0 em Autoestima/ Destaque/ entretenimento no dia 16.10.2018

O casamento da princesa Eugenie e uma verdadeira inspiração para vermos nossas cicatrizes com orgulho

Acredito que a maioria de vocês viu que na última sexta-feira (12), a princesa Eugenie, neta da Rainha Elizabeth II, se casou no Castelo de Windsor, em Londres. Muito se falou da sua fantástica tiara nunca antes exibida com esmeraldas avaliadas em muitos milhões, mas quero focar na segunda coisa que foi muito focada: seu vestido. Assinado por Peter Piloto, muita gente costuma olhar e analisar essas escolhas sob um viés fashion ou até mesmo sob as lentes românticas da realeza, mas para a princesa Eugenie havia muito mais que isso na escolha dele.

Mais importante que a cauda ou o tipo de decote foi a parte de trás, um corte em V profundo, que ia até a metade de suas costas, e que foi pensado estrategicamente para mostrar a cicatriz da cirurgia que se estende por toda a sua coluna vertebral. 

cicatriz-princesa-eugenie

Antes do evento, Eugenie compartilhou que ela especificamente selecionou um decote que não escondesse sua cicatriz. “Eu sou patrona do Royal National Orthopaedic Hospital Appeal e fiz uma operação quando tinha 12 anos de idade”, disse ela na ocasião. “É uma maneira adorável de homenagear as pessoas que cuidaram de mim e uma maneira de defender os jovens que também passam por isso.” Ela acrescentou: “Eu acho que você pode mudar a maneira como a beleza é, e você pode mostrar às pessoas suas cicatrizes e eu acho que é realmente especial defender isso.”

Muitas mulheres – e homens – começaram a compartilhar suas histórias e mostrar também suas cicatrizes – alguams iguais às da princesa, muitas bem diferentes – através do Twitter, o que foi um movimento sensacional.

cicatriz-eugenie

Eu tenho uma cicatriz no braço, e ela é bem grande. Eu operei o braço depois de quebrá-lo num acidente de carro. Apesar de muito grande, ela não me incomoda em nada e eu mesma só fui me dar conta que a tenho quando parei pra pensar em escrever esse texto. Só que justamente por ser muito grande, sempre aparece alguém para me perguntar, então fico imaginando o quanto muita gente deve esconder suas cicatrizes por aí. 

Há quem se incomode com a cicatriz da cesárea, de uma cirurgia feita de emergência, de um tombo grande quando criança, no rosto, enfim. Mas porque deveríamos nos incomodar com isso? Assim como a princesa Eugenie, eu entendo a minha cicatriz como algo que não afeta como eu me enxergo, mas afeta a minha vida diariamente. Graças à ela meu braço se restabeleceu e hoje tenho todos os movimentos perfeitos, portanto, eu deveria ter orgulho dela.

Entendo que muitas vezes a cicatriz pode trazer lembranças tristes, de momentos difíceis e sofridos, porém, estamos todas aqui para contar histórias. E ter uma cicatriz é a prova viva de que vencemos essa fase da nossa vida, certo? Apenas por isso já deveria ser um motivo para não ficarmos tão incomodados com isso.

Nos cobram tanta perfeição que nem mesmo podemos ter marcas de coisas que a vida vai nos deixando, e isso é muito ruim. Assim como cada história é única, nossos corpos e nossa pele também, e é claro que tá tudo bem em termos marcas e cicatrizes. São lembranças do que vivemos e, mais ainda, que sobrevivemos para contar ela história, ou para ao menos nos lembrarmos que mesmo os momentos difíceis passam.

Que possamos todas sermos orgulhosas de nossas marcas. Nós vencemos e estamos aqui pra dizer isso.

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta