Browsing Category

Autoestima

4 em Autoconhecimento/ Convidadas/ Destaque/ Juliana Ali/ maternidade no dia 22.02.2017

Esse é um texto sobre mãe

A Carla é a mamãe aqui do Futi, sempre escrevendo relatos sensíveis, admiráveis e honestos sobre sua relação com a maternidade. Hoje, vou pedir licença para a Carlota e, se ela me permitir, falar um pouco sobre esse assunto também. Amiga, posso?

Tenho dois filhos. Teodoro tem oito anos e Carmen tem dois. Não sou o tipo de pessoa que romantiza a maternidade. Como ela costuma ser mostrada pelo lado bom, levei um susto quando ela chegou pra mim. Descobri que vem um montão de coisas ruins, junto com o bom. Aliás, como com tudo na vida. Não tem bom sem ruim, e vice versa, não é mesmo?

No entanto, hoje, vou falar, sim, de algo bom sobre a maternidade (quem sabe um outro dia, conto meus perrengues. São montes. Não tem fim. Mas não hoje). Hoje, vou falar sobre o que a maternidade fez por MIM. Esse não é um texto sobre filho, é um texto sobre mãe.

( *DISCLAIMER: Antes de tudo, queria dizer que não sou uma dessas pessoas que acha que mulher tem que ter filho pra ser feliz. Que só conhece o amor quando tem filho, que mulher sem filho é frustrada, e esse monte de blablablá horroroso que só inventaram para limitar a vida de quem não tem a menor vontade de ser mãe. Tenho muito orgulho das mulheres que desafiaram a sociedade e disseram: Não, isso não é pra mim! Sou feliz assim! E também não acho que o que vou falar abaixo não possa ser alcançado de outra maneira que não seja através da maternidade. Só foi o jeito que eu, Juliana, consegui alcançar. <3)

Ok, então vamos.

Fiz quarenta anos no último domingo, e essa passagem de década, tão marcante, naturalmente me botou pra pensar em um monte de decisões que tomei durante minha vida. No que fiz certo, no que errei.

Concluí, entre montes de decisões que achei que arrasei e outros montes que achei que fui uma bela de uma anta, que ter filhos foi minha melhor decisão entre todas da vida.

Cheguei a essa conclusão ao pensar no quanto mudei desde que virei uma mamãe. O que ser uma mamãe fez por mim, para mim, como pessoa, como Ju.

A maternidade me fez abandonar o supérfluo. Me fez colocar a vida em perspectiva. Deixei pra lá muita bobagem, seja por agora ter outras prioridades, por ter que focar minha energia porque o tempo é mais curto, ou mesmo por puro cansaço. E isso foi um alívio.

A maternidade me fez forte. Parei de sofrer por muita coisa, que passaram a se tornar menores, sem sentido, bobas.

A maternidade me trouxe foco. Objetivo. Razão. “Vamo lá, levanta, é pelas crianças”.

A maternidade me fez humilde. A arrogância que me acompanhava até então – eu, que sempre me achei tão sabida – foi pro lixo. Olhar para uma criança e pensar desesperada “e agora, o que eu faço”, pode mesmo quebrar a cara de uma espertona.

A maternidade me aproximou da minha própria mãe. Eu, tão crítica dela, compreendi tudo. A angústia, o medo, a culpa, o esforço, as dificuldades, as tentativas diárias de fazer o seu melhor com todo o amor desse mundo, e mesmo assim errar, sem querer.

A maternidade me aproximou de todas as outras mães, e de todas as outras crianças. Hoje, vejo uma mãe na rua, com seu filho pendurado no pescoço, muitas vezes cansada, e minha vontade é ir lá dar um abraço. “Tamo junta, amiga. Força”. E quando vejo uma criança chorando? “Tá tudo bem meu amor, eu te acalmo”. Sou mãe de todas elas, um pouquinho.

