1 em Autoestima/ Beleza/ Destaque/ Make-up/ Patrocinador no dia 07.08.2018

Festa do pijama: um papo sobre maquiagem e autoestima!

O fim de semana do papo foi completamente inovador como vocês verão nos próximos posts! Dessa vez pensamos em muitas experiências envolvendo temas totalmente relacionados à autoestima. Para começar, escolhemos começar o fim de semana do #paposobreautoestima fazendo uma festa do pijama para reunir nossas amigas blogueiras do Brasil inteiro que vieram se juntar à nós nessa experiência no Grand Hyatt Rio. Criamos junto com a Vult uma festinha muito fofa no nosso quarto e enquanto nós arrumávamos o espaço para recebermos várias amigas, nos reunimos com Mayara Cardoso e Gabih Machado para gravarmos vídeos para seus canais. O assunto? Maquiagem e autoestima, que é uma das perguntas mais frequentes no papo.

vult-1

De uns tempos para cá a gente vem desconstruindo as crenças que tínhamos sobre as razões pelas quais nós usávamos maquiagem, o resultado dessa reflexão foi talvez o mais curioso, afinal, ele nos levou a um caminho diferente das outras desconstruções. Enquanto deixamos de nos cobrar tanto nos relacionamentos, deixamos de sermos tão rígidas conosco com relação aos nossos corpos, com a maquiagem nos pegamos num processo diferente: quanto mais autoestima e autoconfiança nós tínhamos, menos a gente precisava dela, mas mais nos sentíamos corajosas para usar todas as versões de maquiagem que desse vontade. A maquiagem deixou de ser uma obrigatoriedade – quem nos assiste nos stories sabe disso – mas passou a ser uma ferramenta de ousadia onde a gente poderia externar quem somos ou estamos com vontade de ser sem medo do julgamento.

A maquiagem foi deixando de ser uma prisão. Nós fomos deixando de sermos reféns. Deu vontade de sair sem? Pode! Deu vontade de usar muita? Também pode! Pouca? Idem. Quase nada? Também. Aos poucos entendemos que para essa questão de autoestima e maquiagem não tem uma resposta perfeita, politicamente correta ou cheia de regras. Na realidade, nosso entendimento é justamente o oposto: sem regras! O que queremos da maquiagem é apenas exercer a liberdade. Poder usar ou não, muito ou pouco, de acordo com nossa vontade, sentimento ou necessidade pessoal e intransferível. Pra nós não existe mais essa ideia que maquiagem traz dignidade, ou que precisamos dela para sermos aceitas ou para nos sentirmos bonitas. Quebrar o entendimento de que PRECISAMOS estar maquiadas nos dá a possibilidade de não estar. Tá tudo bem se falarem que a gente não tá com cara de saúde ou seja lá qual for a pressão que virão a fazer, isso diz mais sobre quem fala, não sobre a gente.

festa-do-pijama-

No nosso entendimento, para exercer a liberdade de escolha de forma consciente, precisamos acolher que a maquiagem é uma alternativa de adorno que podemos curtir, que pode nos transformar em diferentes versões de nós mesmas e não obrigatoriamente atender a uma demanda social. Entendendo que não somos obrigadas a estar maquiadas, podemos de verdade escolher usar ou não desse artifício de beleza. Aos poucos a maquiagem deixa de ter a ver com ficar bonita para os outros e se torna apenas mais uma ferramenta para ajudar a colocar pra fora um brilho e uma beleza que está dentro, que se intensifica ao nos conhecermos mais.

Deixar de ser refém da maquiagem foi libertador. Ela deixou de ser uma obrigação para nos deixar parecidas com todo mundo e passou a ser um espaço para cor, ousadia, arte e brilho, onde podemos expressar nossa personalidade. Aos poucos aquela ideia de contornar o rosto todo para deixar todo mundo no mesmo formato foi deixando de fazer sentido pra gente, aos poucos a maquiagem perdeu a ideia de truque ou correção, aos poucos fomos no sentindo tão autoconfiantes que a maquiagem passou a ser uma possibilidade de auto expressão, uma forma de arte mesmo. De maneira consciente nos vimos podendo ousar mais dessa ferramenta que nos proporciona mudar de visual, look ou estilo de acordo com a nossa vontade, humor ou ocasião. Se antes achávamos que não segurávamos um batom vermelho ou um olhão poderoso, hoje se der vontade a gente se pergunta: por que não?

festa-do-pijama-0

No caso da desconstrução da maquiagem o que descobrimos de mais importante é exercer a liberdade de nos apresentarmos como quisermos. Sem precisar de nada, mas sabendo que podemos usar tudo e que todas as nossas versões terão o mesmo valor. Independente do reflexo no espelho. Como bem já diz o slogan da Vult: você do seu jeito!

Então sim, no caso a gente crê que dá para aplicar a mesma liberdade que temos para falar de corpo, maternidade, relacionamento e afins na maquiagem. Só que nesse caso não há uma única resposta para o grito de liberdade. Não é deixar de usar, usar muito ou pouco que dirá o quanto você é livre para SER VOCÊ MESMA com a maquiagem, é a consciência de que você não precisa agradar os outros que te dará autoconfiança para ser a versão que você quiser se você.

vult-2

vult-3

Gabi, May, Ca & Jô

Amamos debater isso com Mayara e Gabih, amamos mais ainda fazer essa festa do pijama para nossas convidadas! Estamos super felizes com esse papo e em termos a Vult conosco durante esse segundo semestre de 2018. Estamos cheias de planos e ideias para falar mais dos produtos que gostamos, mas mais do que tudo estamos animadas para falar um pouco sobre como enxergamos essa ferramenta que nos encanta que é a maquiagem. Ela nos permite ser o que quisermos, nos expressar de diferentes formas, em diferentes momentos. Deixar de ser refém nos permite usar com liberdade, consciência e autonomia, pra nós essa é a melhor forma de consumir make, com algumas pitadas de criatividade e diversão, é um tempo gostoso pra gente mesma, pra nos expressarmos do nosso jeito.

ca-e-jo festa-do-pijama-3 pijama-1

festa-do-pijama-2

Foi incrível viver essa festa do pijama, com essas influenciadoras que vieram do Sul, Sudeste e Nordeste do país para nossa festa, para o nosso fim de semana. :)

Make_vult_009

No dia seguinte, a experiência com a maquiagem entrou no âmbito prático e nós recebemos a querida Joyce Barbosa para assinar nossa beleza para a festa com as leitoras da qual já falamos aqui. Obrigada Joyce por ter nos produzido, obrigada Vult por ter permitido esse encontro. Apostamos numa produção muito poderosa para vivermos essa experiência completa! Nos sentimos muito maravilhosas na nossa festa e nós só temos a agradecer, dessa vez nós seguramos uma make e um look com muita ousadia, de uma forma livre que jamais sonhamos ser possível.

Make_vult_010 Make_vult_032

Obrigada @vult_cosmetica por embarcar no #paposobreautoestima com esse mote da liberdade! Concordamos em gênero, número e grau com a frase “você do seu jeito”. 

Gostou? Você pode gostar também desses!

1 Comentário

  • RESPONDER
    Vanessa Monteiro
    08.08.2018 às 7:03

    Eu que sempre fui preguiçosa e não usava maquiagem de jeito nenhum (só em casamentos / formaturas), descobri aos 27 anos que quando minha autoestima está alta, quero que o mundo me veja e por isso não tem problema nenhum abusar um pouco da maquiagem. Esse processo de conhecimento é libertador ❤️

  • Deixe uma resposta