2 em Brasil/ Destaque/ Sem categoria/ Trip tips/ Viagem no dia 17.01.2018

Conhecendo o Brasil: Foz do Iguaçu

A curiosidade de conhecer Foz do Iguaçu veio durante a nossa viagem para a África do Sul no ano passado. Conhecemos muitos (mas muitos mesmo) europeus ao longo da viagem que ao descobrir que nós éramos brasileiros sempre falavam “estivemos no Brasil e fomos para Amazônia e Foz do Iguaçu, são lugares magníficos”. E nós dois sempre ficávamos com cara de pateta porque moramos aqui, viajamos pra caramba pelo mundo todo, amamos a natureza e não conhecíamos nem um nem outro. Que vergonha né?

Resultado, voltei da África já catando uma passagem para Foz para corrigir esse erro gravíssimo. E lá fomos nós explorar um pedacinho do nosso Brasil.

IMG_0566

P1100634 (1)

IMG_0783

Quando ir

A notícia boa é que Foz pode ser visitada o ano todo. Na primavera e verão, meses mais chuvosos, as Cataratas ficam mais volumosas e mais imponentes. No outono e inverno, meses mais secos, as quedas ficam mais definidas. Acho que vale visitar mais de uma vez para tirar as próprias conclusões do que é mais bonito.

Em relação à chuva, a verdade é que o tempo em Foz é muito louco e muda de uma hora pra outra. Segundo as pessoas locais que conversamos, essa incerteza acontece o ano todo, mas nos meses mais quentes é sem dúvida pior. Nós fomos em Novembro e pegamos dias lindos de sol e dias de tempestade pesada. Na média, o tempo foi bom e conseguimos aproveitar bastante (ainda bem que tínhamos bastante tempo).

 

O que fazer

Cataratas do Iguaçu

Óbvio que a primeira coisa que vem na nossa cabeça são as Cataratas do Iguaçú, certo? E não é pra menos. Com o título de uma das 7 maravilhas da natureza, as Cataratas apresentam quedas de até 80 metros de altura, mostrando aos espectadores como somos minúsculos perto da sua força.

O acesso ao Parque das Cataratas é pago e muito organizado. Com o passe diário, os visitantes tem acesso a vários atrativos e restaurantes, além do ônibus circular que passa de 5 em 5 minutos por todas as estações (o acesso a carros de passeio é proibido). Ficamos muito bem impressionados de como tudo é bem cuidado e funciona perfeitamente!

A atração mais tradicional dentro do Parque é a trilha das Cataratas. Toda pavimentada e com corrimãos, a trilha tem extensão de 1,5km, passando ao lado das muitas quedas do rio Iguaçu, com vários mirantes para observação. A caminhada é bem tranquila e pode ser feita por adultos e crianças sem estresse. Para quem tem dificuldade de locomoção, o ideal é saltar na última parada do ônibus, que dá acesso às maiores quedas com rampas e elevadores. É lá que fica também o Porto Canoas, um restaurante estilo buffet bem gostosinho que tem uma vista bem legal do rio Iguaçu (e do vaporzinho das quedas). 

É muito difícil explicar a energia que tem esse lugar! Realmente é algo de outro mundo, uma sensação boa de lavar a alma que nos faz pensar no quanto nós somos pequenininhos na Terra. Mexe mesmo com a gente!

DCIM100GOPROG0380573.JPG

P1100612

IMG_0947

IMG_0803

IMG_0589

Varanda do Restaurante Porto Canoas

Macuco Safari

Se ver as cataratas dos mirantes não foi o suficiente para você, recomendo fortemente ir de cabeça nas águas das Cataratas no Macuco Safari. É um passeio de barco que te leva pertinho de algumas quedas para você tomar um banho e sentir a pressão da queda da água. Recomendo fortemente entrar no barquinho descalça e de biquíni mesmo (molha MESMO). Extremamente divertido e imperdível!

