6 em afiliado/ Looks/ Moda no dia 21.11.2017

Look da Cá: a chemise virou cropped

Eu já falei por aqui que se tem uma peça que eu não tenho no meu armário é top cropped. Sempre tive mil neuras, achava que só quem tinha barriga que não dobrava que podia usar (e na época eu realmente só via gente mais magra do que eu usando, ou seja, não tinha nem onde me inspirar), até chegar em 2015, quando em menos de uma semana usei dois looks com tal peça, um mais ousado, outro mais dentro da minha zona de conforto.

Um mês depois desse último look descobri que estava grávida e preferi o conforto. Sei que muitas grávidas aproveitam esse período para botar a barriga de fora, mas não foi o meu caso. Eu simplesmente não me via com nenhuma roupa que deixasse o Arthur “pro lado de fora” e acabei me jogando em blusas e vestidos mais largos. Esqueci que em algum momento já tinha usado.

Eis que Arthur nasceu e apesar de meu corpo até ter voltado mais rápido do que eu imaginava, minha barriga nunca mais foi a mesma MESMO. E por mais que eu realmente nem ligue para isso na maior parte do tempo (ela não me incomoda quando eu olho no espelho, por exemplo) e que eu saiba que qualquer pessoa que olhar essas fotos vai se questionar por que eu tenho essa neura, a minha insegurança ficou mais forte do que nunca. Tanto que de uns tempos pra cá prefiro sempre biquinis com hot pants e jeans cintura alta. Por isso mesmo, jurava que top cropped realmente não ia ter vez nunca mais no meu armário.

E até o momento isso vem acontecendo de fato, mas durante essa temporada que passei no Rio, estava com uma chemise branca que bate no meio da coxa e na preguiça de trocar de blusa para ir embora, resolvi botar o short e amarrá-la acima do umbigo. Quando vi, estava com a tal parte da barriga de fora que sempre me incomodei em botar. E o melhor? Até gostei.

Curti muito o resultado, resolvi trazer pra cá:

Chemise: Folic (muito antiga) | Short Madewell | Colar Dafiti | Óculos Francisca Jóias | Sapato Cavage 

Fotos: Gabriela Isaias

>>>>> nos afiliados <<<<<<

Eu tanto gostei que cheguei em casa assim, saí pra jantar e não lembro da neura da barriga que não dobra bater em algum momento. Ainda não tenho nenhum top cropped no meu armário, mas depois desse dia a possibilidade com certeza se abriu.

Achei que valia a pena dividir essa pequena vitória com vocês, mas quero saber: qual foi a última pequena vitória que você teve na moda?

Beijos!

Gostou? Você pode gostar também desses!

6 Comentários

  • RESPONDER
    Ranielle Santiago
    21.11.2017 às 12:28

    Adorei os looks , vc arrasa como sempre muito lindos esses modelos gostei .
    Bjss.
    Ranielle Santiago

    • RESPONDER
      Carla Paredes
      28.11.2017 às 11:49

      Obrigada! <3

  • RESPONDER
    Jéssica
    21.11.2017 às 14:25

    Carla, que post feliz!

    Tive uma experiencia bem parecida recentemente. Sou gorda, uso tamanho 48-50 e cropped era (meio que ainda é) uma coisa absolutamente fora de cogitação pra minha realidade, ainda estou mto no começo dessa coisa toda de aceitação e tudo mais, mas há alguns dias, usei uma camisa grande aberta com uma blusinha dessas regatinhas por baixo. Só que a regatinha estava um pouco pequena e velhinha, então ela não vestia muito bem, ficava subindo toda hora e passei o dia todo no trabalho incomodada e arrumando a blusinha. Saindo do escritório fui para um show a pé e caminhando a blusa ficava subindo ainda mais. Daí pensei “poxa, estou com uma calça de cintura alta e tenho barriga. Vai aparecer um pedaço mas bom, barriga é barriga, essa é a minha barriga, eu to andando na rua, não gostou, troca de calçada” e fui. Não tinha nenhum conhecido perto, o anonimato traz uma coragem, né? Haha! Fui até o local do show, assisti o show inteiro cantando, dançando, pulando e foi uma delícia. Não sei se eu estava meio eufórica, mas que eu tenha reparado, ninguém olhou duas vezes pra mim, apenas uma senhora meio com cara de reprovação mas só, das literalmente milhares que encontrei naquele dia. Percebi que em geral as pessoas estão preocupadas demais consigo mesmas para ligar para o que o outro tá vestindo e, se ligarem… bom, eu não devo nada para ninguém e mostrar barriga não é crime em SP, então, qual o grande problema?

    Para ser honesta, não sei se tenho coragem de fazer novamente, não sei se estando com alguém conhecido faria, mas naquele momento, naquelas circunstâncias, foi bom sentir o vento na minha pele, foi libertador ocupar meu corpo inteiro sem tentar disfarça-lo ou enconde-lo. Naquele dia, foi muito bom me vestir de mim

    • RESPONDER
      Carla Paredes
      28.11.2017 às 11:49

      Que máximo, Jéssica! Sim, vestir-se de si, é muito isso mesmo!

  • RESPONDER
    Silvaneide
    05.02.2018 às 17:41

    Adorei o blog tem muita informações interessantes aqui, adorei mesmo.

  • RESPONDER
    Manoela
    09.06.2018 às 11:43

    Amei esse look, como posso adquiri-lo ?
    http://www.noticiasdaweb.com.br

  • Deixe uma resposta