0 em #paposobremulheres/ Autoestima/ Comportamento/ Convidadas/ economoda no dia 05.03.2018

Papo sobre mulheres: Finanças pessoais, independência e autoestima com @economoda!

Como uma ávida acompanhante do grupo do Futi no Facebook e outros tantos grupos que discutem autoestima e feminismo, percebo que um assunto muito importante não é tão falado com a frequência que deveria: O empoderamento financeiro como uma forma de empoderamento feminino. A meu ver essa é uma bandeira que deveria ser levantada.

ju-economoda

Não se preocupe, vim aqui fazer isso!

Creio que todas nós conhecemos ou até vivenciamos situações em que mulheres são chantageadas em troca de pensões, bens e dinheiro. Mulheres que aceitam relacionamento abusivos por medo de não ter mais renda, lugar para morar e condições de sustento de filhos. Infelizmente, a grana tem sido utilizada em muitos casos para manter essas relações tão nocivas.

A minha intenção aqui não é apontar o dedo e nem dar “conselhos” para mulheres que infelizmente vivem nessa situação, afinal, temos de ter empatia e entender caso a caso para poder ser um braço direito e um conforto para quem vivencia isso. O que eu gostaria hoje é de conversar um pouco sobre como poderíamos evitar entrar nessa triste espiral de depender por um extremo de dinheiro do outro.

Em primeiro lugar: entenda suas finanças, conheça os números, os fluxos de entrada e de saída da grana que envolve você e sua família. Mesmo que você não seja uma financeira estudada, existem diversos cursos e vídeos bacanas aqui na internet que podem te ajudar com isso. Eu gosto da @NathaliaArcuri do Me Poupe e do portal @financasfemininas .

Em segundo lugar, nunca leve a grana como um tabu, algo a ser escondido ou proibido de saber e compartilhar. Converse com o seu/sua parceir@ sempre sobre eventuais dificuldades que tem passado, planos que gostariam de realizar individualmente ou em família, realizações profissionais etc. Quanto mais esse assunto é tocado, mais natural ele fica e menos chances de se sentir ameaçada com situações.

Em terceiro lugar, formalize relacionamentos de forma consciente e sendo racional. Muitas vezes o amor deixa a gente inebriado e tomamos atitudes que muitas vezes nem pensamos no futuro. Obviamente que ninguém entra em um relacionamento pensando no fim, mas temos de analisar os detalhes para caso ele chegue ao fim, ao menos essa parte financeira não se torne mais uma facada no peito a ser solucionada. Busque advogados, referências na internet, entenda os contratos celebrados e discuta isso em com o seu/sua parceir@.

Em quarto lugar, uma sugestão muito pessoal, ok? Eu sinto que é extremamente importante ter um “colchão” para você.  Aquela reserva financeira que você pode nem lembrar que tem por muitos anos, mas pode lhe ser útil em momentos difíceis, sejam eles no casal ou em um relacionamento desfeito.

Por último, tenha metas financeiras pessoais. Sempre pensamos em metas de saúde, bens, viagens, etc …. mas que tal se planejar para conseguir ter aquela grana investida até o final do ano? Entender as possibilidades de investimentos, diversifica-los em diversas formas, investir numa previdência para o futuro. Enfim, as possibilidades são enormes!

economoda

Os pontos que coloquei acima, apesar de muitas vezes pensar em alguém que já está em um relacionamento ou está no inicio de um, serve para todas nós!  Solteiras ou acompanhadas, independência financeira está relacionada diretamente a diversos pontos de nossa auto estima e de nosso empoderamento. Então busque, se informe e seja a melhor amiga das suas finanças!

Me segue lá no @economoda!

Gostou? Você pode gostar também desses!

Sem Comentários

Deixe uma resposta