unha não tem nada a ver com dignidade. Isso foi um aprendizado de liberdade. Simplesmente entendi que é um adorno zero obrigatório porém muito incentivado pela sociedade no Brasil.

Depois da liberdade de não ter que fazer nada, eu passei a olhar para as minhas unhas com outro olhar. Me tirei dessa obrigação social de estar sempre perfeita e comecei a viajar nas minhas próprias reflexões quanto à esse pedacinho de mim. Como tudo que eu tenho feito na vida, resolvi viver um processo de autoconhecimento e reconhecimento das minhas unhas e redescobri muitas coisas ao sair do automático. 

Em primeiro lugar, me dei conta de que não adiantaria comprar todas as bases do mundo para fortalecer as unhas. Isso é algo que veio com o hipotireoidismo e eu nunca consegui resolver, mesmo com todas as taxas em dia.

Unhas antigas de quando eu ainda tentava fazer elas crescerem.

Unhas antigas de quando eu ainda tentava fazer elas crescerem.

Em segundo lugar me lembrei de quando comecei a fazer as unhas pela primeira vez. Eu fui criada dentro de um salão. Eu, como libriana bem vaidosa, procurava novidades todos os dias. Adorava fazer as unhas e tinha o sonho delas crescerem para eu usar a cor “café com leite” numa unha bem comprida! rs

Naquela época eu obviamente não fazia ideia do quanto a sociedade cobrava da beleza feminina. Eu simplesmente achava divertido fazer a mão e fui associando isso cada vez mais a estar arrumada, bonita e bem cuidada. Coisas que foram mudando pra mim nos últimos anos. Hoje posso, sim, achar unhas bonitas como um adorno estético, mas cada dia quero ficar menos refém de ser obrigada a seguir mais um padrão. Foi libertador descobrir que eu não precisava de nada disso, mas é aí que eu entra a fibra de vidro na história: poder experimentar algo que me desse as sonhadas unhas referências da infância também foi muito muito positivo. 

Na minha vida, o feminismo é sobre eu tomar consciência das coisas e aos poucos desconstruir crenças. Eu não preciso estar de unhas feitas para estar bem cuidada, mas entendi que eu também posso buscar unhas perfeitas se eu achar que vai ser legal pra mim. Foi o que decidi fazer agora ao driblar as consequências do problema de tireóide e passar uma fase com unhas grandes. Passei um bom tempo sem me importar com elas, agora deu vontade de mudar.

Da primeira vez coloquei elas um pouco grande, mas depois diminui na manutenção.

Da primeira vez coloquei elas um pouco grande, mas depois diminuí na manutenção.

Há quase 2 meses resolvi colocar unhas de fibra de vidro para ver como me sinto e, por enquanto, tem sido divertido.

Não vou negar que as melhores partes de ter unhas de vidro têm feito a Joana adolescente que ainda vive dentro de mim amar essa experiência. Estar com as unhas sempre prontas, bonitas, brilhosas, que não descascam, descamam e quebram e – na minha opinião, a melhor parte – trocar de esmalte porque eu enjoei da cor (e não porque a unha se destruiu) me fazem adorar essa técnica.

Porém, existem alguns pontos negativos que acho que valem ser pontuados, apesar de eles ainda não serem suficientes para me fazer desistir de usá-las:

  • tempo: A primeira vez demora um pouco mais, mas mesmo a manutenção não chega a ser exatamente tão rápida quanto uma unha tradicional.
  • durabilidade: a manutenção deve mesmo acontecer em duas semanas. No dia 22 da minha uma unha caiu, ou seja, acredito que manter a distância de 14-18 dias é mesmo fundamental. Perdi a data e me atrapalhei.
  • tamanho: se exagerar no tamanho, pode ser complicado limpar as partes íntimas, motivo pelo qual diminui as minhas na manutenção.

Eu faço na Barra no Espaço Sheila Santos, com a própria Sheila. A mais nova empresária do Rio de Janeiro, que mora na comunidade da Maré, deixou de atender à domicílio e expandiu seus negócios abrindo um espaço na Barra da Tijuca. Hoje ela trabalha com mais uma profissional no seu estúdio.

1ª manutenção

1ª manutenção

Os preços: R$200 a primeira vez e R$120 a manutenção. Durante o mês de maio a primeira vez está custando R$180, então, se você mora no Rio de Janeiro e está desejando experimentar um serviço de confiança pode marcar. Não deixe de navegar pelo insta da Sheila para conhecer seu trabalho – e preste toda atenção nas unhas sem esmalte para ver como é impecável.

unha-3

Para mim, o saldo da balança está super favorável, me sinto mais sexy e poderosa com elas, mesmo sabendo que não preciso delas para me sentir dessa forma. Estou adorando a criatividade e a praticidade das unhas de fibra de vidro, mas posso desistir disso a qualquer momento e lixar, tirar e me ver novamente naquela situação de só fazer as unhas quando der vontade. Quero seguir sem ser escrava ou refém de nenhuma ideia fixa. 

Alguém mais dribla as unhas fracas do hipotireoidismo com unhas de fibra de vidro? Temos dicas de profissionais bacanas de outros estados? 

Espero que gostem da minha mais nova invenção de moda.

Beijos

Parceria* Sheila foi a pessoa que eu escolhi para fazer minhas unhas, ela é a parceira do blog que eu recomendo. É importante ir em profissionais responsáveis. 
0 em Beleza/ Cabelo/ Destaque/ Patrocinador no dia 03.05.2018

Cabelo: uma incontrolável vontade de mudar a cor!

Desde que comecei a fazer química no meu cabelo eu sabia que mudar a cor não era uma opção. Meus fios iriam se destruir e, por essa ideia, o alisamento era sempre a prioridade. Os anos foram passando e a tecnologia foi me ajudando, assim como a descoberta de produtos maravilhosos pra usar em casa. As técnicas de mudança de estrutura de fio foram ficando cada vez mais elaboradas e permitindo resultados mais suaves. Os produtos de tratamento cada vez mais tecnológicos e a tendência cada vez menos lisa, o que aos poucos foi permitindo que meu alisamento deixasse de ser algo radical para se transformar em algo mais livre e sutil. Hoje eu faço uma escova que facilita a rotina com meus fios, mas me dá a chance de ativar cachos e ondas. Com todos esses avanços eu pude clarear meus fios pela primeira vez no verão de 2016. Sai do cabelo preto chapado que me acompanhou durante toda a vida para um iluminado muito sutil, mas que foi dando vida ao meu cabelo.

Antes e depois no dia que eu mexi na cor

Antes e depois no dia que eu mexi na cor – janeiro 2016

Ao longo dos últimos 2 anos eu fui mudando aos poucos, tanto a cor quanto o corte. Cada semestre que passava eu ia me tornando uma morena um pouco mais iluminada e sempre gostando mais e mais do resultado. Mesmo assim, estava sempre com a sensação de que não poderíamos ir mais longe nas mudanças de cor. Minha base de cabelo é muito escura e eu faço química, então, para que eu pudesse mudar meu cabelo, eu precisaria de produtos que me ajudassem nessa jornada.

cabelo-marco joana-cannabrava

fotos do meu cabelo em março de 2018

A verdade é que quando a Bio Extratus lançou a linha de Bio Extratus Color eu fiquei encantada com a possibilidade de usar uma tinta que tivesse tutano e micro queratina, mas ainda parecia um universo distante pro meu cabelo, mesmo ele não sendo mais virgem, já que naquele momento tinha duas químicas: o alisamento suave (uma escova sem formol) e as luzes que me permitiam o visual morena iluminada.

bio-extratus-color 11.21-bio-extratus-color

Quando a Carla fez o post sobre a tinta que hidratava, tratava e protegia uma pulga se instalou atrás da minha orelha: será que agora eu poderia ousar mais? Optei por esperar e ver o que iria acontecer com esse produto à minha volta, mas a vontade de mudar de uma forma um pouco mais expressiva bateu. Queria manter minha base escura, mas buscando luzes com a cor que eu desejasse naquele momento.

