2 em Autoestima/ Moda no dia 03.01.2018

Gorda pode usar? Sim! Gorda pode tudo!

Meu primeiro texto como colunista oficial do Futi e não tenho nem palavras para agradecer a oportunidade e o convite da Jô e da Cá para participar desse blog que tenho tanto carinho. Sigo as meninas há anos, sempre me inspirando nas dicas postadas aqui, que com certeza me ajudaram a levantar minha autoestima, se tornando um grande portal de autoconhecimento pra mim. Pretendo sempre trazer pautas de moda plus size, relacionando como ela impacta diretamente em minha autoestima no dia a dia. Eu adoro me vestir bem, brincar com as tendências e valorizar cada cantinho do meu corpo. Quero muito trazer um pouco do que aprendi com minhas curvas para inspirar quem também quer se autoconhecer e se sentir bem consigo mesma na hora de se vestir.

Trago hoje uma pauta que recebo sempre no blog e redes sociais em forma de pergunta: o que gorda pode usar?

Sempre fomos ensinadas que temos que valorizar nosso corpo escondendo o que não gostamos tanto e deixando em evidência as partes que mais curtimos. Porém, quando se trata da moda plus size, todas as dicas desse universo para “valorização do corpo” se pautam em torno de esconder, diminuir visualmente, fechar, tampar. Esses e outros verbos estão presentes em revistas de moda, portais femininos na internet, TV e afins. Somos o tempo todo bombardeadas por tendências que não podemos usar. Comprimento midi? Achata. Cropped? Só pra magra. Listras horizontais? Nem pensar. Roupa justa? Nunca.

Todas essas regras chatas de moda acabam nos limitando, fazendo com que nós, gordas, sempre nos jogássemos no pretinho básico. Com o tempo fui percebendo que valorizar meu corpo vai muito além de aderir ao que a moda me impõe. Tem muito mais a ver com respeitar meu gosto pessoal, meu estilo e minha vontade para determinada ocasião. Foi ai que comecei a reinventar meu guarda-roupa, trazer mais informação de moda em tamanhos plus size para ele e agregar o que eu mais queria desde sempre: estilo próprio.

Não vou dizer que foi uma tarefa fácil. Ainda hoje sinto muita dificuldade em encontrar peças que vistam meu corpo e que não me façam parecer uma senhora de 70 anos. São pouquíssimas lojas físicas ou online que investem em uma moda plus jovem, autêntica e cheia de informação de moda atual. Por isso, procuro valorizar o trabalho feito por essas marcas que buscam inclusão no mercado da moda, assim como eu busco me sentir incluída.

Hoje tenho muito orgulho de sair na rua com braços de fora, com comprimento midi, com cropped, com peças justas ou largas. E se você não gosta de alguma dessas tendências, tudo bem também! Aquela moda limitante e chata pode cair por terra, quando a transformamos em um grande grito de liberdade para quem quer se vestir da forma como quiser, respeitando o estilo pessoal de cada um. Trouxe essa reflexão pra cá pra começar 2018 vendo a relação da moda com nosso corpo de uma forma diferente. Assim conseguiremos construir um ano diferente, com menos limitações e mais liberdade fashion.

Gostou? Você pode gostar também desses!

2 Comentários

  • RESPONDER
    Nayara Beatriz
    03.01.2018 às 14:58

    Essa parceria prometeee em?! Começando o ano com uma notícia boa dessas 😍😍 É só sucessoo !! Se libertar desses estigmas do que podemos ou nao usar nao é fácil e a ajuda de vcs é essencial ❤ obrg 😙

  • RESPONDER
    Renata Garcia
    10.01.2018 às 16:28

    Lindos seus looks!

  • Deixe uma resposta