0 em Autoconhecimento no dia 09.10.2018

Celular assim que acordar? Parei. E vou contar o que eu aprendi com isso

Como é a rotina de vocês antes de acordar? Provavelmente igual a minha: abre o olho, pega no celular e quando vê, faz tudo voando. Eu não sei vocês mas se tem algo que acaba com o meu humor é justamente isso, ter que fazer tudo correndo porque perdeu tempo. Começar o dia fazendo as coisas no piloto automático sempre me dá uma sensação ruim, de correria, de que nada está sendo feito da maneira que deveria e isso me frustra muito. Então, comecei a tentar me planejar melhor e calculei quanto tempo preciso pra fazer todas as coisas necessárias antes de sair de casa – e sem me tirar horas de sono.

Tinha tudo para dar certo, eu consegui acordar todos os dias no horário proposto, porém, em algum momento – ok, muitas vezes – a primeira coisa que eu fazia no dia envolvia pegar o celular. Seja com a desculpa de ler as notícia do dia ou responder mensagens, acabei descobrindo que pegar o celular era o que mais atrapalhava minha manhãs em esferas que iam além do tempo. 

Me propus, a princípio por um mês, a só pegar no telefone quando fosse a hora de sair de casa. E isso teve efeitos muito positivos em diversas áreas da minha vida: vou dividir com vocês.

foto: Ella Jardim

foto: Ella Jardim

Sem celular, tive tempo para fazer as coisas

Não é à toa que o tempo é o ativo mais valioso na vida das pessoas. Sem pegar no celular, tive tempo para fazer todas as coisas que eu gostaria na manhã, sem pressa. Pude preparar meu café da manhã sem ir na opção mais prática e óbvia, escolhi melhor minhas roupas, tive tempo até mesmo de passar delineador sem pressa! Esses momentos comigo mesma fizeram meu dia melhorar consideravelmente.

Não começo o dia me julgando

Se vou em algum portal de notícias, ou até mesmo no Instagram, sei que em algum momento, acabo correndo o risco de me comparar. Por mais que eu esteja atenta a essa movimentação e por mais que eu considere essa questão controlada na minha vida, por mais que eu saiba a roubada que é se comparar. Sem olhar nada, não me sinto menos na moda ou menos produzida, ou menos o que quer que seja. Me sinto sendo eu mesma, conectada comigo, vivendo o que gostaria de fazer e não o que estão me sugerindo fazer.

Posso incluir uma atividade no meu dia

Yoga, pilates, uma caminhada na beira da praia ou até ler um capítulo de um livro. Todas essas coisas me fazem sentir bem, melhoram a minha saúde e a minha qualidade de vida. Agora tenho tempo pra elas, justamente porque não estou mais olhando meu celular por uma parte do meu dia. Em dias que trabalho até mais tarde, uso esse tempo para dormir mais um pouco também, acho justo e importante para o meu dia seguinte. São 20 ou 30 minutos que passavam muito rápido enquanto eu estava ali, apenas subindo a tela do celular deitada na cama.

Desacelerei (no bom sentido)

Minha rotina é corrida (se a de alguém aqui não for, meus parabéns!), e celular já dá pra gente um senso de urgência. É mensagem pra responder, grupo pra se atualizar, email do trabalho que a gente não resiste e dá uma olhada e quando vê tá respondendo e…correndo. Gera uma ansiedade dentro da gente que muitas vezes a gente nem sabe de onde está vindo. Sem mexer no telefone pela manhã, descobri que nada é tão urgente que não possa esperar um pouco, que vou conseguir responder todo mundo na maioria dos dias, que as tarefas não vão se acumular se eu não começar a resolvê-las naquela hora. E isso me deixou menos ansiosa, mais concentrada e mais tranquila de saber que é possível realizar tudo sem correr tanto.

Já pensou em fazer esse teste? Experimenta e depois me conta!

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta