Browsing Category

afiliado

3 em afiliado/ Autoestima/ Beleza no dia 07.03.2017

Os perfumes mais levantadores de autoestima da minha vida

Enquanto eu estava no Rio, abri meu armário do banheiro e percebi que tinha uma parte que ainda estava intacta desde quando eu me mudei para SP, há 7 anos atrás. Todos os perfumes que marcaram minha adolescência e começo da fase adulta estavam ali – todos com a validade vencida, claro.

Enquanto eu arrumava aquilo tudo e jogava fora os vidros, a nostalgia me incentivou a fazer esse post, porque eu me dei conta que perfumes sempre estiveram associados à minha autoestima. E ainda estão! Queria muito ser aquela pessoa que é reconhecida e lembrada por uma fragrância específica, mas já aceitei que isso não vai acontecer comigo porque cada fase da minha vida teve um cheiro diferente, e de certa forma acho isso bem legal.

contei por aqui sobre os perfumes que eu escolhi para chamarem de meus (e nada mudou de lá pra cá), agora vou contar para vocês os principais perfumes que alavancaram minha autoestima e minha segurança em diversos momentos! Depois quero saber de vocês…

1 – Cool Water, da Davidoff – Acho que esse é um dos primeiros perfumes que eu tenho a lembrança de usar por um motivo específico. Tinha lá pelos meus 13, 14 anos e na época era muito legal e “prafrentex” usar perfume masculino. Me achava muito segura e descolada encharcando meu moletom da GAP com ele.

2 – CK One, da Calvin Klein – Ele foi um pouco depois do Davidoff, na época que eu me sentia segura se estivesse fazendo o que todo mundo estava fazendo. E todo mundo usava esse perfume (ou o CK Be, da embalagem preta), então passei a usá-lo também.

3 – Tommy Girl, da Tommy Hilfiger – O primeiro perfume que eu ganhei de um namorado, como não considerar icônico? Claramente eu achava ele especial e por causa disso acabava me sentindo especial também toda vez que eu usava (que era sempre, por alguns anos).

4 – Coco Mademoiselle, da Chanel – Aí cheguei naquela fase 18/19 anos, I’m not a girl, not yet a woman como já dizia minha amada Britney Spears. Tinha cansado de todos os perfumes da minha adolescência e não queria usar os perfumes da minha mãe. Queria me sentir confiante, sofisticada mas ainda assim ~novinha sensacional, e foi aí que eu encontrei o Coco Mademoiselle, que é feito justamente para esse nicho de mercado. Acho que foi o perfume que eu  mais usei na vida, o último vidro que eu comprei acabou no ano passado e estou ensaiando comprar um novo, por mais que hoje eu use outros perfumes. Ele é o que eu mais me identifiquei e o que mais representa quem eu sou, ele vai além de fases (e é engraçado isso, né? Muito subjetivo). Se me mandassem escolher um perfume para resumir a minha vida, seria ele.

5 – Infusion d’Iris, da Prada – De todos os que eu tenho é o que eu menos me identifico, confesso. Mas ele é icônico por um único e simples motivo: ele foi um dos primeiros que eu comprei para tentar celebrar minha fase sou mulher e não mais adolescente. Queria algo ousado, sofisticado, poderoso, marcante e ele é tudo isso mesmo. A diferença é que ele é de fases pra mim, as vezes enjoo, as vezes amo. Mas como eu comprei querendo me sentir daquela forma, até quando eu to na fase de odiar, é inegável que ele me faz sentir tudo aquilo que eu queria quando trouxe ele pra casa.

6 – Hiris, da Hermès – Comprei há quase 3 anos em uma época que eu precisava me sentir única, diferente e interessante. Acho que estava insegura e quando o encontrei, sabia que tinha achado uma fragrância muito especial. Toda vez que quero me sentir a dona da p%$a toda eu uso o Hiris. Junto com o Coco Mademoiselle, é meu perfume pra vida, pena que é tão difícil de achar.