Quanto mais minhas amigas começavam a mudar suas cores de cabelo, mais eu ficava apaixonada. Carla entrou para o universo do ruivo com a Bio Extratus eu fiquei de olho no como aquilo deixou o cabelo dela mais bonito, mais sofisticado e ao mesmo tempo mais urbano e moderno. Achei chiquérrima a mudança, me deu vontade de mudar, mas resolvi esperar um pouco mais.

antes-depois

1ª vez que Carla usou a marca em NYC, ela não descoloriu na primeira vez.

cabelo-ruivo-1

2ª vez que a Carla usou a tinta aqui no Rio, descolorindo e pintando com a marca.

Depois foi a vez da Andreza, que eu achei que ficou mais elegante, Ana Luiza virou uma deusa loira e Maraísa com a cor mais viva que nunca (e olha que Mara já trocou de cor mil vezes). O tempo foi passando e eu fui ficando encantada com os resultados das meninas, vendo os cabelos de perto e conferindo o quanto sua qualidade e textura se mantinham ótimos.

andreza-goulart

Andreza Goulart – @andrezagoulart 

maraisa-fidelis

@blzinterior – Maraisa Fidelis

ana-luiza

Ana Luiza do @cindereladementira

Vendo e sentindo os resultados de perto entendi que quem precisou descolorir, precisou gastar mais máscara e creme, afinal, quando descolorimos o cabelo ele precisa mais de hidratação e passa a sugar mais do que nunca os produtos. Fui me dando conta que a  tecnologia da tinta da BIO EXTRATUS realmente era superior e vi que somando ela aos tratamentos em casa com linhas de cuidados mais fortes, eu poderia sim encarar uma mudança bacana sem destruir meu cabelo.

A verdade é que há alguns anos aquelas luzes super discretas já seriam abrasivas o suficiente, mas tudo mudou pra melhor e hoje eu posso sustentar uma mudança maior. Isso é uma enorme alegria, mas nem por isso eu teria coragem de descolorir o cabelo inteiro de uma vez, eu queria mudar, mas mantendo a base, a qualidade e respeitando os limites do meu alisamento pra seguir com um cabelo bonito.

Assim sendo, marquei meu horário com a Jussara, levei todos os produtos de Bio Extratus Color e embarquei nessa vontade de ter um novo visual, dessa vez menos sutil. Para não descolorir ele todo e mudar radicalmente optei por fazer mais luzes e matizar as mesmas com a cor que eu tanto amo nos outros: 11.21 louro platinado irisado acinzentado. Desde que Aline Weber apareceu na passalera da Balmain de cabelo platinado muitos anos atrás, eu me apaixonei por essa opção de loiro e matizar minhas luzes nesse tom foi o que fez meu coração bater mais forte nessa necessidade que eu senti de mudar.

ANTES & DEPOIS

antes-e-depois-cabelo-2

Olhando o resultado eu só posso pensar em agradecer por ter tido essa vontade tão grande de mudar um pouco. Ao cortar e pintar o cabelo eu fiz internamente um rito de mudança, me senti marcando a entrada de um novo eu, com novas vontades e um novo momento. Mudar a cor do cabelo não teve a ver com adentrar a um padrão de beleza, tampouco o corte, o que eu senti na verdade foi uma vontade enorme de me colocar de outra forma, de me ver de outra maneira. Senti uma necessidade muito grande de me dar um novo look nesse momento, isso costuma acontecer quando estou em processos importantes de mudanças pessoais e foi isso que eu senti: uma vontade enorme de me encontrar de novo.

cabelo-joana-cannabrava cabelo-joana-cannabrava-2

fotos Pedro Mena |@menaphotography

Sei que faço isso na terapia, através do autoconhecimento, mas marcar isso fisicamente, numa mudança diária que eu possa ver  no espelho me fez sentir muito bem comigo mesma. Mudar a cor do cabelo foi totalmente uma experiência relacionada ao #paposobreautoestima.

Bio Extratus Color é a primeira tinta com tutano no mercado, vale a pena navegar no site, ver as cores e entender a tecnologia desse produto, feito por essa marca que é tão responsável e séria quando o assunto é respeito a natureza e ao meio ambiente como um todo. Conheçam a Bio Extratus, nós temos um orgulho danado de sermos embaixadoras de uma marca como essa, que tem qualidade, causas, lutas e verdade no coração.

Espero que vocês se surpreendam como eu me surpreendi!

Beijos