Tem gente que sonha em, quando for embora desse mundo, deixar sua presença nos livros de história, talvez em um filme sobre si próprio, talvez em discos, livros, ou outra coisa que marque pra sempre sua passagem pela Terra. Eu não. Não ligo pra isso. Me enche de orgulho imaginar que talvez, um dia, muito tempo depois que eu morrer, Teodoro vai cantar “O Segundo Sol” da Cássia Eller para seus netos e dizer “minha mãe cantava essa música pra mim antes de dormir”. Ou então, daqui 30 anos, Carmen vai ver uma amiga triste e falar pra ela, “amiga, calma, minha mãe sempre diz que não tem ruim sem bom”. Esse é o meu legado. É o legado que eu quero. O que vai ficar de mim, neles.

5 em Autoestima/ Destaque/ Parceria no dia 21.02.2017

Papo na piscina & um dia de verão sem padrões!

Muita gente que acompanha nosso instagram – @futilidades – se perguntou do que se tratava esse evento do qual falamos tanto. Hoje chegou a hora de explicar tudinho pra quem acompanha nosso espaço mais relevante e importante: o blog. Quando mudamos o posicionamento do Futi sabíamos que muita coisa ia mudar, o que a gente não contava é que as pessoas estariam tão preparadas e animadas para abraçar nosso novo tema, nossa nova causa (que na verdade não é necessariamente nova, já que falamos de autoestima desde 2011, só não abraçávamos esse posicionamento na época) e nossa mudança de linha editorial. Não achávamos que seria tão rápido.

Foto Mayra Leal

Esse papo sobre autoestima estava contagiando muita gente e quando souberam que a Carla vinha para o Rio nos pediram para bolar um encontro, um bate papo ou algo que fosse legal pra reunir todo mundo que estivesse na mesma vibração que a gente. Pouco tempo depois o Grand Mercure Rio nos procurou perguntando se não queríamos marcar um fim de tarde na piscina com as seguidoras do blog. Nós olhamos aquele email, pensamos em todas as meninas que postaram fotos e textos contando que estavam aproveitando o verão sem medo de mostrar o corpo (muitas pela primeira vez em anos!) durante o recesso de final de ano e paramos pra pensar. Lemos tantos, mas tantos depoimentos de mulheres de biquini querendo quebrar padrões, fosse no nosso grupo sobre autoestima ou no instagram, que na hora achamos que poderia ser uma oportunidade brilhante de juntar tudo.

Nós nunca quisemos fazer uma festa do blog, mas pela primeira vez em 7 anos nós vimos um motivo que acreditávamos muito e que precisava ser celebrado. Valia a pena comemorar a mudança de posicionamento que demorou 1 ano para tomar forma, valia a pena reunir tantas mulheres que se incentivaram a usar maiô e biquini o verão inteiro, valia a pena chamar atenção para a causa e quebrar o sentimento de inadequação que muitas de nós sentimos vestidas de moda praia. Por fim, valia a pena mostrar que dá para ter um verão gostoso sem viver refém de ficar gostosa pro verão.

Foi nessa bandeira que começamos a procurar parceiros para viabilizar essa festa, mas o desafio era: não podia ser qualquer parceiro, precisávamos de marcas que acreditassem na causa, que quisessem ver mulheres curtindo o verão com todos os corpos, cores e cabelos. Que acreditasse na importância da diversidade e da representatividade. Foi assim que começamos a luta de buscar cada detalhe, obviamente todos voltados para uma experiência de verão.

Foto Mayra Leal

O nosso primeiro desafio foi vestir um look que nos deixasse seguras para curtir a festa, a piscina e as pessoas. Por isso ficamos tão felizes quando a Marcyn quis ser uma das patrocinadoras e parceiras do evento. Nunca nos sentimos tão seguras vestidas de moda praia antes, foi sensacional, mas sobre nossos looks e sobre a Marcyn a gente vai falar mais essa semana, porque com o apoio lindo que ela deu precisaremos dar um destaque pra ela! :)

E como foi a festa, meninas?

Que tal ao invés de listarmos os parceiros de forma tradicional, a gente contar pra vocês como pensamos a experiência do começo ao fim? Nós duas e a Livia Forte, produtora – anjo da guarda – mais competente e incansável da produção de eventos que já vimos na vida, pensamos em tudo. Todo produto, toda parceria ou patrocinador tinha um porquê de estar ali. Nada, apenas nada era gratuito e por isso talvez seja legal contar pra quem não foi, como foi a ordem cronológica da coisa.

A festa foi pensada para 80 meninas que participam do grupo mais 10 pessoas que precisávamos que estivessem lá para a festa acontecer. Assim nos tornamos 90 mulheres. Oi, só mulheres? Sim, assim como o grupo: só mulheres. O único menino do grupo é o João, nosso leitor e amigo de longa data que está no meio das mil e tantas mulheres e também estava entre as 90 pessoas.

fotos Gabriela Isaias 

A experiência começava com a entrada no Grand Mercure Rio Centro. O hotel é lindo, perfeito para um day use na piscina ou para uma escapadinha de casal querendo relaxar no fim de semana ou amigas querendo dar uma pausa na rotina. Eu certamente vou voltar lá pra fazer isso logo e contar aqui.

foto Gabriela Isaias 

Chegando no rooftop, antes de entrar na festa, o super fotógrafo Pedro Mena planejou um momento retrato, para que cada convidada, antes de entrar na festa e se jogar na bagunça, tivesse uma foto linda, profissional e com a luz perfeita. Ele contou pra gente que o feedback das meninas foi incrível, que todo mundo ficou se achando linda e a gente acredita, afinal, não paramos de receber perguntas de quando essas fotos saem. A ideia era captar a beleza e a luz que vem de dentro num retrato perfeito, fosse pra rede social ou para o crachá da firma, mas sem aquela sensação da foto 3×4 de nunca ter uma boa sabe? Foi exatamente isso que aconteceu. Entrar na festa já vinha num contexto alegre.

foto Pedro Mena  | insta @menaphotographyMena Photography no Facebook

Pisando na piscina já tinham bebidas como cerveja e vinho branco, comidinhas do buffet delícia do Grand Mercure e a DJ Lela Gomes, que além de nossa amiga, participante ativa do grupo e da causa no insta, é uma DJ MARAVILHOSA e nos deu de presente seu setlist animadíssimo que fez com que as 4 horas de festa quase não fossem suficientes. Sério, se a causa era a estrela da festa, a Lela foi a alma e a boia de cisne foi o Mickey. Afinal o patinho feio vira cisne no final, então na piscina a gente queria trazer algo bastante simbólico. Como já dissemos nada foi gratuito, até as boias da The Balloons foram pensadas com frases que bolamos para o evento. Essa marca aqui do Rio faz bóias e balões personalizados pra fotos.

A super DJ Lela Gomes

Boias da The Balloons

Como a ideia era colocar o corpo no sol, com curvas ou não, com dobras ou não, o protetor solar escolhido para a experiência foi o Anthelios [XL] Protect de fps 70. Vamos falar mais dele pra frente, mas foi o que a minha dermato, a Dra Vanessa Metz, usou na última viagem de verão dela em que pegou uma cor super saudável, sem queimaduras, então ela sugeriu que esse fosse o protetor do evento e a La Roche Posay fez acontecer. Todo mundo usou na festa e ainda levou pra casa um deles.

Outro produto disponível para ser usado na festa foi um item curioso, muito votado na enquete que fizemos do que cada pessoa leva na bolsa de praia ou piscina, uma resposta muito comum? Água termal. Como a preferida da Carlinha é da Vichy, foi essa que a marca disponibilizou para o uso de todas e para levar pra casa. Se não pode faltar na bolsa, não podia faltar na nossa pool party.


Isso tudo é muito gostoso, muito mesmo, ainda mais com as amigas: Nina Gabriella, Thais do Coisas de Diva e Maraisa Fidelis. 

Nossa May <3 <3 <3

Ai você pensa e os cabelos? Entrou na água e faz o que com o cabelo? A Bio Extratus disponibilizou 8 finalizadores, dos que a gente mais gosta, pra todo mundo poder usar. Tinha desde low poo cachos perfeitos à linha pós quimica de abacate, além do finalizador de resgate, do óleo de argan (um dos produtos mais vendidos da marca) e o de Camomila da linha Botica, ideal pras loiras. Eles quiseram pensar em todos os tipos de cabelo.

