7 em Autoestima/ Deu o Que Falar no dia 04.12.2018

Gordofobia no discurso da Carolina Dieckmann? Sim, temos.

No último sábado, a atriz Carolina Dieckmann participou do programa Altas Horas e acabou dando o que falar. O momento que fez com que toda uma discussão sobre gordofobia acontecesse foi quando a atriz começou a falar sobre a cerimônia do seu segundo casamento. Ali, ela diz ter se casado “obesa” pois casou-se grávida de 6 meses e 20kg acima do seu peso. Serginho Groismann tentou aliviar a tensão que surgiu na plateia dizendo que ela não precisava emagrecer, mas a atriz não entendeu a deixa e terminou falando “mulheres sempre querem emagrecer”. 

Carolina, tenho certeza absoluta que de obesa você não tinha nada. Talvez a sua magreza evidente faz com que você se sinta assim ao ganhar qualquer número de peso. Isso não é obesidade. Além disso, gorda não é sentimento, não vamos esquecer.

>>>>>> Veja também: Pare de dizer que você se sente gorda. Gordura não é sentimento <<<<<<

“Obesas”, da forma pejorativa que você falou, são pessoas que sofrem preconceito por conta da sua forma física. Pessoas que são excluídas socialmente por isso, que não cabem em certas cadeiras, cujo cinto de segurança em um avião não fecha, que não conseguem emprego, que são marginalizadas em atendimentos em serviços de saúde. Você não estava e nunca esteve obesa. 

Mas não é isso que vim aqui discutir. Na verdade, logo depois surgiu uma discussão se houve ou não gordofobia no discurso dela. “Ah, mas ela estava falando dela mesma, não estava falando mal de outros corpos”, foi o argumento princial. 

Não importa para quem ela estava falando isso, a questão é que o discurso dela foi sim, gordofóbico. Vou contar os pontos que me chamaram atenção. 

gordofobia-1

“Aquele vestido de noiva….a pessoa branca, gorda, de branco….piorou tudo.” E emenda na frase “Tiago, você precisa me dar a chance de ser uma noiva gata”.

Nessa frase ela explicitamente mostra algo muito comum enraizado. A ideia de que a beleza está na magreza, que estando fora desse padrão não se pode ser bonita.

Lá no grupo do #paposobreautoestima no facebook algumas meninas disseram se sentiram feias por serem ou estarem gordas. Sabe por que elas se sentem assim? E-X-A-T-A-M-E-N-T-E por isso. Como a magreza é associada à beleza, qualquer coisa fora disso se torna feio ou errado.

A Carolina Dieckmann só repete isso pois ela também foi ensinada dessa forma, assim como todas nós. Ela também é vítima desse sistema cruel que faz as mulheres acreditarem nisso. Tão vítima que ela não se deu conta de como sua fala foi problemática. Mesmo com a plateia não reagindo. Mesmo quando o próprio Serginho foi tentar melhorar o clima dizendo que ela não estava gorda. Ela tanto não se deu conta que continuou a falar e a reforçar aquilo que havia começado.

Isso é muito comum em discursos onde não temos lugar de fala. Aquilo não nos dói da mesma forma que dói em quem sofre o preconceito.

gordofobia-2

“Magra….porque toda noiva tenta emagrecer”

Taí um hábito que foi socialmente construído e ferra a cabeça de boa parte das noivas. Mas por que toda noiva tenta emagrecer? Casar gorda é fracasso? A ideia de que pessoas gordas são fracassadas está enraizada na nossa sociedade. Há alguns meses eu fiz um texto sobre essa ideia que “não podemos correr o risco de sermos gordas” onde mostro a raiz gordofóbica e o pavor de engordar que assola o mundo que vivemos. E é exatamente essa ideia que permeia o raciocínio de que precisamos sempre estar emagrecendo. 

gordofobia-3

“Porque ainda quero esse sonho de noiva, emagrecer pra ficar gata, passar por essa tensão de tentar caber no vestido”

Essa fala é toda problemática porque claramente mostra o pensamento repleto de gordofobia de uma pessoa que nunca foi gorda, muito menos obesa. A pressão para emagrecer que é comum entre as noivas não é um sonho. A tensão para caber no vestido não é essa romantização que a Carolina faz parecer. Ao contrário, é um cenário de horror recheado de gordofobia.

Vemos noivas que não se permitem experimentar os doces e o bolo do próprio casamento para não engordarem. Vemos mulheres tomando remédios tarja preta para conseguirem emagrecer. Vemos noivas que não conseguem aproveitar a própria festa porque estão fracas depois de meses de dieta super restritiva.  Tudo isso por causa dessa ideia de que tem que caber no vestido de noiva, porque noiva tem que casar magra. 

gordofobia-4

“Coisa de mulher que quer sempre emagrecer”

Temos que PARAR COM ISSO de que “toda mulher quer emagrecer”! ”Toda mulher quer perder aqueles 2 quilinhos”. NÃO! Esse senso comum precisa ser extinto! Muita gente que atendo diariamente no meu consultório chega com a demanda de querer emagrecer, e na maioria das vezes, chegamos a conclusão de que essa demanda nem é delas. Muitas descobrem que levam essa crença enraizada, mesmo não acreditando realmente nela. 

>>>>>> Veja também: Qual o peso a palavra magra tem na sua vida? <<<<<<

Somos todas vítimas dessa sociedade? Sim, somos. Somos todas vítimas desse padrão? Também somos. Mas não podemos sair falando qualquer coisa por aí. Ainda mais você sendo famosa e tendo um discurso de longo alcance, em um programa de televisão de tv aberta.

Temos que prestar mais atenção à toda discussão que tem sido feita de forma bastante saudável sobre inclusão, representatividade e gordofobia. Para quebrar preconceitos e unir as pessoas, independente do seu formato de corpo, cor, orientação sexual, religiosa ou o que quer que seja. Acho que isso faltou à Carolina. Soou como um discurso total de peixe fora d’água.

Gostou? Você pode gostar também desses!

7 Comentários

  • RESPONDER
    Milena
    04.12.2018 às 9:51

    Muito obrigada por esse texto, Camilla! Te sigo no instagram, e como você é sensata, ponderada, inteligente! <3

    Ler essas declarações da Carolina foi sofrido, atingindo cada memória de uma vida inteira tentando emagrecer…quando estava prestes a me casar, lembro de ter pesadelos como não entrar no vestido, por exemplo…
    Fica muito claro que esse pensamento tem que mudar, e a gente tem que parar de ser escrava dos nossos corpos…

  • RESPONDER
    Marilda Gomide
    05.12.2018 às 3:33

    Sério mesmo está matéria, sem propósito?
    Sempre fui gorda a minha vida inteira e não me senti ofendida com a atriz. Ela estava falando do sentimento dela e não das gorduchas como eu. Problematizar tudo é chato, cria ódio e não é legal.

    • RESPONDER
      camilla estima
      05.12.2018 às 13:20

      Oi, Marilda. Acho ótimo você não ter se sentido ofendida, que bom. Infelizmente a maioria das mulheres não se sente dessa forma. Atendo diariamente mulheres que sofrem com isso de verdade e muitas precisam de uma fala que as faça entender e se sentirem incluídas nesse mundo tão preconceituoso. A questão não é problematizar tudo mas sim desconstruir conceitos que possam estar enraizados e que nem sempre percebemos. Bjs

  • RESPONDER
    Natalie
    05.12.2018 às 9:16

    O melhor são as pessoas com cara de cool atrás
    E a pessoa não se toca do que tá falando

  • RESPONDER
    Aline
    05.12.2018 às 22:05

    Ela foi bem infeliz nos comentários, mas já vi várias ex gordinhas que reproduzem essa mesma conduta. Depois que emagrece (seja lá como aconteceu) vem com essa ideia que antes não eram bonitas e que todas as pessoas devem emagrecer. É triste, mas duvido muito que a Carolina tenha se arrependido do que falou, pq ela realmente acredita nisso

  • RESPONDER
    Patricia Siqueira
    06.12.2018 às 9:58

    Infelizmente vivemos em uma sociedade onde a magreza ainda reina. Olha sou obesa sim, com todos os meus exames clínicos belezinha. Faço atividade física? Sim. Afinal não é porque sou gordinha que sou doente, muito pelo contrario, sou muito saudável. Sofro com a sociedade? Sim, é cada comentário que nós escutamos e que nos machucam, desde uma atendente de loja que diz que nao tem roupas desse tamanho, ou que eu ja escutei: “As roupas plus size fica naquele cantinho pois é um publico que nao pega bem para a loja”, ou comentarios da propria familia: “Nossa precisa emagrecer hein”.
    Chega uma hora que cansa. Como incomoda aos outros você estar bem do jeito que é não é mesmo.
    Teve uma época que odiava a minha condição, o meu corpo.
    Hoje eu me aceito e estou nesse processo de aceitação, de ser do jeito que sou.

  • Deixe uma resposta