3 em Autoestima/ Comportamento no dia 27.08.2018

Você já pensou no perigo de comparar irmãos?

Hoje eu dei de cara com uma matéria sobre a irmã da Juliana Paes. Entre todas as qualidades sobre ela, a chamada e a frase de maior destaque era sobre como a irmã faz para disfarçar as celulites quando vai à praia com Juliana, a irmã famosa.

Fiquei pensando na relação entre irmãos. Se você não vive algo assim, certamente conhece algum caso: a irmã de olhos castanhos e a que tem olhos azuis; a irmã gordinha enquanto a outra é magra (e alta!), a que vai bem no colégio e a que só tira nota baixa, a linda e a inteligente e por aí vai… E penso obviamente no peso que é ser o lado não considerado superior pelos outros. Pensem na irmã gêmea da Gisele, que apesar de ser linda, não é a Gisele e isso sempre a fez alvo de críticas.

IRMAS

Quantos esteriótipos nos farão comparar irmãos na fase adulta ou ainda na infância? Parece que as pessoas gostam muito da história do patinho feio, não parando para pensar o quanto julgadoras são em certas constatações. Passa despercebido o quanto esses comentários podem estar estigmatizando alguém de forma leviana, colocando na pessoa uma placa que pode ser difícil de carregar! E o pior de tudo? Essa etiqueta tem menos a ver com quem ela é, nesse caso ela está ali em função do irmão ou irmã da pessoa. É um rótulo em função da outra pessoa. Se a outra pessoa não tivesse um irmão em destaque tal comentário existiria? A comparação é um perigo para a autoestima da gente e entre irmãos ela parece um risco invisível, completamente inconsciente.

“Poxa, sua irmã tem esse corpão fantástico, né?” ou “Caramba, só ela puxou os olhos da sua mãe?”. Parece inocente, mas quando o assunto é aparência são exemplos como esses que fragilizam a percepção de beleza de muitas pessoas. Eles podem passar a impressão de que por não ter tal atributo, aquela pessoa é menos bonita do que a outra em questão. Só que isso pode afetar a autoestima em várias esferas, que não só a da beleza, comentários como esses podem depreciar a inteligência ou mesmo a “interessância” da pessoa, quando na verdade cada indivíduo é um e eles não deviam ser comparados socialmente.

Ai de quem for o irmão menos famoso, menos bonito ou menos bem sucedido. “Uau, você ajudou a pagar os estudos da sua irmã e hoje ela ganha três vezes mais que você!”. Qual a necessidade de falas como essas? A todo tempo, mesmo que pareça apenas uma constatação, se não soubermos filtrar os comentários, eles incitam uma competição entre irmãos, que em vez de concorrentes, são nossa família e em teoria, ao menos, são nossos melhores e maiores parceiros na vida. E isso, acabam despertando nos irmãos essa raiva, ou esse clima de disputa por coisas que eles não escolheram, no caso da aparência, ou batalharam duro para conquistar, no caso do sucesso na vida.

É duro e triste ver que relações entre irmãos, que deveriam ser saudáveis, se perdem por conta de comentários dessa natureza. Que os menos favorecidos nessa equação guardam mágoa ou os mais valorizados pelos outros carregam consigo culpa, ou pior ainda, quando os irmãos começam de fato uma disputa entre si por algo que começou fora. Cada um tem seu valor e seu talento, independente que ele seja dentro dos padrões incentivados ou não. Construir uma autoestima sólida é importante para que esses comentários não passem dos ouvidos para dentro da sua cabeça e te façam acreditar que você é menos.

Por isso a importância de vigiarmos o que falamos e o que deixamos entrar na nossa cabeça e nos tirar o sossego. Um mundo onde fazem até os irmãos são incentivados a competirem está realmente com problemas graves, então precisamos repensar esses comentários e o incentivo a comparação.

Gostou? Você pode gostar também desses!

3 Comentários

  • RESPONDER
    Andréia
    28.08.2018 às 10:11

    Amo essas reflexões. Tem muito a ver com as imposições criadas pela própria sociedade e acaba sendo um peso para muitos de nós.

  • RESPONDER
    Flávia
    28.08.2018 às 17:09

    Muitas vezes as comparações começam dentro de casa… :(

  • RESPONDER
    Jafia alves
    28.08.2018 às 23:20

    Isso é verdade mêsmo, eu tenho uma irmã gêmea e muitas vezes quando nos éramos mais novas as pessoas falavam que ela tinha cara de boba e que eu era a irmã bonita e eu odiava isso porque eu que achava ela mais bonita e as pessoas as vezes não medem as palavras, e eu via que no fundo isso afetava ela também sabe.

  • Deixe uma resposta