7 em Autoestima/ Destaque/ maternidade no dia 05.12.2017

Será que vai ter olho claro?

Já tem um tempo que ouvi a Fabiana Saba contando em seu Stories uma história que me deixou pensando, ou melhor, que me deixa pensando até agora. Ela estava contando como ela faz para trabalhar a autoestima das suas duas filhas e nesse dia, ela estava falando sobre as incontáveis vezes que ela teve que ouvir pessoas apontando como se fosse um problema o fato que nenhuma das duas havia puxado a mãe. Isso é, nenhuma das duas nasceu loira de olho claro.

Como se o fato das meninas serem morenas com olhos escuros as deixassem automaticamente menos bonitas.

Lembro de ter levado um choque na hora – afinal, que audácia é essa que permite uma pessoa falar isso para uma mãe? – mas depois parei para pensar e lembrei que eu vivenciei algo MUITO parecido. E pior, eu tinha esse mesmo pensamento das pessoas que me deixaram horrorizada. Deu para sentir o choque maior daí? Acho que dava até para usar o novo recurso do stories de dar zoom enquanto toca uma música de suspense, porque ele me definiu quando percebi tal semelhança.

Meu marido tem olho verde, né. Então, baseado nisso que eu falei até agora, chutem o que mais ouvi durante a gravidez de quem conhecia o pai? “Será que vai ter o olho do pai?”. A pressão para ter o olho do Bernardo foi gigante. Pais, mães, familiares, inclusive a gente, que acabou ficando ansioso não só para ver logo o Arthur como também para saber se ele teria olhos verdes.

Eu sei que todo mundo que falava isso queria mais é que ele nascesse saudável, não foi tudo tão superficial assim, mas não vou negar que eu também fiquei na expectativa. Mais até do que eu gostaria, assumo com certa vergonha. Acho que no fim das contas, eu tinha dentro de mim uma preferência por um padrão eurocêntrico que eu nem mesmo sabia que tinha.

Quando ficou muito claro que não tinha chance nenhuma do olho ser do pai, nunca mais havia pensado no assunto até me deparar com a história das filhas da Fabi. E fiquei matutando: o que é mais grave? A pessoa falar em tom de pena que seus filhos não têm o olho claro ou você mesmo botar uma expectativa que seu filho vai nascer com olhos verdes só porque as chances são grandes e porque você internalizou que o padrão diz que esse olho é o mais bonito?

Hoje paro para analisar: o que eu pensava que ia acontecer se ele tivesse de fato olhos claros? Ia mudar algo? Eu ia achá-lo mais bonito, ia achar que ele seria mais bem sucedido? Que faria mais sucesso? Nossa, mas que tristeza resumir uma pessoa – ainda mais o seu filho – a um par de olhos, não é mesmo? 

Só que maternidade é também crescimento e ironicamente, ele não ter os olhos do pai acabou fazendo com que eu enxergasse meus olhos de uma forma mais carinhosa e amorosa. E aleluia, eu não cheguei a exercer nenhum tipo de pressão por padrões de beleza, coisa que não farei nem com ele, nem com nenhum outro filho que eu venha a ter. Vivendo, levando uns tombos e aprendendo.

Acima de tudo, entendi na prática que, independente de como ele é fisicamente, quero mais é que ele seja feliz, honesto, empático, educado e que saiba respeitar as pessoas. E, bem, essa beleza interior que podemos ajudar a moldar não depende de nenhuma loteria genética. 

E não tem beleza física, olhos claros ou nada que mascare uma alma feia.

Gostou? Você pode gostar também desses!

7 Comentários

  • RESPONDER
    Andréia
    06.12.2017 às 9:45

    Texto para refletir muito. Aí a gente percebe que as vezes damos valor para coisas tão superficiais e deixamos de lado o mais importante. A última frase já é o suficiente para revermos nossos conceitos.

  • RESPONDER
    Bianca Beatrice
    06.12.2017 às 10:56

    Oi Carla, me vejo muito no seu relato.
    Venho de uma família de italianos em que todos tem olhos verdes e azuis. A família do meu pai, por outro lado, é de índios e portugueses. Sou uma mistura de uma pele muito branca com cabelos lisos e escuros e olhos escuros… Quase uma Gabriela Ganem, mas sem aql bossa toda rss.
    Meu marido tem uma família bem heterogênea e meu sogro tem os olhos azuis mais claros q já vi na vida, quase brancos.

    Tenho dois filhos, um de seis anod e outro, de um.
    O de seis é loiro escuro como o pai e tem os meus olhos escuros.
    O bebê, cabelo loiro escuro com os olhos azuis escuros, de uma cor linda, mesmo. Mas não mais linda que os olhos do irmão.

    E foi muito difícil lidar com isso pois além do ciúmes natural que acontece qnd um bebê chega à família, ainda vinham todos falar dos olhos do bebê (sendo q nunca falaram nada sobre os olhos do mais velho… Talvez até um “que pena” mas nunca um elogio, isso com ctz)
    Num dia de crise de ciúmes, muito choro e frustração, ele disse “queria ter os olhos do Felipe”…. Isso partiu meu coração, ver meu filho tão pequeno, tão lindo, tão amoroso, falando isso.
    Eu falei que ele tinha os olhos da mamãe, que ele não precisava ter os olhos azuis pq ele tinha os olhos da mamãe.
    Sei que isso pode gerar uma briga entre eles no futuro, mas foi a forma q achei de levantar a autoestima dele, que já estava tão abalada pela chegada do irmão e seus olhos claros.

    Hoje, SMP q alguém fala dos olhos do irmão ele fala “e eu tenho os olhos iguais aos da mamãe”

    Desculpa o textao, mas esse tema me atingiu em cheio. Adoro o novo direcionamento do blog. 💓

  • RESPONDER
    Rafaela
    06.12.2017 às 15:15

    Ola Carla! Adoro seus textos e sempre comento isso… Mas acho que essa reflexão de hoje foi um pouquinho além do que defino ser um problema… Sei lá, eu acho que amigos, familiares e até nós pais mesmo, antes de tudo, queremos a saúde de nossos filhos e os acharemos lindos venham eles com cabelos e olhos claros, escuros, roxos ou cor de rosa, rsrs…. Então não vejo mal algum nas pessoas criarem uma expectativa sobre a cor dos olhos ou cabelos do futuro bebê… ah sei lá, posso até ser um gosto particular meu (o que acho que não, visto que é a opinião da maioria), mas olhos verdes e azuis realmente são mais lindos que os escuros, o que é perfeitamente natural…. e olha que eu, meu marido e minha filha somos todos castanhos, em olhos e cabelos… acho os olhos da minha filha lindos sim e agradeço a Deus por cada parte do corpo perfeito dela, mas não sou hipócrita de dizer que não acharia a coisa mais lindo do mundo se ela tivesse olhos azuis … Só acho que o cuidado deve ser tomada na hora de falar isso na frente da criança, aí realmente é falta de noção… afinal, a criança está com sua personalidade e emoções em formação e se sentir segura é fundamental para um crescimento emocional saudável… Não sei se me fiz compreender, mas acho que ninguém cria essa expectativa por mal não, são só gostos e opiniões que não precisam ser reprimidos de toda forma … Beijos!

  • RESPONDER
    Bruna
    06.12.2017 às 15:34

    Isso realmente é uma coisa surreal que tá tão enraizada que a gente não percebe.

    Parecido com o caso da Bianca que comentou aqui é o de duas priminhas minhas. A mais velha é morena de olhos castanhos e a mais nova foi lá num ancestral remoto e pegou uma genética ruiva perdida na família. Algum tempo depois que a mais nova nasceu, minha prima (mãe delas) circulou um email no grupo da familia pedindo pra que parassemos de elogiar o cabelo ruivo da mais nova, pq a mais velha falou com ela que “ninguém acha meu cabelo bonito” (ela devia ter 2 ou 3 anos na época).

    • RESPONDER
      Bianca Beatrice
      06.12.2017 às 17:36

      Bruna, é exatamente isso q eu faço… Mentira seja taxada de fresca. Peço para as pessoas pararem de elogiar os olhos do mais novo, já q não vão elogiar os do mais velho… E msm qnd fazem, fazem de maneira forçada e fica claramente ridícula a situação, como se estivessem tentando “consolar” o mais velho.

  • RESPONDER
    Vanessa Bolzan
    07.12.2017 às 8:47

    Já passei muito por isso com meus filhos! Eu tenho olhos verdes e meu marido tem olhos castanhos escuros, meus 3 filhos nasceram com olhos castanhos. Sendo bem sincera, eu nunca tive expectativas deles nascerem com esta ou aquela característica física, muito menos olhos claros. Para mim, o mais importante é e sempre foi a saúde deles. Acho incrível como as pessoas se acham no direito de gerar expectativas e mais, externar essas expectativas que criam sobre a vida dos outros. Já ouvi muito: “que pena, nenhum deles nasceu com seus olhos!” Sempre achei um absurdo que alguém me dissesse uma coisa desse tipo e nunca deixei que meus filhos se sentissem menos só por causa da cor dos olhos. E tenho, desde sempre, a resposta na ponta da língua: Eles não tem olhos claros, mas tem olhos que são perfeitos e que enxergam muito bem, isso sim é importante. Nunca deixo sem resposta!

  • RESPONDER
    Caroline®
    07.12.2017 às 9:51

    O mau-e-velho padrão caucasiano de “beleza”….. Por mais que muita gente não consiga enxergar, o racismo está tão entranhado na gente, que qualquer possibilidade de traço físico desse tipo vira uma expectativa. Tipo: “tomara que essa criatura tenha a sorte de escapar de um olho castanho, de um cabelo crespo, de uma pele escura”. Continuamos perpetuando aquele ideal de bebê Johnson’s: branquinho, de olhos claros, bochechas rosadas. E aí nasce aquela dificuldade imensa de sentir verdadeiramente que toda criança é linda, qualquer que seja a cor dos seus olhos.

  • Deixe uma resposta