Quais são os seus perfumes levantadores de autoestima? Me contem!

 

0 em afiliado/ Destaque/ Moda no dia 08.02.2017

Carnaval despreocupado

Eu falarei por mim mas tenho certeza que a Joana compartilha dessa minha preguiça de Carnaval. No meu caso a preguiça é ainda maior porque eu simplesmente não tenho paciência para blocos de rua. Acordar cedo, ficar debaixo do sol e encarar alguns perrengues não fazem parte da minha definição de diversão mesmo eu amando o clima que fica na cidade, ver o povo fantasiado e acompanhando as aventuras dos amigos nas redes sociais.

Por isso, nas poucas vezes que eu encarei um bloquinho eu não fui fantasiada porque foi uma decisão de última hora. Eu botei uma roupa qualquer que fosse fresquinha e complementando com acessórios fáceis de achar em qualquer lugar: uma máscara, uma peruca, uma coroa…

Um exemplo de fantasia preguiçosa por Caroline Barrionuevo <3

Então, como tutorial de fantasias e maquiagens incríveis já estão rolando pela internet (ex: esses da Amanda que estão de babar) resolvi reunir algumas peças da preguiça, ou seja, para quem não é da montação mas está muito afim de curtir os bloquinhos!

Se quiser ir direto para a página do produto, é só clicar no ícone na imagem!

Só com essas poucas peças eu já consigo imaginar vários looks apropriados para bloquinhos (e que não vão nos fazer sentir deslocadas) e fantasias, vocês também?

4 em afiliado/ Looks/ Moda no dia 31.01.2017

Look da Cá: Saia midi, desculpa pelo preconceito

Querida saia midi, se algum dia eu dei a entender que você não era uma peça para mim eu peço desculpas. Modéstia à parte eu amo minhas pernas, e em pleno verão sempre achei que escondê-las não era uma opção. E com 20 e poucos anos tudo que eu queria era um short jeans ou uma saia curta e não tinha conversa. Onde já se viu em um calor de 40 graus cobrir mais partes do corpo? Eu hein, isso é coisa de gente doida – ou conservadora, sei lá. Alguém que não era eu definitivamente.

Com 30 eu continuo amando minhas pernas, meus shorts e saias, mas acho que com o passar dos anos a gente acaba ganhando um pouco de maturidade e segurança para aumentar o repertório de peças no armário, né? Não é porque estou com uma saia midi que eu necessariamente viro uma mulher mais velha, ou mais recatada, ou até mesmo menos sexy.

Foi assim que eu conheci a sua primeira “prima”, aos 27 anos. Verde militar, com pregas e foi a minha primeira experiência com uma peça que deixava meus quadris tão evidentes sem achar que estava me deixando gorda. 2 anos depois, quando eu já estava com 29, chegou a sua “prima” elegante, e taí uma compra que eu não me arrependi apesar de eu só ter usado a saia 1 vez até o presente momento. Eu me sinto bem sabendo que tenho uma opção tão sofisticada dentro do meu armário.

E finalmente chegou você, a saia midi de verão, levinha, soltinha, listrada, charmosa!

Camiseta Animale | Saia AMARO | Sandália Schutz | Óculos Dior | Bolsa Chanel

Nos afiliados:

 

Foi um namoro que começou aqui no blog, quando – para variar – eu me influenciei com meu próprio post e me apaixonei por você. Comprei, chegou mas eu só pude finalmente experimentá-la e usá-la na semana passada – e valeu a espera! Era tudo o que eu esperava de você e mais um pouco!

Então esse post é só para te pedir desculpas por um dia ter te subestimado, achar que você me envelhecia, que sua modelagem não trabalhava a meu favor. Que bom que a gente pode mudar nossas opiniões e tentar de novo quando o assunto é moda, né?

Beijos!

Carla