 

DCIM100GOPROG0070051.JPG

DCIM100GOPROG0090068.JPG

Trilha do Poço Preto

Existem algumas trilhas dentro do Parque, que devem ser feitas com guia. Nós optamos pela Trilha do Poço Preto, que começa com 10 km dentro da mata, que podem ser feitos a pé, de jipe ou de bicicleta (fomos de bike!). Depois, andamos mais um pouco pela mata até chegar a um barquinho, que nos levou para fazer um passeio no rio Iguaçu, na divisa com a Argentina. Pudemos andar de caiaque no rio, que estava com a água bem turva por conta das chuvas (mas ainda assim lindo!). No fim, ainda ganhamos um lanchinho.

DCIM100GOPROG0530691.JPG

DCIM100GOPROG0520684.JPG

Depois da trilha, fomos tomar banho de cataratas de novo!

Depois da trilha, fomos tomar banho de cataratas de novo!

Parque das Aves

Quase na entrada do Parque das Cataratas, fica o Parque das Aves, um centro de recuperação e conservação de aves. A visita é muito interessante e muito rica em informações sobre os animais, além de dar a oportunidade de estarmos bem pertinho das aves que ficam em grandes viveiros. Sim, é um zoológico, mas achei o papel deles na conscientização sobre tráfico e maus tratos muito importante. Além disso, como eles nos explicaram e ao contrário do que as pessoas pensam, soltar esses animais de cativeiro na natureza selvagem é condená-los à morte.

É um passeio ótimo para os pequenos. Eles adoram e já podem ir aprendendo o que é certo e o que é errado quando se trata de animais silvestres. Muito bacana!P1100892 (1)

P1100870

P1100831

P1100761

Vôo panorâmico

Se dos mirantes e debaixo das quedas não foi o suficiente para você ter uma experiência completa das Cataratas, é possível voar de helicóptero e ver aquele espetáculo também de cima. O vôo dura 10 minutos é operado pela Helisul, que fica exatamente em frente ao Parque das Aves. Ah, custou R$ 430 por pessoa (novembro/17).

O visual é um escândalo! Antes de chegar às quedas, dá para ver como a floresta do Parque é densa e bem cuidada. Depois, é só se deliciar com aquele espetáculo que é lindo de todos os ângulos.

OBS: o piloto do helicóptero faz 2 ou 3 manobras bem radicais para deixar os passageiros de cara para as quedas. Se você tem medo de voar, não recomendo o passeio, mas se não tem, vai com tudo que é lindo demais!

P1100934

P1100960

P1100968

Itaipu Binacional

A visita a maior usina hidrelétrica do mundo entra sempre no roteiro de quem passa por Foz. Fizemos o Circuito Especial, que mostra a usina pelo lado de fora e também inclui uma visita interna, com muitas explicações sobre a construção e o funcionamento de Itaipu. É bem impressionante a obra de engenharia feita por brasileiros e paraguaios para que fosse possível gerar aquele tanto de energia com a força das águas do rio Paraná.

No fim, paramos no lago da represa da usina, onde fizemos um passeio de catamarã no por do sol. O lago é imenso e o passeio parece muito legal, mas como eu disse ali em cima, o tempo é doido e logo depois que entramos no catamarã caiu um DILÚVIO! Resumo, ficamos passeando no lago com chuva e nada de por do sol. Uma pena!

IMG_0096

P1100979

P1100972

IMG_0148

Nuvens já querendo anunciar a chuva e o catamarã esperando os passageiros

IMG_0136

O imenso lago de Itaipu

Compras no Paraguai

Sim, a veia muambeira sobressaltou e lá fomos nós para Ciudad Del Este comprar eletrônicos. CHO-CA-DA como tudo lá é mais barato do que o Brasil, com preços próximos aos praticados nos EUA. Para quem quer comprar equipamentos fotográficos, drones, celulares e até laptops, recomendo demais a ida ao Paraguai. É economia na certa!

Antes de ir, eu pesquisei bem as lojas confiáveis (sim, mesmo nos dias de hoje é possível cair em furada) e acabamos comprando na Cellshop e Casa NisseiNossa experiência foi ótima!