Além disso, a marca disponibilizou vários modelos de escovas da Michel Mercier que a gente tanto ama. Para todos tipos de fios –  finos, normais e espessos – e todos os modelos, desde os que não deslizam, até a queridinha de madeira e também a pequenininha pack and go. Foi maravilhoso poder mostrar para as meninas esse produto que tanto falamos aqui, o feedback foi incrível. Fora que cada menina que ficou no hotel ganhou uma também, foi um dos mimos do quarto.

Pensamos em tudo tomando como parâmetro o que a gente faria para curtir um dia na piscina, com os produtos que a gente usa na prática, só que para as meninas testarem.

Com a linda Daiana Garbin, que tem um canal no youtube sobre autoestima.

Como nesse evento a proposta era curtir o sol, a piscina e a música sem neurose ou preocupação também não valia comer com culpa, então arrasamos nas parcerias de sobremesa. Os brigadeiros (casadinho, limão, leite ninho, chocolate e ovomaltine) eram da Sabor Divino e os bolos da MAKE A CAKE, onde você monta seu naked cake com os sabores que você quiser.

Procuramos servir duas coisas que a gente acha perfeito pra uma tarde na piscina: vinho branco e cerveja. Como dissemos, era pra ser bem a nossa cara, apesar da festa não ser nossa, não ser nem do Futi. Era sobre o #paposobreautoestima, onde o Facebook foi apenas uma ferramenta facilitadora na hora de organizar o evento. Nós disponibilizamos o espaço e agitamos o evento para celebrar essa causa linda que é quebrar paradigmas de padrões aprisionadores – quando não inatingíveis – de beleza.

Foi tudo lindo. Demos de presente um kit com todos os livros da Jojo Moyes que foi presente da Intrinseca e montamos kits para as meninas que dormiram no hotel conosco. Teve desde anel da Livia Kerr com as iniciais dos nomes até a escova Michel Mercier. Pensamos tudo com o máximo de carinho que conseguimos nesse mês que tivemos para organizar essa pool party.

O kit de levar pra casa tinha tudo: o protetor e a água termal da festa, um produto de cabelo para o tipo de cabelo da dona do kit, um chinelo estampado lindo que ganhamos da Enjoy (que fez em parceria com a Ipanema) e um envelope muito legal para incentivar doação de looks antigos de uma ação que a Enjoy tem aqui no Rio para ajudar pessoas carentes a receberem roupas antigas. Foi uma forma da gente incentivar coisas boas no kit e a gente tem que agradecer muito a marca por isso.

Contratamos a Mayra Leal, fotógrafa cearense, pra fazer os cliques oficiais dos parceiros e de tudo que nós duas juntas precisávamos ter registrado. Ganhamos da querida Gabriela Isaias fotos maravilhosas, espontâneas de todo o evento, de todas as meninas. Ou seja, tivemos duas mulheres incríveis registrando tudo que aconteceu e a gente nunca vai ter agradecimentos suficiente pra elas.

Todos os detalhes da experiência foram mais especiais do que a gente sonhou nesse último mês. O papo na piscina foi de uma energia IMPAR, daquelas que você nem acredita direito enquanto está vivendo. Tantas mulheres dançando, nadando e fotografando de biquini, sem medo. Recebemos cada feedback lindo que só conseguimos ter certeza que nunca estivemos num caminho tão certo.

fotos Gabriela Isaias 

Nossa gratidão por todo mundo que apoiou esse evento é enorme, por todo mundo que foi, se jogou e abraçou a causa. Aliás, talvez esse seja o maior legado de tudo isso, ver que as mulheres ali presentes entenderam a causa. Como não cansamos de falar, a gente deu a ideia e fez o convite, mas se as convidadas não estivessem na mesma vibração que a gente gostaria, o evento não seria a mesma coisa! Obrigada a todo mundo que foi, a todo mundo que curtiu e comentou nas redes sociais, a todo mundo que está entendendo o propósito do papo sobre autoestima.

Beijos

[ as fotos do post que não tem créditos são da nossa super Mayra Leal ]