0 em Autoestima/ Beleza/ corpo no dia 12.07.2018

O dia em que o jogo virou para a “barriga negativa”

Não sei se vocês conhecem Candice Swanepoel, mas certamente vocês conhecem o termo “barriga negativa”. Pois Candice é uma das Angels da marca de lingerie americana Victoria’s Secret e é dona de um corpo que foi escolhido pela mídia para representar esse termo por todos esses anos.

Acontece que Candice nunca pediu para ter este título e quando ela engravidou pela segunda vez, a mídia não soube como classificá-la. E aí, vejam como a ditadura do corpo perfeito pode ser cruel: a mesma Candice, a “modelo da barriga negativa”, sofreu body shaming sobre o seu corpo pós parto! As pessoas chegaram em um ponto em que nem mesmo quem está dentro do padrão esperado para uma mãe que teve um bebê há menos de um mês está imune, mesmo que ela tenha sido considerada o maior padrão de perfeição corporal antes disso.

Tudo isso aconteceu porque Candice “ousou” ir para a praia 12 dias após ter tido seu segundo filho. Sua foto em pleno puerpério nos traz para aquela realidade em que nem mesmo a modelo de lingerie da tal “barriga negativa” pode vencer a ordem natural das coisas – e tudo bem, porque nem deveria vencer nada, para começo de conversa!

candice-2

O grande conforto nisso é que ela se defendeu muito bem. Ela respondeu aos críticos de plantão a seguinte mensagem:

“Essa sou eu doze dias após ter o meu filho. Se você tem alguma coisa má para dizer sobre isso…olhe para você mesmo. A sociedade pode ser cruel com as pessoas. Padrões de beleza são impossíveis para as mulheres hoje em dia. Eu não estou envergonhada de mostrar minha barriga pós-parto. Eu estou orgulhosa, na verdade. Eu carreguei meu filho por nove meses ali. Eu acho que tenho o direito de exibir alguma barriga, será que é por que eu sou modelo? Bem, nós somos pessoas normais também! Então, me deixem curtir a praia em paz, por favor”.

Não é de hoje que falamos sobre o quanto a mídia e as pessoas podem ser cruéis com mães e suas recuperações pós parto. Famosas recém paridas secando o leite para se entupirem de remédios e dietas restritivas para aparecerem na capa de revista 2 meses depois do parto com títulos que insinuam que elas conseguiram voltar ao corpo de antes com facilidade, como se isso fosse fácil, natural e possível para todas. Pessoas próximas dando pitacos sobre o tamanho da sua barriga ou chamando atenção para o seu peso. E agora isso. Esse é um assunto recorrente, mas pelo visto, o caso só reforça que ainda não falamos o bastante, pelo contrário, ainda precisamos falar muito mais sobre isso!

candice

“Eu não preciso esconder minha barriga só porque pessoas têm padrões irreais de mulheres. A gente cria vida…o que você pode fazer? Meninas, nós estamos nessa juntas, vamos ser gentis umas com as outras”

Sim, nós sabemos que Candice faz parte do imaginário do corpo midiaticamente perfeito, mas se ela não está preocupada em mostrar seu corpo pós parto, por que alguém deveria ficar?  A maternidade já é um momento de tantas mudanças e cobranças pessoais, que a última coisa que uma mãe precisa é de dedos apontando o que quer que seja a respeito de sua aparência.

Ainda assim, ver uma modelo que serve como exemplo para tantas pessoas que ainda têm uma visão irreal a respeito do corpo com um discurso como este, nos deixa ainda mais certas de que estamos indo pelo caminho certo e podemos contar com influências positivas mesmo em meios que são tão prejudiciais, muitas vezes. Ainda há um longo caminho a percorrer, porém, um caminho que vai se abrindo aos poucos. Vem com a gente, Candice!

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta