0 em Autoestima/ Destaque no dia 16.04.2018

Lá no #paposobreautoestima

Semana passada não teve, mas começamos essa com alguns dos posts recentes que mais gostamos na #paposobreautoestima. Quem quiser aparecer por aqui, é só usar a hashtag no instagram, de preferência em um post contando qual é o seu desafio com a sua autoestima e como você está fazendo para superá-lo. <3 Estamos esperando!

futilidades-mariana-xavier

@marianaxavieroficial: Se você tá na sua jornada de amor-próprio e ainda não assistiu ao vídeo de ontem, você não imagina o que tá perdendo! – para ver o vídeo é só dar uma olhada nesse post.


@sarabgaldinoTerça-feira, 10 de abril, aproximadamente 7:28. Mais uma vez, acreditei nos padrões. Tive uma recaída. Me senti mal. Coloquei uma blusa mais colada que marcou as dobrinhas, e pela primeira vez, depois de alguns meses sem esse problema, sem me pressionar por isso, o fiz.

A verdade é que não tem como estar bem consigo mesma o tempo todo. Autoestima, aceitação é uma luta diária. ⠀São anos e anos lutando pra estar dentro de um padrão inalcançável. São anos e anos sendo bombardeada todos os dias com os tais corpos ditos perfeitos, em todos as mídias. Foram anos de bullying. Foram anos de insegurança. ⠀

Pela primeira vez, em meses, me senti pequena pra enfrentar aquilo. Uma blusa que pareceu um problema tão grande. Por um momento, quando me olhei no espelho, me passou como um filme; me lembrei de todos os complexos, transtornos, loucuras pelo tal corpo perfeito.

Eu não vou desistir. Mas hoje, eu me senti fraca. Me senti mal. Incapaz. Incapaz de incentivar alguém. ⠀
Me desculpem. Eu acho que ninguém é forte o tempo todo. Ninguém se aceita o tempo todo.
Eu não vou desistir. Vou continuar na luta diária da auto aceitação. Mas, como sempre digo aqui, quero mostrar a realidade, independente de qual seja ela, e a realidade é que hoje me senti assim. Precisava desabafar sobre isso. Espero que me entendam.

@amanda_samotEu vivo falando sobre auto aceitação e amor próprio. Sobre como estou melhor ultimamente. Sobre como estou mais ciente de que tento ser minha melhor versão. Mas alguns dias ainda são bem difíceis. Tem dias que não quero sair de casa, outros que saio e me arrependo logo. Tem dias que choro por simplesmente olhar no espelho e não aceitar aquilo que vejo. Hj é um dia ruim. E infelizmente sei oq causou isso. Pq hj quando eu caminhava em direção ao meu trabalho, como faço todos os dias. Tinha apenas eu e mais uma senhora na rua. A senhora que ficou olhando para trás o tempo todo. A senhora que guardou o celular. A senhora que mudou a posição da sua mochila. Hj eu tentei ser forte contando isso para minhas amigas, até fiz piada. Mas a verdade é que isso me doeu e me feriu de uma forma absurda. Eu estava indo trabalhar com as roupas que vcs sempre me veem por aí. E então fiquei me perguntando “e se minha aparência fosse melhor?”, “Talvez se eu fosse bonita ela não me confundiria com um bandido?”, “Talvez se eu tivesse melhor vestida?”. A verdade é que ainda que eu esteja confortável em ser apenas eu sempre vai ter alguém pra me fazer passar por dias assim ou talvez eu nunca esteja confortável sendo apenas eu. Bom, eu prefiro acreditar que hoje foi apenas um dia ruim. Amanhã voltarei a acreditar que sou uma pessoa incrível.

@bureaudeestiloNesse processo de parar de brigar, aceitar e depois amar meu corpo, uma coisa essencial pra mim foi entender que há razões políticas e econômicas por traz da obsessão com a beleza e com a magreza feminina. Fez não só com que eu enxergasse a questão de maneira mais objetiva, como também apelou pro meu lado desobediente! haha E o livro que me ajudou demais nesse processo e que eu recomendo pra todo mundo que tá nesse caminho, é o Mito da Beleza da Naomi Wolf. O livro é 1991, mas, infelizmente, segue atual. É de lá essa frase que sempre que leio acho muito impactante (e faz muito sentido): “Uma fixação cultural na magreza feminina não é uma obsessão pela beleza feminina, mas uma obsessão pela obediência feminina”

@robertatrajanoo: O que separa uma foto da outra ? Nada mais nada menos do que um aplicativo que altera a REALIDADE… É super normal procurar nosso melhor ângulo Para sair BEM em uma foto , é normal querer esconder algumas gordurinhas indesejáveis,mas devemos tomar muito CUIDADO,pois infelizmente acabamos virando escravas das redes sociais . Acabamos deixando de postar muita das vezes uma foto LINDA, cheia de ALEGRIA e LIBERDADE só pq ela não se enquadra nos padrões que NÓS mesmas acabamos acreditando que deve existir . 
O melhor da vida vai muito além de uma foto PERFEITA (no INSTAGRAM) e que nem tá tão perfeita assim , pq deixei gordurinhas nas costas 😂😂😂 _________________________________________________
1 – Não existe um padrão para ser feliz .
2 – Poste a foto que quiser ,como quiser .
3 – Não caia na ilusão das pessoas perfeitas que existem nas #redessociais 
4 – Ninguém é perfeito, todos temos defeitos e medos (por trás das #redessociais )
5 – Por trás daquela foto #perfeita existem várias coisas 
6 – Ninguém é perfeito e feliz o tempo todo.
7 – Todo mundo tem dias tristes e dias felizes 
8 – Seja você sempre 
9 – Não aceite rótulos 
10 – SEJA LIVRE 🙌🏾 SEJA FELIZ 😃

@juliathetinski: A autoestima é um exercício diário. Nos cobrar menos e olhar com carinho o que o espelho nos mostra é fundamental para nossa saúde física e mental. O autoconhecimento nos ajuda a não cairmos nas nossas próprias armadilhas, como nos compararmos o tempo todo com outras mulheres.

“A beleza de outra mulher, não significa a ausência da sua”.

Falei tudo isso só pra dizer que há alguns anos eu nunca publicaria uma foto em roupa de banho em uma rede social. 😂😂 Eu nem faria… Estaria perdendo tempo me preocupando com detalhes que não influenciam naquilo que sou e perderia uma foto dessas bichooooo.

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta