1 em Autoestima/ Destaque/ Relacionamento no dia 03.12.2018

Iniciativa, quando foi a última vez que você tomou uma em um relacionamento?

A gente fala bastante sobre relacionamentos aqui no Futi. Já falamos sobre como é necessário o amor próprio antes do amor dividido. Falamos sobre questões de relacionamentos que já existem. E também já teve post falando sobre quando ele acaba. Mas muitas vezes esquecemos de uma parte do processo que pode ser divertida: a paquera.

Culturalmente somos colocadas na posição de quem espera ser procurada, cortejada, ou paquerada. A sociedade nos ensinou a ficar em compasso de espera, ainda mais quando estamos falando em relacionamentos hetero. Esperamos que o cara nos aborde, nos convide pra sair, tome a iniciativa de tudo, ligue no dia seguinte. Até mesmo quem se considera feminista em algum momento já fez isso (ou ainda faz). Entendo quem ache que esse seja um movimento inteligente, pois quando o outro lado procura, claramente é porque está interessado. Como se fosse um jogo, como se alguém saísse por cima (já falamos disso por aqui também). Mas não é disso que quero falar. Quero mesmo é fazer umas perguntas para gerar um certo desconforto.

ilustra: Agathe Sorlet

ilustra: Agathe Sorlet

Quando foi a última vez que você tomou a iniciativa pela primeira vez?

Digo no sentido de fazer o primeiro movimento mesmo, de ir atrás de quem te interessou. Você já chegou a fazer isso alguma vez? E o que você sentiu com esse ato?

Caso a resposta tenha sido não, pergunto mais. O que te impede de se aproximar de alguém que te interessa? É o medo da rejeição? É a vergonha de ouvir não? É se sentir ridícula se o outro não quiser? Quero propor uma ideia, e vamos ser realistas. O não faz parte da vida de todo mundo e não deveria ser um motivo de vergonha. Muito menos algo que te trave ir atrás do que você almeja. E isso vale pra tudo na vida, porque não valeria para os relacionamentos?

Eu, particularmente, acho que todo mundo deveria se expor a esse tipo de risco alguma vez na vida. Ou todas, se achar que vale à pena. Acho que se aproximar, puxar assunto, se mostrar interessada e se arriscar pode ser um ótimo exercício para nossa autoconfiança.

Mas não digo apenas puxar um papo. Digo de fato fazer um convite, dizer o que sente, ser clara quanto às suas intenções.

Vai ter quem se assuste? Claro que sim! Mas ao invés de achar que é uma vergonha, ou sentir-se rejeitada, eu encaro como uma seleção rápida do que vale à pena investir ou não. Quem quer lidar com gente que não se garante ao ouvir um convite pra sair? Ou que se intimida? Portanto, tomar a iniciativa já deixa logo bem claro quem é seguro de si e quem não é. E isso inclui vocês mesmas. Tentem, me contem, eu acho que super vale à pena ter essa experiência. É um sensação muito boa!

Gostou? Você pode gostar também desses!

1 Comentário

  • RESPONDER
    Jocimara
    09.12.2018 às 20:25

    Eu sou travadíssima para tomar a iniciativa, mas confesso que tô numa situação que to morrendo de vontade de chamar pra sair a dois ( já chamei pra sair, mas foi uma saída em grupo). O meu medo é de não saber lidar depois com a situação negativa, como olhar para pessoa depois? isso que me trava! mas vou tentar, prometo!

  • Deixe uma resposta