1 em Beleza/ pele no dia 26.07.2018

Vamos falar de alguns mitos e verdades sobre Rosácea?

Há algum tempo, a Jô convidou as leitoras do Futi para fazerem perguntas que seriam respondidas pela dermatologista Vanessa Metz, que além de cuidar dos tratamentos da pele dela, também é uma das colaboradoras do Futi com seus textos e vídeos sempre relevantes.

Uma das perguntas que mais surgiram foi sobre rosácea, e a Vanessa ajudou esclarecendo bastante alguns dos mitos e verdades pra gente.

Algumas das dúvidas estão nesse post do insta!

Algumas das dúvidas estão nesse post do insta!

Por que falamos de cuidados com a pele aqui no Futi? Porque além de ser algo que faz parte da vida da Joana e de muitas leitoras aqui, acreditamos que o autocuidado está totalmente ligado à nossa autoestima não apenas como imagem corporal, mas sim porque nos valorizamos como pessoa, e nos cuidamos para promover o nosso bem estar. Manter o corpo saudável é o começo de um olhar amoroso sobre nós. E, se tratando de pele, ainda esbarramos, sim, em questões estéticas também.

duvida

Muito do que vemos de rosácea por aí, mas pouco sabemos que de fato estamos vendo rosácea. Por isso o diagnóstico médico é tão importante. Essa é a conclusão que se tira durante uma breve conversa com ela. Pra começar, Vanessa explica o que é rosácea.

rosácea é uma doença de reatividade vascular como ponto principal. Quando ocorre uma vasodilatação, o sangue fica mais exposto e o rosto fica avermelhado. No entanto não é só vasodilatação que acontece. Já existem estudos que comprovam que a rosácea é uma doença inflamatória, explica.

A necessidade do diagnóstico médico, e não só do que lemos e pesquisamos, é fundamental. Porque a rosácea pode se apresentar de muitas formas e algumas podem se assemelhar à acne (como foi o caso do goleiro Alisson durante a Copa do Mundo).

“Muitas pessoas acreditam que ter rosácea é apenas ficar com a pele mais vermelha e quente quando se bebe vinho, por exemplo. No entanto não é só isso, pois existem vários graus dessa doença, sendo um deles apresentado por bolinhas com ou sem pus bem similares a acne. É um diagnóstico que confunde mesmo, e complica ainda mais com os sinais na pele se tratar com ácido salicílico, enxofre e produtos muito secativos nessa pele como se estivesse tratando acne pois acaba piorando pela reatividade que essa pele rosácea tem. Um bom diagnóstico para esses casos faz com que o médico escolha os melhores princípios para essa pele reativa ou use algum artifício, um creme hidratante, algum produto com efeito antiinflamatório para conseguir aproveitar o produto secativo.”

Um mito a respeito da rosácea, de acordo com a Vanessa,  é que não se pode usar nada para tratamento. Já existem dermocosméticos e produtos específicos para os cuidados com os diversos tipos de rosácea. Além do uso de maquiagem ser permitido. No entanto o fato de que a alimentação pode influenciar o aumento da rosácea, é uma grande verdade.

“Pimenta, bebida alcoólica, corantes, tudo que possa levar a uma vasodilatação pode então intensificar A rosácea. Pra isso é importante consultar uma nutricionista que vai fazer uma lista dos alimentos que não são recomendados. Mas não existe nenhuma dieta da moda ou alimento milagroso pra isso. Essa recomendação não vale apenas para a rosácea, mas também para dermatite atópica, psoríase, tudo que inflama é importante ter esse suporte de cuidado com a alimentação.”

A alteração de temperatura também é outra verdade, que a dermatologista deu algumas dicas para ajudar.

Mudanças climáticas e de temperatura também estão muito associadas. Prevenir é mais difícil, mas água termal pode ajudar em casos de mudanças para o calor, já que refresca a pele. Na neve, é muito comum que as pessoas acreditem que o frio “queimou” a pele, ao se verem avermelhadas  mas pode ser pura e simplesmente manifestação da rosácea, para quem já tem esse diagnóstico. Então o ideal é que se evite a mudança brusca de temperatura, seja para o muito quente ou muito frio, ao menos no rosto. Evitar água muito quente, no caso do frio, pode ajudar.”

Já deu pra ver a importância de um diagnóstico correto não é mesmo? Busque uma dermagtologista de confiança e procure o tratamento ideal para sua pele. Para quem se interessar a Dra. Vanessa Metz atende em Ipanema no Rio de Janeiro, você também pode acompanhar as notícias dela no instagram, para seguir: @dravanessametz.

Gostou? Você pode gostar também desses!

1 Comentário

  • RESPONDER
    Camila
    27.07.2018 às 18:46

    Adorei!!
    Muito obrigada por abrirem esse espaço para mandarmos dúvidas para uma profissional e por trazerem esse assunto não muito falado na internet.
    Ainda é muito difícil encontrar informações (principalmente confiáveis) sobre rosácea, acredito que pela dificuldade do diagnóstico.

    No meu caso mesmo, inicialmente suspeitamos de uma alergia, pois eu tinha mais bolinhas sem pus do que vermelhidão.
    Só após me consultar com uma alergista e fazer exames de alergia (com resultados negativos), que a dermatologista considerou a rosácea.

    Hoje, sou a melhor amiga da água termal e virei a louca do protetor solar :)

    Fui diagnosticada há pouco tempo e ainda estou no trabalho diário de entender que não é o fim do mundo estar com o rosto vermelho e cheio de bolinhas (e ignorar as pessoas que te olham como se tivesse uma doença contagiosa).

    Beijos

  • Deixe uma resposta