 

Outros passeios

Por falta de tempo, acabamos não conhecendo outros atrativos de Foz como o Marco das Três Fronteiras, onde parece ser bacana de assistir o por do sol. Para os pequenos, existe ainda o Museu de Cera e o Vale dos Dinossauros, que devem ser divertidos.

Também ficou de fora a visita ao lado argentino das Cataratas. Mas nós gostamos TANTO do lado brasileiro que já até compramos a passagem para voltar e conhecer o lado dos hermanos em 2018.

 

Onde ficar

A cidade oferece muitas boas opções de acomodação para todos os gostos (e bolsos), desde hotéis mais em conta estilo business, localizados no centro, a grandes resorts, que ficam na estrada que leva até o Parque das Cataratas.

O hotel mais luxuoso da região é o Belmond Hotel das Cataratas, o único que fica dentro do Parque das Cataratas e de frente para as quedas. Não precisa nem dizer como é fantástico, né? Para ver o review do Belmond, clique aqui (em breve).

Em outras categorias, indicamos duas opções que ficam no centro: o Nadai Confort, um hotel simples mas bem confortável, e o Concept Design Hostel & Suites, um albergue modernoso muito simpático que oferece quartos compartilhados e privados com excelente custo benefício.

A escolha do lugar vai muito do estilo e budget de cada um: ficar nos resorts vai te dar uma gama de atividades extras para fazer dentro do próprio hotel, o que pode ser especialmente importante se você estiver viajando com crianças, enquanto que ficar no centro facilita a locomoção para os atrativos e restaurantes.

DCIM/136MEDIA/DJI_0006.JPG

Belmond Hotel das Cataratas

IMG_0039 1

Por do sol na frente do Belmond

Como se locomover

Tudo em Foz é longe, os taxis são caros e os aplicativos tipo Easy Taxi e 99 só funcionam na região do centro. Resumindo, se você estiver sem carro (como foi o nosso caso), prepare-se para gastar uma pequena fortuna com corridas. Para dar uma noção, gastamos cerca de R$ 200 para ir e voltar do Parque das Cataratas até Itaipu, socorro!

A solução é alugar um carro ou contratar um receptivo, que foi o que acabamos fazendo no final. Depois da dinheirama gasta para ir até Itaipu, contratamos a Loumar Turismo, uma das maiores da região, para nos levar para as atrações mais distantes.

Dica importante: não é permitido usar o carro alugado para ir ao Paraguai. As opções são atravessar a Ponte da Amizade a pé, ir de taxi (o que dá mais ou menos 50 reais para ir e 50 reais para voltar do centro de Foz) ou ir com um receptivo (que sai na média uns 50 reais por pessoa). Fomos e voltamos com a Loumar e adoramos o serviço!  

Foz tem mesmo que entrar na listinha de destinos de todo brasileiro. O lugar realmente é especial e nos surpreendeu em termos de infraestrutura e oferta de atrações. Não vemos a hora de voltar!

 

Gostou? Você pode gostar também desses!

2 Comentários

  • RESPONDER
    Nathalia
    26.01.2018 às 14:28

    Adorei o post e estou planejando ir à foz neste ano. Quantos dias você ficou para tudo isso?
    Por favor, arruma o link para o post do Belmond das cataratas (tenho quase certeza que li esse post aqui), não achei pela busca e o link ainda não funciona.
    Obrigada pelas informações

    • RESPONDER
      Aline Rajão
      26.01.2018 às 15:02

      Oi Natália! Que bom que você gostou!
      Fiquei 5 dias inteiros. Como não peguei sempre tempo bom, eu priorizei o descanso e os passeios eu fazia só quando o sol resolvia parecer. Então se o tempo tivesse mais firme, daria pra ter feito outros passeios, tipo o lado da Argentina também. Mas deu pra curtir bastante!
      O post do Belmond vai ao ar na 4a feira 31/01 de manhã! :)
      Qualquer coisa pode perguntar aqui ou manda direct no meu insta @alinerajao

      Beijos!

    Deixe uma resposta